quarta-feira, 27 de maio de 2020

Curioso. Hong Kong em segundo lugar em número de visitas

Fonte: Google Analytics, 27-5-2020

No STF, PT apresenta impeachment de Heleno

De acordo com os autores do documento, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional cometeu crime de responsabilidade

Deputados do Partido dos Trabalhadores (PT), protocolaram um pedido de impeachment no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno [foto].

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Para os signatários da peça, Heleno cometeu crime de responsabilidade.

No texto, os petistas destacaram um trecho da nota emitida pelo ministro na semana passada. O general escreve que a medida do STF traria “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

Além disso, os esquerdistas argumentam que Heleno “atentou contra a Constituição Federal. Portanto, especialmente, contra o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário e dos poderes constitucionais dos Estados”.

O ministro Celso de Mello, ademais, será o relator do pedido.

Assinam o documento os deputados federais Margarida Salomão, Rogério Correia e Célio Alves de Moura.
Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 27-5-2020, 7h22

Bolsonaro afirma que não pode mais socorrer os Estados

Para o presidente, é necessário que os governadores deem início à reabertura gradual da economia; ele deve sancionar hoje o socorro de R$ 60 bilhões

Cristyan Costa

O presidente Jair Bolsonaro declarou ontem que o socorro a Estados e municípios no valor de R$ 60 bilhões é uma das últimas oportunidades concedidas em razão dos altos gastos pelo governo federal.
O Presidente Jair Bolsonaro durante o Lançamento do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares. Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

De acordo com o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, o déficit público para este ano já passou dos R$ 600 bilhões. Sendo assim, uma hora a conta terá de ser paga pelos pagadores de impostos.

“Nós não podemos continuar socorrendo Estados e municípios que devem, de forma racional, começar a abrir o mercado”, afirmou, em frente ao Palácio da Alvorada, residência oficial.

Bolsonaro se comprometeu a sancionar nesta quarta-feira, 27, o auxílio aos entes federativos. Além disso, o presidente observa que, caso o isolamento social permaneça em vigor, as pessoas ficarão cada vez mais pobres.

“O que está acontecendo em muitos pontos do Brasil é que o pobre está ficando miserável e a classe média, pobre. Temos de abrir. Os governadores e prefeitos têm de buscar uma maneira de voltar a atividade próxima da normalidade”.

Coronavoucher
Desde semana passada, está em discussão a continuidade do auxílio-emergencial de R$ 600. No entanto, por causa do alto valor da medida, o Ministério da Economia avalia estender programas sociais mais baratos, como o Bolsa Família.

Portanto, entre as possibilidades está a de que o coronavoucher continue, mas em valor reduzido, de aproximadamente R$ 200 em mais três parcelas adicionais. Atualmente, o benefício custa R$ 45 bilhões todo mês.

Enquanto isso, partidos de esquerda pressionam para tornar o auxílio uma política permanente. Nesse cenário, o déficit público pode saltar para R$ 1 trilhão neste ano.
Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 27-5-2020, 6h40

Cloroquina, cloroquina, cloroquina de Jesus...


Trump acusa Twitter de interferir nas eleições dos EUA após alerta de informação enganosa

Gazeta do Povo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou o Twitter de interferir nas eleições presidenciais de 2020, após a rede marcar uma de suas publicações com um alerta de checagem de fatos.



"[O Twitter] está dizendo que a minha declaração sobre votos pelo correio, que levarão a enormes fraudes e corrupção, está incorreta, com base em checagem de fatos das redes de Fake News CNN e Washington Post", acusou Trump em sua conta no próprio Twitter na noite desta terça-feira (26). "O Twitter está sufocando a liberdade de expressão e eu, como presidente, não permitirei que isso aconteça!", continuou o republicano.

Mais cedo, a rede social colocou um alerta em uma publicação em que Trump dizia que a votação por correio comprometeria a eleição presidencial americana. O procedimento é comumente usado pelo Twitter, mas essa foi a primeira vez que a medida foi usada contra o presidente americano.

Trump dizia nessa postagem que uma votação por cédulas enviadas pelo correio seria inevitavelmente "fraudulenta", em reação à decisão do governador da Califórnia, o democrata Gavin Newsom, de enviar as cédulas para todos os eleitores registrados no estado, como medida diante da pandemia de Covid-19.

"Obtenha aqui os fatos sobre votação por correio", diz a mensagem incluída pelo Twitter abaixo da postagem de Trump, com link para uma página na plataforma com informações de meios de comunicação que contradizem o teor da mensagem do presidente.
Título e Texto: Gazeta do Povo, 26-5-2020, 23h43

Tem governante caindo em conversa de malandro. Ou será ele, o malandro?

