segunda-feira, 31 de maio de 2021

Brasil substitui a Argentina como sede da Copa América

Decisão foi anunciada hoje pela Conmebol

Cristyan Costa


ConfederaçãoSul-Americana de Futebol (Conmebol) decidiu nesta segunda-feira, 31, que o Brasil será a nova sede da Copa América. Anteriormente, a Argentina abrigaria o evento. Contudo, em razão dos recordes de casos de coronavírus, o país dos hermanos foi substituído. Pesou a favor do Brasil a expertise da organização dos jogos mais recentes da categoria, em 2019 (vencida pela Seleção), e o bom estado de conservação dos estádios.

De acordo com a confederação, as datas de início e término do torneio estão confirmadas — 13 de junho e 10 de julho. Natal, Brasilia, Pantanal, Penambuco e Manaus serão as cidades-sede do torneio. O governo Jair Bolsonaro prontamente deu sinal verde à Conmebol. A entidade agradeceu ao chefe do Executivo e à Confederação Brasileira de Futebol por “abrir as portas desse país para o evento esportivo mais seguro do mundo”.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 31-5-2021, 13h30

Quem é o psicopata??

Remédio israelense teve 100% de eficácia contra covid em testes

Todos os pacientes manifestavam a forma grave da doença e 90% deles tinham comorbidades

Artur Piva

A Bonus BioGroup desenvolveu um remédio que teve 100% eficácia na recuperação de casos graves da covid-19. De acordo com a empresa israelense, que é especializada em biotecnologia, o MesenCure foi testado em dez pacientes internados no Rambam Health Care Campus, em Haifa, Israel. Em média, os doentes receberam alta um dia depois de iniciarem o uso da medicação. Os resultados preliminares dos ensaios clínicos fase I/II foram divulgados na última semana em uma conferência internacional em Nova Orleans, nos Estados Unidos.

“Até agora, os resultados do tratamento com o medicamento MesenCure são extremamente impressionantes”, disse ao Jerusalem Post, Shadi Hamoud, principal pesquisador do ensaio clínico. Segundo o cientista, todos os pacientes que passaram pelo tratamento têm entre 45 e 75 anos de idade, estavam com a versão grave da doença e 90% deles tinham comorbidades.

Título e Texto: Artur Piva, revista Oeste, 31-5-2021, 11h

[Versos de través] Mulher proletária

Jorge de Lima

Mulher proletária — única fábrica 
que o operário tem, (fabrica filhos) 
tu 
na tua superprodução de máquina humana 
forneces anjos para o Senhor Jesus, 
forneces braços para o senhor burguês.

Mulher proletária, 
o operário, teu proprietário 
há de ver, há de ver: 
a tua produção, 
a tua superprodução, 
ao contrário das máquinas burguesas 
salvar o teu proprietário.


Título e Texto: Jorge de Lima

Anteriores: 
O Relógio 
Bem no fundo 
Cobra Norato (trecho da obra) 
Os poemas 
Soneto da Fidelidade 
Não Há Vagas 
Os deslimites da palavra 

Dia dos Comissários de Voo


Parabéns aos Comissários e Comissárias que voaram e se aposentaram, aos que voaram na Varig e não receberam os salários, e aos que estão voando no Brasil e no mundo! 

Título, Imagem e Texto: Alberto José, 31 de maio de 2012

Contos loucos dos moucos (LVI) – Segunda-feira


– Hoje é segunda-feira!

– Sim, e daí?

– Faltam seis dias para a próxima segunda-feira!


Anteriores: 
(LV) – Aquele domingo 
(LIV) – São Larapial
(LIII) – Era de manhã
(LII) – Nunca mais esqueci aquele sinal
Je ne parle pas français
(L) – 27°C

[Língua Portuguesa] O que é ‘semântica’?


Anteriores: 

‘Até o’ ou ‘até ao’? 
Como designar isso daqui? 
Chamar atenção, chamar a atenção e chamar à atenção 
“Chegar a” ou “chegar em” casa? 
Globalização e Globalismo não é a mesma coisa? 
Com certeza ou concerteza? 
Dois-pontos: usar para quê? 
O hífen de “bem” e de “mal” 
Dia Mundial da Língua Portuguesa assinala-se hoje em 44 países

“Vai para a tua terra”: descubra as diferenças

“VAI PARA A TUA TERRA” NA VERSÃO DO BEM:

Salvini, torna alla tua terra”. Coimbra antifascista voltou a sair à rua. Centenas de pessoas percorreram as ruas da cidade em protesto contra a ascensão da extrema-direita.

Foto: Paulo Cunha/Lusa

“VAI PARA A TUA TERRA” NA VERSÃO DO MAL:

André Ventura “propõe” que Joacine “seja devolvida ao seu país de origem”. Livre acusa-o de racismo. Bloco quer que AR condene declaração.

Título: Helena Matos, Blasfémias, 31-5-2021

Aguardam-se explicações

Helena Matos

Ou esta imagem é falsa. Ou a partir de hoje terminaram em Portugal a obrigatoriedade do uso de máscara e as proibições para ajuntamentos.

Foto: Getty Images

Título e Texto: Helena Matos, Blasfémias, 31-5-2021

Polícia de Maduro mata mais que o coronavírus

A polícia bolivariana da Venezuela mata mais que a covid-19 e o crime organizado, concluiu o Observatório da Violência da Venezuela. Com efeito, ocorreram 4.231 mortes por ‘resistência à autoridade’ – este é o nome atribuído às execuções extrajudiciais feitas pelas Forças Especiais da Polícia Nacional Bolivariana, definidas pela ONU como ‘batalhões de extermínio’.

Em 2020 elas mataram quatro vezes mais que o coronavírus. De 2016 até agora, esses exterminadores já mataram 27.856 pessoas. Mais de seis milhões de cidadãos se exilaram, e o crime organizado utiliza o lockdown a fim de extorquir cestas básicas.

O crime se dolarizou, cessou o Estado de Direito, impera um tribalismo criminoso.

Título, Imagem e Texto: ABIM, 30-5-2021

'Anti-racist' white teacher stopped teaching Spanish to students because she is 'dismantling white supremacy in society'


A white teacher proclaimed that she is "dismantling white supremacy in society" by not teaching Spanish to her students. The anti-racist teacher proclaimed that she is holding herself accountable for her skin color by grappling with her own "internalized white supremacy."

