segunda-feira, 10 de abril de 2017

Cobradores de ônibus


3 comentários:

  1. Faz todo o sentido.
    85% dos passageiros paulistanos utilizam o Bilhete Único para pagamento de suas passagens de ônibus/metrô/trem, e o que o Sr. Dória disse, e eu ouvi as suas palavras, foi que os cobradores passaram para novas funções e que seria evitada a demissão dos mesmos.

    lp

    ResponderExcluir
  2. correção: * passarão

    lp

    ResponderExcluir
  3. A verdade é que essa profissão está fadada à extinção. Não existe nos EUA e nos países europeus. Acredito que não exista em nenhum deles. Como não existem ‘frentistas’, ‘ascensoristas’ e, o terror dos terrores, ‘flanelinhas’…
    No caso específico dos cobradores de ônibus, não é necessário recorrer à demissão. Bastam duas medidas:
    a) nenhum ônibus, a partir de uma determinada data, (vamos dizer, daqui a dois meses) sai de fábrica com a parafernália para o cobrador; essa, adaptada, é transferida para o condutor;
    b) as empresas estão obrigadas, a cada nova linha implantada e/ou reforço de horário, a colocar novos ônibus. (E, já agora, com ar refrigerado!).
    Assim, penso eu, sem novas formações nem admissões, a profissão vai se extinguindo sem ´machucar’ quem vive dela – ou quem não quer ou não pode mais se reciclar.

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-