terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Quem tem Farelo?

Telmo Azevedo Fernandes

Além da spin-off bloquista Climáximo, a passagem de Greta Thunberg por Lisboa e as “greves” climáticas estudantis em Portugal têm sido organizadas por outros grupos, nomeadamente o FridaysForFuture e o MED-Movimento Estudantil Democrático.

Como sabemos há uma amálgama infindável de “causas” que se interligam e misturam entre si de forma fluída, mas cujos promotores são basicamente sempre os mesmos. No caso destes dois últimos referidos uma das protagonistas é Beatriz, jovem de 20 anos.


Todavia, quer-me parecer que o Ambiente é só uma causa pretexto e veículo para difusão de mensagens políticas, partidárias e ideológicas claras.

Não se trata apenas do branqueamento da era Sócrates.


Há também a omnipresente mensagem anticapitalista e eventos com companhias conhecidas:


Gil Vicente, o nosso dramaturgo medieval, perguntava numa das suas peças: “Quem tem farelos?”.

Eu respondo: é o Bloco de Esquerda!


Título, Imagens e Texto: Telmo Azevedo Fernandes, Blasfémias, 10-12-2019

Rio de Janeiro: chove a semana inteira

Raphael Fernandes

Quem gosta de tempo chuvoso, pode celebrar. Mesmo que com um pouco de sol, a semana inteira será de chuvas

Largo da Carioca, Rio de Janeiro

Desta terça-feira (10/12) a quinta (12/12), a previsão é de sol com muitas nuvens durante o dia, com períodos de nublado e chuva a qualquer hora. As temperaturas ficam entre 19 e 33 graus.

Na sexta-feira (13/12), iniciando o fim de semana, haverá sol e aumento de nuvens de manhã, com pancadas de chuva à tarde e à noite. O clima irá variar 22°C e 35°C.

Por fim, no sábado (14/12) e no domingo (15/12), a tendência é de sol com aumento de nuvens durante o dia, e possibilidade de chuva a qualquer hora. As temperaturas ficarão entre 21 e 33 graus.
Título e Texto: Raphael Fernandes, Diário do Rio, 9-12-2019

Quer excedentes orçamentais? Deixe de pagar contas

Cristina Miranda

Mas como é que eu não me lembrei disto? Andei este tempo todo sempre a fazer contas e planificações do meu orçamento doméstico para poder fazer face às despesas, sempre com muito controlo para não falhar com nada em casa; a trabalhar que nem uma “moura” para governar minha vida e eis que Centeno [foto] revela a sua fantástica estratégia que fez gerar “excedentes” milionários: cativar toda a despesa e pagamentos enquanto carrega forte nos impostos dos contribuintes que trabalham arduamente para  sustentar a máquina do Estado. Não é genial?

Foto: José Sena Goulão/Lusa
Com esta “brilhante” lição de economia aprendi que, se não pagar luz, água, gás, renda, compras de supermercado, gasóleo, créditos e outras responsabilidades; nem fizer manutenções de nenhuma espécie em casa com eletricidade quando há curtos-circuitos ou nas canalizações quando rompem  ou no telhado quando voam telhas;  nem  arranjos mecânicos no carro quando há avarias, mudanças de óleos ou pneus quando estão “carecas”;  nem comprar sapatos mesmo que rotos ou roupas mesmo que velhas e gastas, posso abrir conta na Suíça e com os juros pagar uma férias milionárias à família no Mônaco ou comprar um Lamborghini  ou uma mansão à beira mar como o visionário Al Gore!! Sou mesmo idiota.

Eu sempre desconfiei das capacidades de gestão do nosso “Ronaldo das Finanças” e denunciei-o no meu artigo de Março de 2017, “O défice de 2016 é um embuste” onde afirmei: “O défice que nos apresentaram é uma perigosa bomba relógio. Não há mérito nenhum nos 2,1%. Muito menos prova que usando outras políticas se consegue os mesmos objetivos como disse Marcelo. O que há são malabarismos grotescos, diria quase criminosos, de “chico-espertice tuga” que escondem o maior embuste, depois de Sócrates, fundamentado em mentiras, patranhas e ilusões para o iletrado cidadão. Uma falta de respeito por toda uma Nação a quem se pede constantemente sacrifícios fingindo ser pelo bem de todos. Uma mentira abençoada pelo PR que nos deveria fazer corar de vergonha. Infelizmente.”