Jessica Bridges is a Ph.D. candidate at the College of Education and Human Sciences at Oklahoma State University. She made "anti-racism and white women's complicity" her dissertation topic.

Bridges spoke at Southern Connecticut State University's Virtual Women's and Gender Studies Conference, a two-day event in late April that focused on "Gender, Race, Community & Conflict: Pursuing Peace and Justice." The conference included presentations such as "Diverging Feminisms: Engaging Transnational/Translational Activism," "Sex, Work, & Care as Resistance in the Age of Capitalism," "Undoing the White Settler-Colonial Gaze: Asserting Gendered, Racialized, and Radicalized Body Autonomy," "Understanding Your Vicarious Trauma during COVID-19 and Beyond," and "Igniting Social Justice, Community Engagement, and Diversity within the Neoliberal Academy."

Bridges spoke during the "White Accountability & Anti-Racist Education" presentation.

Read more »

Mais… Macron a d’autres priorités, ou d’autre obstination: Bolsonaro!

Energias

Nelson Teixeira

A energia que está em você irradia a todos que estão à sua volta e nos ambientes que você frequenta.

Fique sempre alerta para não deixar que a sua energia seja carregada por maus fluidos, porque seus pensamentos estão vagos ou negativos.

O alerta para parar, refletir e orar é quando seu temperamento muda de uma hora para outra, por algum motivo sua energia caiu e deixou-se influenciar por energias negativas.

Nesses momentos recorra à prece e volte ao seu ponto de equilíbrio.

Por isso, fique atento aos sinais que recebe diariamente, não deixe que energias externas afetem seu equilíbrio emocional, atrapalhando o bom andamento de sua vida.

Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 31-5-2021

domingo, 30 de maio de 2021

Na Escócia, estudante é processada por dizer que mulheres têm vagina

'As universidades estão menos preocupadas com o ensino superior e mais com a doutrinação dos alunos', garante colunista da Revista Oeste

Cristyan Costa

Lisa Keogh [foto], estudante de direito na Universidade Abertay, em Dundee, na Escócia, responde a um processo disciplinar e possível expulsão do curso. O crime? Afirmou que mulheres têm vagina. Tudo começou em um seminário de “estudos de gênero e feminismo”, promovido pela instituição, no início de maio. Durante a palestra virtual, Keogh fez menção à genitália feminina e afirmou que os homens são fisicamente mais fortes. “Eu não pretendia ofender ninguém. Estava participando de um debate e apresentei minhas opiniões sinceras. Fui agredida e xingada por outros estudantes, que me disseram que eu era uma ‘típica garota branca e cis’”, declarou a jovem, em entrevista ao jornal The Times.

“Submeter uma aluna a processo disciplinar por comentários como esse faz pouco sentido do ponto de vista educacional. Ela disse algo falso? Supostamente, a universidade pode chamar os professores de biologia para arbitrar e, no processo, ensinar um pouco de ciência aos estudantes. Ou foi o fato de que ela disse algo não aceito pela doutrina progressista corrente?”, interpelou Joanna Williams, colunista do site Spiked, no mais recente artigo que publicou na Revista Oeste. “Qualquer professor digno do cargo teria usado os comentários de Keogh como oportunidade para ensinar”, acrescentou Williams. “As universidades estão menos preocupadas com o ensino superior e mais com a doutrinação dos alunos.”

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 30-5-2021, 16h00 

[O cão tabagista conversou com…] Vítor Guimarães: “… a monte pela Galícia viajei até à Suécia onde pedi asilo político.”

Nome completo: Vítor Manuel Guimarães Dias

Nome de Guerra: Vítor Guimarães

Onde e quando nasceu?

Nascido em Vieira do Minho. Portugal.

Onde estudou?

Estudei no Liceu Nacional Sá de Miranda e na Universidade do Minho, em Braga.

Onde passou a infância e juventude?

Passei a minha infância e juventude entre Vieira do Minho e Braga.

Qual (ou quais) acontecimento marcou a sua infância e juventude?

O falecimento em combate pelas Forças Armadas Portuguesas em Moçambique, 1972, de meu tio, Alferes Comando Agostinho Guimarães.

No ano seguinte, de Portugal, clandestino, a monte pela Galícia viajei até à Suécia onde pedi asilo político.

Depois da revolução do 25 de Abril regressei a Portugal e prossegui os meus estudos na Universidade do Minho.

Em 1973 tinha que idade?

Em 1973 tinha 18 anos de idade, altura em que a guerra nas colónias portuguesas se arrastava, não havia evidência de uma descolonização pacífica e cada vez mais as tropas portuguesas eram sacrificadas numa guerra cruel. O meu tio Alferes Comando Agostinho Guimarães perdeu a vida nessa guerra assim como muitos outros militares. Muitas famílias perderam entes queridos e havia um descontentamento geral do povo português com a situação política do país.

Por que se mandou para a Suécia?

Antecipando a minha chamada para o serviço militar decidi sair do país. Tinha alguns contatos de amigos Bracarenses ex-colegas do liceu, que estavam exilados em Paris e em Upsala, na Suécia.

Como não tinha direito a concessão de passaporte e como residia a cerca de 25 Km da fronteira com Espanha, na serra do Gerês, decidi passar a monte. A minha família estava de acordo com a minha decisão.

Como viajou até lá?

Passei a monte perto do posto de fronteira Portela do Homem, cheguei a Lobios, na Galiza, e em seguida a Ourense. Usando diferentes autocarros e comboios, empurrado por ventos franquistas atravessei a Espanha até Irun/Hendaia, fronteira com a França onde com algumas indicações também passei a fronteira a monte.

Continuando em comboio finalmente cheguei a Paris onde estive em contato com outros Portugueses também refugiados. Estive lá um mês, trabalhei num restaurante e consegui um passaporte de 6 meses. Depois em comboio atravessei a Alemanha até Hamburgo, depois Lübeck e cheguei a Travemunde no norte junto ao mar Báltico. Aí embarquei num Ferry Boat Escandinavo e cheguei a Malmö no Sul da Suécia. Fui interrogado pelas autoridades aduaneiras locais. Declarei-me como estudante em turismo de visita a uns amigos Portugueses que moravam em Upsala cidade estudantil perto de Estocolmo. Permitiram a minha entrada no País como turista.

O que alegou no pedido de asilo político?

