quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Ditadura chinesa persegue bispo fiel por uso de anel e barrete

O Bispo de Zhouzi, Dom Wu Qinjing [foto], foi sagrado com a aprovação da Santa Sé, mas não foi reconhecido pela Associação Patriótica Chinesa — uma espécie de igreja cismática criada pelo governo comunista e que recusa a autoridade do Papa. Agora, em ato público na catedral de sua diocese, o bispo desafiou as autoridades anticristãs ao usar o barrete e o anel, aos quais tem direito como sucessor dos Apóstolos. O comunismo percebe o bom efeito que os símbolos episcopais tradicionais produzem nos fieis e os proíbe em lugares públicos. A punição pode levar à prisão legal ou “negra”. Dom Wu inaugurou uma nova cruz na catedral de Zhouzhi, outro símbolo que enfurece o regime de Pequim. 
Título, Imagem e Texto: ABIM, 16-9-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-