Pente-fino do INSS já cancelou 261 mil benefícios com economia anual de 4,3 bilhões

O pente-fino nos benefícios com indícios de fraude e irregularidades feito pelo INSS em 2019 já cessou ou suspendeu, até agora, 261 mil benefícios em todo país. A economia mensal estimada com a cessação desses benefícios é de R$ 336 milhões e, em um ano, chegará a R$ 4,3 bilhões.


Apesar de os cancelamentos ocorrerem nas várias espécies de benefícios, os motivos de pagamento irregular mais comuns decorrem de recebimento indevido de benefício assistencial (BPC) por servidores públicos estaduais e municipais, bem como benefícios pagos a pessoas falecidas e pagamento de benefícios assistenciais pagos a pessoas cuja renda familiar supera o limite legal.

Merece destaque na atuação antifraude do INSS a identificação do recebimento ilegal de BPC por parte de servidores públicos estaduais e municipais. Esses servidores públicos fizeram uso de documentos e declarações falsas para receberem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) — destinado apenas a idosos e a pessoas com deficiência de baixa renda —, em que a renda do grupo familiar seja inferior a um quarto do salário mínimo por pessoa, ou seja, R$ 249,50 mensais.

Essa modalidade de fraude (recebimento indevido de benefícios assistenciais por servidores públicos) é a que mais se destacou nos levantamentos feitos com o cruzamento das bases de dados do INSS com estados e municípios, onde em 92,5% dos benefícios com suspeita de fraude analisados houve a constatação efetiva da fraude. Cerca de 4.700 servidores estaduais e municipais foram identificados, até agora, praticando essa fraude. A identificação dessas fraudes decorreu do cruzamento de informações do INSS com a base de apenas 6 estados e DF. O INSS já iniciou a realização de cruzamentos com todos os demais estados.

No pente-fino, o INSS descobriu, por exemplo, o caso de uma pensionista do estado do Rio de Janeiro, com renda mensal de R$ 15,8 mil, que, conforme as apurações, recebia desde 2012, o BPC utilizando declarações falsas que omitiam sua renda. Essa fraude causou um prejuízo ao INSS na ordem de R$ 86 mil.

Também no Rio de Janeiro, foi identificado o caso de um servidor estadual, com renda mensal de R$ 14 mil, que também recebia, desde 1999, o benefício assistencial.

Em Recife, o pente-fino descobriu diversos pensionistas do Governo do Estado de Pernambuco que recebiam, de forma indevida, o Benefício de Prestação Continuada (BPC). No caso mais antigo de fraude encontrado, a pensionista recebia o benefício irregularmente desde 1998, gerando um prejuízo de R$ 193 mil. Mais um exemplo encontrado é o de uma outra pensionista com renda mensal de 8,5 mil que recebia, desde 2012, o referido benefício, no valor mensal de R$ 998.

Na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, o INSS cessou o benefício de uma mulher que acumulava indevidamente, desde 1999, duas pensões por morte de companheiros falecidos, recebendo R$ 46 mil de forma indevida no período.

[Aparecido rasga o verbo] Forma de talento limitada

“Vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo...”
Dança da vassoura – Grupo Molejo

Aparecido Raimundo de Souza

O ALFREDO PANDELÓ, motorista aqui da mansão dos Baculejos Novaes, onde eu trabalho como jardineiro, cismou de ser uma vassoura. Isso mesmo, uma vassoura. Que loucura! Acho que o cara pirou na batatinha. Se eu pudesse escolher ser alguma coisa de futuro nessa vida besta que carrego desde que nasci, optaria desfrutar das formas anatômicas de um sofá de dois lugares, ou de uma rede. Quem sabe uma cadeira de balanço ou até mesmo uma bela e confortante cama de casal.

Pelo menos, como tal, em minha forma alcoviteira, apreciaria mais de perto as curvas perfeitas da linda Jajá, as belas pernas da Jejé, curtiria o calor estonteante da fogosa Jigi e, com certeza, acalmaria o cansaço de dona Jojó, a senhora dona minha patroa, de cabelos longos e ondulantes, olhar sereno e voz macia que, só de ver, assim de longe, me encho bastante de uma loucura medonha e não só me abarroto dela... Me percorre o corpo da cabeça aos pés um fogo interno que me deixa todo arrepiado.

