domingo, 27 de setembro de 2020

Notícia muito alentadora para todas as famílias

ABIM

Neste sábado (26 de setembro) o Presidente Donald Trump indicou a juíza Amy Coney Barrett [foto] para a mais alta Corte dos Estados Unidos. 


Hoje tenho a honra de nomear para a Corte Suprema uma das mentes jurídicas mais brilhantes e talentosas de nossa nação. Ela é uma mulher de realização incomparável, intelecto imponente, ótimas credenciais e lealdade inflexível à Constituição”, disse o presidente americano durante a cerimônia realizada hoje nos jardins da Casa Branca. 

Agora apenas resta a aprovação do Senado norte-americano, o que facilmente deve ocorrer, pois conta com maioria republicana (53 senadores republicanos X 47 democratas).

Amy Coney Barrett, 48 anos, nascida em New Orleans, é católica, mãe de sete filhos [foto], Emma, Vivian, Tess, John Peter, Liam, Juliet e Benjamin (dois deles são adotados) — será na história do país a primeira mãe de crianças em idade escolar a atuar na Corte Suprema dos EUA. Ela graduou-se pela Rhodes College e, em primeiro lugar da classe, pela Faculdade de Direito da Universidade de Notre-Dame (Indiana), onde lecionou por 15 anos.

Um renomado e muito respeitado professor de direito em Notre-Dame escreveu: “Amy Coney é a melhor aluna que já tive”. Atualmente é Juíza da Corte de Apelações Federal de Chicago. Ela substituirá Ruth Bader Ginsburg, falecida recentemente aos 87 anos, que era de tendência esquerdista. 

Por que é que a direita se deve demarcar de Ventura, mas a esquerda não se demarca de Louçã?

A que propósito a esquerda “exige” que a “direita” se “demarque” do dr. Ventura se a esquerda não se demarca de um populista semelhante e de um fanático mais perigoso como, digamos, o dr. Louçã? 

Alberto Gonçalves 

Contaram-me, não vi. Há dias, num debate televisivo, um sujeito, naturalmente de esquerda, mencionou as pessoas de direita, ou os conservadores (não sei ao certo), que se “demarcam” de André Ventura. E citou um ou dois exemplos. E em seguida mencionou as pessoas de direita, ou os conservadores, que não se “demarcam” de André Ventura. E citou-me a mim. 

Há aqui uma imprecisão, uma intrujice e uma demonstração de petulância. A imprecisão é situar-me na direita apenas porque não sou – Deus me livre – de esquerda. Se o termo usado foi conservador, mais disparatado ainda: não quero conservar nada, exceto o meu sossego. 

A intrujice, particularmente descarada, é sugerir a minha simpatia pelo dr. Ventura. Por acaso, e não por diretiva da esquerda, não gosto do indivíduo, um oportunista com fogachos de Messias, não gosto das ligações públicas do indivíduo, assaz desaconselháveis, e não gosto da maioria das opiniões políticas do indivíduo, crescentemente amalucadas. Felizmente, no “site” do Observador encontram-se diversos comentários, escritos e falados, que deixam claro o que penso sobre o líder plenipotenciário do Chega – e todos eles anteriores às propostas do partido para castrar os homens e as mulheres que se portam mal. Não esperei pela obsessão com os órgãos reprodutivos da espécie para perceber que aquela gente não regula. 

O principal ponto, porém, é a petulância. A que propósito a esquerda “exige” que a “direita” se “demarque” do dr. Ventura se a esquerda não se demarca de um populista semelhante e de um fanático mais perigoso como, digamos, o dr. Louçã [foto]? Todos os dias vemos gente de “direita” manifestar genuíno ou falso horror pelas ideias (pronto, pronto) do dr. Ventura. Tirando três ou quatro casos, não vejo ninguém do famoso “espaço socialista” tratar o dr. Louçã por aquilo que ele afinal é: um demagogo, um mentiroso compulsivo e principalmente um poço de apetites totalitários. 


Não há comparação entre um e outro? Talvez não, se se considerar que a capacidade do dr. Louçã em infligir danos ao país é imensamente superior à do dr. Ventura. E a vontade não é de certeza inferior. 

Não sabemos muito bem que regimes o dr. Ventura toma por modelos (suspeito que nem ele sabe). Mas sabemos demasiado bem os regimes que inspiram o dr. Louçã, e nenhum é democrático. 

A grande mentira do regime

As democracias são e foram sempre destruídas de dentro, pelos que, no poder, as viciam e empobrecem. Tenham por isso medo de quem manda, não de André Ventura.

Rui Ramos 

Um dia, estou certo, alguém achará tudo isto muito curioso. O Partido Socialista é poder em Portugal há vinte e cinco anos. Em 2020, continuamos a ver no governo os mesmos — ou os seus assessores e descendentes — que chegaram com António Guterres em 1995, e que estiveram com José Sócrates entre 2005 e 2011. 

Num quarto de século, ocuparam o Estado, agravaram a dependência da sociedade em relação ao poder político, e passaram a controlar, como mais ninguém na história deste regime, o que é feito e dito no país. Desde 2015, governam amparados pelos fãs das ditaduras de Cuba, Coreia do Norte e Venezuela. Ao princípio, repetiram os chavões do que o trabalhismo inglês chamava a “terceira via”. Agora, as suas “ideias” consistem em gastar o dinheiro europeu para financiar um Estado inviável, e em deixar passar a agenda do radicalismo norte-americano que, à esquerda, substituiu o marxismo soviético.

O resultado é um país envelhecido e estagnado, mas já com eutanásia e cada vez mais arrependido de alguma vez ter tido importância na história do mundo. Em vinte e cinco anos, ainda contribuíram para a crónica do regime com um primeiro-ministro acusado de corrupção, num caso em que aparecem implicados, em diferentes momentos, gestores de bancos e empresas, juízes de tribunais superiores, e professores universitários. O que dá ideia de que malhas se tece o império socialista em Portugal. No entanto, somos todos convidados a não reparar nisto, e a achar muito “radicais” aqueles que, violando as regras, por acaso reparam. 

É pena, porque este país socialista coloca um interessante desafio intelectual. É possível uma democracia com uma sociedade fraca e dependente do Estado, e um Estado dependente de ajudas externas, ou por outra palavras: é possível uma democracia sem verdadeira autonomia dos cidadãos e da sua comunidade política? 

É possível uma democracia com um Estado ocupado há um quarto de século por um mesmo grupo partidário, sem perspectivas de alternância, a não ser em caso de catástrofe? 

Mulheres brigam no Leblon, e uma das agredidas se explica

O WhatsApp carioca bombou com cenas de uma briga de mulheres no Leblon na noite de sexta-feira, 25 de setembro

Quintino Gomes Freire 

Estourou no WhatsApp dos cariocas neste sábado, 26/9, uma briga, ou melhor, um princípio de briga na Dias Ferreira, no Leblon. Na filmagem, feita por celular, duas mulheres e um homem se beijam em um carro conversível, enquanto populares gritam e batem palmas. 

