sábado, 30 de abril de 2016

Pedofilia no Afeganistão: "nojo do politicamente correto e de todo este relativismo moral..."

Fez-se luz finalmente! A história é esta... este Sargento norte-americano foi exonerado do cargo por ter resgatado uma criança das mãos de um predador pedófilo no Afeganistão. O motivo? Recebeu ordens para que não se envolvesse com os "costumes" locais. Mas o Sargento um homem de carácter, ao ouvir os gritos aflitivos e de dor (que ecoariam pelo acampamento militar) da criança a ser sodomizada, mandou às favas os "costumes" locais e tratou de salvar a criança das mãos do seu agressor.

Esta história parece surreal... mas infelizmente revela a hipocrisia e a podridão que grassa nos meios políticos e militares para acomodar determinadas "sensibilidades"... as "sensibilidades" muslas como já adivinharam.

Mas finalmente, este SENHOR é agora aclamado como um herói.

Nojo do politicamente correcto e de todo este relativismo moral que nos transforma em monstros e nos quer fazer retornar ao nosso estado selvagem.

Bem-haja Sargento por ter seguido a sua consciência e mandado às favas ordens que só podem ter sido dadas por psicopatas amorais!

War Hero Exonerated for Defending Child from Sex Predator




A U.S sergeant who faced expulsion from the army for defending a child is now recognized as a hero. 

Sgt. 1st Class (SFC) Charles Martland is a decorated Green Beret who was nearly kicked out of the Army for defending an Afghan child from a sexual predator.

The American Center for Law and Justice (ACLJ) advocated on his behalf, arguing the U.S. military has a duty to stop child sexual abuse overseas.

The ACLJ spearheaded a letter-writing campaign and petition to have Martland exonerated. More than 65,000 Americans sent letters to the U.S. Secretary of Defense John Kerry, and 350,000 Americans signed the petition calling for Martland to be reinstated. 

After the onslaught of public outcry, Martland was reinstated and deemed a war hero.

The ACLJ recognizes Martland's exoneration as a victory for Martland and the American people. 

"The decision by the Army to retain this hero is long overdue and represents a significant victory for SFC Martland," said Jay Sekulow, chief counsel of the ACLJ. "Justice has been served."

"The U.S. military has a moral obligation to stop child sexual abuse and exonerate SFC Martland for defending a child from rape," he concluded. 
CBN News, 29-4-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-