quarta-feira, 11 de maio de 2016

Agora, é a CCJ da Câmara que anula o ato estapafúrdio de Maranhão; entenda como isso complica mais o governo

Uma saída jurídica fica bem mais difícil, agora.

Flávio Dino, Dima e Waldir Maranhão
Vamos lá: Waldir Maranhão, no exercício da presidência da Câmara dos Deputados, anulou a sessão que aprovou o relatório do impeachment de Dilma Rousseff. O Senado não tomou conhecimento, a decisão foi bombardeada por todos os portadores de alguma noção existencial, de modo que o parlamentar “revogou a anulação”. Um espetáculo patético neste fim-de-feira de governo.

Mas a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara resolveu cortar pela raiz as chances de o governo usar a balbúrdia como subsídio para ações judiciais. Desse modo, foi ANULADA (não apenas revogada) a decisão inicial de Maranhão, fazendo com que seja impossível usá-la judicialmente.

Outra derrota do governo e, portanto, outra vitória para o país.
Título e Texto: Implicante, 10-5-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-