Até aí, mais um dia no Rio de Janeiro, até que alguém em um bar joga copos em uma das mulheres. A agredida se levanta, vai ao bar e estapeia a agressora Aline Araújo, que usou seu Instagram @amearquitetura para se defender. 

Aline diz que era atentado ao pudor, um filme pornô às 20h da noite na Dias Ferreira. E que ela realmente jogou a água, afinal estava com crianças e família no restaurante. Ainda diz que elas seriam prostitutas. 

De acordo com a coluna de Leo Dias no jornal Metrópoles, uma das mulheres é Sheila, empresária do ramo de estética e que possui clínicas no Rio e em Curitiba, e estava com um amigo e uma amiga. De acordo com o sócio dela, Rafael, não é crime os três se beijarem, que estavam de roupas de banho por estarem saindo da praia, o que não é crime. E o que Sheila fez foi defender sua honra após ser xingada. E ainda negou as insinuações que ela seria garota de programa. 

Quem tem razão? As pessoas dentro do carro que se beijavam? Quem jogou um copo por não estar gostando? Ou ninguém tinha razão? 

Título e Texto: Quintino Gomes Freire, Diário do Rio, 26-9-2020

As descobertas da vida

Nelson Teixeira

A vida é cheia de encantos e desencantos, com derrotas e vitórias, cheia de erros e acertos, enganos e descobertas. 

Cabe a cada um pegar para si o aprendizado e o conhecimento adquirido e fazer de todas as oportunidades uma grande biblioteca pessoal, para com força e determinação trilhar caminhos nos quais tudo que foi adquirido de bom e de ruim seja um grande aprendizado. 

Somos todos aprendizes e tudo o que for de bom é instrumento do Alto que nos é dado para continuar a crescer e evoluir, e se acontecimentos ruins surgirem, é lição de Deus para que nos tornemos melhores em busca da melhora interior. 

Há tempo de florescer e desabrochar e com isso transbordar em nosso íntimo a grandiosidade de viver intensamente.

Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 27-9-2020

[As danações de Carina] Quase

Carina Bratt 

Para Luiz Fernando Veríssimo a quem atribuíram um ‘Quase’, que ele jura, de pés juntos, nunca escreveu. 

Não fosse por ele, o QUASE, eu não estaria mais aqui. Acho que em lugar nenhum. Ao menos, respirando, sorrindo, curtindo e vendo a vida em toda a sua totalidade e plenitude, beleza e graça, formosura e elegância. Não fosse por ele, Meu Deus!... 

Não fosse por ele, o QUASE, com a sua velhacaria e altivez, sua percepção e esperteza, sua dedicação e carinho, agora, neste momento, eu estaria sozinha, solitária, vagando feito uma peregrina desmiolada nos trópicos malditos. 

Certamente, para variar, com o coração em frangalhos, batendo descompassado, desvairado numa espécie de arritmia tresloucada, como uma palpitação desconexa, sem saber o que fazer, que atitude tomar, e pior de tudo, por qual caminho seguir e o mais importante ainda: como ir em frente, avançar, seguir, seguir, seguir e seguir... 

Exatamente seguir. Eis o ponto. Seguir, caraca, para onde?! Foi e quero crer nisto. Foi por ele, foi por ele sim, pelo QUASE, num raro momento de conformação interior que consegui me manter em pé. 

Algo, reconditado em meu interior, que deveria ter se apagado, permaneceu inalterado, intocadamente camuflado. Em nenhum momento se melindrou, nem se feriu, como aquela florzinha virgem, ainda não totalmente socializada pelo frescor de outras plantas do imenso jardim que floresce e cerca a nossa primavera de modo particular. 

Todas nós temos uma primavera eterna em nossas vidas. Apenas, por questões outras, pela miopia catastrófica da nossa cegueira, não conseguimos divisar ou entrever, perceber e descortinar de uma vez para sempre, como seria o certo e o justo. 

sábado, 26 de setembro de 2020

Une minorité d'Américains soutient désormais le mouvement racialiste et violent Black Lives Matter

Le soutien aux militants antiracistes s'est effondré depuis juin. L'image violente désormais associée à ces manifestations expliquerait cette bascule.

 Valeurs Actuelles

 Le soutien de la population américaine aux manifestations du mouvement racialiste Black Lives Matter s'écroule. En effet, selon une information rapportée par Le Daily Mail, un sondage d'opinion effectué par l'Associated Press et l'université de Chicago entre le 11 et le 14 septembre démontre que seulement 39% des Américains approuvent désormais les manifestations, contre 54% en juin.  

Un tiers des Américains pense que les manifestations Black Lives Matter « souvent ou toujours violentes » 

Photo: Stephen Lam/Reuters

Christian Davenport, politologue à l'université du Michigan, met ce basculement de l'opinion sur le compte de la fatigue compassionnelle. Il estime effectivement qu'une fois l'indignation pour des vidéos telles que celles de George Floyd passée, la population veut revenir à son quotidien. Cela se traduit dans les chiffres : 44% des Américains sondés se montrent désapprobateurs à l'encontre des manifestations Black Lives Matter. La bascule de l'opinion se situe également au niveau de la perception de la violence, puisque quasi un tiers des Américains soutient que les manifestations sont désormais « souvent ou toujours violentes », contre 22% il y a trois mois. 

La colère pour Breonna Taylor pas prise en compte

Ce sondage intervient alors que les manifestants antiracistes et racialistes du mouvement Black Lives Matter sont galvanisés par le jugement d'un des policiers responsables du décès de Breonna Taylor. L'infirmière afro-américaine a été tuée par balle chez elle, lors d'une intervention policière. Le policier mis en cause n'a été reconnu coupable que pour « mise en danger de la vie d'autrui », car des balles ont touché le mur des voisins. Jugée injuste par les militants antiracistes, cette décision a provoqué des manifestations qui ont donné lieu à de violentes confrontations avec la police. Il est donc à souligner que l'affaire Breonna Taylor n'a pas été prise en compte lorsque le sondage a été effectué. Enfin, même au sein de la communauté noire, la situation évolue. Alors que 44% des Afro-américains pensaient « presque toutes » les manifestations Black Lives Matter « pacifiques », ils ne sont plus que 35% depuis ce mois-ci.  

Titre et Texte: Valeurs Actuelles, Samedi 26 septembre 2020 à 16h18

Qui est Amy Coney Barrett, l’érudite, femme de foi, catholique et mère de 7 enfants choisie par Trump pour la Cour suprême


En un mot, elle est la candidate conservatrice parfaite. Pourquoi ? Pour commencer, parce que les médias et la gauche la vomissent et la couvrent d’insultes. Voyons pourquoi.

Jean-Patrick Grumberg 

Le président Trump a choisi la juge Amy Coney Barrett (ACB), la candidate favorite des conservateurs, pour succéder à la juge Ruth Bader Ginsburg, et il va tenter d’obtenir une confirmation du Sénat avant le jour des élections, le 3 novembre prochain. 

