quarta-feira, 15 de julho de 2020

O que Trump, Bolsonaro e o governo cubano têm em comum? A defesa da cloroquina

A posologia do medicamento está descrita nos dois documentos oficiais que dão as diretrizes para o enfrentamento da covid-19 em Cuba


Artur Piva

Não são apenas Donald Trump, nos Estados Unidos, e Jair Bolsonaro, no Brasil, os defensores do uso da cloroquina no combate ao coronavírus. Há mais de três meses, Cuba usa a droga para tratar pacientes infectados pela covid-19.

A posologia do medicamento está descrita nos dois documentos oficiais que dão as diretrizes para o enfrentamento da doença no país. Apenas recentemente, contudo, a orientação virou notícia num site autorizado pela ditadura que comanda o país faz mais de 60 anos.

Na página do Ministério da Saúde Pública de Cuba, estão disponíveis o Protocolo provisional de Cuba vs covid e a Versión 1.4 do Protocolo de Actuación Nacional para la Covid-19. O primeiro foi publicado em 4 de abril, e o segundo, em maio. Ambos trazem diversas recomendações para o combate ao vírus chinês, incluindo o tratamento com um coquetel de Kaletra e cloroquina.

Na última segunda-feira, 13, o site cubaperiodistas.cu repercutiu uma entrevista sobre o uso da hidroxicloroquina no combate à covid-19 em Cuba que foi publicada dias antes pela Anadolu Agency, agência internacional de notícias com sede na Turquia.

O entrevistado foi o médico Agustín Lage Dávila, membro do Partido Comunista Cubano. Ex-diretor do Centro de Imunologia Molecular de Havana, ele ocupa atualmente um alto cargo na BioCubaFarma, empresa que tem joint ventures na China para a pesquisa e a produção de medicamentos.

Pior da crise provavelmente ficou para trás, diz boletim do governo

Ministério mantém projeção de queda do PIB em 4,7% este ano

Kelly Oliveira

O Ministério da Economia manteve a previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB) em 4,7%, este ano. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. A estimativa está no boletim macrofiscal da Secretaria de Política Econômica (SPE), divulgado hoje (15). Também foi mantida a previsão de crescimento de 3,2% do PIB para 2021.
 
Foto: Paulo Whithaker/Reuters
“Apesar da extensão do isolamento social, a projeção do crescimento do PIB para 2020 foi mantida em -4,7% diante da melhoria dos indicadores, refletindo um efeito positivo das políticas adotadas até então”, diz o boletim.

Para a SPE, a atividade econômica foi fortemente impactada pela pandemia em abril e maio deste ano e a perspectiva de recuperação é a partir do segundo semestre. “Resultados da atividade de abril e maio indicam que o vale da crise provocada pela pandemia provavelmente ficou para trás. Houve retração na indústria, comércio e serviços, e apenas a agropecuária apresentou resultados positivos. Muitos indicadores de maio e junho mostram sinais de reação da economia para iniciar a saída do ‘fundo do poço’ e a recuperação no segundo semestre”, diz o boletim.

Para o mercado financeiro, a queda do PIB este ano será maior, de 6,1%. Para 2021, a previsão mais recente do mercado financeiro é de crescimento de 3,5%.

Inflação
A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é 1,60% neste ano. “Os principais responsáveis pela menor inflação esperada ainda deverão ser os bens industriais e os serviços. A desaceleração é resultado direto dos impactos na atividade econômica. Ademais, os preços monitorados também apresentaram forte recuo com destaque para energia elétrica, gasolina e óleo diesel. Em sentido oposto, o grupo alimentação no domicílio que engloba, genericamente, alimentos vendidos por mercados e estabelecimentos similares, apresentaram aceleração”, diz o boletim.

Justiça de São Paulo decreta falência da Avianca

Empresa acumula dívidas de mais de R$ 2,7 bilhões

Luciano Nascimento

A Justiça de São Paulo decretou a falência da Avianca Brasil. A empresa, que se encontrava em recuperação judicial desde dezembro de 2018, acumulava dívidas de mais de R$ 2,7 bilhões.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Na decisão, proferida ontem (14), o juiz Tiago Limongi, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, acatou pedido da própria empresa que disse que, devido à inatividade da companhia aérea, tornou-se inviável cumprir o plano de recuperação judicial.

Ao pedir a recuperação judicial, a empresa disse que, entre os motivos de sua crise econômico-financeira estavam a forte recessão econômica enfrentada pelo país desde meados de 2014, aliada ao aumento do combustível e à variação do câmbio, e a greve dos caminhoneiros de maio de 2018, que causaram impacto drástico no seu fluxo de caixa.

Em maio do ano passado, a Avianca deixou de operar voos, após decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A medida foi adotada depois de a companhia ter sido forçada, por decisões judiciais, a devolver os aviões de sua frota às empresas de leasing proprietárias das aeronaves.

De acordo com o plano de recuperação judicial, os ativos e slots (permissões para operar decolagens e pousos) da Avianca foram divididos em sete unidades produtivas isoladas (UPIs). Seis delas correspondem essencialmente aos slots nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos (em São Paulo) e Santos Dumont (no Rio de Janeiro). A outra UPI trata do programa de fidelidade da Avianca, o Amigo.

