sábado, 18 de fevereiro de 2017

[Aparecido rasga o verbo] Fé e crença

Aparecido Raimundo de Souza

Muitas pessoas confundem a fé com a crença, ou a crença com a fé, quando é certo que um abismo enorme as separa. A fé não é só a Força Espiritual, mas também um dom divino, que abre os olhos da alma às realidades da vida espiritual.

Segundo os dicionários, a fé (substantivo feminino) é o conjunto de dogmas e doutrinas que constituem um culto, sendo, por isso, considerada, a primeira das virtudes teologais.

Crença, por sua vez, vista pela filosofia, ou mais especificamente pela epistemologia, é um estado mental que pode ser verdadeiro ou falso. Ela representa o elemento subjetivo do conhecimento.

Platão, filósofo e matemático do período clássico da Grécia antiga, iniciador da tradição epistemológica, se opôs a crença (ou opinião - "doxa", em grego) batendo na tecla do conceito de conhecimento.

E o que vem a ser isso? Conhecimento nada mais é que o ato de crer. A convicção íntima, ou mero assentimento ao que alguém nos diz, ou informa, até mesmo, no tocante aos ensinos da Bíblia, porém, sem aquela visão interior que leva o homem à rendição ao Supremo.

“Muitos naquele dia hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e, em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi explicitamente: nunca vos conheci; apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade” (Mat. VII: 22 e 23).

O cristianismo (do grego Xριστός, "Cristo") é uma religião monoteísta centrada na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, tais como são apresentados no Novo Testamento. A fé cristã acredita essencialmente em Jesus como o Cristo, Filho de Deus, Salvador e Senhor, e tem, em seu seio, uma multidão de crentes, porém, poucos cristãos!

O cristão está na posse do Espírito Santo, cuja missão especial é convencer a criatura humana do pecado, da justiça e do juízo, segundo o ensino de Jesus.

De acordo com esta doutrina, o pecador sente o seu pecado como uma úlcera maligna a lhe devorar a alma, e vê no sacrifício de Cristo crucificado (justiça de Deus a seu favor), o alívio da sua dor e a cura de sua natureza pecaminosa, e, como consequência, goza do privilégio benfazejo de sentir a morte como um sono suave a transportá-lo para o céu.

Lado outro, o cristão entra corajosamente pela porta estreita da vida e segue vitoriosamente o caminho apertado, fortalecido, todavia, pela fé. Sempre por ela.

O crente, senhoras e senhores, interpreta este ensino de Jesus como linguagem figurada, e julga poder viver para o mundo e para Deus ao mesmo tempo. “Não se pode, a um só tempo, servir a dois senhores, ou se cuida das coisas de Deus ou de Satanás”.

O Cristão, em sua experiência de aperfeiçoamento da vida espiritual, sente a tentação do Maligno, buscando afastá-lo dos caminhos da santidade e fidelidade a Deus.

O crente, em paralelo, lança mão da teologia ou filosofia, e no emaranhado de seus conceitos confusos e contraditórios, nega terminantemente a existência do demônio e espíritos maus, ou se coloca comodamente ao lado dos agnósticos.

A título de esclarecimento, agnóstico se traduz por “aquele que considera os fenômenos sobrenaturais inacessíveis à compreensão humana”.

A carteira do cristão é descrita pelos apóstolos como a de um soldado no campo de batalha: ele luta contra a carne, o mundo e Satanás. O crente busca a aliança com estes inimigos e descansa numa paz enganosa para a sua alma.

Os crentes, como um todo, edificam grandes e suntuosos templos e catedrais, e recorrem a cerimônias e ritos que impressionam os sentidos.

Nesse patamar, falam línguas estranhas. Quinze ou vinte dias atrás, tivemos o privilégio de assistir a um desses cultos. Em face de serem longos demais, passam a ser não “cultos”, mas “compridos”.

Dizia o preletor, quase aos berros para uma plateia silenciosa.

