sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Profissão: proibicionista

Alberto Gonçalves

Como identificar um espírito autoritário?

Basta, por exemplo, atender aos subscritores de uma petição contra a visita do Papa a Fátima.

Não sou crente, não acredito em milagres e nem aprecio o sr. Bergoglio, mas, enquanto os católicos não desatarem a explodir-se em lugares públicos, nunca me passaria pela cabeça tentar proibir-lhes os rituais.

Nos sujeitos da petição, e no repulsivo tipo de gente que representam e que acredita em patranhas muito piores, as proibições são um apetite constante. E se os proibíssemos a eles? Já se peticionava qualquer coisa.
Título e Texto: Alberto Gonçalves, Sábado, nº 656, 24 a 30 de novembro de 2016
Digitação: JP

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-