terça-feira, 7 de maio de 2019

Primeira audiência na Comissão da Reforma da Previdência ouvirá Paulo Guedes

Presidente do colegiado quer realizar audiências públicas até o fim de maio; relator deve apresentar parecer na primeira quinzena de junho

A comissão especial da reforma da Previdência (PEC 6/19) recebe nesta quarta-feira (8) o ministro da Economia, Paulo Guedes [foto]. Segundo o presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), Guedes deve apresentar os números que embasam a proposta do governo.

Foto: Cleia Viana/Agência Câmara
Ramos acredita que a vinda do ministro será tranquila, diferente da reunião com Guedes na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania que foi marcada por confusão e polêmicas. Segundo ele, a oposição fez um acordo para não obstruir os debates. “É importante o diálogo para um ambiente sadio para o País porque permite que todos opinem sobre a proposta.”

O presidente não quis marcar uma data final para a conclusão dos trabalhos na comissão. “Tem uma previsão do presidente Rodrigo Maia [de votar no final do primeiro semestre], mas há fatores que independem da comissão. Não dá para taxar uma data se não é papel da comissão constituir a maioria no Plenário”, disse.

Em relação ao número de audiências públicas previstas, Marcelo Ramos afirmou que vai definir isso na semana que vem. “O nosso prazo para audiências públicas é o final de maio, mas podemos fazer alguns ajustes, uma audiência em data diferenciada, queremos estimular o debate, mas ele precisa acabar”, destacou.

Parecer em junho
O relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), afirmou que o objetivo é apresentar o parecer na primeira quinzena de junho, mas disse que esse prazo pode ser alterado dependendo dos debates no colegiado.

Moreira afirmou que não tem se sentido pressionado por ser o relator da proposta. “Vou apresentar o relatório quando tiver a convicção que estiver preparado, a partir da apresentação das emendas, mas temos que respeitar a dinâmica da comissão”, disse.

A proposta
A Proposta de Emenda à Constituição 6/19 pretende alterar o sistema de Previdência Social para os trabalhadores do setor privado e para os servidores públicos de todos os Poderes e de todos os entes federados (União, estados e municípios). A idade mínima para aposentar será de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres. Há regras de transição para os atuais contribuintes.

O texto retira da Constituição vários dispositivos que hoje regem a Previdência Social, transferindo a regulamentação para lei complementar. O objetivo, segundo o governo, é conter a diferença entre o que é arrecadado pelo sistema e o montante usado para pagar os benefícios. Em 2018, o déficit previdenciário total – setores privado e público mais militares – foi de R$ 266 bilhões.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA: PEC-6/2019

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Natalia Doederlein
Agência Câmara Notícias, 7-5-2019

Um comentário:

  1. Espero que a Reforma da Providência, perdão, da Previdência saia até o ano 205000000001920. Quero estar vivo e com saúde para ver e gozar das tais reformas, digo, nas reformas.
    Aparecido Raimundo de Souza.

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-