En un mot, elle est la candidate conservatrice parfaite. Pourquoi ? Pour commencer, parce que les médias et la gauche la vomissent et la couvrent d’insultes. Voyons pourquoi.

Le président Trump a choisi la juge Amy Coney Barrett (ACB), la candidate favorite des conservateurs, pour succéder à la juge Ruth Bader Ginsburg, et il va tenter d’obtenir une confirmation du Sénat avant le jour des élections, le 3 novembre prochain. 

Trump n’a pas interviewé d’autres candidates, il a eu deux jours de réunions avec elle cette semaine, et s’est déclaré impressionné par ce juriste dont on lui avait dit qu’elle serait une « Antonin Scalia femme », en référence au célèbre juge conservateur dont elle avait été greffière. 

Trump a rencontré Barrett à la Maison-Blanche lundi et mardi dernier, et il a été rapporté qu’il l’appréciait personnellement. Il n’a interviewé personne d’autre pour ce poste. En 2018, lors du choix de Brett Kavanaugh, il aurait dit à des proches qu’il la « gardait pour Ginsburg ». 

« Je n’ai pas dit que c’était elle que j’ai choisie, mais elle est exceptionnelle », a déclaré Trump aux journalistes vendredi. 

La sélection d’une catholique fervente va dynamiser sa base politique conservatrice, mais elle pourrait aussi réveiller les électeurs de gauche qui craignent que sa confirmation ne sonne le glas de Roe v. Wade, la décision légalisant l’avortement, ainsi que d’autres arrêts populaires auprès de la gauche politique. Il est important de noter qu’aux Etats-Unis, le sujet de l’avortement est très vivant, et qu’il divise le pays. Il faut ajouter que si Roe v. Wade était un jour annulé, et bien l’avortement ne serait pas interdit pour autant, mais il dépendrait alors de la décision de chaque Etat, et non plus de la loi fédérale. Ca, les médias se gardent bien de le dire, il préfèrent la démagogie, ils préfèrent effrayer l’électorat peu informé. 

Il me faut préciser aussi que tout ce que les progressistes détestent chez Barrett, un héros du mouvement anti-avortement, se retrouve en miroir dans ce que les conservateurs détestaient chez Ginsburg. Aussi, plus elle est traînée dans la boue par la gauche, plus cela traîne Ginsburg dans la boue, en symétrie. 

En substance, Trump n’aurait pas pu trouver un opposé plus parfait à Ginsburg. 

·         Si elle est confirmée, ACB, 48 ans, sera le plus jeune membre de la Cour actuelle, ainsi que la sixième catholique.

·         Elle deviendra la troisième personne nommée par le président Trump à la Cour suprême.

·         Barrett est diplômée de la faculté de droit de Notre-Dame.

·         Elle a été stagiaire auprès du juge Scalia et partage ses vues constitutionnelles. Elle en a aussi été la greffière.

·         Elle est décrite comme une textualiste qui interprète la loi en se basant sur ses termes plutôt que de chercher à les détourner pour en faire des lois nouvelles, contrairement à Ginsburg.

·         C’est une originaliste qui applique la Constitution telle qu’elle a été comprise par ceux qui l’ont rédigée et ratifiée.

·         Elle a été juge pendant trois ans, nommée par M. Trump à la Cour d’appel des États-Unis pour le septième circuit en 2017.

Os intelectuais e a sociedade

Intelectuais ignoram que há mais sabedoria na população em geral do que num indivíduo qualquer, por mais inteligente que ele seja 


Rodrigo Constantino 

Em minha humilde opinião, Thomas Sowell é um dos principais pensadores vivos. Sua capacidade de sintetizar seus argumentos e derrubar falácias é ímpar, e isso torna a leitura de seus livros extremamente prazerosa e enriquecedora para nossas reflexões. Entre as melhores obras está, sem dúvida, Intelectuais e Sociedade, que pretendo resumir a seguir. 

Algumas expressões usadas em debates políticos já se tornaram indissociáveis de Sowell, e uma das que mais gosto é “a visão dos ungidos”. Sowell lida com o “conflito de visões” entre aqueles que adotam uma premissa mais utópica da natureza humana e aqueles mais realistas, que entendem que somos seres limitados, não com elasticidade infinita numa tábula rasa. 

O primeiro grupo costuma cair na “tirania da visão”, em que suas crenças valem mais do que os fatos. Isso leva ao “monopólio das virtudes”, uma tática desleal de debate, pois considera o oponente com base em suas supostas intenções malignas, não seus argumentos. É muito comum, nas elites intelectuais, essa visão arrogante, e é disso que o livro trata. 

Ele alega que provavelmente nunca na história houve uma época em que intelectuais exerceram um papel maior na sociedade. Antes é preciso definir o que Sowell entende por intelectuais. 

Intelectual, aqui, é aquele que vive das ideias. Intelectual não é o mesmo que sábio, já que sabedoria é aquela rara qualidade de combinar intelecto, conhecimento, experiência e julgamento para produzir uma compreensão coerente do mundo. Sabedoria requer autodisciplina e a apreensão da realidade, incluindo os limites da experiência pessoal e da própria razão. Intelectuais, como uma categoria ocupacional, são os indivíduos que lidam com ideias, como escritores, acadêmicos, ativistas políticos e jornalistas, e eles não necessariamente demonstram tal habilidade. 

Intelectuais ganham notoriedade por visões políticas e ideológicas, mesmo quando a fonte de sua expertise é bem diferente 

O grande problema, na verdade, é justamente o abismo entre a intelligentsia e a sabedoria, uma vez que esses intelectuais adotam critérios internos de “validação” para suas ideias, que passam a não depender do feedback do mundo real externo, o que permite uma forma circular que retroalimenta certas crenças mesmo quando absurdas. Se um engenheiro projetar uma ponte de forma equivocada, ela não fica de pé. Se um intelectual defender uma ideologia nefasta, ele sempre pode encontrar bodes expiatórios para transferir a responsabilidade pelos fracassos do experimento. “Deturparam Marx”, dizem os crentes insistentes a cada nova desgraça marxista. 

Vacina contra ditadura

Na ONU, Trump fez o que todo mundo com juízo deveria ter feito — e não fez, sabe-se lá por que mistério das escrituras empáticas 


Guilherme Fiuza 

Donald Trump levantou suspeita contra a China na ONU. O presidente norte-americano aproveitou a Assembleia-Geral das Nações Unidas para reivindicar a responsabilização do governo chinês pelos danos planetários decorrentes da pandemia. Isso é um absurdo. 

É um absurdo que só Trump tenha feito isso. O que houve com as democracias verdadeiras? Quem as amordaçou? Quem comprou o seu silêncio? 