Necessidade de trabalhar é principal motivo para abandonar escola

Quatro em cada dez jovens precisaram deixar as salas de aula

Mariana Tokarnia

A necessidade de trabalhar é o principal motivo apontado por jovens de 14 a 29 anos para abandonar os estudos, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Educação, divulgada hoje (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Aproximadamente quatro em cada dez jovens que não concluíram o ensino médio precisaram deixar as salas de aula para trabalhar.

Foto: Agência Brasil/Arquivo
Segundo o IBGE, ao todo, no Brasil, 20,2% dos jovens de 14 a 29 anos não completaram o ensino médio, seja porque abandonaram a escola antes do término dessa etapa, seja porque nunca chegaram a frequentá-la. Isso equivale a 10,1 milhões de jovens. A maior parte é homem, o equivalente a 58,3%, e preta ou parda, o equivalente a 71,7% de todos que não estavam estudando.

De acordo com o levantamento, quando perguntados sobre o principal motivo de terem abandonado ou nunca frequentado a escola, esses jovens apontaram a necessidade de trabalhar como fator prioritário, resposta dada por 39,1% dos entrevistados. Considerando apenas os homens, essa foi a resposta dada por 50% deles. Já entre as mulheres, o percentual cai para 23,8%.

Para as mulheres, o principal motivo, alegado por 24,1% é não ter interesse em estudar – entre os homens esse percentual é 33%. Em seguida, para as mulheres, está a gravidez, de acordo com 23,8%. Precisar cuidar de pessoas ou dos afazeres domésticos é alegado como motivo para 11,5% das mulheres deixarem os estudos. Entre os homens, esse é o motivo para 0,7%.

[Discos pedidos] Morreu o criador da “Dança dos passarinhos”

O baixista belga, Jean-Jacques Lionel, faleceu na noite de 13 para 14 de julho, com 72 anos, de um tumor no cérebro.

J. J. Lionel foi o criador do hit mundial “A dança dos passarinhos”, “La danse des canards”, em 1981.




Anteriores:

Consolo

Nelson Teixeira

Adicione amor aos seus dias; às suas atitudes.

Tenha tempo para se ouvir e ouvir quem chega atordoado em busca de afago.

Console ao invés de jogar sal nas feridas abertas que precisam ser cicatrizadas.

Seja tolerante.

Pratique o bem sem ver a quem.

Faça de coração, porque se importa, se solidariza e compadece do sentimento alheio.

Não menospreze os que se empenham em sair do lugar, contribua com sorrisos e gestos concretos de paz.

Não destrua sonhos.

Não pisoteie a grama alheia.

Cultive seu jardim de amor.

Regue esperanças por onde for.

Consolar os outros faz bem!

Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 17-7-2020

terça-feira, 14 de julho de 2020

Ataques contra brasileiros em Angola colocam em xeque relações internacionais entre os países + Comentário de Augusto Nunes

Uma onda de ataques contra brasileiros em Angola coloca em xeque as relações internacionais entre o Brasil e o país africano.

Nas últimas semanas, religiosos foram despejados das casas onde viviam, templos da Igreja Universal foram tomados violentamente, profissionais e missionários foram detidos sem justificativa. E, até agora, sem a ação das autoridades angolanas, parlamentares brasileiros organizam missão para ir a Luanda para pressionar o governo local a resolver o caso.


Casa Villarino faz apelo ao público: “Esperamos contar com vocês nesse momento tão complicado”

Redação Diário do Rio

A retomada às atividades comerciais não está sendo fácil para diversas empresas. Embora muita gente tenha volta à rotina, ainda existem complicações por conta da pandemia causada pelo Coronavírus, que dificultam muitas ações. Restaurantes no Centro da Cidade, por exemplo, não estão tendo público necessário. Entre eles está o tradicional Casa Villarino.


Em um comunicado em suas redes sociais, no último domingo, 12 de julho, a direção do restaurante escreveu:

“Queridos amigos, apesar do nosso retorno, infelizmente o centro da cidade não retornou de forma plena e tivemos uma queda de 90% do movimento nessas duas semanas abertos. Somados aos mais de 100 dias fechados durante a pandemia, a situação se tornou praticamente insustentável. Diversos estabelecimentos já estão fechando suas portas e especialmente na nossa região, por conta da falta de prazo de retorno ao “normal”, a tendência não é animadora. 

Então pedimos encarecidamente que apesar dos receios, que nos deem uma chance, nos prestigiem com sua presença ou que retirem pedidos (2240-1627) porque de forma alguma queremos abdicar do nosso sonho de manter vivo esse patrimônio carioca. 

Senadores tentam novo ‘impeachment’ de Gilmar Mendes

Após declarações do ministro do STF sobre militares no Ministério da Saúde, grupo tenta fazer avançar na Casa novo pedido de impeachment contra o ministro

Wesley Oliveira

Um grupo de ao menos 12 senadores vai protocolar ainda nesta terça-feira, 14, um novo pedido de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. Desta vez, as alegações serão com base nas declarações de Gilmar sobre os militares.

Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF
Conforme apurou Oeste, o pedido já ganhou a assinatura de senadores como Major Olímpio (PSL-SP), Marcos do Val (Podemos-ES), Lasier Martins (Podemos-RS) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Agora, o grupo tenta conquistar o apoio dos demais senadores.

A discussão sobre o pedido de impeachment do magistrado voltou a ganhar força depois que, no último sábado, 11, ele criticou o enfrentamento da pandemia pelo ministro interino da Saúde, generalEduardo Pazuello. “O Exército está se associando a esse genocídio, não é razoável. Não é razoável para o Brasil. É preciso pôr fim a isso”, disse Gilmar Mendes.

Apesar do esforço do grupo de senadores, Major Olímpio destacou que este será outro pedido que deverá ser engavetado na Casa. “Esse pedido vai ser um gesto e uma forma de fazer pressão, porém não deverá ter seguimento no Senado”, avaliou.

Para que um pedido de impeachment de ministro do STF seja analisado, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), precisa aceitá-lo e abrir o processo. No entanto, outros diversos pedidos seguem parados na Casa por falta de chancela do político do DEM.

Título e Texto: Wesley Oliveira, revista Oeste, 14-7-2020, 12h03

Relacionados:

O Globo defende a lei da mordaça

O Globo acredita que “direitos são preservados” na legislação das fake news que tramita na Câmara dos Deputados


Cristyan Costa

“Direitos são preservados na lei das fake news”, garante o editorial do jornal O Globo, publicado na manhã desta terça-feira, 14. Segundo o texto, caso a legislação seja aprovada pela Câmara dos Deputados, haverá um ambiente legal no país.

Em síntese, para o veículo, as redes sociais não servirão mais como meio para “agredir impunemente direitos individuais consolidados na Constituição”. As linhas seguintes afirmam também que Facebook, Twitter e similares deixarão de ser uma terra sem lei.

Contudo, a medida aprovada pelos senadores na semana passada é, na verdade, a mais agressiva legislação de censura que o Brasil já viu. “Nem o AI-5 permitia a prática da censura em qualquer um de seus 12 artigos”, argumenta o colunista J. R. Guzzo.

Autoridades públicas poderão rastrear as comunicações feitas pelos cidadãos através dos meios eletrônicos. Portanto, caracteriza-se violação do direito à privacidade na comunicação entre as pessoas: qualquer conversa de WhatsApp pode ser gravada sem licença da Justiça.

Além disso, fere-se o direito à liberdade de manifestação de pensamento. “Pois tudo o que você disser poderá ser utilizado contra você — ou contra as plataformas por intermédio das quais as suas conversas são feitas”, afirma Guzzo.

"Ambição, determinação e seriedade vão estar sempre presentes"

Sérgio Conceição projetou o clássico com o Sporting, no Estádio do Dragão, da 32ª jornada da Liga (quarta-feira, 21h30)


A 32ª e antepenúltima jornada do campeonato reserva um clássico entre FC Porto e Sporting, agendado para esta quarta-feira (21h30, Sport TV), no Estádio do Dragão. Os azuis e brancos são líderes isolados e estão a um ponto da conquista do título, mas podem até sagrar-se campeões já esta terça-feira se o Benfica não vencer o Vitória de Guimarães no Estádio da Luz.

Sem surpresa, as únicas contas que Sérgio Conceição faz assentam numa vitória sobre o Sporting e é com esse objetivo que o FC Porto vai entrar em campo, mesmo tendo pela frente um adversário de qualidade, bem orientado e que atravessa um bom momento. A três jornadas do fim, os Dragões somam 76 pontos, mais oito do que o Benfica.

A preparação para o clássico
“Foi um microciclo absolutamente normal em que trabalhamos em cima deste jogo de forma a prepará-lo da melhor forma. As expetativas que temos são as de fazer um bom jogo e, mais importante, ganhá-lo. Foi assim que preparamos esta semana.”

Vacina russa contra o coronavírus entra na fase final de testes

Governo pretende iniciar a produção em massa ainda em setembro

Cristyan Costa
 
Foto: Divulgação/Bigstock
Na corrida pela cura da covid-19, o governo russo informou ontem que o país está perto de começar a distribuição de um imunizante capaz de neutralizar o coronavírus. A vacina foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, com a Universidade Sechenov, e apresentou resultados promissores nas primeiras fases dos testes. A informação é da agência de notícias Sputnik, que garante: até o mês que vem, o governo russo estima iniciar a chamada “circulação pública”. Em síntese, quantidades menores da vacina passam a entrar no mercado. Contudo, a produção em massa ocorre apenas em setembro.