Mas o bobo do Alfredo Pandeló, coitado, mais burro e tapado que porta de estrebaria, resolveu assumir a personalidade de um desses utensílios feitos a partir de filamentos colhidos de uma palmeira nativa conhecida como Attalea funifera muito popular nos Estados de Alagoas, sul da Bahia, Espírito Santo e Sergipe. De repente, na pele dessa planta fibrosa, passou a varrer tudo o que encontrava pela frente. Eu disse tudo. Ora com as mãos, ora com os pés, e, o mais espantoso e inacreditável, com o traseiro, arrastando as partes sensíveis da buzanfa chão afora.

Nessa sandice inexplicável, ao final de algum tempo, não restou em todas as dependências da casa nenhum cisco, nenhuma sujeira ou poeira para contar história. Nem os tapetes da sala e do salão de jogos escaparam ao estranho ritual. Final da tarde apareceu à velha e rabugenta dona Ziza Macuco, arrumadeira e passadeira do vizinho morador de frente.

Veio bater um papo, como todo final de noite, antes da novela das seis, com a Felícia, copeira, e com Gertrudes, a babá da filhinha de Jejé. Bastou enxergar as duas funcionárias na cozinha, a estrepitosa, com sua voz de taquara rachada berrou incontida:
- Hoje amiga acordei com o espírito de bruxa à flor da pele. E até agora sinto que esse troço continua grudado no meu corpo. Não volto para casa sem antes voar aqui por cima e contemplar, lá do alto, as redondezas. Felícia, por acaso você tem alguma vassoura por ai que possa me emprestar?

- Credo em cruz amiga! Você quer uma vassoura para sair voando?
- Por que o espanto? Bruxa pra ser bruxa, precisa de uma vassoura, assim como um médico precisa de um estetoscópio e um motorista de um veículo para pilotar estradas país a fora. Então, sem esse apetrecho não posso ser considerada uma bruxa completa.
- Legal. Hoje, pelo jeito, você resolveu tirar um sarro com a minha cara. Tô ligada!

Charada (1 148)

Quando alguém diz
o meu nome,
eu desapareço.
Quem sou
eu?

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Primeira reunião oficial entre Vasco e Havan acontecerá esta semana

Raphael Fernandes


O possível patrocínio da Havan ao Vasco ganha mais um capítulo importante. A primeira reunião oficial entre as partes, que a princípio aconteceria em janeiro, foi antecipada para esta semana.
Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário
Apesar de ainda ter a data indefinida, já se sabe que o encontro acontecerá na sede da empresa, em Brusque, Santa Catarina, e contará com a presença dos presidentes tanto do Vasco quanto da Havan, Alexandre Campello e Luciano Hang, respectivamente, e do empresário Flávio Moreno, que faz o intermédio da negociação.

Flávio Moreno na frente da sede da Havan, em Santa Catarina; empresário é o “elo” entre a empresa e o Vasco – Foto: Arquivo Pessoal
Na reunião, serão apresentados o planejamento do clube para a temporada de 2020 e o plano de marketing que envolve a parceria.

Moro diz que prisão em segunda instância é imprescindível

Defesa foi feita em solenidade na Câmara dos Deputados

Luciano Nascimento

Foto: Adriano Machado/Reuters
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro [foto], defendeu hoje (9), como imprescindível, a prisão em segunda instância. "[Tivemos] alguns reveses [no combate] contra a corrupção que não vieram do governo, que temos que trabalhar e temos que olhar o futuro. E para esse futuro, é realmente imprescindível a volta da execução da condenação em segunda instância, por emenda constitucional ou por projetos de lei, e essa decisão cabe ao Congresso Nacional e aos parlamentares", disse o ministro na sessão solene na Câmara dos Deputados em homenagem ao Dia Internacional Contra a Corrupção.

Em seu discurso, Moro disse ainda que a corrupção no Brasil é um crime que não afeta apenas o nosso bem-estar econômico, mas também a confiança na ação dos agentes públicos, "um dos pilares da nossa democracia”.

“Não existe nada radical em combater a corrupção, é basicamente nosso dever. Mas sem que tenhamos um combate firme, sem vacilações, sem querer retornar ao status quo antes, olhando para frente e não o passado, que queremos deixar para trás, não teremos uma verdadeira democracia", afirmou.