Continuei em comboio até Upsala onde fui recebido por um amigo português que lá residia como refugiado político. Com a ajuda deste consegui o status provisório de refugiado. Fiquei alguns meses na Suécia. Ia adaptando-me apesar de ter alguma dificuldade com o aprendizado da língua sueca, mas o facto de falar Inglês ajudava. Mais tarde voltei para Paris onde residi e trabalhei por um tempo.

Educação ao contrário

Olavo de Carvalho

Clicando no Google a palavra “educação”, seguida da expressão “direito de todos”, encontrei 671 mil referências. Só de artigos acadêmicos a respeito, 5.120. “Educação inclusiva” dá 262 mil respostas. Experimente clicar agora “educar-se é dever de cada um”: nenhum resultado. “Educar-se é dever de todos”: nenhum resultado. “Educar-se é dever do cidadão”: nenhum resultado.

Isso basta para explicar por que os estudantes brasileiros tiram sempre os últimos lugares nos testes internacionais. A ideia de que educar-se seja um dever jamais parece ter ocorrido às mentes iluminadas que orientam (ou desorientam) a formação (ou deformação) das mentes das nossas crianças.

Eis também a razão pela qual, quando meus filhos me perguntavam por que tinham de ir para a escola, só conseguia lhes responder que, se não fizessem isso, eu iria para a cadeia; que, portanto, deveriam submeter-se àquele ritual absurdo por amor ao seu velho pai. Jamais consegui encontrar outra justificativa.

Também lhes recomendei que só se esforçassem o bastante para tirar as notas mínimas, sem perder mais tempo com aquela bobagem. Se quisessem adquirir cultura, que estudassem em casa, sob a minha orientação.

Tenho oito filhos. Nenhum deles é inculto. Mas o mais erudito de todos, não por coincidência, é aquele que frequentou escola por menos tempo.

A ideia de que a educação seja um direito é uma das mais esquisitas que já passaram pela mente humana. É só a repetição obsessiva que lhe dá alguma credibilidade.

Que é um direito, afinal? É uma obrigação que alguém tem para com você. Amputado da obrigação que impõe a um terceiro, o direito não tem substância nenhuma. É como dizer que as crianças têm direito à alimentação sem que ninguém tenha a obrigação de alimentá-las. A palavra “direito” é apenas um modo eufemístico de designar a obrigação dos outros.

Prefeitos e governadores pedem mais R$ 40 bilhões ao governo

Entidades que reivindicaram o montante garantem que os recursos serão destinados ao enfrentamento do coronavírus

Cristyan Costa

Na quinta-feira 27, o secretário-executivo do Ministério da Saúde (MS), Rodrigo Cruz, recebeu um pedido de prefeitos e governadores: R$ 40 bilhões adicionais no orçamento da pasta para o enfrentamento do coronavírus. A solicitação consta em documento assinado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. Na papelada, as entidades signatárias garantem que 18 Estados têm ocupação de leitos maior que 80%. Portanto, exigem que o MS agilize a busca por recursos extras de modo a apoiar os entes federativos.

Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

Conforme o ofício, a quantia vai reforçar o atendimento hospitalar, o custeio de serviços da atenção básica e compra de insumos, remédios e equipamentos. “É fundamental termos aporte de recursos para garantirmos o enfrentamento da pandemia”, informou Carlos Lula, secretário de saúde do Maranhão e presidente do Conass, na nota direcionada ao MS. Desde o início da epidemia de covid-19, o governo Bolsonaro destinou R$ 64 bilhões a Estados e municípios. Parte dessa verba foi desviada por prefeitos e governadores, asseguram investigações da Polícia Federal. O caso ficou conhecido como Covidão.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 30-5-2021, 10h

Militante de passeata anti-Bolsonaro é flagrada depredando ponto de ônibus

Mulher que participava do protesto foi filmada pichando um ponto de ônibus, acompanhada de um amigo

Quintino Gomes Freire

Hoje pela manhã, durante o protesto contra o presidente da República Jair Bolsonaro, uma mulher foi flagrada por um passante, que gravou um vídeo dela emporcalhando um ponto de ônibus na avenida Presidente Vargas, junto com um amigo.

A militante, que vestia três adesivos com as palavras de ordem “FORA BOLSONARO”, vestia calça jeans e camisa e boné pretos, além de uma máscara, o que dificulta sua identificação. De pé, pichou o mobiliário urbano com a expressão “BOLSONARO MILICIANO”.

Logo após desvalorizar o ponto de ônibus – um daqueles mais novos, em vidro temperado e ferro, saiu andando com um amigo que a esperava terminar o dano ao patrimônio público.

Confira o vídeo:

Debate: Caio Coppolla vs Kim Kataguiri

Compra do Fashion Mall e Jardim Guadalupe Shopping foi concluída

Iniciada em outubro de 2020, a compra do Fashion Mall e do Guadalupe Shopping pela Gafisa, foi finalizada esta semana

Quintino Gomes Freire

Iniciada em outubro de 2020, a compra do Fashion Mall e do Shopping Jardim Guadalupe pela Gafisa, pelo, informações em off, valor de R$ 99,3 milhões, pagos em 2 parcelas, foi finalizado. No caso do Fashion Mall a incorporadora será proprietária de 100% e no Shopping de Guadalupe terá um sócio minoritário.

A Gafisa Propriedades já iniciou os esforços para o turnaround de ambos os empreendimentos. A conclusão desta operação é mais um marco para a recente história da Gafisa Propriedades, e contribui para a rica história da Gafisa como companhia inovadora em busca de geração de valor para seus acionistas”, afirmou a companhia em fato relevante ao mercado.

A Gafisa já começou a reestruturação do Fashion Mall, que estava um tanto abandonado. Essa marca de vez o retorno da Gafisa, uma das empresas líderes do mercado imobiliário brasileiro, e a aquisição dos complexos comerciais é tida por fontes do setor imobiliário como parte fundamental da estratégia de retorno da empresa ao Rio. Estas mesmas fontes creem que há a possibilidade de a Gafisa construir uma torre de apartamentos em cima do Shopping da Zona Sul.

Título e Texto: Quintino Gomes Freire, Diário do Rio, 29-5-2021

Biden é um desastre!

Curar o mal com o bem

Nelson Teixeira

Curar o mal com o bem é dever de todos, não estimular sentimentos de raiva, rancor e ódio é tarefa diária para todos aqueles que querem a melhora interior.

