quinta-feira, 21 de setembro de 2017

A bolivariana Dilma que fala que Trump fez discurso de ódio se cala diante do horror promovido por Kim Jong-un

mrk

A tradicional “ética” da escória bolivariana mais uma vez se fez evidente em uma nota bizarra emitida pela ex-presidente Dilma, que sempre se aliou ao que há de pior no mundo em termos de tirania.

Depois do discurso de Trump na ONU – onde ele falou que destruiria a Coreia do Norte se ela atacasse os EUA –, ela reapareceu para dar um piti.


Em nota, Dilma disse que “com discurso de ódio na ONU, Trump ameaça a humanidade”. Ou seja, Kim Jong-un pode praticar genocídios e disparar mísseis, mas uma “ameaça à humanidade” acontece quando alguém diz que vai reagir. Bem típico do duplo padrão da extrema-esquerda.

“Ao afirmar que pode destruir um país, Trump evidencia sua posição belicista, baseada na ameaça de um holocausto nuclear”, disse Dilma, ignorando que as ameaças de destruição de outros países surgiram inicialmente do ditador norte-coreano.

Provavelmente, esse monstro que atende por Dilma deve achar que os massacres contra sua própria população e os ataques com mísseis, perpetrados por Kim Jong-un, são manifestações de “amor”.

Ela é uma vergonha para a nação.
Título e Texto: mrk, Ceticismo Político, 21-9-2017

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-