“Precisamos obedecer aos ensinamentos da igreja. A igreja é a casa de Deus. Deus está aqui... “obaradacha supositório... eta dizimo difícil achucalhavaratá”. A palavra de Deus Pai ensina temer.  Temer quer brindar Moreira Franco “assorocabatua xipanzelasacatu...” amém, irmãos, e botar no “cuda bunda etabaracachicungunha...” digam amém, irmãos, amém, Jesus seja louvado. “Ocarachato” que não paga o dizimo precisa “labarachatucanela em pó...” Amém, irmãos, amém, amém”.   

Os cristãos embora jogados em meio a toda essa desordem sentem o Reino de Deus, dentro de seus corações e se contentam com a simplicidade e a modéstia de seus piedosos atos de adoração.

Nessa linha, gostaríamos de deixar no ar uma perguntinha básica para que os nossos leitores façam uma introspecção de suas vidas e, no final delas (da introspecção, evidentemente), tentem responder, com sinceridade e discernimento.

Vocês amadas e amados, que leem, agora, esse texto, no fundo dos seus irrequietos corações, os prezados se consideram crentes de verdade ou cristãos meio termo?

Antes de se manifestarem, ou melhor, antes de responderem a si mesmos, atentem para estas palavras do escritor Wilfred Monod (1867-1943 -, um dos mais conhecidos pastores da tendência “revivalista”). Em seu livro “A nuvem de testemunhas”, Editora Fischbacher página 45 1ª edição Paris 1929, ele escreveu o seguinte:

“Eia! Cristão, desce para a arena onde o teu Cristo combateu até o sangue, e assim veremos do que tu és capaz. És, sim, ou não, um discípulo de Jesus? Não é o credo que tu recitas que resolverá o problema, julgar-te-emos pela tua ação.”

AVISO AOS NAVEGANTES:
PARA LER E PENSAR, SE O FACEBOOK, CÃO QUE FUMA OU OUTRO SITE QUE REPUBLICA MEUS TEXTOS, POR QUALQUER MOTIVO QUE SEJA VIEREM A SER RETIRADOS DO AR, OU OS MEUS ESCRITOS APAGADOS E CENSURADOS PELAS REDES SOCIAIS, O PRESENTE ARTIGO SERÁ PANFLETADO E DISTRIBUÍDO NAS SINALEIRAS, ALÉM DE INCLUÍ-LO EM MEU PRÓXIMO LIVRO “LINHAS MALDITAS” VOLUME 3.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, jornalista, de Campos dos Goytacazes, norte do Estado do Rio de Janeiro RJ, 17-2-2017

Colunas anteriores:

2 comentários:

  1. ENGRAÇADO...PLATÃO EM O BANQUETE
    Diz que todos os humanos eram hermafroditas.
    E por castigo dos deuses forma separados e condenados a buscar sua outra metade pela eternidade.
    FÉ nos deuses, e CRENÇA NOS MITOS.
    As crenças cristão nada tem a ver com CRISTO, mas sim com Abraão.
    Aliás todas religiões monoteístas são abraâmicas.
    Cristianismo
    Maometismo
    Judaísmo
    Mórmons
    Todas abraâmicas.
    QUANTO À SUA ARENA MEU CARO APARECIDO, compremos um .50 e matemos todos que descerem.
    fui...


    ResponderExcluir
  2. Um adendo:
    O mundo de hoje está cada vez mais hermafrodita, todo mundo vivendo seus amores platônicos sonhando possuírem ambos os sexos.
    Eles acham que possuem suas metades perdidas.
    Eles acham ótimo viverem suas tragédias humanas, e não aceitar as verdades latentes,
    Crentes que quanto mais hermafroditas forem, mais temor causam nos deuses.
    Crê firmemente que seu corpo é de homem e tem fé que nasceu para ser mulher.
    São humanos que acreditam piamente que estão ligados em duas estações uma física e outra sintonizada pelo sentimento do amor por si mesmo confundida com o ser emocional.
    fui de novo...

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-