Não haverá discussão se o silêncio diante das ofensas prevalecer, não haverá dor se nos momentos difíceis utilizar a prece como remédio curador, não haverá maus pensamentos e sentimentos se a alegria estiver presente no coração.

Curar-se das mazelas emocionais pode ser mais simples do que se pensa, porque a cura está no positivismo da vida, na Felicidade de pequenos gestos e na forma como se enxerga os acontecimentos ao redor.

Não perca tempo, nem energia com sentimentos menores que afetam diretamente a sua tranquilidade, serene seus pensamentos e suavize suas palavras, não há desentendimento que suporte a doçura da paz e a leveza das palavras.

Boa reflexão!

Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 30-5-2021

[As danações de Carina] Pausa para pequena meditação

Carina Bratt  

INDUBITAVELMENTE CHEGO À CONCLUSÃO de que preciso de alguém. Uma pessoa séria, honesta, sincera, dona do seu nariz. Um ser meio que divino. Que acima de qualquer coisa me entenda, compreenda meus pontos fracos, e que eu possa, em paralelo, compartilhar meus anseios, meus desejos, minhas frustrações, meus medos e angústias, bem ainda minhas alegrias e encantamentos. Alguém real, de carne e osso, alguém centrado, os pés no chão, que saiba ouvir, calar, me calar, compreender e, claro, me aconselhar. 

Ando em busca constante, incessante e incansável. Na verdade, procuro em vão, um amor que me seja fiel, que me goste de verdade e que me faça a sua eterna namorada. Até agora, a minha busca por esta raridade tem sido inútil e infrutífera. Tenho, ou melhor, careço colocar na tela do meu computador o que me vai na alma. Isto virou rotina, hábito, virou algo mais banal, como tomar café, beber um copo d’água. Percebo, atônita, se não agir desta forma, rápida e rasteira, meus pensamentos me criarão embaraços e, uma vez assarapantado, meus neurônios, tenho certeza de que me perderei dentro de mim mesma. 

De uns tempos para cá tenho sentido medo, um medo tétrico, pavoroso, insensível aos meus percalços. Tenho sentido, igualmente, um receio mórbido de perder a vida, de me perder sem vida, pior, me ver vencida, obstruída feito um corpo morto à cata do fio da meada... Tenho medo, um medo grandemente enorme de perder a lucidez da razão e, de contrapeso, jogar no ralo a lógica que me faz viver intensamente cada minuto e me sentir um pouco mais feliz e dona de mim mesma. Quando você ama de verdade, a sua vida muda. Aliás, tudo se renova, se faz mais bonito, se transforma da água para o vinho. 

sábado, 29 de maio de 2021

Calçadas em Copacabana são focos de acidentes com idosos

A quantidade e a extensão de buracos na calçada da Carvalho de Mendonça vêm chocando moradores e frequentadores do bairro. A pequena rua de pedestres liga a Duvivier à Rodolfo Dantas

Quem passa pela rua Barão de Ipanema em direção à Avenida Copacabana tem que lidar com os buracos na calçada junto ao que sobrou da rampa que deveria levar os idosos e deficientes a cruzar a rua Domingos Ferreira, num dos trechos mais movimentados do bairro, por conta do polo gastronômico que vem se fortalecendo na rua, com ícones como o Vizinhando, o Stambul, a Caravelle e o Rincão do Tchê, sem contar o badalado Bossa e o tradicional Braseiro. O estado da rampa é lastimável.

Mas isso não é nada perto do que ocorre na esquina da Rua Duvivier com a Rua Carvalho de Mendonça, bem em frente ao tradicional Edifício Itaoca (número 43 da Duvivier), famoso por seu lindo portal em majólica verde, um dos ícones do estilo arquitetônico que leva o nome de Art Déco marajoara.

Já faz tempo que a esquina das duas ruas se transformou num horripilante camelódromo, onde são vendidos desde armários de cozinha velhos até livros, discos, e um “shopping chão”, que, segundo um morador que falou ao DIÁRIO, “vende o que foi roubado no dia anterior“. Mas com isso o morador de Copacabana meio que já se habituou.

A questão é que a calçada do local se transformou mesmo é numa calçada de terra batida. “Moro em Mesquita, mas a calçada daqui está pior que a do meu bairro lá na baixada“, disse Josivaldo Teixeira, que trabalha num hotel nas imediações da Carvalho de Mendonça.

O voo do avião moderno

Alberto José

Muitos inventores fizeram experiências que ajudaram a desenvolver a aviação. Na França, em 1906, o brasileiro Alberto Santos Dumont construiu e pilotou o avião 14-Bis, que em voo controlado era impulsionado por um pequeno motor de 50 HP!

O avião voa porque tem as asas construídas com perfil aerodinâmico (aerofólio). Quando o motor empurra o avião para frente, o fluxo de ar que passa sobre a asa provoca turbulência que anula a pressão atmosférica que pressiona a asa para baixo e, ao mesmo tempo, o fluxo de ar que passa por baixo da asa causa a diferença de pressão que resulta na sustentação, isto é, faz a asa se elevar no espaço.

O avião é formado basicamente pela fuselagem e asas construídas com alumínio e fibra de carbono, que é um material super-resistente. Na fuselagem ficam alojados os pilotos, os passageiros, estão fixadas as asas, as superfícies de controle, rodas, sistemas elétricos, mecânicos, hidráulicos e a estrutura da cauda com o estabilizador vertical e os estabilizadores horizontais, que são asas menores que permitem controlar o avião durante o voo.

O Douglas DC-10-30, de 1974, pesava 109 toneladas, velocidade de 982 km e capacidade para 241 passageiros

O leme é a superfície localizada no estabilizador vertical, que permite que o avião gire para a direita ou para a esquerda quando o piloto comprime um dos dois pedais existentes à sua frente. Os pedais servem também para acionar os freios das rodas nos deslocamentos no solo. Na cabine de pilotagem (cockpit), ele controla a subida, a descida, e a inclinação lateral do avião, para a direita ou para a esquerda por meio do “manche” - parecido com a metade do volante do automóvel - ao puxar o manche para trás o avião sobe, ao empurrar para frente, o avião desce. Quando gira para o manche para os lados, o avião se inclina para o lado que foi comandado pelo piloto. Nos aviões modernos, o manche está sendo substituído por um “joystick” para cada piloto. O acionamento coordenado do leme de direção com o aileron, faz o avião executar uma curva suave.