A nova etapa anunciada pela Rússia funciona como uma fase 3 dos ensaios clínicos (em que se avalia a eficácia de uma vacina a partir de um número maior de voluntários). Os testes envolveram 38 voluntários saudáveis — mulheres e homens, com idade entre 18 e 65 anos. O primeiro grupo, composto por 18 pessoas, foi imunizado em 18 de junho. O segundo, com 20 pessoas, em 23 de junho. Além disso, outros países têm se dedicado a vencer a covid-19, como o Reino Unido, com a vacina da Universidade de Oxford, e os Estados Unidos, com a da farmacêutica Pfizer.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 14-7-2020, 9h

STF dificulta proibir ideologia de gênero nas escolas

Quatro decisões dos ministros consolidaram que é inconstitucional vetar o tema na educação

Supremo Tribunal Federal (STF) tem dificultado a vida de Jair Bolsonaro quando o assunto é ideologia de gênero. O governo pretende barrar o avanço da pauta, associada à esquerda, na educação brasileira. Segundo o presidente, o tema visa a sexualização precoce das crianças. Além disso, provoca distúrbios psicológicos nas pessoas. Contudo, quatro decisões do STF consolidaram que é inconstitucional vetar a ideologia de gênero nas escolas, informou o jornal Folha de S. Paulo.

Foto: Nelson Jr./SCO/STF
Na mais recente, de 26 de junho, os ministros consideraram inconstitucional um artigo do Plano Municipal de Educação de Cascavel (PR). Em síntese, a medida vedava a “adoção de políticas de ensino que tendam a aplicar a ideologia de gênero, o termo ‘gênero’ ou ‘orientação sexual'”. O mesmo ocorreu em ações semelhantes, referentes a legislações de Ipatinga (MG), Novo Gama (GO) e Foz do Iguaçu. Em votação, Gilmar Mendes garantiu que a abordagem de gênero e sexualidade é obrigação de secretarias de Educação, escolas e professores.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 14-7-2020, 7h04

Escolha de ‘adversário’ determina se você será exaltado ou cancelado

No Brasil de Alexandre de Moraes, a Constituição é deixada de lado por aqueles que querem calar de vez vozes conservadoras e liberais

Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Redação Oeste

Em sua coluna para Oeste desta semana, Ana Paula Henkel mostra que, para sobreviver no Brasil atual, é preciso muito cuidado. A escolha errada de adversários, sejam eles políticos ou não, pode levar alguém ao “cancelamento” ou até mesmo à cadeia.

Enquanto isso, quem se associa aos mandos e desmandos de figuras como o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes pode dormir tranquilo e até mesmo desejar a morte de um presidente da República.

Título e Texto: Redação Oeste, 14-7-2020, 5h45

Relacionados:

ONU: covid-19 levará fome a mais de 80 milhões de pessoas

Em relatório, Organização das Nações Unidas estima impacto da pandemia na população mundial

Anderson Scardoelli

A disseminação do novo coronavírus em todo o mundo levará de 83 milhões a 132 milhões de pessoas a passarem fome. A projeção consta em relatório divulgado nesta segunda-feira, 13, pela divisão de alimentação e agricultura da Organização das Nações Unidas (ONU).

Foto: CANVA
De acordo com a ONU, a covid-19 provocou nos últimos meses alguns males em diversos países. A entidade fala em itens como, por exemplo, perda de renda (desemprego e redução salarial), aumento dos preços de alimentos e a chamada “interrupção das cadeias de suprimentos”.

O relatório foi formulado em parceria com quatro agências que funcionam como divisões da ONU: o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o Programa Mundial de Alimentos e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Fome atual
Os dados de hoje foram além de projetar a fome mundial em decorrência da covid-19. O material aborda que no fim de 2019 a fome atingia 690 milhões de pessoas. O número representa 8,9% da população mundial. Em comparação com 2018, a quantidade de pessoas passando fome aumentou em 10 milhões.

Título e Texto: Anderson Scardoelli, revista Oeste, 13-7-2020, 19h43

Militares pressionaram ministro por posicionamento mais firme contra Gilmar Mendes

Posicionamento inicial não agradou. Assim, militares pressionaram ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, a dar uma resposta mais firme e enérgica a Gilmar Mendes

Rodolfo Costa

Os militares pressionaram o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva [foto], a se posicionar mais firmemente contra o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Oeste apurou que militares da reserva e da ativa não gostaram nem um pouco da primeira nota emitida pelo chefe das Forças Armadas.
 
Foto: Marcos Corrêa/PR
No domingo, 12, Azevedo e Silva emitiu um primeiro posicionamento. No comunicado, frisou que as Forças Armadas empregam, diariamente, 34 mil militares no combate ao coronavírus, “efetivo maior do que o da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial”. “O MD tem o compromisso com a saúde e com o bem-estar de todos os brasileiros”, frisou.

O posicionamento, entretanto, foi considerado pouco enérgico. Azevedo e Silva passou a ser muito criticado em grupos de WhatsApp por militares da reserva e da ativa. Para eles, uma declaração como a de Mendes, que associou as Forças Armadas ao “genocídio”, precisaria ser respondida à altura, sem tensionar, mas com firmeza.

