sexta-feira, 19 de junho de 2020

Queiroz é usado contra Jair Bolsonaro


Relacionados:

3 comentários:

  1. Justiça mantém Fabrício Queiroz preso

    Pedido de habeas corpus foi negado

    Policial aposentado e ex-assessor de Flávio Bolsonaro quando o hoje senador pelo Republicanos do Rio de Janeiro era deputado estadual fluminense, Fabrício Queiroz seguirá preso. Foi o que decidiu o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) na madrugada deste sábado, 20. O Judiciário rejeitou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa.

    Conforme noticiado por Oeste, o advogado responsável pela defesa de Fabrício Queiroz, Paulo Emílio Catta Preta, impetrou o pedido de habeas corpus no fim da tarde de ontem. Entre outros pontos, ele se baseou no estado de saúde de seu cliente — que alega tratamento contra um câncer no intestino grosso — para reverter a prisão preventiva em domiciliar. Dessa forma, ela poderia ficar em casa. O pedido, contudo, foi negado. Assim, o ex-assessor parlamentar segue detido em cela do complexo penitenciário de Bangu 8, na zona norte do Rio de Janeiro.

    “Julgado futuramente”
    No primeiro momento, a decisão desfavorável ao policial aposentado veio de modo monocrático. Isso porque o parecer coube à desembargadora Suimei Meira Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal do TJRJ. Queiroz seguirá preso, mas ainda terá o seu caso analisado pelo colegiado da 3ª Câmara. “O mérito do habeas corpus será julgado futuramente”, avisa o tribunal, por meio de sua equipe de comunicação. Sem dar prazo, o TJRJ pontua, ainda, que o caso será analisado “após o cumprimento de diligências e a manifestação das outras partes envolvidas no processo”.

    Sem detalhes
    O TJRJ informou, por fim, que não seria possível dar detalhes do parecer da magistrada sobre a rejeição do habeas corpus. A equipe do órgão pontuou que a falta de detalhes não é responsabilidade de Suimei. “A íntegra da decisão que negou a concessão de liminar pedida pela defesa de Queiroz não está disponível em razão da decretação do segredo de justiça”, divulga, conforme comunicado enviado à imprensa.

    ResponderExcluir
  2. Defesa de Flávio Bolsonaro vai pedir suspeição de juiz que mandou prender Queiroz

    Fabrício Queiroz foi preso nesta quinta-feira em Atibaia, no interior de São Paulo

    Afonso Marangoni

    A advogada do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Luciana Pires, afirmou que vai pedir a suspeição do juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, que expediu o mandado de prisão de Fabrício Queiroz.

    Segundo a CNN Brasil, a suspeição será pedida por duas razões. A primeira é pelo fato de Natália Nicolau, que é filha do magistrado, trabalhar com o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

    A advogada também alega demora de Itabaiana em apresentar informações da investigação de um outro inquérito – no qual ela é a advogada responsável – que apura indícios de falsidade ideológica eleitoral.

    Nesta quinta-feira, 18, Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo. O Ministério Público do Rio de Janeiro apura um esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

    A esposa de Queiroz, Márcia Aguiar, também teve mandado de prisão expedido, no entanto, até agora ela não foi encontrada.

    Ao comentar a prisão, o senador disse que “mais uma peça foi movimentada no tabuleiro” para atacar o presidente Jair Bolsonaro.

    Afonso Marangoni, revista Oeste, 19-6-2020, 13h08

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-