Na parte de trás de cada asa há superfícies hiper sustentadoras denominadas “flap “, que aumentam a área da asa e permitem o voo em baixa velocidade sem perder a sustentação. Na frente de cada asa há superfícies denominadas “slat “, que ao serem comandadas aumentam a eficiência aerodinâmica facilitando a decolagem e a aterrissagem. Sobre cada asa, há conjuntos denominados “spoiler “e “speed brake “que ao serem acionados reduzem drasticamente a velocidade em voo ou auxiliam a desaceleração no momento em que as rodas tocam a pista. 

Devido ao tamanho dos aviões, todas as superfícies que controlam o voo são acionadas por motores elétricos ou hidráulicos.

Vem aí a 95ª conversa…


Sim, está na reta final a nonagésima quinta conversa do cão tabagista. Que me proporcionou grande alegria e honra.

Aliás, antes de prosseguir, falando em conversas, ultimamente tenho estado bem feliz com elas. Não foi fácil chegar às noventa conversas, pois que, até então, de dez convites, onze recusaram. De umas semanas pra cá, para minha grande alegria, de dez convites, cinco aceitaram!

Agradeço, mais uma vez, às noventa e quatro pessoas que se dispuseram a conversar com o Cão

Foram, são opiniões que você não lerá na mídia “tradicional” (e decadente), pois que não interessada, nem um pouco, na opinião da população, mas em FAZER a opinião desta. Não têm conseguido.

Prosseguindo, então, o nosso próximo ‘conversado’ é Vitor Guimarães. Que não nega o sangue civilizacional português: andou, literalmente, pelas montanhas do mundo, viajou de trem, de canoa, em dorso de elefante, até de avião.

Gostou tanto de avião, que foi Comissário de Voo nas extintas Braniff International e Varig!

A conferir! 

Descontos especiais! Imperdível!

Com infestação de ratos, Austrália teme perdas de R$ 4 bilhões

Roedores têm destruído lavouras no país

Raquel Hoshino

Milhões de ratos se alastraram por áreas rurais da Austrália, especialmente nas regiões sul e leste, nos últimos meses, causando perdas nas lavouras do país. De acordo com a NSW Farmers, a principal associação de produtores de Nova Gales do Sul, o Estado mais populoso da Austrália e um dos mais afetados, a praga pode causar perdas de mais de 1 bilhão de dólares australianos (o equivalente a R$ 4 bilhões) na safra de inverno.

Segundo a entidade, a infestação pode se estender por até dois anos, caso não haja ações urgentes. Os roedores já se multiplicam também em Sydney, a maior cidade do país, informou o jornal Valor Econômico.

Título e Texto: Raquel Hoshino, revista Oeste, 28-5-2021, 20h

Como é ser liberal na periferia

A doutrina que vê o Estado como um ente que ampara os desfavorecidos não se sustenta na realidade dos bairros periféricos

Alessandro Santana, do Canal do Negão

Segundo o dicionário, liberalismo é uma doutrina político-econômica que surge, em sua essência, da vontade de limitação do Estado para a consequente ascensão da liberdade individual, dos direitos individuais, da igualdade perante a lei, da proteção à propriedade privada e do livre comércio.

Aposto um Dog do Sul — o melhor cachorro-quente da zona leste de São Paulo, vendido em uma barraca em frente ao Terminal Cidade Tiradentes — que, se você for a um bairro de periferia e perguntar para cem pessoas o que é liberalismo, 90 delas não saberão responder. As outras dez dirão, como eu, que é mais liberdade para o cidadão e menos interferência do Estado na nossa vida.

Sinceramente, vejo muito mais liberais num bairro de periferia do que em áreas nobres de São Paulo. É engraçado: toda vez que digo isso, noto que a maioria das pessoas ainda associa os moradores de periferias ao pensamento de esquerda. Pelo senso comum, nunca seriam liberais. Acontece que, quando você mora num bairro onde o dinheiro não mora, é obrigado a se virar como pode comprando e vendendo — e isso é, essencialmente, livre mercado.

Por exemplo, aqui no bairro de Cidade Tiradentes, em que vivo com minha mulher e meus dois filhos, é comum sair de casa para trabalhar às 5 horas. No ponto de ônibus, já tem uma pessoa vendendo café e bolo. Ela fica lá até as 7 horas. Depois, guarda as coisas em casa e vai para o trabalho “oficial” das 8 às 17 horas.

Foto: Google Street View

É muito comum também encontrar pessoas que têm dois empregos no mesmo emprego. É o caso de muitos porteiros. Eles trabalham em condomínios de bairros de classe média alta e, depois do expediente regulamentar, prestam vários tipos de serviço aos moradores e chegam a dobrar o salário. (O interessante é que muitos gostam do regime da CLT, já que a maquiagem estatal faz a legislação trabalhista parecer vantajosa — em contrapartida, ninguém pensa em pagar imposto ou recolher INSS sobre o rendimento do trabalho extra.)

Governo recebe 5,9 milhões de doses da vacina de Oxford neste sábado

Ao todo, serão 46 milhões de doses entregues pelo consórcio

Jonas Valente

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) disponibilizará mais 5,9 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca produzidas por ela ao Ministério da Saúde neste sábado (29). O quantitativo começará a ser distribuído aos estados hoje. O envio deve ocorrer pelos próximos dias.

Foto: Sergio Perez/Reuters

As doses serão entregues ao centro de distribuição do Ministério, na cidade de Guarulhos (SP). O estado do Rio de Janeiro receberá diretamente seu lote, uma vez que a sede da unidade de fabricação da Fiocruz fica na capital fluminense.

Com essas 5,9 milhões, serão 46 milhões de doses de vacinas entregues pelo consórcio. A previsão é que até o início de julho a Fundação Oswaldo Cruz entregue mais 16 milhões de doses, totalizando 62 milhões.

Rio de Janeiro permanece com risco moderado para covid-19

Baixada Litorânea e centro-sul fluminense tiveram aumento de casos

Vitor Abdala

O Rio de Janeiro permanece em bandeira laranja, com risco moderado de contaminação de covid-19. A bandeira laranja começou em 30 de abril, depois que o estado saiu da bandeira vermelha (risco alto). O dado foi divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Apesar disso, houve piora em duas das nove regiões do estado nesta semana. A Baixada Litorânea, que inclui a Região dos Lagos e o centro-sul fluminense, passou da bandeira amarela (risco baixo) para a laranja.

