quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Onze lições de Robert Mcnamara que servem aos políticos e gestores, sempre, e são gerais

Cesar Maia

1. "Sob a Névoa da Guerra - Onze Lições da Vida de Robert McNamara [foto]", documentário de 2003 vencedor do Oscar (à disposição na Netflix), deveria ser obrigatório para os políticos de todas as idades e em todos os níveis de responsabilidade.

  
2. O título se refere à uma expressão popularizada por Clausewitz no seu clássico “Da Guerra” e destaca a nuvem de incerteza antes e durante os conflitos. Clausewitz cunhou o ensinamento que "a guerra é a política por outros meios". A guerra também ensina aos políticos e, com estes, aos militares.
   
3. O fator chave das teorias de gestão e de administração é o processo de tomada de decisões. Na crise política, e ainda mais na guerra, além de ser o fator chave, ele é contínuo com um tempo escasso para reflexão. Na política e na guerra, o processo de tomada de decisões também se dá através de equipes.
   
4. Mas em períodos de crise profunda e continuada, é inevitável o afunilamento desse processo. Na Guerra - política por outros meios - e em crises profundas que agregam as questões políticas, econômicas, sociais e morais, esse afunilamento é radical. É - por exemplo - o caso do Brasil nestes últimos anos.

5. Após a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, o governo americano selecionou estudantes fora de série em universidades e os colou às equipes dos generais do alto comando nos setores mais críticos. McNamara foi para equipe do general MacArthur, na Guerra do Pacífico contra o Japão após o bombardeiro de Pearl Harbor.
   
6. Passou a fazer os estudos de probabilidade relativos aos riscos de perdas de vidas de seus militares e de perdas de vidas de seus alvos. Um exemplo destacado foi baixar a altura dos aviões bombardeiros B29 para conseguir mais precisão com o custo da vida de pilotos.
  
7. Após a Guerra do Pacífico, ainda com 30 anos, foi contratado pela Ford que, paradoxalmente, enfrentava uma forte crise no período pré e de guerra.  Rapidamente ascendeu à presidência e com análises de situação e popularização do uso do automóvel (do Cadillac ao Falcon), deu enorme lucratividade à Ford.
 
8. Levado por John Kennedy, compulsoriamente, à sua equipe como secretário de Defesa, trocou uma remuneração anual de 800 mil para 25 mil dólares. Foi peça chave nas decisões sobre a crise dos mísseis com Cuba e URSS, que beirou a guerra nuclear mais ainda do que hoje, pois o contraponto era EUA-URSS.
 
9. Viveu ao lado de Kennedy o início da guerra do Vietnam e, em seguida, após o assassinato de Kennedy, com Lyndon Johnson, com quem terminou se desentendendo e saindo do governo para o Banco Mundial em 1967.
 
10. Os diálogos, principalmente a partir de Kennedy, passaram a ser gravados, o que registra as responsabilidades nos processos de tomada de decisão.
  
11. No documentário “Sob a Névoa da Guerra”, McNamara registra as onze lições maiores que aprendeu em sua vida e que são os capítulos do documentário:

1. Cause empatia no inimigo
2. A racionalidade não nos salvará.
3. Existe algo além de si próprio.
4. Maximizar a eficiência.
5. A proporcionalidade deve ser uma diretriz da guerra.
6. Obtenha dados.
7. A crença e a visão costumam estar erradas.
8. Esteja preparado para rever seu raciocínio.
9. Para fazer o bem talvez seja preciso fazer o mal.
10. Nunca diga nunca.
11. Não se pode mudar a natureza humana. 

É um documentário imperdível para todos, especialmente para a formação dos políticos, e mais ainda em posições de tomada de decisões e – certamente - em situações de crises profundas.
Título e Texto: Cesar Maia, 17-1-2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-