sexta-feira, 18 de setembro de 2020

“Somos o alvo a abater dentro e fora do campo”

Na antevisão da partida contra o SC Braga (sábado, 21h00), Sérgio Conceição considera que o estatuto de campeão coloca um alvo no FC Porto

O FC Porto prepara-se para iniciar a defesa do título nacional frente ao terceiro classificado da Liga NOS 2019/20. Na antevisão do embate com o Sporting de Braga, Sérgio Conceição [foto] afirmou que, no Estádio do Dragão, se irá “apresentar um FC Porto de acordo com o que foi a época passada”. Entre questões sobre os reforços, a pandemia e possíveis saídas, o treinador azul e branco confidencia ter uma “equipa a treinar de forma fantástica” com a “responsabilidade” de “lutar pelo primeiro lugar”. “Somos os campeões em título, fomos a equipa que ganhou mais jogos, fomos a equipa que sofreu menos e fizemos mais golos. Somos o alvo a abater e estamos habituados a ser o alvo a abater dentro e fora do campo. Por isso, este ano não vai ser diferente dos outros anos.”, garantiu Sérgio Conceição.



Ao nível da época passada
“O estado de espírito está muito bem, apesar de esta pré-época ser um bocadinho diferente das outras, mas estamos preparados para iniciar o campeonato e defender aquilo que conquistámos no ano passado. E, se possível, fazer algo mais nas competições internas. O estado de espírito está bom, o trabalho durante estas semanas foi bom e estamos prontos para amanhã. Num jogo, como todos no campeonato, sempre difícil, mas vai apresentar um FC Porto de acordo com o que foi a época passada.”

Contratações acrescentam qualidade à equipa
“Dentro daquilo que é o nosso modelo de jogo, temos algumas nuances e variantes dentro da minha ideia de jogo. Obviamente que, se chegaram jogadores, eu penso que possam acrescentar algo ao que fomos como equipa nos últimos anos. Também percebemos que o contexto onde estavam inseridos esses mesmos jogadores é diferente daquele que encontram aqui. E isso leva o seu tempo, naquilo que é a ambientação e o conhecimento do jogador em relação a todo um conjunto de situações novas para eles. Apesar de nós, quando identificamos alguém que pode ser útil ao grupo de trabalho, fazemos questão de os conhecer dentro e fora do campo. Mas há sempre esse período de integração normal, que leva o seu tempo. Isso não quer dizer que não possam dar o seu contributo, até porque são jogadores inteligentes e que percebem o que nós queremos.”

Evolução da pandemia
“É uma situação onde ninguém se sente confortável. Eu não me sinto confortável, principalmente, com o aumento que tem surgido e que tenho visto na comunicação social. Nós temos que continuar a nossa estrada, o nosso caminho. Cada via que vai passando, vamo-nos apercebendo e é um apelo à responsabilidade de cada cidadão. Nós, que estamos no futebol, temos de ser cada vez mais rigorosos na nossa forma de estar para podermos, todos juntos, sair deste momento nada fácil. Como equipa e como clube estamos sempre atentos a isso e, graças a Deus, até hoje as coisas têm corrido de forma muito positiva. Mas vejo sempre com alguma apreensão.”

Preparados para o mercado
“Nós sabemos que o mercado é o que é. Nós, não o FC Porto, não somos dos países mais competitivos nesse sentido. Essas dificuldades que os clubes portugueses têm são normais. Eu digo sempre que temos de ser inteligentes e criativos na forma como olhamos para o mercado, nos jogadores que identificamos e que vamos buscar. Estamos sujeitos, também, às saídas de um ou de outro jogador, por esse poderio financeiro que existe noutras equipas e campeonatos que nós não temos. Mas isso é a vida, temos de estar preparados para que, se isso acontecer, estarmos à altura de encontrar soluções para essas mesmas saídas. Sabemos que, no grupo de trabalho, há jogadores que têm pouco tempo de contrato e acabam por ficar quatro ou cinco anos e noutros, com um contrato longo, as coisas acontecem de forma diferente. O futebol é isto, termos de estar focados no clube com quem temos contrato, no jogo que vamos fazer, na semana de trabalho em função da preparação desse mesmo jogo. Eu penso que, hoje em dia, os profissionais de futebol pensam desta forma e eu faço questão que os meus jogadores pensem assim. Nas nossas conversas, no feedback que tenho deles, até me podem dizer que sim, que pensam como eu estou a dizer, e no campo ser outra coisa. Mas a prova que eu tenho é não só confiar nos seres humanos que tenho à minha frente, mas também no que vejo nos treinos. Vejo uma equipa a treinar de forma fantástica e isso quer dizer que estão a pensar da forma que eu quero.”