As demais regiões mantiveram as faixas desde semana passada. O norte do estado é a única área na faixa amarela. Em bandeira vermelha estão as regiões Metropolitana I (capital e Baixada Fluminense), a Baía da Ilha Grande e o noroeste do estado.

O Médio Paraíba, a região Metropolitana II, que inclui Niterói e São Gonçalo), e a região serrana continuam com bandeira laranja.

Bolsa bate recorde e dólar cai para menor nível desde janeiro

Moeda norte-americana acumula queda de 3,99% em maio

Wellton Máximo

Num dia de otimismo no mercado financeiro internacional, a bolsa de valores recuperou-se das quedas recentes e conseguiu superar o nível recorde registrado no início do ano. O dólar aproximou-se de R$ 5,20 e encerrou no menor nível em mais de quatro meses.

O índice Ibovespa, da B3, encerrou esta sexta-feira (28) aos 125.561 pontos, com alta de 0,96%. O indicador iniciou o dia próximo da estabilidade, mas disparou depois de a agência de classificação de risco JPMorgan melhorar as recomendações de compras das ações da Petrobras.

Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Os papéis ordinários (com voto em assembleia de acionistas) subiram 5,78%. As ações preferenciais (com preferência na distribuição de dividendos) valorizaram-se 4,17%. Como os papéis da Petrobras são os mais negociados no Ibovespa, têm peso significativo no indicador.

O Ibovespa está no maior nível desde 8 de janeiro deste ano, quando tinha fechado aos 125.077 pontos. O indicador acumula alta de 5,7% em maio e de 5,5% em 2021.

Câmbio

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou a sexta-feira vendido a R$ 5,212, com recuo de R$ 0,043 (-0,82%) e no menor valor desde 14 de janeiro. A cotação abriu próxima da estabilidade, mas passou a cair após a abertura dos negócios nos Estados Unidos. A divisa caiu 2,63% na semana e acumula queda de 3,99% em maio. Em 2021, o dólar sobe apenas 0,45%.

Cara, não sei explicar, adoro! Isto é Brasil!

sexta-feira, 28 de maio de 2021

Doria interrompe discurso de Carla Zambelli

Tucano se irritou após deputada afirmar que o presidente Jair Bolsonaro não decretou lockdown e não destruiu empregos

Afonso Marangoni

Em evento de entrega de conjuntos habitacionais na capital paulista nesta sexta-feira, 28, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), interrompeu um discurso da deputada Carla Zambelli (PSL-SP) [foto] em que ela fez críticas a medidas de fechamento adotadas na pandemia.

Foto: Cláudio Marques/Futura Press/Estadão Conteúdo

“Bolsonaro não fechou comércios. Bolsonaro não decretou lockdown. Bolsonaro não fez toque de recolher e também não destruiu empregos”, afirmou a deputada. Doria rebateu dizendo que o presidente “destruiu vidas” e é “genocida”.

Zambelli continuou e pontuou que a fala do tucano “é natural vinda de um governador que já mandou eu engraxar botas de militares”. E prosseguiu: “Digo para os senhores: eu prefiro ter que engraxar bota de militares, como o meu marido, por exemplo, é militar, e engraxo com muito orgulho a bota dele pra ele poder ir trabalhar”.

Pelas redes sociais, a deputada comentou o episódio: “Na inauguração de unidades habitacionais em SP, João Doria interrompeu meu discurso e gritou feito louco contra o presidente da República. Nunca imaginei passar por este tipo de saia justa. Mais amor, governador”. Ela finalizou: “Sigamos: já temos 90 milhões de doses de vacinas distribuídas pelo governo federal”.

Título e Texto: Afonso Marangoni, revista Oeste, 28-5-2021, 16h40

Advogado é preso por tráfico de drogas em condomínio de luxo na Barra da Tijuca

O suspeito foi capturado no momento que venderia mais de mil comprimidos de ecstasy

Altair Alves

Policiais civis da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) prenderam, na tarde desta quinta-feira, dia 27, um advogado por tráfico de drogas e venda de anabolizantes. Ele foi capturado no momento que venderia mais de mil comprimidos de ecstasy, no condomínio Novo Leblon, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Segundo os agentes, no local também foram encontrados comprimidos da droga “MD”. O material foi avaliado em R$ 150 mil. O criminoso foi localizado após monitoramento do setor de inteligência da unidade. 

Título e Texto: Altair Alves, Diário do Rio, 28-5-2021

Piloto de helicóptero da TV Record é baleado ao sobrevoar a região da Mangueira

Uma bala perdida também atingiu o quarto de uma criança, em um prédio na Avenida Marechal Rondon, ninguém ficou ferido

Altair Alves

Um piloto de helicóptero da TV Record foi baleado no joelho direito, na manhã desta sexta-feira (28/05), quando fazia um voo na região da Mangueira, na Zona Norte do Rio. O profissional foi identificado como Darlan da Silva Santana. Mesmo alvejado, ele conseguiu fazer um pouso de emergência no Estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Engenho de Dentro.

O quartel do Corpo de Bombeiros do Méier foi acionado às 7h50 para a ação. Darlan foi levado para o Hospital Municipal Salgado Filho e, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o paciente tem quadro de saúde estável. Além do piloto, um cinegrafista também estava na aeronave, mas não se feriu.

Na região da Mangueira, o intenso confronto entre policiais e criminosos assustou moradores que precisaram sair para trabalhar. De acordo com a PM, agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira realizavam policiamento pela Rua Visconde de Niterói quando criminosos armados atiraram contra os policiais. Outras equipes da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e do 4º BPM (São Cristóvão) foram acionados para dar apoio.

Prefeitura do Rio rebatiza Terminal Alvorada em homenagem ao arquiteto e urbanista Jaime Lerner

A partir de agora, o local chama-se oficialmente Terminal Alvorada - Arquiteto Jaime Lerner; ele foi o principal responsável pela criação do modelo de transporte usado pelo sistema BRT em todo o país

Raphael Fernandes

Falecido na última quinta-feira (27/5), aos 83 anos, o arquiteto e urbanista Jaime Lerner foi homenageado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Um decreto publicado no Diário Oficial do Município nesta sexta (28/05) renomeia o Terminal Rodoviário Alvorada, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da capital fluminense, para Terminal Alvorada – Arquiteto Jaime Lerner.

