domingo, 17 de setembro de 2017

Aposentados estrangeiros em Portugal pagarão imposto

IRS para reformados estrangeiros: Governo estuda medida “há alguns meses”, confirma Centeno

Jornal Económico com agências

Ministro das Finanças realçou que o Governo está a estudar, "já há alguns meses", a introdução de uma taxa mínima de IRS para reformados estrangeiros, em nome da "boa relação fiscal" com outros países europeus.


 À saída de uma reunião informal de ministros das Finanças da zona euro e da UE, em Talin, Centeno [foto], questionado sobre a notícia avançada hoje pelo Jornal de Negócios de que o Governo está a estudar uma alteração ao regime de residentes não habituais de modo a sujeitar a IRS futuros reformados estrangeiros em Portugal, face ao descontentamento de alguns Estados europeus, confirmou que esse é efetivamente o caso, e admitiu que as alterações entrem em vigor já no próximo ano, embora o assunto esteja ainda “em análise”.

“Nós estamos a olhar para essa questão já há alguns meses, num contexto que também tem em conta aquilo que é a realidade de outros países europeus. Nós achamos que há ajustamentos a fazer nessa matéria. Pensamos que num contexto também, mais do que de transparência, de boa relação fiscal em termos europeus, isso merecia a nossa atenção”, assumiu.

Questionado sobre se sentiu pressões por parte de outros países – como a Finlândia –, o ministro apontou que “há acordos de tributação com muitos países que são geridos de forma bilateral, esses acordos estão em vigor e estão a ser cumpridos, e há momentos de discussão desses acordos”.

Regime de residentes não habituais
O Governo está a estudar a possibilidade de incluir no próximo Orçamento de Estado o pagamento de uma taxa mínima de IRS aos reformados estrangeiros que, ao abrigo do chamado regime de residentes não habituais, atualmente estão isentos dessa contribuição, avança o Negócios. O jornal acrescenta que esta medida visa aplacar os países descontentes com o regime atual, que acusam Portugal de querer transformar-se na “Florida da Europa” e promover uma concorrência fiscal desleal.

O projeto do Governo será o de implementar uma taxa fixa de entre 5% e 10%, mas apenas para os futuros residentes, não alterando o estatuto dos atuais reformados estrangeiros a viver no país. Com a nova taxa o Governo espera não afastar potenciais interessados a mudar-se para Portugal, ao mesmo tempo que garante atender às pretensões dos países – nomeadamente os do Norte da Europa – que se mostram descontentes com esta situação, tal como acontece com a Suécia, evitando que aconteça o mesmo que à Finlândia, que já alterou o seu tratado de eliminação de dupla tributação com Portugal e passará a cobrar IRS no seu território a todos os seus reformados residentes no estrangeiro.

Recorde-se que o regime dos residentes não habituais surgiu pela mão de Teixeira dos Santos em 2009, tendo sido posteriormente adotado pelo Governo PSD/CDS, que criou condições para que o mesmo se expandisse, garantindo importantes receitas nos setores imobiliário e da consultoria, tal como acontece com os “Vistos Gold”. 
Imagem e Texto: Jornal Económico, 15-9-2017

2 comentários:

  1. Caro Editor, não entendi claramente, quem são os Aposentados estrangeiros? Estrangeiros que se aposentaram em Portugal, ou Aposentados em outros Países, que residem em Portugal? E este percentual é sobre o valor de seus beneficiários em outros países? Se o Aposentado tem mais de um benefício e não declara?
    Peço a gentileza de esclarecer me, pois está em meus planos futuros, em estudo ainda, residir em Portugal.
    Obrigado!
    Abs,
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aposentados estrangeiros que venham residir em Portugal pagarão uma taxa:

      "O Governo está a estudar a possibilidade de incluir no próximo Orçamento de Estado o pagamento de uma taxa mínima de IRS aos reformados estrangeiros que, ao abrigo do chamado regime de residentes não habituais, atualmente estão isentos dessa contribuição, avança o Negócios.

      O projeto do Governo será o de implementar uma taxa fixa de entre 5% e 10%, mas apenas para os futuros residentes, não alterando o estatuto dos atuais reformados estrangeiros a viver no país."

      Excluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-