Militares dizem a Oeste que foi preciso tirar Azevedo e Silva “debaixo da mesa”. “Ele [ministro da Defesa] prefere evitar o conflito. É diplomático, evita de todo jeito, mas tomou pressão. Ontem, a reserva estava indignada”, relata um interlocutor governista. “Hoje, sentiu a pressão da ativa também”, completa outro. No fim das contas, emitiu nesta segunda-feira, 13, um outro posicionamento, conjunto, com o apoio dos comandantes das Forças Armadas.
Título e Texto: Rodolfo Costa, revista Oeste, 13-7-2020, 18h30

Relacionados:

Quand le grotesque se dispute à l'obscène

Samedi 11 juillet avait lieu devant nos locaux la première manifestation anti Valeurs actuelles organisée par Hadama Traoré (ne pas confondre avec Adama).


Une manifestation qui n'aurait put être que grotesque (une poignée de manifestants) si elle n'avait pas eu l'obscenité d'avoir lieu au lendemain de la mort de Philippe Monguillot, le chauffeur de bus assassiné par des racailles.

En effet l'objet de cette manifestation anti Valeurs actuelles, était de dénoncer notre magazine "fascisant", "raciste" et qui "divise les français".

Pour être clair, notre tort est d'être l'un des seuls médias à parler du fléau du racisme anti-blanc, cet autre racisme "systémique" qui terrifie tant de gens à l'idée de laisser leurs filles sortir le soir, de prendre les transports en commun après 22h et qui se termine par le meurtre d'un honnête chauffeur de bus dans le silence assourdissant de la presse de gauche, d'Omar Sy, de Camelia Jordana et du gang Traoré.

Notre tort, c'est de ne pas nous taire.

Dans une vidéo postée sur les réseaux sociaux, l'organisateur de cette manifestation menace de revenir le 25 juillet et, cette fois-ci, de "rentrer à l'intérieur".

C'est là qu'en est le débat d'idées. L'obscenité, et la menace.

Abonnez-vous à nos contenus numériques, Valeurs actuelles décrypte pour vous tout ce que les autres vous cachent. 

Lire Valeurs actuelles, c'est accédez à une information qui colle avec ce que vous voyez et vivez au quotidien.

Cet été l'abonnement Club Valeurs actuelles est à 1€ les deux premiers mois sans engagement !

Covid-19: governo anuncia ações de proteção a crianças e adolescentes

Lançamento das medidas marca celebração dos 30 anos do ECA
  
Pedro Rafael Vilela

O governo apresentou nesta segunda-feira (13) as medidas em andamento para proteção de crianças e adolescentes durante o período de pandemia da covid-19 no Brasil. A cerimônia de apresentação do plano de contingência, no Palácio Planalto, também marcou a data em que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completa 30 anos de vigência.

Ao mencionar as ações consolidadas do governo nos últimos meses, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves [foto], disse que o Brasil ainda não é a "melhor nação do mundo" para as crianças, e reforçou a necessidade fazer com que dispositivos previstos no ECA sejam de fato garantidos para elas.  
 
Foto: Julio Nascimento
"Ainda temos as mais diversas violências e atrocidades contra crianças no Brasil. Ainda assistimos às mais diferentes formas de violação de direitos de crianças e adolescentes no Brasil", afirmou. "Temos, há 30 anos, uma lei extraordinária, mas ainda estamos longe do que tanto sonhamos para as nossas crianças. O ECA ainda não chegou a alguns lugares no Brasil", acrescentou a ministra.

Rede de apoio
Entre as ações destacadas por Damares Alves está a transferência de R$ 2,3 bilhões para estados e municípios adquirirem e distribuírem os alimentos da merenda escolar para 40 milhões de crianças e adolescentes da rede pública de ensino. E mais R$ 2,5 bilhões estão sendo repassados para municípios fortalecerem a rede do Sistema de Assistência Social (SUAS), que conta hoje com mais de 2 mil unidades de acolhimento que atendem cerca de 34 mil crianças e adolescentes abrigados.

[Aparecido rasga o verbo] Como foi mesmo que eu me perdi de tudo?

Aparecido Raimundo de Souza

DA VARANDA DO MEU APARTAMENTO, olho compridamente para um ponto fixo bem longe que se descortina diante de mim. Desde aí, pareço suscitar, numa espécie de devaneio maquinal, um espaço oculto dentro de meu ser, onde alguma coisa que nele está aprisionada, quer se libertar de qualquer jeito, a ponto de me fazer alcançar, custe o que custar, o desiderato, como se fosse um sonho adormecido e não realizado que há muito desejei, em louca ambição. Não sei exatamente o quê. Alguma coisa, por certo, que me fez viajar além do descomedido, à custa de me fumegar por dentro, como um brandão que iluminasse uma áurea abandonada.

Num primeiro momento, tenho a impressão de ter acordado de um sono profundo. Melhor me expressando, voltado de um repouso recuperatório e, ao ter aberto os olhos, incrivelmente percebido robustas vibrações de medo. Medo e vazio. Medo por voltar de onde estava, assim, sem mais nem menos, e vazio, por senti-lo forte e horrendo, e não só isto, cheio de dimensões gigantescas. Tudo, num repente, se faz agora e, dentro dele, sessenta e sete anos parecem ter sido jogados fora. Literalmente lançados nas sarjetas da vida. Grosso modo, pareço bastante com aquela figura metálica do homem armado que, nos relógios antigos, dava as horas com um martelo e nossos avós apelidaram de jaquemart.