A homenagem ressalta a importância do arquiteto, internacionalmente conhecido por seus projetos, todos voltados para a maior qualidade das cidades. Em algumas de suas afirmações mais famosas, Lerner dizia que ”Não há futuro urbano se o transporte depende de veículos particulares” ou ainda que ”O carro é o cigarro do futuro”.

Foi ele quem, enquanto prefeito de Curitiba em 1974, implantou um sistema que previa que ônibus trafegassem em canaletas exclusivas, através de terminais integrados. Conhecido como Ligeirinho, o BRT (Bus Rapid Transit) foi elogiado e adotado em pelo menos 177 cidades pelo mundo, incluindo o Rio de Janeiro.

Jaime Lerner atuou em múltiplas funções, conciliando as atividades de arquiteto e urbanista, professor de urbanismo na Universidade Berkeley e presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA). Foi prefeito de Curitiba por 3 vezes, entre os anos 70 e 90 e, posteriormente, governador do Paraná por 2 mandatos consecutivos, de 1995 a 2002.

FHC, Lula e a teoria dos tolos

Ao apoiar um criminoso, Fernando Henrique Cardoso desmerece a própria história

Guilherme Fiuza

Não é que seja embaraçoso para Fernando Henrique apoiar Lula a esta altura do campeonato. Ele parecia bem à vontade até. A coisa fica embaraçosa é para o país mesmo — pelo menos a parte dele que ainda quer ser chamada de país e não de bando. Como colocar lado a lado a regência do Plano Real e a lavagem de reputação de um ladrão sem se confundir entre mocinhos e bandidos na aula de História?

Esquece aula de História — que se tornou infelizmente um lugar perigoso. Quem há de negar? Em qualquer ponto do território nacional você pode achar que está numa aula de História e estar, na verdade, num comício de um simpático professorzinho do Psol. O problema é que as distorções não vêm só dessa panfletagem dominante. A tentação ao proselitismo fantasiado de conhecimento está em toda parte. E a prova disso é essa tese de que FHC e Lula são irmãos siameses num projeto de dominação “da esquerda”. O nome disso é ignorância.

Para levar essa tese adiante numa aula de História — talvez com um professorzinho “de direita” — seria preciso no mínimo jogar fora dez anos dela, a História. Isso nunca foi problema para os totalitários de Stalin e jamais será problema para panfletários de qualquer estirpe. O que importa é montar um clubinho de adeptos da sua apologia, seja ela qual for. Repetindo para quem não estava prestando atenção: apologia, não ideologia. Não há vestígios ideológicos no arsenal intelectual (sic) dos apologistas. Eles nem chegam lá.

A década que estamos te convidando a apagar da História do Brasil para ver se cola essa teoria tosca da armação Lula & FHC como um “mecanismo” de dominação “da esquerda” (haja clichê) vai de 1993 a 2003. O que aconteceu nesse período?

A versão cangaceira do inspetor Clouseau

Renan Calheiros busca na Alemanha nazista provas de que um Hitler brasileiro está em ação desde o começo da pandemia

Augusto Nunes

Até a manhã de 25 de maio do ano da graça de 2021, nenhum brasileiro sequer desconfiava da existência de uma versão cangaceira do Inspetor Clouseau, o investigador doidão interpretado por Peter Sellers em A Pantera Cor-de-Rosa. Agora já sabem disso todos os que acompanharam naquele dia o desempenho de Renan Calheiros na CPI da Pandemia, nome oficial do circo montado no Congresso em que o senador alagoano capricha no papel de superdetetive de picadeiro. Só um trapalhão vocacional mostraria já na terceira semana de apresentações que o relatório ficou pronto antes de colhido o primeiro depoimento, e foi redigido pelo pior aluno da classe na faculdade de direito em Maceió.

Só um sócio remido do clube dos cretinos fundamentais, identificados por Nelson Rodrigues, divulgaria tão cedo o trecho do parecer que compara Jair Bolsonaro a Adolf Hitler, mortes provocadas pela covid-19 num país sul-americano ao Holocausto dos judeus na Alemanha nazista, integrantes do governo federal ao primeiro escalão do Führer e vigaristas aglomerados na CPI aos juízes do Tribunal de Nuremberg, que puniram o que restara do alto-comando do III Reich. Só um Inspetor Clouseau cangaceiro, enfim, enxergaria semelhanças entre a mais feroz ditadura do século passado e o Brasil democrático do terceiro milênio.

Renan andou estudando com especial interesse a figura de Hermann Goering (Góringui, em cangacês castiço). Precisa aplicar-se muito mais, alertam as derrapagens ocorridas durante a selvagem sessão de tortura sofrida pela História. “Góringui acabou se suicidando e não foi executado na cela, como estava previsto”, viajou o relator. O que estava previsto era a execução por enforcamento num dos três cadafalsos armados no presídio de Nuremberg, não na cela. “Em várias ocasiões durante o julgamento, o acusado exibiu filmes dos campos de concentração nazistas e de outras atrocidades”, reincidiu. Os filmes foram exibidos pelos acusadores, claro. Não pelo acusado.

O golpe do candidato moderado

O prejuízo de Lula é deixar o país exatamente como está. É não tocar no Brasil Velho que manda desde sempre. É manter errado, ferozmente, tudo o que está errado

J. R. Guzzo

Prepare-se para lhe oferecerem, a partir de agora e até o dia das eleições para presidente de 2022, o conto do vigário do ano: há um “candidato moderado” na disputa, vão lhe propor os vigaristas, e ele se chama Luiz Inácio Lula da Silva. É como um desses telefonemas em que uma moça educadíssima, com voz de artista de novela e alguma explicação muito coerente, diz que você tem um crédito de R$ 1,5 mil a receber por conta de um erro de lançamento do banco — para receber, basta mandar a senha do seu cartão etc., etc., etc. O crédito falso é a história de que Lula virou um modelo de tolerância, de respeito pela opinião alheia e de espírito democrático. A senha do cartão é o seu voto para presidente.

Estão querendo convencer o público pagante, para começo de conversa, de que Lula está botando na caçamba do seu caminhão uma quantidade incalculável de votos do “centro” — é exatamente por isso, aliás, segundo nos dizem os analistas de eleição e os prêmios Nobel de ciência política, que as “pesquisas de intenção de voto” estão dando essa montanha de votos para Lula. Não existem tantos lulistas assim no Brasil nem no mundo; de onde estariam vindo, então, os números publicados pelos institutos? Estariam vindo, explica a moça do telefone, dos brasileiros que não querem “extremos”. Muitos dos quase 58 milhões que votaram no presidente Jair Bolsonaro, diz ela antes de pedir a senha, se cansaram do seu radicalismo e estão à procura de um sujeito equilibrado, safo e boa gente para 2022. Esse sujeito é Lula.

