quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Pinguim sempre volta para o homem que salvou sua vida

Sarah V Schweig

Um pinguim de Magalhães chamado Jingjing mora na Patagônia, mas desde 2011 ele tem um lar sazonal no Brasil.

Quatro anos atrás, o pedreiro aposentado João Pereira de Souza estava andando pela praia quando ele encontrou um pinguim coberto de óleo e lutando para sobreviver.

Ele levou o pinguim para casa, o limpou e o deu uma refeição fresca de sardinhas. Ele o chamou de Jingjing.


Após seu ato de bondade, Souza tentou fazer o que era o certo: soltou Jingjing de volta à natureza.

Jingjing, entretanto, tinha outros planos.

Mesmo depois de o homem ter levado o pequeno animal para a praia, fazendo com que ele se lembrasse das águas abertas, Jingjinh decidiu voltar...


… e voltar… e voltar.

Um pescador local disse que ninguém nunca tinha visto algo assim antes: “A coisa mais engraçada é que o pinguim pode ficar por aqui por uma semana, então ele anda até a praia e vai embora. Ele passa 10, 12, 15 dias, depois volta para a mesma casa”.

“Eles deveriam ficar juntos”, o pescador disse sobre os pinguins, “encontrar algum caminho para o sul, mas ele não o faz”. 


Jingjing passa ao todo cerca de oito meses do ano em seu lar no Brasil, com seu amigo favorito na terra.

Jingjing não é somente incrivelmente leal ao homem que salvou sua vida anos atrás. De acordo com o vídeo da dupla feito pelo Wall Street Journal, Jingjing também tem seu lado ciumento. Ele não deixa nenhum outro animal chegar perto de seu humano.


Título e Texto: Sarah V. Schweig, The Dodo 
Tradução: Alice Wehrle Gomide

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-