A ditadura chinesa é hoje o maior caso de sucesso da história do marketing mundial. Países e cidadãos supostamente livres — comprometidos cultural e institucionalmente com o valor da liberdade — paparicam o regime brutal da China. Seu capitalismo pirata, que não dá satisfação a ninguém sobre as regras básicas de direitos humanos e condições de produção, é saudado como locomotiva da modernidade do século 21. Contando ninguém acredita. 

O presidente dos Estados Unidos da América está implicando com um regime comunista para criar uma batalha ideológica? Não. Ele está denunciando um regime ditatorial que escondeu a propagação de um vírus altamente contagioso nascido e criado em seu território. Um regime que só admitiu a existência desse vírus e a sua transmissão entre humanos quando o contágio já tinha ultrapassado as suas fronteiras — o que transformou um surto em pandemia. Um regime que censurou os que ousaram alertar a sociedade sobre o coronavírus — e assim transformou o mundo inteiro em vítima desse flagelo. 

Fique em casa. Por quê? Porque a Lady Gaga mandou, depois de combinar um show com o Tedros Adhanom 

A China é o único dos grandes países com crescimento econômico em 2020. Impressionante. A China manda na Organização Mundial da Saúde. Vamos repetir: a ditadura chinesa, essa que escondeu um vírus novo e assim gerou uma pandemia, manda na Organização Mundial da Saúde. Da Saúde! E veio dessa magnífica referência a diretriz inédita e assombrosa de mandar a humanidade inteira se trancar em casa para fugir do vírus. O vírus ignorou o delírio totalitário e seguiu sua carreira normalmente.

A suprema corte e o abuso do poder

Quando juízes se tornam “superlegisladores”, as instituições se fragilizam e a sociedade perde a fé no sistema democrático


Ana Paula Henkel
 

A última eleição presidencial norte-americana talvez tenha sido uma das mais polarizadas da história — provavelmente até esta próxima, marcada para 3 de novembro. Das primárias de ambos partidos não saíram os candidatos que muitos republicanos e democratas esperavam, e a eleição de 2016 ficou marcada como “uma eleição entre dois candidatos ruins”. 

Donald Trump venceu e, depois de quase quatro anos como presidente, o milionário que nunca foi político — um outsider como é chamado — ganhou uma legião de eleitores, principalmente por causa de boas políticas públicas de seu governo. Muitos daqueles que votaram no republicano escolheram ignorar seus tuítes malcriados simplesmente porque o país estava de vento em popa. Antes da devastadora pandemia que atingiu o mundo, os bons índices da economia norte-americana atingiram patamares históricos, com o nível de desemprego entre os mais baixos da história, principalmente entre negros e latinos. 

Mas não foi apenas a experiência na economia e em negociações, ou o fato de que Hillary Clinton era uma péssima candidata para os democratas, que elegeu Donald Trump como o 45º presidente norte-americano. Alguns eleitores nada trumpistas em 2016 pensaram longe, focaram “a floresta e não a árvore”, como dizem por aqui, e isso tem uma sigla: Scotus (Supreme Court of the United States), a Suprema Corte Americana. 

Em seu último ano na Presidência, em 16 de março de 2016, Barack Obama teve a chance de nomear um juiz para a Suprema Corte, Merrick Garland, para suceder a Antonin Scalia (nomeado por Ronald Reagan), que havia morrido um mês antes. Na época, comentaristas políticos e historiadores reconheceram amplamente Scalia como um dos membros mais conservadores do tribunal e observaram que — embora muitos considerassem Merrick Garland um centrista — um substituto menos conservador poderia mudar o equilíbrio ideológico do tribunal por muitos anos no futuro. A confirmação de Garland daria aos democratas uma maioria na Suprema Corte pela primeira vez desde 1970. Com maioria no Senado em 2016, os republicanos não votaram a indicação de Obama e a decisão que pesaria na balança ideológica da Scotus ficou para o presidente eleito em novembro daquele ano. 

Um bom número de eleitores votou em Trump para equilibrar a “balança” da Suprema Corte, que pendia para o lado progressista 

Com uma mancha ativista nos autos, o famoso caso Roe vs Wade, processo usado pela Suprema Corte norte-americana para legalizar o aborto em 1973, muitos cristãos, republicanos e democratas pró-vida taparam o nariz em 2016, miraram na floresta e ajudaram a eleger Donald Trump. O principal motivo, de acordo com uma pesquisa em 2017, foi exatamente o pensamento voltado para o tribunal mais alto nos EUA: resgatar a maioria na corte e trabalhar para reverter a lei que nasceu de um ativismo judicial, e que já interrompeu a vida de quase 60 milhões de bebês desde 1974. 

Papa fala em ‘perigosa situação da Amazônia’ e vira piada na ‘web’

Francisco discursou na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas

Reprodução Twitter
Anderson Scardoelli 

O Papa Francisco acredita que a região amazônica corre perigo. Em discurso gravado para a 75ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o líder mundial da Igreja Católica lamentou os supostos problemas enfrentados pela Amazônia. O conteúdo foi divulgado na manhã desta sexta-feira, 25. 

“Penso na perigosa situação da Amazônia e dos povos indígenas que vivem lá”, disse Francisco. “A crise ambiental é intimamente ligada à crise social e que o cuidado com o ambiente exige uma abordagem abrangente para lidar com a pobreza e combater a exclusão”, prosseguiu, conforme informa o site G1. Apesar de argentino, ele não comentou a condição social de seu país. 

A postura adotada junto à ONU fez com que Francisco se tornasse alvo de piadas na internet. Por ter de forma indireta reclamado do governo do Brasil — país que conta com a maior parcela da floresta amazônica — e ignorado problemas sociais de Argentina e Venezuela, por exemplo, ele virou um dos temas mais comentados no decorrer do dia entre usuários brasileiros do Twitter. 

Delator diz que governador em exercício do Rio participava de desvios

Em delação, o ex-secretário de Saúde conta que esteve no gabinete do presidente da Alerj, André Ceciliano (PT), para tratar do assunto 

Redação Oeste 

O ex-secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro Edmar Santos afirmou, em sua delação premiada, que o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), André Ceciliano (PT-RJ), deixou claro que parte dos R$ 100 milhões doados pelo Legislativo para o combate ao coronavírus seria desviada em um esquema de transferência de valores a prefeituras do interior, sob a influência dos deputados da Casa. A informação é do jornal O Globo.

De acordo com Edmar, o dinheiro da propina seria dividido com o então vice-governador, Cláudio Castro [foto], que substituiu Wilson Witzel no cargo, e com o ex-secretário estadual da Casa Civil André Moura (PSC). Moura hoje atua no escritório de representação do estado em Brasília. 

Foto: Alexandre Pontes/Estadão Conteúdo

Na delação, Edmar conta que esteve no gabinete de Ceciliano para tratar do assunto. Toda a movimentação de recursos seria estruturada em cima de excedentes dos duodécimos da Alerj — valor transferido pelo Tesouro Estadual para o custeio do órgão. 

