segunda-feira, 10 de abril de 2017

Cobradores de ônibus


3 comentários:

  1. Faz todo o sentido.
    85% dos passageiros paulistanos utilizam o Bilhete Único para pagamento de suas passagens de ônibus/metrô/trem, e o que o Sr. Dória disse, e eu ouvi as suas palavras, foi que os cobradores passaram para novas funções e que seria evitada a demissão dos mesmos.

    lp

    ResponderExcluir
  2. correção: * passarão

    lp

    ResponderExcluir
  3. A verdade é que essa profissão está fadada à extinção. Não existe nos EUA e nos países europeus. Acredito que não exista em nenhum deles. Como não existem ‘frentistas’, ‘ascensoristas’ e, o terror dos terrores, ‘flanelinhas’…
    No caso específico dos cobradores de ônibus, não é necessário recorrer à demissão. Bastam duas medidas:
    a) nenhum ônibus, a partir de uma determinada data, (vamos dizer, daqui a dois meses) sai de fábrica com a parafernália para o cobrador; essa, adaptada, é transferida para o condutor;
    b) as empresas estão obrigadas, a cada nova linha implantada e/ou reforço de horário, a colocar novos ônibus. (E, já agora, com ar refrigerado!).
    Assim, penso eu, sem novas formações nem admissões, a profissão vai se extinguindo sem ´machucar’ quem vive dela – ou quem não quer ou não pode mais se reciclar.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-