Alexandre Garcia

A Operação Placebo está repercutindo muito lá no Rio de Janeiro. Os policiais federais entraram no palácio do governador e no escritório de advocacia da primeira dama. Chegaram ao governador Wilson Witzel por meio de documentos da operação que prendeu Mário Peixoto há duas semanas.

Os policiais também foram na casa do ex-subsecretário executivo da Secretaria de Estado de Saúde, Gabriel Neves. Ele já tinha sido preso em outra operação, na época foi afastado do cargo.

Policiais federais carregam material apreendido na Operação Placebo, no Rio de Janeiro, que apura desvio de verbas de combate ao coronavírus no estado. Foto: Fábio Motta/AFP
Foram 12 mandados de busca e apreensão por ordem de um ministro do Superior Tribunal de Justiça. Tudo começou com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, depois o caso foi para o Ministério Público Estadual e em seguida para a Polícia Federal.

Witzel está sendo acusado de envolvimento no desvio de verba da construção de hospitais de campanha e de materiais de saúde. Todo esse dinheiro estaria sendo depositado como honorários advocatícios na conta dos escritórios de advocacia da primeira dama e de um secretário do governador.

O que me admira nesta história é que o governador já foi juiz federal, portanto, conhece muito bem a lei — o que é um agravante. Além disso, ele serviu como fuzileiro naval. Eu espero que ele consiga explicar bem tudo isso. Witzel disse que não vai renunciar ao cargo de governador.

Quando se está fazendo pesquisas de medicamento com seres humanos, alguns pacientes recebem o remédio e outros recebem placebo, que é uma substância inativa. A Polícia Federal é muito talentosa ao dar títulos para suas operações.

Na segunda-feira (25), foi deflagrada a Operação Dispneia, no Ceará. Dispneia é sinônimo para falta de ar. A operação tratou de respiradores que estavam sendo superfaturados no estado. Tem muita gente ganhando dinheiro às custas da tragédia de um povo.

É muita malandragem
Hospitais privados estão tendo problemas financeiros porque estão vazios praticamente, já que no momento cirurgias que não são urgentes foram adiadas. As pessoas estão com medo de ir ao hospital e a doença vai se agravando.

Por que ao invés de fazerem hospital de campanha com altos custos, os governos não fizeram convênios com hospitais privados? Assim, os leitos que estão vazios seriam aproveitados para os pacientes com coronavírus.

Covid: estados governados por rivais de Bolsonaro têm 87% das mortes

Catorze unidades, sob gestão de adversários políticos do presidente da República, concentram 79% dos casos, segundo dados do Ministério da Saúde

R7

Os Estados brasileiros governados por adversários de Jair Bolsonaro concentram a maior parte de casos e mortes porcovid-19, de acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

Catorze unidades federativas possuem, juntas, 87% das mortes e 79% das infecções confirmadas pelo novo coronavírus.

Bolsonaro tem 13 governadores como aliados. Foto: Marcos Corrêa/PR – 25-5-2020
As federações sob comando de políticos contrários ao presidente somam, juntas 295.945 casos confirmados – no Brasil todo, são 374.898 ocorrências da covid-19. No caso das mortes, esses 14 estados contabilizam 20.370 mortes – no país, os óbitos pela doença atingiram a marca de 23.473. O levantamento considera dados acumulados até a noite de segunda-feira (25).

Os estados governados por opositores do presidente são: São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Sergipe, Piauí, Alagoas, Paraíba, Bahia, Amapá e Pará.

Epicentro da covid-19 no Brasil, o estado de São Paulo, sob comando de João Doria (PSDB), tem 83,6 mil casos e 6.220 mortes provocadas pela enfermidade. Governado por Wilson Witzel (PSC), o Rio de Janeiro é o segundo colocado, com 39,3 mil casos e 4.105 mortes. O Ceará, governado por Camilo Santana (PT), é o terceiro, com 36,1 mil casos e 2.493 mortes.

Por outro lado, os outros 13 estados administrados por aliados do presidente somam 78.953 casos – o equivalente a 21% do total. Quanto às mortes provocadas por covid-19, essas unidades da federação totalizam 3.103 óbitos – 13% dos registrados pelo Ministério da Saúde no país.

Os 13 estados cujos gestores são neutros ou aliados de Bolsonaro são: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso, Distrito Federal, Rondônia, Acre, Roraima, Tocantins e Amazonas. 

A fé

Nelson Teixeira

Não deixe que as circunstâncias mudem a sua fé, faça com que a sua fé mude as circunstâncias.