Diante das dificuldades de caixa do Executivo, a Assembleia propôs doar as sobras. Mas, agora, o ex-secretário de Saúde alega ter sido uma manobra para beneficiar o esquema de desvio de verbas da Saúde durante a pandemia. 

Título e Texto: Redação, revista Oeste, 26-9-2020, 11h33

Acumulada, Mega-Sena deve pagar R$ 50 milhões neste sábado

Apostadores podem fazer seus jogos até as 19h 


Agência Brasil

O Concurso 2.303 da Mega-Sena sorteia neste sábado (26) o prêmio acumulado de R$ 50 milhões. 

As seis dezenas serão sorteadas a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo. 

Ainda neste sábado, serão sorteadas as modalidades Timemania, com prêmio estimado em R$ 3,7 milhões; Loteca, com prêmio previsto de R$ 1,4 milhão; Dia de Sorte, com previsão de R$ 700 mil, e Dupla Sena, com prêmio estimado em R$ 600 mil. 

Os apostadores podem fazer seus jogos até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país, ou pela internet. 

Caso apenas um ganhador leve o prêmio da Mega-Sena e aplique todo o valor na poupança, receberá cerca de R$ 57 mil em rendimentos mensais. Se ele optar por investir na venda de combustíveis, poderá abrir 75 postos de gasolina a um custo de R$ 285 mil cada. 

A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 4,50. 

Título e Texto: Agência Brasil; Edição: Graça AdjutoAgência Brasil, 26-9-2020, 8h06

Estação Aeroporto Jacarepaguá tem cabos e portas furtadas durante a madrugada

Este é o segundo dia consecutivo que uma estação de BRT é vandalizada. Nesta quinta, a estação morro do Outeiro teve furtos e equipamentos destruídos 


Larissa Ventura 

Mais uma vez o BRT Rio foi alvo de criminosos. Na madrugada desta sexta-feira (25/9) a estação Aeroporto Jacarepaguá, no corredor Transcarioca, teve cabos dos circuitos de iluminação e portas furtados. Recentemente, o local havia recebido reforço de iluminação, como parte do cronograma de melhorias que vem sendo realizado desde junho. 

Um dia antes, bandidos já haviam destruído equipamentos e furtado fios de cobre, cabos do quadro elétrico e o vidro da bilheteria da estação Morro do Outeiro, no trecho Transolímpica. Esta foi a quarta vez que criminosos vandalizaram o local em um mês. 

Cerca de 100 estações foram vandalizadas e/ou furtadas desde abril. Atualmente, o BRT Rio tem um total de 35 estações fechadas devido a esses tipos de crimes. As que foram fechadas em razão da pandemia também acabaram sendo depredadas e não apresentam condições para a reabertura. 

Trilhando caminhos

Nelson Teixeira 

E quando houver tristeza que a felicidade ocupe o seu lugar; 

E quando houver derrotas, que surja a força para levantar-se e continuar; 

E quando houver desavenças, que o equilíbrio seja utilizado de forma a compreender aquele que ainda não sabe perdoar; 

E quando houver a raiva, que façamos o exercício do perdão, pois somente perdoando verdadeiramente que poderemos ser perdoados; 

E quando houver barreiras, que a confiança e a fé sejam os escudos para serem vencidas; 

E enquanto formos firmes e seguros no caminho que queremos trilhar, sempre haverá oportunidades para seguirmos adiante seguros e firmes no propósito de sermos melhores. 

Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 26-09-2020

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Resumo da semana: A inveja dos argentinos, Bolsonaro pop e vendo lenços

Que país é este - entrevista com Helena Matos

Metade dos brasileiros aprova jeito de Bolsonaro governar, diz Ibope

Pesquisa encomendada pela CNI mostra que aprovação ao seu governo alcança maior percentual desde o início do mandato

R7 

A maneira de governar do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem a aprovação de 50% da população brasileira, de acordo com pesquisa do Ibope, encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), divulgada nesta quinta-feira (24). 

Foto: Marcos Corrêa/PR

O resultado representa um aumento de 9 pontos percentuais em relação aos 41% atingidos em dezembro de 2019, data da última pesquisa. O índice de desaprovação é de 45% e 5% não sabem ou não responderam. 


Os brasileiros que avaliam seu governo como ótimo ou bom são 40%, maior percentual desde o início de seu mandato. Os que consideram regular passaram de 31% para 29%. Já a queda entre os que acham ruim e péssimo foi de 38% para 29%. 

O índice daqueles que confiam cresceu de 41%, em dezembro de 2019, para 46%, em setembro de 2020. O percentual é inferior ao apurado no início do governo, em abril de 2019: 51%. Os que não confiam são 46% e 3% não sabem ou não responderam. 

Bolsonaro vira “judas de sábado de aleluia” para a militância ambientalista

J.R. Guzzo 

O Brasil não tem nenhum problema de verdade com a Amazônia, o Pantanal e o restante das regiões de vegetação nativa que cobrem uma extensão tão grande do território nacional. É o exato contrário. Os agricultores brasileiros podem dar lições ao resto do mundo em matéria de preservação do ambiente em que trabalham e produzem. 

O Exército Brasileiro é um exemplo de competência, eficácia e empenho na defesa da floresta amazônica – sem ele, a região já teria virado há muito tempo um amontoado de enclaves tão sem lei como as favelas do Rio de Janeiro – entregues ao tráfico de drogas, à mineração clandestina, ao corte ilegal de madeira e outras desgraças. Todo cidadão que já saiu um dia do seu asfalto natal sabe que as leis brasileiras estão entre as mais rigorosas do mundo no controle das alterações que afetam a natureza. 

O que o Brasil tem – mas, aí, tem que não acaba mais – é um problema na sua imagem internacional em matéria de ecologia. O nome deste problema é Jair Bolsonaro. 

O problema não é que o presidente viva tocando fogo na Amazônia ou no Pantanal, caçando onça ou garimpando diamante – nunca fez nada disso, nem deixa fazer, mas é Bolsonaro, e sendo quem é, sempre servirá de judas de sábado de aleluia para a militância ambientalista do mundo inteiro. Pode passar o resto da vida plantando uma árvore por dia; não vai adiantar nada.

As ONGs, os partidos verdes, as universidades de país rico, a mídia internacional etc., etc., querem usar Bolsonaro como uma bandeira para as suas causas, ou para defesa dos seus interesses. Não vão mudar de ideia só por estarem dizendo uma mentira. Na verdade, acharam no presidente do Brasil uma figura ideal, que junta a sua fome com a sua vontade de comer. 

Querem guerrear contra Bolsonaro porque ele é de direita – e aí clamam pelo santo nome das florestas para turbinar a sua ação política. Querem manter viva a pregação ecológica, com boas ou más intenções – e aí se servem da imagem direitista do presidente para construir uma espécie de Coringa pró-destruição do planeta. Sempre é uma mão-na-roda ter um satanás para promover o evangelho. 

