segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

O ciclo lucrativo

Haroldo P. Barboza

O problema da violência urbana (como todos os demais) tem solução. Aliás, possui diversas. No entanto, não há interesse das autoridades (?) em acabar com ela, pois secaria a indústria da venda de segurança, grades para prédios, carros blindados, circuitos de TV e outros artefatos que pouco reduzem a ação dos desocupados (alimentados pela impunidade) que estão dispostos a superá-los. Além do mais, é um forte trampolim eleitoral. E as Leis não podem ser aprimoradas para não fisgar os próprios autores.

Muitos deles são os líderes dos bandos das ações danosas aos cofres públicos que se multiplicam e se aprimoram. A sociedade anestesiada pela falta de cultura já se colocou docilmente de joelhos diante de seus algozes. Só levanta a voz para ser ouvida ao telefone quando está votando no infeliz que vai ser “sacrificado” no paredão do Big Bordel Besta Brasil, que dá um lucro de R$ 4,5 milhões para a rede “lobo” (de boba não tem nada) por quinzena através destes telefonemas.

Há menos de vinte anos, quando anunciavam três mortes numa semana, o fato era rotulado de chacina. Hoje em dia, se anunciam cinco execuções por dia, agradecemos pelo baixo número. A violência foi banalizada para que as vendas dos "serviços de proteção" sem garantias razoáveis possam prosperar, assim como os corruptos que editam as leis. Pagamos impostos que não são aplicados na área e iludidos, contratamos seguranças que em muitos casos, são observadores de futuros assaltos aos próprios clientes. E a Igreja corre para defender o "di menor" de 17 anos e 11 meses, mas não procura as vítimas que tiveram suas famílias destruídas.

A OAB não pune seus filiados que ferem a ética e o juramento de preservar a sociedade onde convivem e vendem sentenças nos tribunais (palco de circo) junto com “vossas excrescências” que cobram por solturas. É mais lucrativo defender marginal que é capturado, paga fiança e advogado, fica retido dois meses para reciclagem (com direito a retrato segurando a Bíblia) e depois é liberado para mais uma atrocidade previsível.  
Título e Texto: Haroldo P. Barboza – Andaraí/RJ – Matemático e Poeta. 8-1-2018
Autor do livro: Brinque e cresça feliz!

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-