quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Aula: Ted Cruz e o controle de frame

Luciano Henrique



Em mais belo um trabalho de legendagem – e seleção – do Juntos Pelo Brasil, podemos acompanhar a agilidade política do candidato republicano Ted Cruz. Visto na página de Alexandre Borges, o vídeo mostra um debate entre Cruz e a ativista de esquerda Ellen Page.

E o vídeo é bom para desmascarar o mito de que jogar o jogo político é “imoral”, como algumas pessoas já declararam em meu Facebook. Na verdade, deixar de jogá-lo – especialmente após conhecer suas regras – é a manifestação de uma arrogância a fim de beneficiar os mentirosos. Em nome de manias e colapsos cognitivos, advogar pelo “não jogo” é, por fim, imoral.

Não é preciso ser religioso para saber que neste embate Cruz estava do lado da verdade: Ellen Page adotava o duplo padrão e tinha falsas denúncias em mãos. Se Cruz resolvesse ir para o debate no estilo “escola de debates”, daria vida fácil a ela. Ao jogar o jogo, ficou no ataque, expôs a contradição oponente e, em estilo alinskiano, fez a própria adversária sucumbir pelo seu próprio livro de regras.

Ao final, a expressão de decepção no rosto de Page significava unicamente: “meus jogos aqui não funcionaram”. Em uma casca de noz, Cruz deu uma aula de controle de frame.



Título e Texto: Luciano Henrique, Ceticismo Político, 20-1-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-