A fé enxerga possibilidades, um novo caminho, uma ponte, uma lógica divina e uma razão.

A fé tem poder, tem força e tem grandeza.

Quem dela usar vive com esperança e confiança de que tudo pode mudar.

A fé não torna as coisas mais fáceis, a fé torna as coisas possíveis.

Com fé você poderá conseguir coisas que jamais imagina ou sonha.

O tamanho da sua fé, é o tamanho da sua vitória.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 27-05-2020

terça-feira, 26 de maio de 2020

Investigações apontam que escritório de Helena Witzel recebeu R$ 105 mil de Mário Peixoto

Redação Diário do Rio

Segundo informações provenientes da Operação Placebo, realizada pela Polícia Federal nesta manhã de terça-feira (26/5), o escritório de advocacia da primeira-dama do Rio de Janeiro, Helena Witzel [foto], recebeu a partir de 2019, pagamentos mensais de R$ 15 mil da empresa DPAD Serviços Diagnósticos LTDA, ligada ao empresário Mário Peixoto.


Mário Peixotopreso no último dia 14 de maio, na Operação favorito, era o principal fornecedor do governo Wilson Witzel e, também do de Sérgio Cabral. Na ocasião, os investigadores averiguavam contratos obtidos por suas empresas junto ao governo estadual ao longo de uma década.

Trecho de um documento da investigação traz informações sobre esses pagamentos:
De acordo com os investigadores, os pagamentos ao escritório de Helena Witzel totalizam R$ 105 mil. O primeiro depósito teria acontecido em agosto de 2019.

O MPF descreve, ainda, que conforme informação nº 0011/2020 da Polícia Federal, encontraram no correio eletrônico alessanclro.duartc@gxnail.com mensagens datadas de 14/04/2020, recebidas de J.E. (rjjuan@hocmail.com) com documentos relacionados a pagamentos para a esposa do Governador W. W (Wilson Witzel)”.

Nesta manhã, os agentes da PF buscaram documentos no escritório da primeira-dama. A sede está registrada na residência onde morou o casal Witzel, no Grajaú, Zona Norte do Rio, até a posse do governador, em janeiro de 2019.

Os policiais encontraram documentos e um telefone celular que foram levados para a Polícia Federal.

Em sua decisão que expediu os mandados de busca e apreensão, o ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) escreveu que “novo compartilhamento de provas proveniente da Justiça Federal do Rio de Janeiro, demonstra vínculo bastante estreito e suspeito entre a primeira-dama do estado e as empresas de interesse de M.P. (Mário Peixoto), em especial o contrato de prestação de serviços e honorários advocatícios entre seu escritório de advocacia e a empresa DPAD Serviços Diagnósticos LTDA, bem como comprovantes de transferência de recursos entre as duas empresas”.

Constituída em fevereiro de 2013, a DPAD Serviços Diagnósticos ou Bioslab, seu nome fantasia, é uma empresa de laboratórios clínicos. Seu nome não aparece no Portal da Transparência como tendo contratos com o Estado do Rio de Janeiro.

Prefeitura fecha sete lojas no Mercadão de Madureira por descumprirem medidas contra o Coronavírus

Altair Alves

A Prefeitura do Rio, por meio das secretarias de Ordem Pública (Seop) e de Fazenda, anunciou na noite de segunda-feira (25/5) que fechou sete lojas das 41 fiscalizadas no Mercadão de Madureira, tradicional ponto comercial do bairro da Zona Norte. A ação conjunta resultou ainda na apreensão de 290 maços de cigarros e 75 isqueiros com ambulante irregular na Avenida Edgard Romero. As ações na região continuaram ao longo do dia em Rocha Miranda e Turiaçu.


Durante a fiscalização, os agentes municipais encontraram a maioria dos estabelecimentos (305) fechados, uma loja foi notificada por exposição irregular de mercadoria no logradouro público, e oito ambulantes foram orientados a se retirar. Coordenada pela Seop, a operação fiscaliza todo o comércio (tanto ambulante quanto lojista) para coibir o descumprimento do decreto municipal de combate ao novo coronavírus e evitar aglomerações.

Na última quinta-feira (21/5), 1.840 produtos irregulares foram apreendidos. Ao todo, 27 ambulantes foram orientados a encerrarem suas atividades, e 27 lojas foram fiscalizadas, todas autorizadas a funcionar de acordo com o decreto. Já no dia 12/5, a força-tarefa fechou sete estabelecimentos dos 22 abertos fiscalizados, e 31 ambulantes foram orientados a desocupar o espaço público.

