sábado, 2 de janeiro de 2016

A natureza

Nelson Teixeira
Certa vez, na Índia, um sábio passava com seu discípulo à margem do rio Ganges, quando viu um escorpião que se afogava.
Ele então correu e, com a mão, retirou o animalzinho, e o trouxe à terra firme.
Naquele instante, o escorpião o picou… Dizem que é uma dor terrível… Inchou a mão do sábio.

Assim que ele o colocou no chão, pacientemente, o escorpião voltou para a água.
E ele, com a mão já inchada, debaixo daquelas dores violentas, vai e o retira novamente.
E o discípulo a observar…

Numa terceira vez que ele traz o escorpião, já com a mão bastante inchada e as dores violentas, ele o põe mais distante em terra.

Aí, o discípulo já não suporta mais aquilo, e diz:
– “Mestre, eu não estou entendendo…este animal…é a terceira vez que o senhor vai retirá-lo da água e ele pica sua mão dessa maneira. O senhor deve estar sofrendo dores horríveis…” ·

E ele, com a fisionomia plácida das almas que conhecem o segredo do bem, daqueles que já realmente conquistaram um território de amor e de renúncia no coração; que têm a visão das verdades celestes, vira-se para o discípulo e diz:

– “Meu filho, por enquanto a natureza dele é de picar, mas a minha é de salvar!” 
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 2-1-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-