Discussão
A volta da prisão após condenação em segunda instância é tratada em duas iniciativas. Uma proposta de emenda à Constituição, que tramita na Câmara dos Deputados, e um projeto de Lei do Senado, o PLS 166/18, que altera o Código de Processo Penal.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), anunciou na semana passada que pretende votar amanhã (10) o texto na comissão. Segundo a senadora, o projeto será o primeiro item da pauta.

A decisão da senadora contrariou um acordo entre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e líderes das duas Casas.

Pelo acordo, ficou definido que o Senado desistiria de avançar no projeto de lei para apoiar uma proposta de emenda à Constituição (PEC 199/19), que tramita na Câmara e cuja comissão especial foi instalada última quarta-feira (4).
Título e Texto: Luciano Nascimento; Edição: Fernando FragaAgência Brasil, 9-12-2019, 12h37

Relacionados:

Vendas dos shopping centers aumentam 19,7% nesta Black Friday

Imprensa Mercado & Consumo

A Black Friday deste ano foi positiva para os shoppings brasileiros. De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), em parceria com a Cielo, os shoppings centers do Brasil tiveram crescimento de 19,7% nas vendas para a data do que na mesma ocasião de 2018. A pesquisa considerou o período entre os dias 28/11 e 02/12. O ticket médio foi de R$ 232,95, valor 1,7% maior na comparação com o ano passado.


Para o presidente da Abrasce, Glauco Humai, os números da Black Friday refletem o bom momento do setor. “Os shoppings estão num forte crescimento para esta reta final do ano. A Black Friday é uma data importante para o comércio, criando uma grande expectativa nas pessoas. Com a liberação do saque do FGTS e a queda de juros, o poder de consumo voltou aos números dos anos anteriores”, disse o executivo.

Regionalmente os dados também demonstram bons resultados. No mesmo período, São Paulo teve uma alta de 23,4% nas vendas dos shoppings, Minas Gerais e Rio de Janeiro obtiveram uma alta de 18,5% e o Rio Grande do Sul fecha a lista de destaque com crescimento de 15,8%.
Título, Imagem e Texto: Imprensa Mercado & Consumo, 9-12-2019

Charada (1 147)

O casal Ribeiro
tem apenas
dois filhos:
o José e o Alberto.
Se o José é meu tio,
qual é o meu
parentesco
com o Alberto?

domingo, 8 de dezembro de 2019

Brasileira, de Porto Alegre, fala dos hábitos que adquiriu em Portugal



Vídeo: Patrícia Alves, 23-10-2019

As pessoas estúpidas

As pessoas estúpidas são tão estúpidas que sustentam uma das mais florescentes indústrias do mundo capitalista: a indústria do viver bem à conta de chamar estúpidos aos outros.

Helena Matos

Não sei se a culpa foi do marido de Penélope Cruz gritando “estúpido” na Marcha do Clima, em Madrid, se do marido da filha do dr. Louçã transformado em profeta do apocalipse ambiental. Mas de algum deles foi certamente pois ambos com o seu particular e bem-sucedido modo de vida fizeram-me perceber a importância das pessoas estúpidas. Ou seja, aquelas pessoas que, com os seus impostos em ordem e desejo de viver em paz e sossego, mantêm a funcionar um sistema que o senhor Bardem e o marido da filha do dr. Louçã declaram abominar.

O genro do dr. Louçã além de ser genro do dr. Louçã, o que em Portugal é uma espécie de posto, é também dirigente de uma associação que se destacou por ter ido com vários deputados e o presidente da CML esperar a embarcação em que viajava, à boleia, uma adolescente que se notabilizou por gritar e faltar à escola. Perante isto, as pessoas estúpidas interrogam-se: se não levarem os filhos à escola e os largarem pelas ruas será que os deputados, o presidente da CML, a família Louçã e os ativistas do costume deixam de proferir insanidades eco-betas nas docas do Tejo e tentam entrar nos comboios atrasados da linha de Sintra? Isso, dirão os estúpidos, isso sim seria um forte contributo para perceberem por que há quem passe horas enfiado num carro, nas filas do IC19.


Aliás as pessoas estúpidas têm um problema com os transportes. Por exemplo, obstinam-se em viajar, transformando-se então no ex-libris da estupidez: o turista. As pessoas inteligentes não são turistas, são viajantes. Os protegidos das pessoas inteligentes são migrantes. Já as pessoas estúpidas quando viajam são turistas obviamente estúpidos que estupidamente destroem o caráter autêntico das cidades. Pelo contrário, os viajantes e os migrantes enriquecem as mesmas cidades. Percebido?