Ajuda um colosso, é claro, o fato de que os institutos de pesquisa, a esta altura do jogo, não precisam documentar suas descobertas com nenhum elemento de ordem técnica; isso a lei só exige para depois, já mais perto das eleições. Por enquanto é um vale-tudo em que qualquer um pode dar como verdade matemática, virtualmente, qualquer número que lhe passar pela telha, sobre qualquer candidato, real ou imaginário. Outro passo para criar a fábula de que há um novo Lula na praça, diferente daquele que ameaçava chamar “o exército do Stédile” para castigar os seus inimigos, e vivia dizendo que o problema da Venezuela era ter “democracia demais”, é incluir seu nome entre os possíveis “Bidens brasileiros”. Sim, acredite se quiser: há gente falando, a sério, que o mundo político nacional está preocupadíssimo em encontrar esse possível cruzamento de Atlas com São Francisco de Assis, ou o presidente ideal para qualquer país do planeta — e Lula poderia ser um belo Biden made in Brazil.

YouTube remove vídeos de Bolsonaro sobre cloroquina e tratamento precoce

Gazeta do Povo

O YouTube confirmou a remoção de vídeos do presidente Jair Bolsonaro com citações à cloroquina, à ivermectina e ao tratamento precoce - um coquetel de 17 medicamentos - contra a Covid-19. De acordo com a assessoria de imprensa da empresa, Bolsonaro teria violado a política de uso da plataforma ao recomendar essas substâncias. A simples menção dos remédios, frisa a plataforma, não seria motivo suficiente para a retirada dos vídeos.

Esta não é a primeira vez que o YouTube remove vídeos sobre tratamento precoce alegando que estariam divulgando "informações médicas incorretas" - o que nem sempre corresponde à verdade. No começo do mês, por exemplo, um vídeo da Gazeta do Povo, com uma entrevista técnica com a médica Raíssa Soares, Secretária de Saúde da cidade de Porto Seguro (BA) foi censurado. A retirada foi contestada, mas o YouTube não restabeleceu o conteúdo.

O YouTube diz ainda que se fundamenta em um suposto consenso médico sobre o tema, o que não é verdade. O debate sobre o tratamento precoce ainda não está pacificado: existem dois grupos de pesquisas científicas, ainda não conclusivas, que desaconselham ou aprovam o uso de medicamentos como hidroxicloroquina, azitromicina, zinco e outros em pacientes com Covid-19.

Título e Texto: Gazeta do Povo, 27-5-2021

‘Pfizer me pôs em situação muito violenta de demandas’, afirma Alberto Fernández

Presidente da Argentina teve de explicar por que não comprou vacinas produzidas pelo laboratório norte-americano

Edilson Salgueiro

O presidente da Argentina, Alberto Fernández [foto], afirmou não ter adquirido a vacina contra a covid-19 produzida pela Pfizer/BioNTech porque o laboratório norte-americano submeteu o governo do país a demandas muito violentas. “Não quero comprar [os imunizantes] porque as condições iniciais que a Pfizer sugeriu me pôs em situação muito violenta de demandas e comprometeu o país”, declarou Fernández, em entrevista concedida ao artista Pedro Resemblat, no YouTube.

O presidente argentino, contudo, não especificou as condições impostas pelo laboratório norte-americano para a venda ao país de 14 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus. “Não posso assinar porque estão me pedindo coisas excessivas”, asseverou Fernández. “A negociação com a Pfizer nunca foi interrompida e continua até hoje. Quando você analisa como a Pfizer agiu com aqueles que compraram a vacina, a verdade é que ela cumpriu [as promessas] em parte e não cumpriu com muitos.”

Título e Texto: Edilson Salgueiro, revista Oeste, 28-5-2021, 8h

Justiça derruba censura contra entrevista de Luciano Hang

Empresário participou do programa Direto ao Ponto, da rádio Jovem Pan, apresentado por Augusto Nunes, colunista de Oeste

Edilson Salgueiro

O juiz Gilberto Gomes de Oliveira Junior, da Vara Cível da Comarca de Brusque (SC), determinou nesta quinta-feira, 27, a reativação da entrevista concedida pelo empresário Luciano Hang [foto] ao programa Direto ao Ponto, da rádio Jovem Pan, apresentado por Augusto Nunes, colunista de Oeste.

Na decisão, o magistrado enfatizou que a exclusão do conteúdo demonstra ofensa ao direito de liberdade de expressão, garantido pela Constituição Federal. Diante disso, Oliveira Junior determinou ao YouTube que republique o vídeo nos mesmos links anteriormente disponíveis, sob pena de multa diária no valor de R$ 10.000 (dez mil reais).

A entrevista foi concedida pelo dono da rede de lojas Havan em 29 de março. A publicação contava com mais de 2,5 milhões de visualizações quando foi retirada da plataforma, em 21 de maio, sem qualquer aviso prévio.

Não foi a primeira vez

Outro episódio de censura foi derrubado em 23 de abril, quando o juiz Marcelo Augusto Oliveira, da 41ª Vara Cível de São Paulo, determinou que a agência de checagem Aos Fatos excluísse a tarja que qualificava de fake news duas reportagens de Oeste. Na ação, a primeira do gênero no Brasil, ficou provado que tais agências tacham de fake news o que contradiz algo que consideram uma verdade absoluta.

Senador exibe placa com número de recuperados, em contraponto a Renan

Desde o início da comissão, Calheiros trocou sua placa de identificação pelo número de mortos em decorrência da pandemia

Afonso Marangoni

Na CPI da Covid, o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) exibiu nesta quinta-feira, 27, em sua bancada, uma placa com o “número de vidas salvas” na pandemia, fazendo referência aos brasileiros que contraíram a covid-19 e sobreviveram.

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

A atitude do senador é um contraponto ao relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL) que, desde o início da comissão, trocou a placa de identificação do seu nome pelo número de mortos em decorrência da pandemia no Brasil.

Na placa, Luis Carlos Heinze exibiu o número de pessoas recuperadas: 14.733.987. O senador usou dados do Ministério da Saúde.

Título e Texto: Afonso Marangoni, revista Oeste, 27-5-2021, 16h30