A Seop informou que em pouco mais de dois meses de ações diárias em toda a cidade, registrou 19.332 estabelecimentos fiscalizados, com 13.952 pontos comerciais fechados.

A força-tarefa contou com efetivos da Subsecretaria de Operações (Subop) da Seop; Guarda Municipal; Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano, vinculada à Secretaria Municipal de Fazenda; e Comlurb.
Título e Texto: Altair Alves, Diário do Rio, 26-5-2020

Relacionados:

Bares, barbeiros, cabeleireiros, restaurantes... reabertos em Portugal

Sem questionamentos judiciais, sem ofensas ao governo, sem o assustador dedurismo (quantas pessoas sem máscara, quantas pessoas com o dedo no nariz, quantos centímetros de distância...)

Como sempre disse, e continuarei dizendo, é possível continuar vivendo, para muitos é SOBREVIVÊNCIA, adotando medidas e truques protetores.

Esta tarde reparei num carro de aplicativo que tinha uma cortina de plástico (ou outro material) transparente separando o banco da frente do de trás.

A rede de lojas C&A reabriu. Os supermercados estão a pleno vapor. O Pingo Doce, por exemplo, alargou o horário de funcionamento: agora, das 8 às 22h. E tem um frasco de álcool em gel na entrada...

O LIDL também. Lá, eu vi a funcionária desinfetando as alças dos cestões e dos carrinhos.

Eu continuo ficando em casa, na boa, não porque faça parte do grupo de risco – caminhando a passos lentíssimos para o upgrade 7.0 – mas porque posso. A Deus graças.
É isso aí!

Massamá, Portugal, 25-5-2020, 18h40, foto: JP

Macron, la disparition

 

Revista L’Incorrect, nº 31, maio 2020

Relacionados:

Por Taiwan, China tenta pressionar a Câmara dos Deputados

Em carta, embaixada chinesa pede que deputados não comentem sobre a posse da presidente de Taiwan, território que a China afirma estar sob sua soberania

Gabriel Oneto

A embaixada da China enviou uma carta à Câmara dos Deputados pressionando para que nenhum parlamentar se manifestasse sobre a posse de Tsai Ing-wen para um segundo mandato na presidência de Taiwan que aconteceu no último dia 20.

Embaixador chinês, Yang Wanming, discursa em seminário alusivo aos 45 anos de relações diplomáticas entre Brasil e China. Foto: YouTube/Reprodução

A informação foi divulgada pelo deputado federal Paulo Eduardo Martins (PSC-PR) em sua conta no Twitter. Martins afirmou que a carta chinesa é uma “afronta”.


Na carta, a embaixada chinesa afirma que os deputados devem respeitar o “Princípio de Uma Só China” e que a Câmara deve tomar “as medidas necessárias e preventivas” para evitar qualquer contato entre parlamentares brasileiros e as autoridades de Taiwan, que a China considera como parte do seu território.

Desde 1974, o Brasil só reconhece a República Popular da China como um país soberano. Com Taiwan, o país só mantém relações comerciais.

PF faz operação na residência oficial de Wilson Witzel

Agentes de segurança apuram supostos desvios de recursos públicos destinados ao combate à covid-19

Crystian Costa

No âmbito da Operação Placebo, a Polícia Federal (PF) investiga na manhã desta terça-feira, 26, o Palácio das Laranjeiras, onde mora o governador Wilson Witzel (PSC) [foto]. Aproximadamente 60 agentes de segurança estão nas ruas neste momento.


Quinze equipes da PF participam da ação que envolve o cumprimento de 12 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro e em São Paulo. A finalidade, portanto, é apurar supostos desvios de recursos públicos destinados ao combate à covid-19 no Estado.

Conforme noticiou Oeste, há indícios de que governadores embolsaram o dinheiro voltado às políticas de enfrentamento ao coronavírus. Entre os casos apresentados pela reportagem, está a compra de respiradores acima do preço pela Secretaria estadual de Saúde do Rio.

Na semana passada, a PF realizou a “Operação Favorito” (Placebo é um desdobramento dela), que investiga supostos desvios de recursos da área de saúde do governo estadual do Rio.

A operação
A equipe da Polícia Federal veio hoje de Brasília, no Distrito Federal, e chegou ao Aeroporto Internacional do Rio pouco depois de 05h30. Cerca de quatro viaturas descaracterizadas da PF estão na entrada do Palácio das Laranjeiras enquanto esta reportagem é redigida.

Há agentes também na casa da Rua Professor Valadares, no Grajaú, na Zona Norte, onde morava o governador antes de assumir o mandato, e no apartamento na Avenida Ataulfo de Paiva, no Leblon, na Zona Sul do Rio, residência do ex-subsecretário de Saúde Gabriell Neves, preso em 7 de maio.