Cristofobia é um problema sério no mundo. Ponto para Bolsonaro


Alexandre Garcia
 

Cristofobia existe sim

Parece que os jornalistas não ouviram ou não leram o discurso do presidente na abertura da Assembleia Geral da ONU. Eu percebi isso em diversos canais de comunicação, como rádio, jornal e televisão. 

Em determinado momento, Bolsonaro disse: “faço um apelo a toda comunidade internacional pela liberdade religiosa e pelo combate à cristofobia”. Levando como base essa frase, a imprensa falou que não existe cristofobia no Brasil. 

Mas o presidente não falava no Brasil e sim na comunidade internacional, em locais onde há intolerância religiosa. São 260 milhões de cristãos que sofrem perseguição muito séria mundo afora. Como em países africanos, no Oriente Médio, na Índia, na China, na Coreia do Norte e até no Chile. 

Se a gente for falar no Brasil, há ataques a cultos de religiões de matriz africana, há ataques contra cristãos em manifestações de rua, com pessoas nuas que usam o crucifixo e a imagem de Nossa Senhora, e há ainda preconceito de muita gente da mídia contra os evangélicos por razões políticas e ideológicas. 

Título e Texto: Alexandre Garcia, Gazeta do Povo, 23-9-2020, 21h30

Comentaristas analisam live de Jair Bolsonaro de 24 de setembro

Título e Vídeo: Os Pingos nos Is, 24-9-2020 

Relacionados:

[Foco no fosso] Evitar caos nos dedos

Haroldo Barboza 

No início do século XXI, tive a satisfação de ver meu artigo “Falência orquestrada da Educação e Cultura” ser publicado na coluna do editor-chefe (e dono) da Tribuna da Imprensa (RJ) Hélio Fernandes. Creio que na época, cerca de 8000 leitores passaram os olhos na matéria, que precisou ser dividida em dois dias seguidos. 

O Mestre Hélio Fernandes (que não conheci pessoalmente) chegou a comentar que tal artigo deveria ser lido pela CPI da época (sobre a Educação) ANTES de prosseguirem com os trabalhos em pauta. 

Imaginando ser o “vidente” do século, a seguir cheguei a escrever para o gabinete do Ministro da Educação (Buarque de Holanda) que demonstrava sua preocupação com nossos herdeiros (e com o país). 

Cheguei a receber resposta ao e-mail (talvez dada por um Assessor dele) afirmando que o Ministério estava alinhado com minhas colocações. Então tolamente imaginei que finalmente grades e conteúdos seriam alterados para criar um ambiente eficaz de aprendizado coletivo. 

Meu entusiasmo foi esfriando com o passar dos anos. Recebendo um balde de água gelada, quando o Ministro Gilberto Gil (2005) afirmou que ”Nosso governo é omisso na área de Educação”. E ficou por isso mesmo. 

E mesmo os depoimentos claros, corajosos e emocionados das Professoras Amanda Gurgel (RN) e Vanessa Storrer (Curitiba), não foram capazes de alimentar a chama da indignação de pais observando o tipo de ensino destinado aos nossos herdeiros. 

Justiça condena revista a indenizar Olavo de Carvalho

Publicação retratou o filósofo como bobo da corte e ‘imbecil’ 

Cristyan Costa 

Condenada por danos morais, a revista IstoÉ terá que pagar R$ 25 mil ao professor e filósofo Olavo de Carvalho [foto]. A publicação estampou na capa de uma edição de 2019 o rosto do escritor fantasiado de bobo da corte. Além disso, o título o identificava como “imbecil”, referência que faz alusão ao Imbecil Coletivo, livro de Carvalho que se tornou best-seller. O juiz da 4ª Vara Cível de SP Renato Simões entendeu que a revista excedeu a “crítica jornalística, caracterizando claro abuso do direito da liberdade de imprensa” ao tentar retratar Olavo como pessoa “de curta inteligência”. 

Na ação movida pela defesa do filósofo, o advogado João Vinicius Mansur sustentou que a publicação atingiu “a própria liberdade de expressão do autor”, já que ele se utiliza “de um canal no Twitter para comentar notícias e expor sua opinião de forma respeitosa. Porém, essas ações foram distorcidas pela revista, que o intitulou de ‘imbecil’ por influenciar politicamente a vida de seus seguidores”. ​Mansur argumentou ainda que Olavo de Carvalho “é jornalista reconhecido internacionalmente, contando com diversas condecorações, além da autoria de vários livros”. 

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 25-9-2020, 9h

Polícia prende suspeitos de furtar estátuas em praças do Rio

Ação aconteceu na madrugada desta quinta-feira. Houve troca de tiros. Dois homens foram detidos e outros dois fugiram 

Larissa Ventura 

Dois suspeitos de furtar estátuas e outros materiais, em sua maioria feitos de bronze, em praças do Rio foram presos por policiais da 6ª DP, Cidade Nova. A ação aconteceu na madrugada desta quinta-feira (24/9), no Centro da cidade. 

No local, foram encontrados quatro homens praticando o furto na praça, que estava fechada no momento da ação. Houve troca de tiros entre os suspeitos e os agentes. Dois homens foram detidos e outros dois fugiram, sendo que um deles foi em direção ao Morro da Providência. 

Segundo o delegado Túlio Pelosi, titular da 6ª DP, os objetos furtados têm valor histórico, sendo a maioria de bronze. De acordo com as investigações, os suspeitos agiam durante a madrugada, mediante a arrombamentos dos locais para a prática criminosa. 

Na operação desta madrugada, foram apreendidos uma estátua, uma cabeça, uma plana e um canhão, todos de bronze. Estes foram: a cabeça de Rosária Trotta, mãe de Frederico Trotta, militar e político brasileiro; a estátua de uma criança em homenagem a Álvaro Dias, professor da Igreja Presbiteriana; um canhão original utilizado na Guerra do Paraguai; e uma placa em bronze. 

Estátua de uma criança em homenagem a Álvaro Dias, foto: Divulgação/Polícia Civil

Os suspeitos utilizavam uma kombi para o transporte do material furtado. Segundo o delegado, os objetos seriam levados para um ferro velho, próximo ao Morro da Providência. 

Título e Texto: Larissa Ventura, Diário do Rio, 25-9-2020

Governo libera entrada de estrangeiros em todos os aeroportos do país

Entrada por rodovias e por outros meios terrestres continua restrita 

Andreia Verdélio 

O governo federal autorizou a entrada de estrangeiros, de qualquer nacionalidade, em todos os aeroportos do Brasil. A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União de ontem (24) e prorroga, por 30 dias, a restrição à entrada de estrangeiros “por rodovias, por outros meios terrestres ou por transporte aquaviário.” 

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Em julho, o governo já havia liberado parcialmente a entrada de estrangeiros por via aérea, mantendo a restrição nos aeroportos de Mato Grosso do Sul, da Paraíba, de Rondônia, do Rio Grande do Sul e do Tocantins. Já no mês passado, a restrição atingiu os aeroportos nos estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, do Rio Grande do Sul, de Rondônia, Roraima e do Tocantins. 

