segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Não existem partidos de extrema-direita na Europa

Gago Coutinho

Não existem partidos de extrema-direita na Europa, estão proibidos depois da segunda guerra mundial. E bem.

Não existem partidos de extrema-direita a defender que se metam judeus nas câmaras de gás, negros, mestiços, etc...

Mas existem partidos de extrema-esquerda a falar muito bem dos terroristas palestinianos, e a debitar ódio ao povo judeu. Nada de novo.

O que existe na Europa são partidos de direita que advogam o fim do euro, o fim da islamização, a imigração controlada, com protecionismo económico, lutando contra o multiculturalismo, e bem.

O que existe na Europa são pelo menos dois partidos comunistas na Albânia e em Portugal. Mesmo depois de esta ideologia ter assassinado mais de cem milhões de pessoas.


O que existe na Europa são partidos comunistas a defender o regime chavista e de Maduro, a apoiar a Coreia do Norte, o regime comunista da Bolívia, para que o povo lhe aperta os sapatos sem ele precisar de se abaixar; o que existem são partidos comunistas a apoiar ladrões na América Latina desde o Lula à Cristina Kirchner e a perpetuar a pobreza, fome, miséria e assassinatos sem fim.

O que existe na Europa são partidos de extrema-esquerda apoiados pelos globalistas, a defender a sharia, consequentemente querendo descriminalizar a pedofilia e fazendo destes criminosos doentes mentais.

O que existe na Europa são partidos de extrema-esquerda, a inverter valores, a enfiar na cadeia os policiais e a soltar os ladrões e assassinos.

O que existe na Europa são partidos de extrema-esquerda a segregar o homem branco, os cristãos, a minar a igreja com teorias da libertação, como na África do Sul, a assassinar homens normais só porque são brancos.

O que existe na Europa são partidos de extrema-esquerda unidos com grupos de feministas a enfiar crucifixos no rabo em frente às igrejas, a destruir símbolos cristãos, a pedir a matança de crianças no ventre só porque são do sexo masculino, a apoiar a eutanásia, o aborto.


O que existe são partidos de extrema-esquerda aliados a apoiar mentiras como o aquecimento global, disfarçando tudo com o amor ao planeta, aos cães e gatos, com centenas de milhões de euros gastos em estudos e empregos fictícios, impondo impostos e taxas para manter certos lobbies gordos à custa do contribuinte, ou seja, socialismo.

O que existe na Europa são partidos de extrema-esquerda apoiando políticas económicas de dependência estatal, criando guetos e zonas de bairros de lata, pseudociência económica, querendo manter os bancos centrais a financiar governos atulhados de parasitas, chulos, criminosos, atirando propostas idiotas de como taxar robôs, e criar um rendimento universal, propostas só ao alcance de atrasados mentais.

O que existe na Europa são partidos de extrema-esquerda apoiando a total ausência de valores morais, querendo impor identidades do gênero, mudanças de sexo, sem qualquer respaldo científico, o casamento gay... destruindo as famílias.

O que existe na Europa são hordas de pseudointelectuais que vivem debitando socialismo nas escolas e universidades, filiados aos partidos comunistas e de extrema-esquerda, e uma faixa da população que engole tudo o que é lixo, aceitando tudo mesmo sem suporte algum.

Dilma e Lula, Coimbra, março de 2011, foto: Roberto Stuckert Filho
Vão para o raio que vos parta com a respectiva imprensa atulhada de jornalistas dependentes do emprego e enfiem a conversa da extrema-direita pelo buraco onde não chega o sol.
Título e Texto: Gago Coutinho, Facebook, 25-9-2017

Relacionados:

3 comentários:

  1. NENHUM jornal, TV, site... acertou no rótulo da AfD. Ninguém se lembrou, por desonestidade intelectual e ideológica, de chamar a AfD pela sua verdadeira razão: NACIONALISMO!

    ResponderExcluir
  2. Por favor, você leu ou viu uma entrevista/artigo de alguém do terceiro partido eleito ontem na Alemanha?

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-