sábado, 16 de janeiro de 2016

Conversa da treta

Helena Matos


Estou fartíssima desta conversa. Da treta, claro. Destes proselitismos. Desta transformação de tudo o que mexe numa espécie de aulas de religião e moral, agora sem Cristo mas com género.  Para o raio que parta o género.

Nasci nos anos 60 do século passado quando havia sexo e não penso trocar o sexo pelo género.

E num museu quero arte não agendinhas para mais pirosas das questões disto e daquilo. 
Título e Texto: Helena Matos, Blasfémias, 16-1-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-