Me vejo caminhando por uma estrada de compleição agrestemente chucra e tosca, os passos incertos, sem vislumbrar um porto seguro onde estancar esta dor forte e imensa que se alojou em mim e, contra a minha vontade, insiste permanecer sem pressa de ir embora. Esta dor estranha, esquisita,  fez de meu espírito  seu templo doméstico. Me sinto, por conta, como se tivesse a alma  alanceada por uma batalha da qual não participei, mas saí dela mortificadamente oprimido e derreado. Parece haver uma contenda acirrada, que não se define,  entre meu ser asfixiado e o meu agora -, meu agora desprovido de fôlego para continuar na peleja.

Esta dor parece também, lado outro, crescer como um tumor malígno, e, ao tempo em que evolui, me dá sinais de querer desgraçar a alma frangalhada e me colocar num buraco negro e inóspito, de onde tenho a impressão não haver retorno. Dentro da minha cabeça, uma confusão de ideias e pensamentos embaralhados tenta, a todo custo, me aniquilar, enquanto o coração, no peito, fortemente  descompassado e, numa aceleração centuplicada, me apavora e não só  isto, me tira fora da normalidade da razão. Todos os cômodos da minha residência, parecem ocupados por velhos fantasmas de semblantes  monásticos, que agora se juntam e me assustam.

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Guilherme Fiuza em dose dupla de jornalismo

Paulo Francis é chamado de ‘agressivo’ pela ‘ombudsman’ da ‘Folha’

Escritor morto em 1997 é mencionado por profissional do jornal paulistano, que tenta defender conteúdo publicado por Hélio Schwartsman


Anderson Scardoelli

Publicado na última terça-feira, 7, o artigo “Por que torço para que Bolsonaro morra“, assinado por Hélio Schwartsman, voltou à discussão na Folha de S.Paulo. A ombudsman do jornal paulistano, profissional responsável pelo trabalho de “ouvidoria”, analisou o texto na edição de ontem, domingo 12.

No decorrer de seu texto, Flávia Lima, a ombudsman da Folha, chega tecer críticas ao texto. Afirma, por exemplo, que Schwartsman “reagiu com o fígado”. Nesse sentido, garante que o texto do colunista “parece contribuir pouco para o debate” e que, além disso, “apresenta uma abordagem simplificadora”.

Em linhas gerais, no entanto, a ombudsman defende o articulista e o jornal, que decidiu publicar o texto e não pediu desculpas ao presidente da República. Valoriza o fato de Schwartsman colaborar para a Folha de S.Paulo há mais de 30 anos. Para ela, o colunista é um “repositório da isenção científica”.

Histórico polêmico
Ainda no sentido de defender seu colega de jornal, Flávia Lima crava que Schwartsman não cometeu crime algum. Nesse ponto, ela respondeu ao ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, que pediu, com base na Lei de Segurança Nacional, para a Polícia Federal abrir inquérito contra o jornalista.

“Schwartsman pode ter sido imprudente, mal-educado, imoral ou amoral. Mas não cometeu um crime”, define a ombudsman.

Defendendo a publicação do artigo, Flávia sustenta que o jornal tem histórico de abrir espaço para conteúdos considerados polêmicos. “A Folha tem um histórico longo de colunistas cuja característica mais marcante é a provocação”, escreve. Como exemplo, ela cita Paulo Francis (1930-1997), a quem define como “agressivo”.

Governo zera tarifas de 34 medicamentos usados no combate à covid-19

Imposto de remédio para atrofia muscular também é zerado

Wellton Máximo

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) zerou o Imposto de Importação de 34 medicamentos usados no combate à covid-19. A resolução foi publicada hoje (13) no Diário Oficial da União.
 
Foto: Arquivo/Agência Brasil
Entre os medicamentos beneficiados pela medida, estão Ivermectina, Fondaparinux, Varfarina, Nitazoxanida, Edoxabana e Rivaroxabana. O órgão também zerou a tarifa de máquinas para produção e embalagem de máscaras descartáveis de proteção respiratória. As máquinas deverão fabricar pelo menos 400 máscaras triplas com orelhas elásticas de estrutura compacta por minuto.

A resolução zerou o Imposto de Importação de bolsas para coleta de sangue com solução anticoagulante. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Camex, órgão composto de representantes de vários ministérios presidido pelo Ministério da Economia, reduziu a zero a tarifa de 549 produtos relacionados ao enfrentamento da doença. O benefício vale até 30 de setembro.

Atrofia muscular
Em outra resolução publicada hoje, a Camex zerou a tarifa de importação do medicamento Zolgensma, usada no combate à atrofia muscular espinhal (AME) em crianças de até dois anos. Cotada a R$ 12 milhões e sem fabricação no Brasil, a droga é considerada o medicamento mais caro do mundo, de acordo com o Ministério da Economia.

