quarta-feira, 6 de setembro de 2017

As eleições gerais de 24 de setembro na Alemanha vão ser disputadas por 42 partidos

Cesar Maia

Pela cláusula de barreira de 5%, só sete devem chegar ao parlamento.

1. A hipótese de uma coligação entre os democratas-cristãos e os liberais alemães ganha força como cenário pós-eleições legislativas de 24 de setembro, revelou uma sondagem divulgada pela estação de televisão ARD. 43% dos inquiridos consideram "bom" ou "muito bom" um governo de coligação entre a CDU/CSU de Angela Merkel e o FDP de Christian Lindner, o que constitui uma subida de 7% em relação à sondagem de abril.

2. 61% dos eleitores ouvidos para esta sondagem afirmaram que gostariam de ver os liberais regressarem ao Bundestag. Isto porque, em 2013, o FDP ficou abaixo do mínimo de 5% dos votos que são necessários para ter deputados no parlamento.

3. Uma tal coligação preta e amarela não seria inédita. No segundo governo de Merkel, que esteve no poder entre 2009 e 2013, os liberais estiveram coligados com os conservadores. O seu então líder, Guido Westerwelle, foi vice-chanceler e ministro dos Negócios Estrangeiros.

4. Após as eleições de 2013, tendo o FDP falhado em conseguir representação no Bundestag, Merkel virou-se para o SPD, com quem já tinha governado coligada no seu primeiro mandato. Na sondagem da ARD, a hipótese de uma reedição da aliança entre conservadores e socialistas surge como a preferida de 44% dos inquiridos. No entanto, é um cenário que sofre uma quebra de 7% comparativamente a abril.


5. Numa outra sondagem, essa realizada pela televisão ZDF, o resultado sugere que pelo menos três partidos têm hipótese de conquistar o terceiro lugar numas eleições em que a CDU e SPD são os favoritos. Os democratas-cristãos de Merkel surgem com 39% das intenções de voto nesse estudo de opinião da ZDF. Os socialistas, liderados por Martin Schulz, recolhem, por seu lado, 22%. O FDP de Lindner tem 10%, o Die Linke e a Alternativa para a Alemanha surgem ambos com 9%. Na quarta posição estão os Verdes, com 8% das intenções de voto.

6. Com estes números - e tendo em conta alguns sinais de fadiga em relação à grande coligação - tanto é possível um acordo de governação entre a CDU, o FDP e os Verdes como uma aliança entre o SPD, o FDP e os Verdes. Isto porque, à partida, os partidos dos extremos estão excluídos. Merkel já disse que não contempla qualquer acordo quer com a extrema-esquerda (Die Linke), quer com a extrema-direita (Alternativa para a Alemanha).

7. Merkel e Schulz enfrentaram-se no único duelo televisivo na antena da ARD. De novo, segundo a sondagem realizada para esta estação de televisão, 64% dos inquiridos aposta que a chanceler à procura do quarto mandato terá melhor prestação do que o ex-presidente do Parlamento Europeu. 17% apostam em Schulz. Na sondagem da ZDF, 33% acreditam numa vitória de Merkel, 10% na de Schulz. A fatia maior neste estudo de opinião vai para os indecisos: 46%.
Título e Texto: Cesar Maia, 6-9-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-