Segredo está na forma como se trabalha
“Vocês não nos viram jogar, mas eu vi escrito na imprensa tudo aquilo que se passou no jogo, por isso vocês acabam sempre por ter um informador. Acabam por saber o que se passa. Nós também damos a equipa e os marcadores para que, depois, não escrevam coisas diferentes das que se passaram nos jogos de treino. Acho que, hoje em dia, o conhecimento de todos sobre todos é tão grande que acaba por não haver tantos segredos. O segredo está na forma como se trabalha, e na forma como o Braga tem trabalhado. Vamos encontrar um clube bastante sólido, que cresceu muito nos últimos anos. Isto não é novidade nenhuma, estou a dizer algo que toda a gente diz, mas é a realidade. E tem-se afirmado como um grande, não sei se o quarto, o terceiro, o segundo ou o primeiro, isso depende da classificação no final da época. É um clube que tem naturais aspirações a vencer títulos e, dentro dessa dificuldade, vamos encontrar uma equipa bem treinada. Independentemente do treinador que fosse para o SC Braga, iria encontrar jogadores de grande qualidade individual. O Carlos Carvalhal é um treinador que potencia os seus jogadores ao máximo e tem feito excelentes trabalhos em diferentes países. Por isso, espera-nos uma equipa difícil, um jogo difícil, mas que o FC Porto está habituado. Somos os campeões em título, fomos a equipa que ganhou mais jogos, fomos a equipa que sofreu menos e fizemos mais golos. Somos o alvo a abater e estamos habituados a ser o alvo a abater dentro e fora do campo. Por isso, este ano não vai ser diferente dos outros anos.”

Todos querem ganhar ao campeão
“Eu falo do FC Porto. Como acabei de dizer, e por tudo aquilo que acabei de frisar, o FC Porto é a equipa a quem todos vão querer ganhar, porque é o campeão nacional. Não mais do que isso.”

Novos recursos no plantel
“Eu acho que podemos ter essa conversa no final do mercado.”

Responsabilidade de lutar pelo título
“Os candidatos são os candidatos históricos. Eu falei do SC Braga e toda a gente parte da mesma forma. O decorrer do campeonato é que vai ditar quem está mais ou menos forte. Nós, por sermos os campeões em título, somos a equipa a quem toda a gente vai querer ganhar. Vão querer ganhar ao campeão nacional, vão estar com uma ambição e uma determinação grande nesse sentido. Nós, como grande clube que somos, habituados a lutar e a conquistar o primeiro lugar, vamos ter essa mesma responsabilidade, que não é diferente da que tivemos nos outros anos. Não quero atribuir favoritismo a ninguém. Nós somos sempre, sem dúvida nenhuma, candidatos a ganhar títulos. Isso somos.”

Extensão do plantel
“Nós temos o Marcano, que é um jogador que vai estar parado alguns meses. Se o grupo tiver mais um jogador além dos típicos 25 que compõem um plantel, não é por aí. Depende muito do contexto e das circunstâncias, daquilo que possa ser a nossa avaliação perante um ou outro caso. Por isso não há nada que possa dizer, 25, 26 ou 27 é demais, ou é pouco. Isso depende de cada treinador, depende do clube. Falando dos 33, obviamente que são muitos jogadores. Na minha opinião acaba por ser mais prejudicial do que benéfico para o trabalho diário e a preparação dos jogos. Se perguntar a todos os outros treinadores da Liga, se calhar eles vão dizer o mesmo que eu.”

Orientações da Direção Geral de Saúde
“Já estão a influenciar, vai ser adiado um jogo. Eu acho que podem influenciar, não há culpados. Temos é que perceber que estamos a viver uma situação que não é fácil para ninguém. Com certeza que para a DGS também não será. Isto dava para uma conversa mais longa, em relação a tudo o que envolve o futebol e tudo o que se tem falado, quanto ao público e tudo isso. Mas eu não quero entrar por aí. Quero falar do nosso jogo de amanhã.”

Toni Martínez
“Só falo de jogadores que compõem o nosso grupo de trabalho. Com todo o respeito pela pergunta e por si, como sabe.”

Título e Texto: Notícias FC Porto, 18-9-2020, 13h25

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-