Torcendo as notícias

Helena Matos

PÚBLICO: «Núñez Feijóo mostra a Casado como se derrota o Vox com moderação. Presidente da Xunta da Galiza alcança a quarta maioria absoluta para o PP. BNG inverte tendência de queda e aglutina o voto da esquerda nacionalista. »

O VOX NÃO FOI DERROTADO: TEVE UM CRESCIMENTO DE VOTOS NAS ELEIÇÕES DE GALEGAS NA ORDEM DOS +2,03% (–%). PODE CONCLUIR-SE SIM QUE UM PP FORTE CONTÉM O CRESCIMENTO DO VOX, MAS NOTE-SE QUE TAMBÉM DOS CIUDADANOS QUE NESTAS ELEIÇÕES PERDERAM 2,63% DO SEU ELEITORADO GALEGO. MAS O MAIS IMPORTANTE NESTAS ELEIÇÕES É AQUILO QUE O PUBLICO NÃO DESTACA E MASTIGA SOB A FRASE CRÍPTICA «BNG inverte tendência de queda e aglutina o voto da esquerda nacionalista»O PODEMOS PERDEU 18,85% DOS SEUS VOTOS. OU SEJA, PASSOU DE 14 DEPUTADOS PARA ZERO. 


DN: O Bloco Nacionalista Galego (BNG) fez mais uma prova de vida, subindo de seis para 19 mandatos, o que permitiu ultrapassar os socialistas do PSOE, que elegeram apenas 14, abaixo das expectativas criadas pelas sondagens. A coligação Galícia en Común-Anova Mareas (que integra a Unidas Podemos), os extremistas do Vox e o Ciudadanos ficaram de fora do parlamento galego. No País Basco, a noite foi de vitória para o PNV, que reforçou a vantagem, elegendo 31 deputados, mas não atingiu a maioria absoluta. ‘Lendakari’ (presidente do Governo regional basco) desde 2012, Iñigo Urkullu vai precisar de fazer nova aliança de governo com os socialistas bascos, que conseguiram 10 mandatos. Os nacionalistas EH Bildu foram a surpresa da noite, com 22 mandatos.

QUAIS OS CRITÉRIOS PARA DEFINIR O VOX COMO EXTREMISTA? SOBRETUDO QUANDO O EH Bildu VAI SOB O NEUTRAL “OS NACIONALISTAS”. O EH Bildu CONTA ENTRE OS SEUS DEPUTADOS COM VÁRIOS QUE SEMPRE FUNCIONARAM COMO FACHADA DA ETA E TRÊS DOS ACTUAIS DEPUTADOS DO EH Bildu, Arkaitz Rodríguez Torres, Iker Casanova Alonso E Ikoitz Arrese Otegi CUMPRIRAM PENAS DE PRISÃO PELA SUA LIGAÇÃO AO MOVIMENTO TERRORISTA ETA. MAS O VOX É QUE É EXTREMISTA! A EXTREMA-DIREITA TORNOU-SE NUMA MULETA DO ACTUAL JORNALISMO.
Título e Texto: Helena Matos, Blasfémias, 13-07-2020

Não sei qual o mais servil, se o Público ou o Diário de Notícias...
O primeiro revela o seu desejo, afirma que Trump está isolado. Ok!

E para "noticiar" a vitória do candidato conservador na Polônia, escreve – será que copiou da TIME na capa que "noticiou" a vitória de Trump? – que o país está "dividido". Ora, porra!, se o país estivesse "unido" não haveria necessidade de eleições, sonho dessa gente que panfleta nesses (e outros) jornais, aqui e além-mar.

São uns hipócritas e desonestos insuportáveis: eleições, só são agregadoras, lindas e maravilhosas, quando um esquerdista ou um inútil as vence.

Por críticas, China impõe sanções a dois senadores dos EUA

Decisão foi comunicada pelo Ministério das Relações Exteriores da China; não foi divulgado em que consiste essas sanções

Gabriel Oneto

Imagem: mohamed mahmoud hassan/ Public Domain
A China anunciou que vai impor sanções aos senadores norte-americanos Marco Rubio e Ted Cruz, ambos do Partido Republicano. Essa medida tem caráter mais simbólico e é uma retaliação à posição dos EUA sobre a repressão chinesa na província de Xinjiang.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, afirmou que as sanções começam a valer nesta segunda-feira. Essa medida, que não foi detalhada, também vai atingir o embaixador Sam Brownback, o representante Chris Smith e a Comissão do Congresso para a China.

“Xinjiang é um assunto interno da China e os EUA não possuem o direito de interferir”, afirmou Hua. “Nós exigimos que os EUA imediatamente voltem atrás das suas decisões erradas, pare de interferir em assuntos internos da China. Nós vamos tomar novas ações de acordo com o desenvolvimento da situação”, concluiu.

Conforme já divulgado por Oeste, o Congresso dos Estados Unidos, com o apoio de ambos os partidos, aprovou um projeto de sanção contra autoridades chinesas que participam da repressão ao povo uigur, em Xinjiang. Além disso, a repressão chinesa a Hong Kong também é alvo das sanções norte-americana. A informação é da agência de notícias Bloomberg.

