sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Um Papa para não ser levado a sério


Segundo um relato de hoje do Pe. Antônio Spadaro:



“O Papa Francisco acaba de fazer, no avião, o casamento deste casal de assistentes de voo! Uma felicidade! O casal falava com o Papa. Disseram que não tinham casado na Igreja. O Papa perguntou se queriam se casar imediatamente. Disseram que sim. A ata foi assinada num papel normal tamanho A4”.

Em Amoris Laetitia, Papa Francisco insiste na necessidade de um “catecumenato matrimonial”, em que o casal seja acompanhado profundamente pela comunidade num caminho de discernimento, para celebrar o matrimônio em total consonância com a sua própria comunidade eclesial (cf. nn. 205-2016).

Em outras palavras, num único ato, ele desmentiu seu próprio magistério e desautorizou todos os bispos e padres do mundo inteiro que requerem dos noivos uma preparação matrimonial mais aprofundada! De agora em diante, com que autoridade párocos e bispos exigirão preparação de noivos, processos matrimoniais, proclamas, celebrações exclusivamente em Igrejas e não em chácaras ou salões de festas?… Em um instante, sem acompanhar ou discernir nada de ninguém, Francisco assistiu a um matrimônio…

De fato, este não é um papa que se leve a sério! Isto não é pontificado, mas, sim, uma confusão, uma bagunça despropositada.

Sigamos o exemplo de Bergoglio e desprezemos o seu próprio “magistério”.
Título e Texto: FratresInUnum.com, 19-1-2018

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-