Desde que os voos internacionais e a entrada de estrangeiros por outras vias foram restringidos em março, em razão da pandemia da covid-19, o governo vem avaliando, mês a mês, as medidas que devem ser mantidas. 

A entrada por estrangeiros por via aérea está permitida desde que obedecidos os requisitos migratórios adequados à sua condição, inclusive o de portar visto de entrada, quando este for exigido. Aqueles que vierem ao Brasil para viagem de curta duração, de até 90 dias, deverão apresentar à empresa aérea, antes do embarque, comprovante de aquisição de seguro válido no Brasil, para gastos de saúde. 

Ataque com faca deixa quatro feridos em Paris

Segundo a polícia, um suspeito foi preso 

Reuters 

O premiê francês, Jean Castex, disse nesta sexta-feira (25) que quatro pessoas ficaram feridas em um ataque à faca que ocorreu nas proximidades da antiga sede da revista satírica Charlie Hebdo, em Paris, e a polícia afirmou que um suspeito foi preso. 

Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

Uma fonte policial havia dito anteriormente à Reuters que dois dos quatro feridos corriam risco de morte. 

“Eu estava no meu escritório. Ouvi gritos na rua. Olhei pela janela e vi uma mulher que estava deitada no chão e havia levado uma pancada no rosto do que possivelmente era um facão”, disse uma testemunha à rádio Europa 1. 

“Eu vi um segundo vizinho no chão e fui ajudar.” 

A polícia de Paris informou que uma pessoa foi presa perto da Ópera da Bastilha. 

Uma fonte policial disse que um facão foi encontrado no local. Outras fontes da afirmaram que um cutelo foi encontrado na região. 

Brasil adere a aliança para aceleração da vacina contra a covid-19

Governo liberou R$ 2,5 bilhões para viabilizar ingresso ao grupo 

Agência Brasil 

O governo federal anunciou nesta quinta-feira (24) a adesão ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 (Covax Facility), ação administrada pela Aliança Gavi e a liberação de cerca de R$ 2,5 bilhões para viabilizar o ingresso do Brasil nesta iniciativa. A adesão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União

Segundo o governo, os países são convidados a participar do grupo e poderão se beneficiar, ao ter garantido o acesso ao fornecimento das vacinas disponibilizadas por meio da Covax Facility.

 Dessa forma, espera-se que o Brasil possa comprar imunizantes para garantir a proteção de 10% da população até o final de 2021, o que permite atender populações consideradas prioritárias. 

A adesão permitirá o acesso ao portfólio de nove vacinas em desenvolvimento, além de outras em análise. Com a diversificação de possíveis fornecedores, aumentam as chances de acesso da população brasileira à vacina no menor tempo possível. Caberá à Covax Facility negociar com os fabricantes o acesso às doses das vacinas em volumes especificados, os cronogramas de entrega e os preços. 

Salles: falta de manejo preventivo potencializou queimadas no Pantanal

Ministro participou de live semanal do presidente Jair Bolsonaro

Pedro Rafael Vilela

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse nesta quinta-feira (24), durante a live [vídeo abaixo] semanal do presidente Jair Bolsonaro, que a falta de manejo preventivo do fogo potencializou as queimadas registradas no Pantanal em 2020. O bioma é a maior planície alagada do planeta, com mais de 150 mil quilômetros quadrados. Os incêndios, este ano, já destruíram mais de 3 milhões de hectares na região.

"Quando você, fora do período seco, fora do período quente, coloca fogo de propósito e de maneira controlada pra diminuir a quantidade de matéria orgânica, resto de folha, galhos, enfim, se você não faz isso durante dois anos, que é o que vem acontecendo lá, aquele material vai se acumulando e secando de tal forma que, quando pega fogo, pega fogo numa proporção que é muito difícil de controlar porque não tomou a medida preventiva no tempo correto. E, por isso, as queimadas deste ano foram muito piores do que em períodos anteriores", explicou.

Ricardo Salles também afirmou que não se deve responsabilizar os pecuaristas do Pantanal por atear fogo no bioma e argumentou que a criação de gado na região ajuda a controlar o acúmulo de matéria orgânica. "O pantaneiro, o pecuarista lá é um colaborador. E a pecuária ajuda a diminuir a matéria orgânica porque o gado come pasto e não deixa acumular", apontou. Mais cedo, ele esteve na cidade pantaneira de Poconé (MT) acompanhando o trabalho de brigadistas no combate às chamas. 

[Aparecido rasga o verbo] Como buracos na parede

Aparecido Raimundo de Souza 

CONVERSA ENTRE DOIS HOMENS de profissões distintas. O primeiro é um taxista. O segundo, professor de medicina veterinária, com a diferença que não exerce mais a profissão,  é aposentado. E, como tal, todo começo de mês se desloca com o mesmo táxi de um ponto perto de sua residência até o banco para receber seu pagamento. O profissional do volante o transporta há mais de três anos, o que gerou uma amizade entre ambos. Entretanto, nunca trocaram nomes, endereços ou telefones. Apenas um bate papo informal que dura entre a ida e a volta, coisa de uma hora e meia, às vezes um pouco mais, outras, menos, dependendo do trânsito. Neste início de mês, o taxista, assim que o professor se acomodou no banco de trás, entabulou conversa: 

TAXISTA:
— Meu amigo, posso lhe fazer uma pergunta um tanto indiscreta? Não é de hoje, tenho vontade chegar para o senhor e questionar, mas na hora agá, me bate uma vergonha danada e a gente acaba falando de tudo e eu não entro na questão que, no fundo, me intriga... 

PROFESSOR DE MEDICINA VETERINÁRIA: 
— Qual o quê! Fique à vontade. Embora não saiba seu nome, e nunca passamos do bom dia, seguido de um papo sobre coisas triviais, tipo futebol, mulheres, situação do país, em quem votaremos ou deixaremos de votar, culminando no tradicional ‘quanto lhe devo’, eu o considero da família. Afinal, embarco em seu táxi, acredito que há mais de três anos, quase beirando quatro, visto que todo começo de mês uso seus serviços para me dirigir ao banco receber meu pagamento. Fique a vontade. Não vou me ofender, de forma alguma. 

TAXISTA: 
— Agradeço duplamente ao amigo. Primeiro por me dar a preferência no meu taxi durante todos esses anos e, segundo, por me deixar matar, finalmente, uma curiosidade que me acompanha desde a primeira vez que me solicitou lá no ponto. O senhor foi professor de medicina veterinária por mais de quarenta anos —, me disse outro dia, um vizinho seu —, ou seja, o senhor além de ensinar e capacitar novos médicos para esta área, cuidava de animais doentes e abandonados. Mas não é isto o que me incomoda. O que me tira o sono é o seguinte: o senhor tem um carro, não é mesmo? Já o vi várias vezes no posto lá perto da avenida onde o senhor mora e onde, aliás, eu e meus colegas da praça abastecemos. 

