sábado, 7 de abril de 2018

Nem o Omo lava mais branco

O que a Comunicação Social não nos diz

Rui Mendes Ferreira

Sobre o processo do Lula da Silva, devo esclarecer que a condenação e a pena de prisão de doze anos é relativa somente a um processo de "corrupção passiva" e "lavagem de dinheiro".


Existem mais seis processos, ainda a decorrer, contra Lula da Silva, relativos a uma multiplicidade de outros crimes, pelos quais foi investigado, e já foi ou irá ser deduzida acusação, e pelos quais ainda irá ter que ser julgado.

O que não falta pois, no currículo de Lula, é potencial matéria para ainda poder vir a ser condenado a mais umas dezenas de anos de prisão, em adicional à atual pena de doze anos a que já foi condenado.

Mas sobre estes crimes, e estes processos, não se ouve uma única ou sequer uma pequena menção por parte da nossa CS, nem por parte dos membros dos painéis de comentadores e comentadeiras. Os eméritos e doutos paineleiros do regime.

É como se entre a CS e as nossas eminências pardas do regime, que são meticulosamente escolhidas, para virem para as TV’s apoiar, defender e tentar ilibar Lula da Silva, existisse um código de silêncio, para branquear, manipular e tentar reescrever a história.

Técnicas e procedimentos tão ao gosto dos manuais operativos dos regimes socialistas, como a própria história mundial exemplarmente nos tem demonstrado.

Os Boaventuras, os Louçãs os Rosas e os Danieis, os Jorges Coelhos e demais sapiências pensadoras, auto nomearam-se juízes do tribunal máximo das causas do regime, e de onde são emitidos acórdãos finais sem direito a recursos nem passíveis de serem contestados. As suas opiniões são para serem encaradas como veredictos e sentenças finais, verdades absolutas, e ponto final. E de aplicação com efeitos retroativos, presentes e futuros, ou consoante o que lhes der mais jeito.

No caso de Lula, não só deve ser declarado inocente dos crimes pelos quais já foi julgado, como deverá já ser declarado inocente pelos crimes sobre os quais ainda nem foi julgado, e outros crimes futuros que nem sequer tenham ainda sido cometidos.

A justiça dos Boaventuras e dos Louçãs, só existe sobre quem, quando e como lhes agrade, e de aplicação à la carte. Nada de estranhar, pois para estas figuras do regime a democracia também só existe quando são eles a mandar, e ditadura é quando outros mandam neles.

Mas mais grave que todo este processo de branqueamento, desinformação e manipulação, levado a cabo por todas estas figuras, é estarmos perante uma Comunicação Social, absolutamente dominada e em total disponibilidade ao serviço da propaganda do regime.

Sejam bem-vindos à nova República Socialista Portuguesa, camaradas?
Nova, não, pois esta já leva 44 anos. Mas está cada vez mais refinada e enquistada.
Título e Texto: Rui Mendes Ferreira, Facebook, 7-4-2018

Relacionados:

Um comentário:

  1. Fiquei a tentar descobrir quem ou o que era a comunicação social,e seu significado no contexto ,citada varias vezes, até que me dei conta que o texto foi escrito por um cidadão português. A lingua é a mesma "pero no todas las palabras",no Brasil a palavra estranhada significa uma ciência que estuda a comunicação em geral. Mas o termo usado em português de portugal é bem mais elegante do que simplesmente "midia".
    Paizote

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-