Os investigadores também estão no escritório de advocacia da mulher do governador, a primeira-dama Helena Witzel, no Leblon. Outra equipe está em frente à casa do ex-secretário de saúde Edmar Santos, em Botafogo, também na Zona Sul, de acordo com a TV Globo.

Nos EUA, grupo Latam pede recuperação judicial

As unidades da empresa no Brasil, na Argentina e no Paraguai ficaram de fora do processo; pandemia de coronavírus prejudicou os negócios da companhia

Cristyan Costa

Nos Estados Unidos, a empresa de aviação, Latam, decidiu protocolar um pedido de recuperação judicial nesta terça-feira, 26. O processo diz respeito as afiliadas da companhia no Chile, no Peru, na Colômbia, no Equador e nos EUA.



Contudo, as unidades do grupo no Brasil, na Argentina e no Paraguai ficaram de fora.

Sendo assim, a companhia é a segunda aérea da América Latina a fazer a solicitação por causa da pandemia de coronavírus. A quebradeira no setor atingiu há pouco mais de duas semanas a Avianca Holdings, que fez o mesmo pedido.

Recentemente, a Latam demitiu funcionários e tentou levantar recursos para quitar as dívidas, mas não foi suficiente. Em razão da inadimplência, as agências de classificação de risco de crédito Fitch e S&P rebaixaram a nota da empresa.

Em nota, a empresa informa: “Implementamos uma série de medidas difíceis para mitigar o impacto dessa disrupção sem precedentes no setor, mas, no fim das contas, esse caminho é a melhor opção”.

Saiba mais
Segundo a companhia, todas as passagens atuais e futuras, vouchers de viagem, pontos e benefícios do programa Latam Pass, bem como políticas de flexibilidade, serão respeitados.

Suas afiliadas, ademais, continuarão operando voos de passageiros e de carga, sujeitos a restrições de demanda e de viagem.

Logo à tarde o que será?

Helena Matos


Hoje, manhã cedo: 

Ontem: 
Via Blasfémias, 26-5-2020

Wilson Witzel amanhece com Polícia Federal à sua porta

Quintino Gomes Freire

Uma manhã movimentada no Palácio Laranjeiras [foto] e outros endereços ligados ao governador Wilson Witzel (PSC).


Desde o início desta terça-feira, 26/5, a Polícia Federal faz a Operação Placebo, sobre suspeitas de desvios nos hospitais de campanha e compras para a pandemia do novo Coronoavírus no Rio de Janeiro.

Foram emitidos doze mandados de busca e apreensão, incluindo a residência oficial do governador do Rio de Janeiro.

Até o momento não há mais informações sobre a ação, além de que foi emitida pelo STJ, que é órgão competente em ações contra governadores de estado. A ação é comandada pela Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal.

Dentre os outros endereços em que os agentes estão no Rio, estão Leblon e Botafogo, também na Zona Sul, e Grajaú, na Zona Norte, onde o governador morava antes de se ser eleito.
Título, Imagem e Texto: Quintino Gomes Freire, Diário do Rio, 26-5-2020

Sikêra Júnior: “Tomei cloroquina”



Relacionados:

[Aparecido rasga o verbo] Não havia esperança, só talvez...

Aparecido Raimundo de Souza

ELA, MENINA INOCENTE, CRIANÇA DE ALMA PURA, pensava sempre em alguma coisa distante. Imaginava, na inocência dos cinco anos, vislumbres além das suas possibilidades de compreensão. Matutava. E enquanto refletia com seus botões, espiava o horizonte. Bisbilhotava compridamente tudo o que se descortinava diante de seus olhos. Pressentia existir, lá longe, um horizonte incerto, tão estranho  e esquisito, como o dia seguinte que ainda estava pôr vir. Porém, não desistia, não entregava os pontos. Ela, menina inocente, criança de alma pura, nunca deixava o seu eterno sonhar para depois. Tampouco permitia que um rol de coisas insignificantes ofuscasse o “écran” de seus objetivos mais primordiais 

Por isto, o tempo todo viajava acordada. Neste torvelinho, quimerava, os sentidos abertos, e, por vezes, delirava... Alucinava todas as suas forças em ilusões momentâneas e dispersas,  entretanto, fazia  tudo com os pés no chão de terra solta. Na tela mágica do seu encantamento, fantasiava seu agora correndo por ruas e avenidas empoeiradas em busca do nada. Vagueava dentro desse nada, como em nada se consubstanciava todo o orbe da sua vida. Seus dias, um mar de sofrimentos sem limites,  seu futuro um mundo longinquo e retirado, se descortinando sem perspectivas...  Seu agora, sem agora, sem um quem sabe...  Ela, contudo, se  mantinha firme imbatível. Não desistia.

