quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Dia Internacional do Comissário(a) de Voo!

Jonathas Filho

Chads e Richard Arnold
Hoje é um dia muito especial.  É um dia de homenagens a uma profissão cuja vocação só é encontrada em pessoas muito especiais.
Há que ser celebrado sempre e por isso vou comentar alguns aspectos da vida desses profissionais que, como disse o poeta, “vivem nas nuvens”. 

Ser Comissário(a) não é ser somente um indivíduo, numa profissão  específica, que foi gradualmente preparado e cujo aprendizado absorveu, consolidou  e o mantém;  aperfeiçoando-o a cada dia.

Ser Comissário(a) é estar sempre preparado, disposto, alerta e condicionado a qualquer acontecimento seja a bordo ou em terra firme. Aprendeu a controlar suas emoções mas, não as perdeu. Comissário(a) também sofre, sente dor, sente falta e chora como qualquer ser humano comum.
 
Ser Comissário(a) é reciclar em si mesmo, ao longo da vida, conhecimento técnico e experiência, usando sempre as alternativas mais apropriadas quando necessárias são; seja numa emergência em voo ou em terra; seja numa situação social delicada, seja no seu dia a dia comum.

Ser Comissário(a) é estar pronto a abrir mão de estar presente junto à familia, aos amigos, nas festas e solenidades, quando necessária é a sua presença em um voo. O atendimento às solicitações da Escala implica, em muitas vezes, na renúncia à vida social regular.

Ser Comissário(a) é saber lidar com um público heterogêneo, cuja única coisa em comum a todos é que são passageiros do seu voo. Tornou-se um mestre em cordialidade e solidariedade, cuja comunhão de atitudes resulta na criação de um “laço” social que fica caracterizado em cada desembarque ao se escutar: “Foi muito bom voar com vocês, com certeza, vou repetir.”

Ser Comissário(a) é ser um bom observador; estar atento às mudanças e seus efeitos, usando de boa análise e projetando as alternativas funcionais que serão eficientes nos imprevistos enfrentados no cotidiano a bordo.

Ser Comissário(a) é ser versátil mas sem  representar ou se “esconder” dentro de um personagem; é viver essencialmente ligado à profissão; é antes de tudo, um estado de espírito vocacional.

Aeroporto Internacional de Brasília, início da década de 90. Foto: Guilherme Coelho
Sou muito orgulhoso por ter sido Comissário de Bordo da Cruzeiro e da Varig durante grande parte da minha vida e de ter tido a oportunidade de vivenciar essa profissão circundado por  uma plêiade de colegas  Comissários e Comissárias que, com doce  saudade, expresso aqui a minha homenagem.
Esta é, também, a minha homenagem à aqueles(as)  que nos céus desse planeta, voaram, voam e voarão como  Comissários de Bordo. 
Título e Texto: Jonathas Ribeiro Antunes Filho, Comissário Aposentado Varig-Aerus, 31-10-2013

Relacionados:

4 comentários:

  1. A minha homenagem a todos aqueles que tiveram esse sonho como profissão e a você por fazer parte desta luta , da ABM, e do belo texto que escreveu sobre nós
    Do seu amigo
    José Manuel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado kirido amigo José Manuel, o Mala-Mor; valeu e continua valendo!!!
      Jonathas Filho

      Excluir
  2. É muito bom lembrar nossas antigas comemorações do Dia do Comissário/a... e viver nas nuvens realmente devia ser nosso lema... mas no momento estamos mais a "ver navios" e pensando quando iremos ultrapassar as nuvens... rsrsrsrsrsrsrsrs...
    Desculpe o desabafo!
    Bjs,
    Ilca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viver nas nuvens sempre viveremos, principalmente porque a saudade é uma nuvem que se aproxima da gente e deságua uma chuva de lembranças, que só quem foi de voo não esquece. Beijo GG prá vc kirida Ilca Nordin.
      Jonathas Filho

      Excluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-