PROFESSOR DE MEDICINA VETERINÁRIA: 
— Sim, é verdade. Tenho um Aircross da Citroën. Quero dizer, tenho ‘mais ou menos...’. 



TAXISTA: 
— ‘Mais ou menos...?’ — Como assim? — O senhor tem ou não? 

PROFESSOR DE MEDICINA VETERINÁRIA: 
— Deixa tentar explicar. Na minha casa, somos eu, a minha mulher, oito filhos, quatro noras, dois genros e cinco netos. 

TAXISTA: 
— Que isso! Família grande e de peso. Mais de vinte cabeças! 

PROFESSOR DE MEDICINA VETERINÁRIA: 
— Para ser exato, vinte e uma. Por isto possuir uma mansão monstruosa que o senhor mesmo sabe onde fica. 

TAXISTA: 
— Tudo bem. E onde entra esta história de ter um carro na modalidade ‘mais ou menos?’. 

PROFESSOR DE MEDICINA VETERINÁRIA: 
— Seguinte: o carro é da minha mulher, quando ela vai ao supermercado fazer às compras do mês. 

TAXISTA: 
— Ummmmmm!... 

PROFESSOR DE MEDICINA VETERINÁRIA: 
— É do meu filho Paulo e da esposa Flavia, quando eles vão à academia. Do Luiz, quando precisa levar a esposa Beth ao dentista. É do Juarez e da Bárbara, quando saem com os amigos para farrear. Do Adalberto, que é oficial de justiça junto com a minha nora Catarina, que pegam emprestado para cumprirem seus mandados. Da Lídia, mais meu genro Eustáquio que precisam correr constantemente para o hospital... 

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

[Viagens & Destinos] Caminhos da História - Aljubarrota - A Batalha e o Mosteiro II


Anteriores:
"O Mosteiro de Santa Maria da Vitória é um dos mais significativos monumentos do nosso país"
Mosteiro de Santa Maria da Vitória
Mosteiro da Batalha
Batalha e Alcobaça
Rio de Janeiro: duas cidades
Caminhos da História - 24 de agosto de 1820: o nascer de Portugal Contemporâneo
Caminhos da História – Sinédrio (Porto)
Arcos de Valdevez – onde Portugal se fez
Porto, junho de 2020
Cabeças de São João

Van + Ian + Noel + Nick

Telmo Azevedo Fernandes

Van Morrison, Nick Cave, Noel Gallagher e Ian Brown são referidos na minha participação de hoje no programa “Ao Final do Dia”.

Falo sobre como a paranoia sanitária em torno da covid19 fere a liberdade de expressão, anima novos censores, recria delitos de opinião, motiva sociopatas, instala consensos totalitários e alimenta um mundo distópico. 

O vídeo completo aqui:

Título, Texto e Vídeo: Telmo Azevedo Fernandes, Blasfémias, 23-9-2020

Não deu! Vasco empata com o Botafogo e é eliminado da Copa do Brasil

Empate por 0x0 na noite desta quarta (23) não foi suficiente para levar o Vasco da Gama às oitavas de final da Copa do Brasil 

Raphael Fernandes 

O Vasco da Gama está eliminado da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira (23), o Cruzmaltino empatou em 0x0 com o Botafogo, em São Januário, e deu adeus à competição. No jogo de ida, realizado no última quinta (17), no Estádio Nilton Santos, o Alvinegro venceu por 1×0, o que o credenciou a jogar pelo empate na partida de volta. 

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco da Gama

E não tem como deixar de bater na tecla que já vem sendo falada aqui no Vasco Notícias em outras análises: mais uma vez, o Gigante da Colina não teve boa atuação. No primeiro tempo, talvez tentando garantir o 0x0 momentâneo para partir pro tudo ou nada na segunda etapa, atuação bastante pragmática, sem brilho. 

Com Martín Benítez muito apagado em comparação a outros jogos, além de um Ribamar improvisado e perdido na ponta-direita, o Vasco só assustou Gatito Fernández aos 37 minutos, com chute de Andrey de longa distância que iria para fora, mas o goleiro botafoguense preferiu espalmar para escanteio. É isso mesmo: uma chance (que nem foi lá tão clara assim) em 45 minutos, para um time que precisava da vitória. 

No segundo tempo, com Marcos Júnior no lugar de Fellipe Bastos e Vinícius na vaga de Ribamar já na volta do intervalo, o Vasco apresentou uma leve melhora, com maior ímpeto ofensivo. E isso foi exemplificado em mais um chute de Andrey, logo aos 2 minutos, no qual Gatito defendeu em dois tempos, e em bonita finalização de Benítez, aos 10, que passou por cima da baliza do goleiro alvinegro.

Ministério Público denuncia Alexandre Frota por falsidade ideológica

Promotor afirma que deputado alterou de forma irregular os comandos de duas empresas 

Anderson Scardoelli 

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) [foto] está na mira do Ministério Público de São Paulo. Conforme divulgado nesta quarta-feira, 23, o órgão denunciou o parlamentar tucano por falsidade ideológica.

Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

De acordo com a denúncia apresentada à Justiça pelo promotor Marcelo Mendroni, do Grupo Especial de Repressão a Delitos Econômicos (Gedec), Frota “inseriu ou fez inserir declaração falsa em documentos apresentados à Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp)”. Nesse sentido, o integrante do Ministério Público afirma que o hoje parlamentar tucano teve o “objetivo de prejudicar” a “verdade”. Por isso, a denúncia por falsidade ideológica.

Falsidade ideológica que, conforme garante promotor, ocorreu em duas empresas de Frota. Fato que, no entanto, mudou em julho de 2017 e março de 2018. Nas ocasiões, Frota colocou um de seus funcionários como dono das corporações. Mas Mendroni afirma que essa mudança foi apenas formal. Para ele, o denunciado seguiu como “proprietário de fato” da DP Publicidade Propaganda & Eventos e da F. R. Publicidade & Atividades Artísticas & de Espetáculos. 

Avaliação judicial

Caberá à Justiça analisar o caso. Se aceitar a denúncia apresentada pelo Ministério Público, o Poder Judiciário terá de acionar Alexandre Frota. O deputado federal do PSDB paulista responderá, assim, pelo crime que prevê prisão de um a cinco anos. Além disso, ele pagará multa em caso de condenação. 

Até o momento, Frota não se pronunciou a respeito da denúncia. 

Deputado pobre

Sócio proprietário até março de 2018 de ao menos uma empresa, Alexandre Frota se lançou candidato a deputado federal pelo PSL de São Paulo há dois anos. Na ocasião, ele não declarou nenhum bem à Justiça Eleitoral. Eleito, acabou expulso do partido, mas se abrigou no PSDB do governador João Doria.

Título e Texto: Anderson Scardoelli, revista Oeste, 23-9-2020, 23h07

Já já, vai aparecer dizendo que é perseguição política de… (adivinhou!)