Seguia em frente, apesar dos percalços, das tragédias cotidianas, dos desencontros de todas as horas que se arvoravam em bárbaros verdugos. Caminhava ao léu, num indumento inglório, sem saber o que encontraria à frente, na próxima esquina. Nunca olhava para trás. Isto jamais! Nem mesmo quando o destino lhe chamava através do vento, ou no suave cantarolar de um pássaro pousado em seu derredor. Ela vivia um mundo só seu, um espaço cheio de ilusões criadas pela solidão que habitava seu interior e, de vez em sempre, emergia com todas as catástrofes, como se tivesse, por missão, coloca-la à pique. Orgulhosa e convícta,  a princesinha não entregava os pontos, não abria a guarda.

Ao contrário, buscava em cada um desses contratempos, uma satisfação pessoal, que se transformava numa magia inebriante, um sortilégio que lhe mantinha viva e, sobretudo, mais robustecida para seguir na busca do ideal. O coração pulsava a mil por hora. O sangue lançava escopros e se dilatava dentro das veias, como água morro abaixo. Ela não se parecia com as demais crianças da sua idade. A diferença se destacava na vivência, sobressaia no modo como colocava as coisas na cabeça. Sua visão do amanhã, não ia além de um amontoado de pensamentos embaralhados, difusos, confusos.  Contudo, essas utopias explodiam como se formassem massas  enormes de infusórios e polipeiros;  sempre em busca de um porto novo; como se aquém, vislumbrasse, lá do outro lado do não sei onde, um cais seguro.

O ódio a Jair Bolsonaro estupidifica!

‘Véio’ e bom amigo Arremor,

Sobre a decisão soberana dos Estados Unidos da América de restringir a entrada de estrangeiros em seu território, que o jornal Correio Braziliense mancheteia:

Trump proíbe entrada de estrangeiros nos EUA a partir do Brasil

Não vi em lugar nenhum proibição de entrada de brasileiros nos EUA.

Trump, sempre ele. Sabe, aquele revolucionário que, junto com sete almas penadas, tomou o poder nos Estados Unidos da América, vai fazer dois anos, e agora come, dorme e faz outras coisas com uma ideia fixa: como phoder os coitadinhos dos brasileiros que querem entrar nos EUA em plena pandemia?!?!

A “ordem da ciência” no Brasil não é o confinamento?

Ora, porra, qual o brasileiro que quer desrespeitar a ‘ciência’ e viajar para os Estados Unidos? Ou para o raio que o parta?

É repugnante a hipocrisia!!
Ah, mas fala dos estrangeiros que estiveram no Brasil. Sim, e...?

Arremor, chegou a você algum chilique sobre esta decisão do Brasil?


Nota esclarecedora: me afetou pessoalmente, pois estava de passagem e reserva de hotel fechadas para o próximo mês de junho. Me afetou porque adentro o território brasileiro com passaporte estrangeiro: português. O passaporte brasileiro venceu há algumas horas.

Relacionado:

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Cientistas assinam manifesto em favor da hidroxicloroquina

Grupo vai na contramão da OMS, que suspendeu testes com o medicamento para tratamento da covid-19

Anderson Scardoelli

Um grupo formado por 25 cientistas brasileiros defende que a hidroxicloroquina seja utilizada em tratamentos contra a covid-19. Em carta pública, a equipe liderada pelo químico e professor Marcos Eberlin defende que o medicamento seja, inclusive, adotado para as fases iniciais no combate ao novo coronavírus. O posicionamento foi divulgado na última sexta-feira, 22.

Foto: André Rodrigues/Agência Brasil
A carta aberta assinada pelos cientistas vai no sentido oposto do que é defendido atualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em seu mais recente parecer, a entidade anunciou a suspensão dos testes com a hidroxicloroquina em casos relacionados à doença provocada pelo novo coronavírus, conforme destaca Oeste hoje. A decisão da OMS é, por ora, anunciada como temporária.

Para os 25 cientistas brasileiros, porém, o uso da hidroxicloroquina não pode ser interrompido por nenhum instante. O grupo salienta que há países que estão adotando protocolos que utilizam esse e outros medicamentos. São os casos, por exemplo, dos Estados Unidos e de Israel. O mesmo vem ocorrendo, segundo os cientistas, em ao menos três nações da Europa: Espanha, França e Itália.

