quarta-feira, 31 de julho de 2013

A luta continua!


Paulo Contreiras
Estou surpreso com a reação que o texto “Cansei” provocou. Jamais imaginei e nem foi minha intenção atingir qualquer objetivo que não fosse a devolução de nossos direitos. Quis apenas expressar a minha opinião pessoal. Não sei nem dizer se eu estou certo. Tudo que escrevi foi fruto do desencanto de que me achei possuído por, como se diz na gíria, malhar em ferro frio: Você bate, bate, bate e não acontece nada. É muita insensibilidade, muita frieza, muita indiferença. Talvez haja quem ache que bati forte demais no AGU. Pode ser que assim ele se conscientize do mal que está fazendo à nossa categoria! Quero aproveitar a oportunidade para agradecer a todos pela solidariedade que demonstraram neste momento. Não citarei nomes pois poderia cometer alguma omissão o que seria imperdoável.
Um pedido: Não façam de mim algo que não sou! Sou apenas mais um soldado nesta luta por nossos direitos. Continuarei escrevendo sempre que se apresentar motivos para tal. Creio que errei quando botei o título de “Cansei” no texto que escrevi: Creio que mais adequado seria DESENCANTO. 
Ao Jim Pereira agradeço mais uma vez pela magnífica tribuna que nos proporciona.    
A todos um grande abraço.
A luta continua! 
Título e Texto: Paulo Drummond de Macedo Contreiras, 81 anos, aposentado AERUS.

Relacionados:

8 comentários:

  1. Não falei, comandante ?
    José Manuel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado José Manuel. Partindo de você eu não poderia esperar outra coisa senão incentivo, solidariedade.
      Abraços a todos.
      Contreiras.

      Excluir
  2. É meu caro amigo Contreiras, até hoje não sei porque cismaram com todas as categorias de aposentados. Eu pertenço a classe de aposentados do RGPS-Urbano, para a qual inventaram a covarde e insensata atualização das aposentadoras com dois percentuais diferentes nos aumentos anuais: o mesmo percentual dado ao salário mínimo para aqueles que se aposentaram com o piso mínimo (representando dois terços de segurados cadastrados) e, para aqueles que se aposentaram com mais de 01 salário mínimo (representando um terço), correção do benefício com percentual de correção geralmente a metade do que foi estipulado para o salário mínimo. Por isso, em quinze anos consecutivos, já perdemos acima de 70% do que deveríamos estar recebendo se não tivessem desvirtuado os artigos da nossa Constituição, que proibia defasagens nos benefícios previdenciários. A intenção torpe é nivelarem todas as aposentadorias do setor privado em apenas 01 salário mínimo. Eles fazem os aposentados de bodes expiatórios porque é uma categoria fragilizada, não tem como se defender, não podem fazer greve, não dá Ibope, não tem representatividade política de relevância e, estão fora de cogitações dos planos de gestão, porque não dão o retorno que o governo desejava tendo ainda o dever constitucional de sustentá-los. Pobres aposentados brasileiros.
    Um forte abraço, Almir Papalardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sr. Almir Papalardo. Mais uma vez vejo que remamos na mesma direção. Obrigado por seu incentivo e solidariedade. Saiba que sou admirador dos seus artigos que seguidamente saem no O Cão que fuma, blog que vem se tornando um baluarte da Justiça e do Direito. Abraços.
      Paulo Drummond de Macedo Contreiras aposentado AERUS.

      Excluir
  3. Jim,
    Quem mata a aviação brasileira?.
    .Por Lúcio Flávio Pinto | Cartas da Amazônia – 3 horas atrás.
    Acabo de ler esta reportagem falando da VARIG, no yahoo Brasil notícias, no momento com 6 comentários, repasso para os interessados.
    DTS

    ResponderExcluir
  4. Jim, o título no yahoo na integra é:

    Agência Estado
    Brasil perde bilhões com aviação civil
    Lúcio Flávio Pinto diz que quebra da Varig foi causada por ação de bastidores no governo Lula Leia mais
    Agência Estado
    Quem matou a Varig?

    Obrigado,
    DTS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já achei a matéria no blogue de Lúcio Flávio Pinto.
      O editor faz referência à matéria da revista Piauí, que mencionamos nestes posts:

      Piauí: Como a Varig quebrou

      Como a Varig quebrou (matéria escaneada)

      NOTIFICAÇÃO

      Excluir
    2. Sim, é a mesma matéria da Revista Piauí, que mencionastes oportunamente nos posts.
      Agora consta no YAHOO Brasil/notícias, com 191 comentários.
      Estou relatando, pois é mais um canal de divulgação, com possibilidade de comentários.
      Obrigado pelo retorno.

      Excluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-

Página Anterior Próxima Página Home