sábado, 23 de setembro de 2017

“Deixe-me pôr-lhe uma mantinha nas pernas que isso já passa”

Sérgio Barreto Costa

Em finais de 2011, durante um jantar de Natal em Castelo de Paiva, o deputado Pedro Nuno Santos, sentindo-se porventura fortalecido pelas rabanadas, provocou um terramoto que deveria ter sido sentido desde as margens dos rios Douro e Paiva até às nascentes do Danúbio e do Ruhr.


De acordo com a imprensa da época, o conhecido tribuno afirmou estar a marimbar-se para os credores, e defendeu que Portugal devia ameaçar os banqueiros alemães com um calote de tal dimensão que até as pernas lhes tremeriam. Além da utilização pioneira em Finança e Política Internacional da expressão “estou-me marimbando”, Pedro Nuno Santos acrescentou ainda, em jeito de desafio aos capitalistas teutónicos, um muito português “ou os senhores se põem finos ou…”. Sabendo-se que os homens da banca são sempre uns anafados de cartola que acendem charutos com notas de 50 euros depois de banquetes pantagruélicos, não podemos deixar de admirar o carácter manifestamente jocoso e irrealizável desta provocação.

Desde 2010 que as agências de rating, uma espécie de sismógrafo dos credores, davam sinais claros de trepidação nos membros inferiores daqueles que nos tinham emprestado largas dezenas de milhões de euros. Discursos inflamados à parte, o medo de perder dinheiro com a dívida portuguesa era bem real. É por isso comovente ver a alegria do secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares Pedro Nuno Santos (é o que tem barba, não confundir com o deputado Pedro Nuno Santos, que é utilizador de navalha) com a subida do rating português que ocorreu na semana passada.

Na sua conta de twitter, após anunciar a decisão da Standard & Poor’s de retirar Portugal do lixo, o membro do Governo revelou a felicidade que sente ao ver a confiança dos investidores externos no país e congratulou-se por ter contribuído para esse clima de segurança.

Agora que o sismógrafo abrandou, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares Pedro Nuno Santos (não confundir com o deputado Pedro Nuno Santos) está contente por ter ajudado a confortar e a estabilizar as pernas dos banqueiros alemães que o deputado Pedro Nuno Santos (não confundir com o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares Pedro Nuno Santos) tinha andado a desassossegar.

É sempre positivo quando, perante uma plateia de estrangeiros, um português limpa a imagem de outro. É um claro sinal de fraternidade entre compatriotas e mostra que neste cantinho da Europa também vive gente com juízo. 
Título, Imagem e Texto: Sérgio Barreto Costa, Blasfémias, 21-9-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-