domingo, 2 de julho de 2017

Bene Barbosa dá uma aula de segurança para João Dória numa ótima conversa civilizada

Rodrigo Constantino


O especialista em segurança pública Bene Barbosa, do Movimento Viva Brasil, participou hoje do programa “Olho no Olho”, do prefeito João Dória. O tema foi justamente segurança, com foco na questão do desarmamento. Foi uma aula, e o prefeito está de parabéns não só por receber Bene, que fez críticas duras ao prefeito recentemente por conta da sua aproximação a ONGs desarmamentistas, como por manter um ótimo nível de debate e prestar atenção nos argumentos do convidado.


Dória pareceu convencido em vários momentos de que o desarmamento não resolve nada. Alegou no começo não gostar de armas, nunca ter tido uma, e sequer deixar seus filhos brincarem com armas de brinquedo. Direito seu, claro. Mas afirmou que respeita o direito de quem pensa diferente, desde que faça tudo estritamente dentro da lei. Bene mostrou, então, como a lei no Brasil é restrita, apesar da vontade popular expressa no plebiscito, e ignorada pelo governo.

Comparou com outros países, como Canadá e Estados Unidos, e também latino-americanos, como Paraguai e Uruguai, mostrando como nossa política de proibir ou dificultar a posse de armas não serviu para nada – ou pior: serviu para aumentar as taxas de criminalidade no país. Perdemos de lavada dos outros países, com mais de 60 mil homicídios por ano, uma guerra civil “velada”.

Em diversas oportunidades, Dória puxou a sardinha para seu lado, destacando seus programas de governo, falando de investimento em tecnologia, em câmeras e drones. Era de se esperar, e não há mal algum nisso. Um político – mesmo um “outsider” – precisa saber se vender, fazer marketing também. Eu mesmo sempre reclamei dessa incapacidade dos liberais. Logo, não posso condenar Dória, agora, por saber fazer propaganda de sua boa gestão o tempo todo.

Isso não o impediu de avaliar os diversos pontos de vista trazidos por Bene. Há quem pense que Dória é um terrível socialista disfarçado, a soldo e mando de George Soros, enganando os liberais trouxas. Mas, à exceção dessa turma mais paranóica e estridente, adepta de teorias conspiratórias, ficou claro que o prefeito é apenas um empresário de sucesso com bom senso, que quer melhorar sua cidade e seu país, e que não goza de um arcabouço ideológico profundo, demonstrando disposição para pesar as propostas alternativas e defender a que julgar melhor.

Senso prático, pragmatismo: assim parece ser Dória. Se eu preferia uma robustez maior no campo das ideias, com base em princípios liberais ou conservadores? Mas claro que sim! O que não me impede de analisar as vantagens de alguém com carisma, muita energia para trabalhar e eficiência de gestão querendo absorver as bandeiras mais à direita. Temos é que explorar isso, não virar as costas para ele!

Dória não poupou bandidos, não apelou para o vitimismo típico das esquerdas, chamou Getúlio Vargas de ditador sem rodeios, e concordou com Bene Barbosa diversas vezes, como quando este mostrou o absurdo da mentalidade predominante no país de que o policial de folga não deve reagir a assaltos, ou quando frisou que é preconceituoso e elitista culpar as desigualdades sociais pelo crime, como se todo pobre fosse bandido. Dória, nesse momento, aproveitou para defender os vários empreendedores da periferia de São Paulo.

Enfim, todos os envolvidos estão de parabéns. Debates como este são enriquecedores, permitem que várias pessoas tenham acesso aos bons argumentos e a fatos normalmente ocultados pela grande mídia. E, por falar nela, o programa, transmitido diretamente pela página do prefeito no Facebook, tinha mais de 200 mil visualizações ao vivo! Quem precisa de “Fake News”, não é mesmo? 
Título e Texto: Rodrigo Constantino, Gazeta do Povo, 29-6-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-