quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Qual é o problema da urna eletrônica?

Assistindo à sessão do Congresso Nacional, esperando a discussão – e aprovação – do PLN 02/2015 (Abre ao Orçamento da Seguridade Social da União, em favor do Ministério da Previdência Social, crédito especial no valor de R$ 368.258.333,00, para o fim que especifica: AERUS), começa agora a discussão sobre a impressão do voto eletrônico.

Ou seja, a oposição quer que o eleitor receba um comprovante de voto. Comprovante?!

Meus amigos e amiga próxima sabem o que sempre disse sobre a urna eletrônica no Brasil. Sempre a vi como um tremendo avanço do Brasil.


Sim, eu achava o voto eletrônico um tremendo avanço em relação à minha (e à de todos brasileiros) experiência em eleições: você enfrentava uma enorme fila, acrescentava um X em um ou mais quadrinhos e esperava dois ou mais dias pela conclusão da contagem. Aí chegou a urna eletrônica. Maravilha!

Julgava que a urna eletrônica era a única responsável pela celeridade da apuração.

Meus amigos e amiga próxima sempre colocavam a dúvida: mas por que nenhum país do mundo aderiu a esse sistema?...

Fui recebendo, via e-mail e redes sociais, denúncias sobre a “fragilidade” das urnas eletrônicas… mas não aderi a elas, às denúncias.

Mas a vida passa e continua, e se você nada aprende, nem apreende, well

Desde que resido em Portugal, já votei três vezes, com o “velho” método da cruzinha em um boletim de voto. As urnas encerram às 18h ou 19h, não lembro bem… mas, às 20h os canais televisivos já conseguem noticiar o vencedor das eleições.

Agora, começo a ver melhor: se você vota em um pedaço de papel, esse seu pedaço mais outros milhões de pedaços de papel são separados e contados à vista de muita gente. E o produto dessa contagem é inserido em um computador que, à vista da mesma muita gente, calcula à velocidade do som o resultado.

Julgo ter percebido a diferença: neste método você sempre pode pedir a recontagem (aliás, aconteceu nas últimas eleições legislativas no arquipélago da Madeira), pois os votos estão ali, guardados naquele canto, mas não sei como funciona o pedido de recontagem dos votos 'virtuais'… 

Mas, não sei, pedir um recibinho do voto, francamente, acho uma meninice… pois que, a haver manipulação das urnas eletrônicas no Brasil ela continuaria a existir, haja vista a impossibilidade de os mais de duzentos milhões de eleitores brasileiros enviarem, para algum lugar, o seu “recibo” de voto para conferência e cotejo finais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-