Como é óbvio, as pessoas estúpidas, certamente porque são estúpidas, não percebem o atrás exposto e também não conhecem gente suficientemente inteligente (leia-se abonada) que possa emprestar-lhes um iate ou um catamarã. Aliás, as pessoas mais estúpidas de todas até questionam o que seria dos oceanos se cada um dos estúpidos que agora viaja de avião optasse pelos meios de transporte que os inteligentes dizem sem impacto ambiental. Por exemplo, quantos milhões de catamarãs e iates teríamos a sulcar os mares caso prescindíssemos dos aviões? Ou será que só os inteligentes, milionários como os príncipes do Mónaco e os que poeticamente dizem que resolveram largar tudo e partir à aventura (ou seja, vivem à conta da família ou dos patrocinadores) é que viajavam?

Autoconhecimento

Nelson Teixeira

Deseja uma vida mais harmônica e feliz? Para melhorar a sua relação consigo mesmo, com os outros e com o mundo à sua volta, “conhece-te a ti mesmo”!

Os gregos há muito tempo já sabiam disso…

Todos desejam ruas limpas, mas quantos já descartaram seu lixo de maneira displicente? Como exigir do outro, o que você mesmo não tem para oferecer?

O aprimoramento só vem, se o exame de consciência for constante. Em outras palavras, o que não achar no seu coração, não encontrará fora.

Seja você o que deseja ver no outro! Seja você a mudança que quer ver no mundo!
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 8-12-2019

[As danações de Carina] Escuridão

Carina Bratt

De repente me vi presa no amorfo estranho da falta de luz. Acorrentada aos escombros de um pretume encarcerado, denso e pesado, me senti neófita. De olhos arregalados, abertos até as orelhas, apesar disso não via nada. Nem um palmo enxergava adiante do nariz. Veio então, me acudir à mente, instantes passados da minha vida. Momentos bons e alegres, outros tristes e de profunda melancolia.


O que mais me deixou num vazio pior que o tenebroso das trevas. Meu pai. Recordei dele num momento azedo, virulento, avinagradamente amargo. E que momento foi esse? Meu velho herói no leito de morte, para ser mais precisa, poucas horas antes de nos deixar de vez. Papai Francisco (que o Eterno o tenha em sua santa misericórdia), sabia que não voltaria para casa.

Desde que fora internado às pressas, carregava na consciência a afixação de que não regressaria. E aos poucos, com a sua paciência de Jó, foi nos preparando o espírito, como se quisesse aliviar a nossa dor maior. A do seu recuo da vida, da sua deserção de continuar lutando pela existência que se esvaia em passos tartarugados. Militar linha dura, seu Francisco não dava o braço a torcer.

Suas palavras, como diziam os antigos, não faziam curvas. O que ele falava podia se escrever. Era como assinar com um fio de bigode. Com seu passamento, a rotina em casa mudou. Bem sabíamos, não ouviríamos mais as suas risadas, os seus comentários sarcásticos, as suas turras com mamãe, a implicância com as futilidades, a dinheirama que eu gastava com produtos caros para meus cabelos.

Foi papai quem me liberou para viajar com meu primeiro patrão, o Aparecido, quando eu ainda tinha dezessete para dezoito anos. Por dona Marcela, minha mãe, eu jamais arredaria os pés de suas saias. Mas papai viajava na maionese. Entendia meus sonhos e achava que “o filho depois que cresce e cria asas, quer voar ao sabor do seu próprio vento”. Recordo como se fosse hoje das palavras de meu velho ao Aparecido: “Seu moço, minha filha está indo uma, não quero que volte duas”. Papai, esperto, arisco, sinalizava uma possível gravidez.

Charada (1 146)

Descubra, nesta sopa de letras,
9 jogos de mesa tradicionais:

A
H
E
D
A
G
U
V
M
I
V
O
E
N
G
A
M
A
O
T
M
I
K
A
D
O
H
C
A
E
I
L
O
L
H
N
U
E
H
Z
N
O
X
E
L
Z
Z
U
P
L
U
P
O
Q
U
E
R
S
O
M
N
O
D
A
C
R
J
E
P
U
O
N
I
M
O
D
O
D
E
V
B
O
Z
U
D
A
M
A
S
I
A
M
E
H
N
X
I
X
U
T