No decorrer da extensa carta (íntegra abaixo), o time capitaneado por Marcos Eberlin enfatiza que uma única entidade, ou especialista, não pode falar em nome da ciência. “Mas que ‘ciência’ seria essa para qual apelam? E quem, em nome dessa “ciência”, estaria autorizado a falar?”, chegam a questionar os 25 cientistas. A nota pontua, ainda, que a hidroxicloroquina estaria em meio a disputas meramente políticas.

Confira a carta:

Ao Brasil,

A “ciência” da Pandemia

Nessa pandemia, o termo “ciência” tem sido utilizado “ad nauseam”. Repetem a exaustão: “Ciência, ciência, ciência”, eu sou “pró-ciência”, e “por ela, nela e para ela” me guio e atuo. “Eu, portanto, estou certo, coberto de razão”. É nítida aqui a intenção de conduzir-nos todos à ideia de decisões alicerçadas em algo inquestionável e infalível, tão científico com uma lei, como a lei da gravidade.

Grupos de “experts da ciência” ou famosos cientistas do YouTube, muito deles “mirins”, alguns com mínima ou nenhuma experiência em combates de pandemias, são selecionados pelo establishment e pela mídia para dar um “verniz científico” para o isolamento social e a condenação da hidroxicloroquina (HCQ) como uma droga ineficaz; pior, mortal.

Privatização da EBC encontra resistência no meio sindical

Movimento ligado aos servidores da Empresa Brasil de Comunicação critica inclusão no Programa de Parcerias de Investimentos do governo federal

Anderson Scardoelli

A ideia do presidente Jair Bolsonaro em privatizar a Empresa Brasil de Comunicação, a EBC, e, assim, diminuir os gastos públicos já encontra resistência no meio sindical. Movimento que se coloca como porta-voz dos servidores do conglomerado de mídia, a Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública se posicionou ontem em relação ao tema.


Em nota publicada no site do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, a frente vai por dois caminhos. Primeiramente, omite a questão dos gastos que o governo federal tem de arcar para a manutenção do projeto midiático idealizado pelo ex-presidente Lula na década passada, conforme registrou Oeste. Em segundo lugar, o movimento tece críticas a Bolsonaro por ter incluído a EBC no Programa de Parcerias de Investimentos, o chamado PPI.

“Em relação à questão econômica, a EBC nunca foi criada para ser autossuficiente, como não é nenhuma corporação de mídia pública. Ela deve ter receitas da União, não fazendo sentido falar em ‘déficit’, como o governo faz de forma má intencionada”, diz trecho da nota assinada pela Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública. A entidade dá a entender que — para ela — o governo federal deveria seguir investindo no projeto notoriamente reconhecido por registrar traço de audiência.

Estudo do BNDES
Ainda que a medida preocupe o movimento que representa os servidores da Empresa Brasil de Comunicação, a privatização da EBC não será de imediato. O decreto publicado na edição de 21 de maio do Diário Oficial da União informa que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, BNDES, fará estudos relacionados ao assunto. Posteriormente, caberá ao conselho do PPI aprovar ou não as deliberações indicadas pelo órgão.

A inclusão da EBC no PPI mostra que o presidente Bolsonaro toma mais uma medida em sintonia com a campanha eleitoral de 2018. Na ocasião, o então presidenciável prometeu privatizar a empresa de comunicação pública. O que também chegou a ser defendido por outros candidatos. Geraldo Alckmin chegou a garantir que, se eleito, extinguiria a operação do conglomerado de mídia até hoje vinculado à União e aos cofres públicos.
Título e Texto: Anderson Scardoelli, revistaOeste, 25-5-2020, 18h10

Biscoito Globo e Cerveja Antarctica serão vendidos como kit para ajudar ambulantes

Raphael Fernandes

Um dos alimentos mais tradicionais do Rio de Janeiro, o Biscoito Globo, que acabou tendo sua produção afetada pela crise econômica causada pela pandemia do Coronavírus, agora poderá ser recebido em casa e degustado com uma das bebidas preferidas do carioca: cerveja.


Isso porque a marca firmou uma parceria com a Antarctica e os dois itens serão vendidos em forma de kit pelo aplicativo de entregas Zé Delivery, com o lucro das vendas sendo 100% revertido para o complemento de renda dos ambulantes, que acabaram sendo bastante afetados também devido à ausência de pessoas nas praias da cidade, principal local de consumo do biscoito.