Repressão aos uigur
O povo uigur possui cerca de 25 milhões de pessoas que moram majoritariamente na província de Xinjiang, no extremo oeste da China. A região possui um forte movimento que luta pela autonomia e que é fortemente reprimido pelo regime comunista de Pequim.

Empresas dão adeus à Argentina para investir no Brasil

Temendo as estatizações da dupla Fernández-Kirchner, fábricas do setor automotivo demitiram seus funcionários e vão se instalar por aqui

Cristyan Costa

Por causa da crise econômica da Argentina, empresas do setor automotivo estão deixando o país governado pelos peronistas Alberto Fernández e Cristina Kirchner. Contudo, já definiriam sua nova casa: o Brasil.


A Saint-Gobain Sekurity, fornecedora de autopeças, anunciou na semana passada um acordo de demissão voluntária com seus 150 funcionários argentinos e a mudança para cá. A fábrica foi inaugurada em 2016, sob a gestão de Mauríco Macri, com um investimento de US$ 200 milhões e o objetivo de fabricar cerca de 200 mil para-brisas por ano. Mas, agora, sofre com dificuldades financeiras.

Além disso, nas últimas semanas, outras companhias do ramo anunciaram que estão de malas prontas rumo ao Brasil. É o caso da Axalta e Basf, que produzem resinas e tintas para automóveis.

Conforme noticiou Oeste, a iniciativa privada está descontente com o governo de esquerda, que tem ameaçado estatizar corporações em dificuldade, a exemplo da Vicentín.

Estudo Dominical – Política e o Pecado Original

Pb. Vitor Grando



Título e Vídeo: Igreja Presbiteriana do Bairro Imperial, 12-7-2020

Ministro da Defesa reage aos ataques de Gilmar Mendes

“As Forças Armadas têm compromisso com a saúde e com o bem-estar de todos os brasileiros”, garantiu Fernando Azevedo e Silva

Cristian Costa

O ministro da Defesa (MD), Fernando Azevedo e Silva [foto], respondeu ontem aos ataques do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes. Conforme noticiou Oeste, o juiz afirmou, em entrevista, que as Forças Armadas estão se associando ao “genocídio”, por dar sustentação ao governo do presidente Jair Bolsonaro. Além disso, afirmou que o Ministério da Saúde está vazio. “O Exército está se associando a esse genocídio”, garantiu Gilmar. “É preciso pôr fim a isso”. Contudo, Azevedo listou os feitos dos militares durante a pandemia.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

“São empregados, diariamente, 34 mil militares, efetivo maior do que o da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial, com 25.800 homens. O MD tem o compromisso com a saúde e com o bem-estar de todos os brasileiros”, escreveu o ministro em nota. Assim sendo, de acordo com Azevedo, desde março as Forças Armadas já descontaminaram 3,3 mil locais públicos; realizaram 3,2 mil ações em barreiras sanitárias; fizeram 21 mil doações de sangue; distribuíram 728 mil cestas básicas; produziram 20,3 mil de álcool em gel; entre outras ações.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 13-7-2020, 8h

“O Ministério da Defesa (MD) informa que as Forças Armadas atuam diretamente no combate ao novo coronavírus, por meio da Operação Covid-19. Desde o início da pandemia, vem atuando sempre para o bem-estar de todos os brasileiros. São empregados, diariamente, 34 mil militares, efetivo maior do que o da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Segunda Guerra Mundial, com 25.800 homens. O MD tem o compromisso com a saúde e com o bem-estar de todos os brasileiros de norte ao sul do País. A mobilização desta Pasta começou no dia 5 de fevereiro, quando foi deflagrada a Operação Regresso à Pátria Amada Brasil. Na ocasião, foram resgatados 34 brasileiros de Wuhan, na China, antes mesmo de aparecer o primeiro caso confirmado de coronavírus no Brasil, em 26 de fevereiro.

Winter pedirá o fim de inquéritos do STF e da CPMI das ‘Fake News’

Estratégia da defesa da ativista vem depois da prisão do blogueiro Luciano Ayan

Cristyan Costa

A defesa de Sara Winter [foto] vai pedir, nos próximos dias, a anulação de todos os atos do Supremo Tribunal Federal (STF) e da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News nas investigações em que ela é citada. O anúncio foi feito ontem à noite nas redes sociais da ativista pró-vida. A estratégia veio depois da prisão do blogueiro Luciano Ayan, na semana passada, em operação da Polícia Civil. Ele tem ligações com o Movimento Brasil Livre, conforme denúncia do Ministério Público de São Paulo (MPSP).


“Diante das gravíssimas denúncias do MPSP […], a defesa de Sara Winter informa que irá requerer imediatamente a nulidade de todos os atos oriundos daquela CMPI e do aludido ‘blogueiro’ e membro do MBL, e seus imediatos arquivamentos”, garantiram em nota os advogados da ativista. Winter foi presa em 15 de junho de 2020, na Operação Lumus, que investiga supostos atos antidemocráticos contra o STF. Contudo, ela foi liberada no dia 24. Assim sendo, está cumprindo prisão em regime domiciliar, com tornozeleira, em Brasília.