sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

[Atualidade em xeque] O Butantan e O Suvaco do Cristo

José Manuel

Dia 20 de fevereiro de 2017, término de horário de verão e uma ressaca por uma hora a menos, acordei, e como o mundo e eu sempre fazemos, fomos olhar pelo menos as primeiras notícias do dia para não termos surpresas ao longo da jornada.

Desta vez, a primeira notícia dá conta de mais umas toneladas de dinheiro jogados fora, neste país onde em se plantando tudo dá.

Duzentos e trinta e nove milhões de Reais e mais nove anos jogados no lixo da história e a culpa, como sempre, não é de ninguém.

A fábrica do Instituto Butantan, com especialidade para remédios para o tratamento da Hemofilia e da Aids precisa agora de mais de 437 milhões além dos 239 milhões já gastos, para ser terminada, se caso ainda esteja em condições devido ao tempo sem manutenção. Enquanto isso, há pelo menos nove anos e não se sabe quantos mais a futuro, esses remédios continuarão a ser importados, como sempre.

Nove anos atrás, ou 2008, era ainda no tempo da presidência ditatorial-imperial de Garanhuns e incluído nesses anos até ao início de 2016 na presidência ditatorial-imperial de descendência búlgara, também não foi tomada nenhuma providência a respeito, milhares devem ter morrido por falta desses remédios, claro, e os presidentes ditadores-imperiais estavam preocupados em distribuir mortadelas, roubar e falir todas as instituições que lhe aparecessem pela frente.

Como ninguém lê porque a preguiça e os olhos cansam e porque os textos são grandes demais, aqui está a notícia servida com cafezinho para conhecimento geral. 

Esse é o espetacular resultado de uma mistura de presidencialismo falido, com uma ditadura de conveniências partidárias, mais um sistema imperial de vassalagem política do toma lá, dá cá genuinamente brasileiro e único no mundo civilizado.

Se o parlamentarismo já tivesse sido implantado há anos, certamente muitos hemofílicos e portadores de Aids ainda estariam vivendo a sua vida suavizada pela responsabilidade governamental.

Mas, infelizmente, o Primeiro-Ministro, aquele que realmente manda, o executor das políticas públicas de resultado, por aqui ainda é uma utopia, vamos ao que tudo indica para 2018, caso não seja preso, o que está mais difícil que elefante voar, voltar a Garanhuns e à dislexia ébria de microfone em punho, oba, oba.

A segunda notícia, vem aqui do Rio de Janeiro, lugar cuja responsabilidade por tudo que dá errado e roubos aos borbotões é problema dos Estados Unidos e do Fundo Monetário Internacional, foi para as ruas neste fim de semana Saariano com temperaturas que beiraram os 50° sambar, se divertir, gerar mais filhos para esta pátria mãe gentil e curtir uma bela de uma ressaca, para continuar a não fazer nada, na semana que entra, apenas fingindo que se trabalha, porque ninguém é de ferro.

A notícia, vamos lá, é a do bloco Suvaco do Cristo, coitado do Messias fraudam até o sovaco, que levou às ruas do feudo da Globo no Jardim Botânico, cerca de, dizem, mas muito mais de 40.000 pessoas gritando e se esvaindo em suor, que vai faltar para o trabalho logo a seguir, na segunda vindoura.
Interessante este povo, principalmente deste Estado que está completamente falido, com as obras Olímpicas cujas despesas serão imputadas a este próprio povo feliz-otário por natureza, corporações e instituições com salários atrasados em até três meses, irem para as ruas aos zilhões, em nome de nada, absolutamente nada. Talvez para o futuro, sociólogos extraterrestres conseguirão decifrar estes enigmas insondáveis no presente.
Para aqueles raros seres que não acreditam, aqui a notícia da VEJA.



Mas, se você convocar uma mini multidão, para pedir nas ruas uma mudança urgente de sistema de governo, um plebiscito, a fim de que que o país tome um rumo, encontre o seu Norte na bússola do tempo, pedir o parlamentarismo, por exemplo, é capaz de não aparecer um gato pingado, primeiro porque é fim de semana, segundo porque está sol, terceiro porque tem praia e quarto porque o povo adora participar de arrastões de fim de semana. É mais ou menos como a réplica das festas de São Firmino em Pamplona na Espanha, onde milhares correm e apanham dos touros mas chegam ao Nirvana.

Aqui tem mais um detalhe, além de apanhar ainda são roubados. É o máximo do prazer!

Este povo está brincando com o que não deve. Não param de pedir que o exército assuma o governo, coisa que não é de sua atribuição.

Segundo as últimas pesquisas, e até acredito, o microfônico ébrio e desequilibrado, está super cotado para ganhar em 2018.
Quando acordarem poderá ser muito tarde.
Título e Texto: José Manuel, lamentável. 24-2-2017   

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-