sexta-feira, 21 de julho de 2017

As férias


Cesar Maia

1. Investigadores finlandeses dizem que ao oitavo dia de férias é atingido o pico máximo de bem-estar, pelo que não existem grandes benefícios em tirar quinze dias seguidos.
   
2. O melhor, defendem, é fazer várias pausas no ano. Diz a ciência que a forma mais eficiente de tirar férias é optar por períodos curtos ao longo do ano. "As provas reunidas até agora indicam que o efeito saudável das férias é idêntico quer durem oito dias ou quinze", garante Jessica de Bloom, investigadora da Universidade de Tampere (Finlândia), ao El Mundo.
   
3. Juntamente com outros investigadores, a psicóloga organizacional tem vindo a dedicar-se à temática das férias, tendo concluído que, a partir do segundo dia de descanso, a saúde melhora e aumentam os níveis de energia. Ao oitavo, defende, é alcançado o pico máximo de bem-estar.
     
4. Por isso, a equipe sugere que o melhor são férias mais curtas e mais frequentes. De acordo com os investigadores, as férias são de elevada importância para a saúde. "Existem evidências empíricas de que as férias promovem a saúde e que, após um longo período sem pausas, somos mais vulneráveis a doenças cardiovasculares e aumenta o risco de morte prematura", destaca Jessica de Bloom.
    
5. O simples fato de sonhar com uma viagem e organizá-la já constitui, por si só, um fator de bem-estar. Se para alguns desfrutar das férias é sinônimo de não fazer nada, há quem não consiga parar. "Há pessoas para as quais é fácil e necessitam de não fazer nada, mas há quem tenha níveis de stress tão elevados que não consegue não fazer nada.

6. "O que interessa”, sublinha, "é dormir bem e mais" e não ter "uma agenda muito preenchida". Quanto ao celular, o conselho da especialista é que seja usado o menos possível. "Mas é utópico". Isto porque, esclarece, "se há uma adição ao smartphone, ela não vai deixar de existir nas férias". "A relação com o celular tem de ser educada todos os dias."
   
7. A partir de determinada hora do dia, se considera que não deve ser consultado o celular do trabalho. Há profissões que não o permitem, reconhece, mas essa não é a regra. Passar as férias agarrado às redes sociais não será boa ideia. "Façam o esforço de tirar partido do melhor que as férias, os sítios e a natureza têm para oferecer", propõe. Há especialistas que defendem que se deve guardar o melhor para o fim das férias, mas essa não é a opinião de alguns.

OBS: A reforma trabalhista seguiu essa linha e permitiu dividir os 30 dias de férias em até três períodos de descanso.
Título e Texto: Cesar Maia, 21-7-2017

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-