domingo, 12 de março de 2017

GloboNews tenta retratar engenheira de obra como vítima e tiro sai pela culatra

Rodrigo Constantino

A esquerda tem feito de tudo para impor a narrativa da “revolução das vítimas”, pois só lhe restou dividir a sociedade para conquistar poder. E a GloboNews é o canal mais esquerdista que temos atualmente no Brasil. Logo, a GloboNews tenta retratar as “minorias” como vítimas o tempo todo e, óbvio, que na “semana da mulher” (presumindo-se que todas as demais são dos homens) os “jornalistas” tentariam pintar as mulheres como vítimas oprimidas.

Reparem como o entrevistador tenta fazer de tudo para extrair algum relato, por menor que seja, da engenheira Thaís, que coordena uma obra com 350 funcionários abaixo dela. Ele tenta, ele joga iscas, ele vai pressionando até encontrar alguma ocasião que jogue luz de vítima sobre a moça. Não dá. Ela não sofre preconceito no trabalho, não sofria na faculdade, suas amigas também não sofrem, seu salário é igual ao dos homens. Vejam que pedagógica essa entrevista:


Sabem porque essa humilhação aconteceu para o “jornalista”, para o canal, para a esquerda? Porque essa turma vive numa bolha! Porque essa gente nada sabe sobre o mundo real! Porque em seu mundo estético, primeiro se cria o mito, a ideologia, e depois se faz de tudo para encaixar os fatos da realidade nessa narrativa, criada à base de preconceito.

Não há como não aderir à provocação feita pelo site de humor em homenagem a Bolsonaro: chupa!
Título e Texto: Rodrigo Constantino, 12-3-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-