A partir desta terça-feira (26/5), pacotes de Biscoito Globo individuais e em kits promocionais com Cerveja Antarctica serão vendidos pelo Zé Delivery, um dos principais apps de entregas de bebidas do Brasil, em diversos pontos do Rio de Janeiro. O biscoito terá valor de venda unitária de R$ 2 e as pessoas também poderão comprar o kit ”Coisa Boa”, com 3 pacotes de biscoito e 6 latas de cerveja de 350ml por R$ 23,34.

”Não chegamos a parar totalmente nossa produção, mas tivemos uma redução. A redução também tem por objetivo resguardar todos os nossos funcionários, que se mantêm empregados e recebendo em dia. A praia é nossa casa, mas entendemos que nesse momento todas as medidas de isolamento social são importantes. Esse apoio de Antarctica vai nos ajudar e a todos os cariocas a matar a saudade. Em breve voltaremos juntos a curtir os típicos dias cariocas”, diz Francisco Torrão, sócio da fábrica.

Tanto o valor do lucro do biscoito quanto o da cerveja serão doados aos ambulantes, que receberão o crédito via Ame Digital. A Ame tem o cadastro dos autônomos das praias cariocas, que, desde janeiro, realizavam vendas pelo aplicativo.

Gigantes dorminhocos: o movimento que busca censurar as redes sociais

Rodrigo Constantino

Na grande imprensa brasileira sempre houve um predomínio esquerdista. De uns tempos para cá, por pressão do público, ocorreu maior abertura ao pluralismo de ideias, mas ainda com forte viés “progressista” nos maiores veículos de comunicação. O fenômeno se deve basicamente à concorrência das redes sociais: elas expuseram esse viés negado pelos jornalistas, e levaram ao leitor o contraditório, um pensamento mais conservador que antes era demonizado e ridicularizado.

Claro que a patota corporativista, acostumada ao seu quase monopólio da “opinião publicada”, não aceitaria essa perda de espaço docilmente. Por isso temos visto tanta campanha para o controle das redes sociais, mascarado de combate às Fake News. Ninguém precisa negar a existência de muito lixo nas caóticas redes sociais para condenar essa tentativa velada de censura.

Uma das formas que ela aparece é mais visível e direta, como por meio de projetos de lei. A deputada Tabata Amaral apresentou um, que na prática criaria uma reserva de mercado às agências de checagem de fatos, que também possuem viés esquerdista. Essas poucas agências oficiais se transformariam numa espécie de Ministério da Verdade, como na distopia de George Orwell.

A medida encontra apoio de jornalistas de esquerda, como Pablo Ortellado, da Folha de SP. Ele publicou um artigo em que estampa logo no título sua intenção: “Chegou a hora de regular as mídias sociais”. E acrescenta: “Conter desinformação exige enfrentar os paradoxos da colisão de direitos e os riscos da regulação estatal”. Traduzindo: para o inferno com a liberdade de expressão, eu quero é usar o monopólio da coerção estatal para impor controle ao que julgo errado!

Infelizmente, a pandemia forneceu o pretexto perfeito para esses censores. Vidas correm perigo, não podemos tolerar “desinformação”, gente que questiona as diretrizes da OMS. Em nome da “ciência”, vamos calar a boca na marra desses “hereges” e “negacionistas”. É para o “bem comum”. E alguns supostos liberais ainda aplaudem!

Ontem, domingo, 24 de maio, em Brasília: "Eu vim de graça!"


O jornal carioca O Dia, cuja virulência contra Jair Bolsonaro eu desconhecia, republicou a matéria do Estadão:
O a não é craseado
Dê uma olhada na capa da edição de hoje, segunda-feira, 25 de maio de 2020:


“Eu vim de graça!”



Foco do Brasil, 24-5-2020


Relacionados:

De facto é inaceitável como se tolera ao PCP esta prática de contestar na rua o que aprova nos gabinetes

Helena Matos
Jerónimo de Sousa
Ninguém acha oportuno recordar que o empréstimo de 850 milhões de euros do Estado ao Fundo de Resolução é uma obrigação do Estado, regulada por contrato entre as partes, de 2017.

O empréstimo, respeitante à recapitalização de 2020 foi aprovado com o Orçamento do Estado para 2020. Portanto, o PCP garantiu com os seus votos e com a sua abstenção aquilo que agora critica:

Em 2017 o PCP fazia parte da solução de Governo permitindo ao PS governar;

Em 2018 o PCP fazia parte da solução de Governo permitindo ao PS governar;

Em 2019 o PCP fazia parte da solução de Governo permitindo ao PS governar;

Em 2020 o PCP permitiu a aprovação do OE (onde constava a transferência dos 850 milhões para o Novo Banco) ao abster-se na sua votação.
Título e Texto: Helena Matos, Blasfémias, 25-5-2020