quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Confiança do empresário é a maior desde junho de 2010, diz CNI

Otimismo é maior entre os empresários da indústria de transformação


Agência Brasil

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) subiu para 65,3 pontos em janeiro. Com a alta de um ponto em relação a dezembro de 2019, o indicador está 10,5 pontos acima da média histórica e é o maior desde junho de 2010.Os dados são da pesquisa divulgada hoje (23) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os indicadores variam de zero a cem pontos. Quando estão acima de 50, mostram que os empresários estão confiantes. Quanto maior o índice, maior e mais disseminada é a confiança. O Icei é maior nas grandes empresas, segmento em que subiu para 66,4 pontos neste mês. Nas médias, o Icei é de 64,9 pontos e, nas pequenas, de 63,4 pontos.

“A confiança elevada se baseia não somente nas expectativas para os próximos seis meses, como também no sentimento de melhora da situação econômica corrente”, diz a pesquisa.

De acordo com a CNI, o índice que mede a percepção dos empresários sobre as condições atuais dos negócios e da economia aumentou 0,9 ponto frente a dezembro e ficou em 59 pontos em janeiro, o maior nível desde junho de 2010. O índice de expectativas subiu um ponto em relação ao mês passado e está em 68,4 pontos. Na avaliação da CNI, isso mostra que os empresários estão otimistas em relação ao desempenho das empresas e da economia nos próximos seis meses.

Lei anticrime entra em vigor hoje

Projeto foi sancionado pelo governo em 24 de dezembro de 2019

Agência Brasil

Começa a vigorar nesta quinta-feira (23) a Lei 13.964/2019, conhecida como pacote anticrime, aprovada pelo Congresso e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 24 de dezembro do ano passado.

Houve 25 vetos à matéria aprovada pelo Congresso. O pacote reúne parte da proposta apresentada no início deste ano pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e trechos do texto elaborado pela comissão de juristas coordenada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.


Entre os pontos que foram vetados estão o aumento de pena para condenados por crimes contra a honra cometidos pela internet e o aumento de pena para homicídios cometidos com arma de fogo de uso restrito, que poderia envolver agentes da segurança pública.

Juiz de garantias
Nessa quarta-feira (22), o vice-presidente do STF, ministro Luiz Fux, decidiu suspender a aplicação do mecanismo do juiz de garantias pela Justiça, até o plenário da Corte julgar o mérito da ação, o que não tem data para ocorrer.


A decisão anula liminar concedida pelo presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, que, na semana passada, suspendeu a aplicação das regras por seis meses. Toffoli chegou a criar um grupo de trabalho no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que também é presidido por ele, para discutir a implementação do juiz de garantias.

Nomeação de Regina Duarte deve ocorrer após viagem à Índia

Bolsonaro falou sobre o assunto ao deixar o Palácio da Alvorada

Andreia Verdélio

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (23) que a nomeação da atriz Regina Duarte para a Secretaria Especial de Cultura deve ser acertada após sua viagem à Índia. Bolsonaro embarcou na manhã desta quinta-feira para o país asiático e a previsão é de que retorne ao Brasil na terça-feira (28).

Regina foi convidada pelo presidente para assumir o cargo de secretária especial da Cultura após a  exoneração do dramaturgo Roberto Alvim, na semana passada. A atriz declarou que está “noivando” com o governo, mas ainda não confirmou se aceitará o convite. Segundo a assessoria da Presidência da República, a possibilidade de ela assumir o cargo ainda está sendo debatida.

Foto: Carolina Antunes/Agência Brasil
"Talvez na volta a gente acerte. Ela merece, realmente, quase que uma festa por ocasião da assinatura da posse. Deve ser na volta. É uma pessoa muito especial", afirmou Bolsonaro ao deixar o Palácio da Alvorada nesta manhã.

Ontem (22), o presidente recebeu a atriz para um almoço no Palácio do Planalto. Ela também se reuniu com os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e visitou a sede da Secretaria Especial de Cultura, na Esplanada dos Ministérios.

A Secretaria Especial da Cultura informou que a atriz continua em Brasília e que hoje participará durante todo o dia de reuniões para ampliar o entendimento sobre a pasta. Entretanto, a agenda detalhada não será divulgada e ela não concederá entrevista à imprensa.

"Está indo bem, ela está perfeitamente adaptada, parece que está no governo há um tempão, está cheia de vontade, tenho conversado com ela, dando dicas como deve formar o perfil do seu secretariado. Acho que esse casamento vai dar o que falar, mas não é agora não", disse Bolsonaro.

Viagem à Índia
Bolsonaro deve chegar ao país asiático na sexta (24), sem compromissos oficiais previstos no dia do desembarque. No sábado (25) e no domingo (26), ele cumpre agenda com protocolo de visita de Estado, que inclui reuniões com o presidente indiano, Ram Nath Kovind, e o primeiro-ministro e chefe de governo do país, Narendra Modi. No domingo (26), Bolsonaro participará das comemorações do Dia da República da Índia.

Charada (1 187)

Qual é o
resultado
da seguinte equação?

7 + 7 / 7 + 7 x 7 – 7 = ?

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

[Viagens & Destinos] Cabo Espichel

O Cabo Espichel é um promontório localizado em Portugal, a oeste da vila de Sesimbra. É delimitado a sul e oeste pelo oceano Atlântico e a norte pela estrada nacional 379 e Ribeira dos Caixeiros. Marca a extremidade sudoeste da península de Setúbal. No cabo vislumbra-se, vertiginosa e abissal, a Baía dos Lagosteiros.

Foto: Diego Delso

Conjunto histórico
No cabo Espichel situa-se o conjunto do Santuário de Nossa Senhora da Pedra Mua - Igreja de Nossa Senhora do Cabo, Ermida da Memória, Casa dos Círios, Terreiro no Cabo Espichel, Cruzeiro, Casa da Água e Aqueduto no Cabo Espichel.


O conjunto arquitetônico do chamado Santuário de Nossa Senhora da Pedra Mua, implantado no extremo do Cabo Espichel, é sem dúvida o mais importante e característico do Concelho. Há neste precioso agregado de edificações, desde a antiga Ermida da Memória à Igreja Seiscentista, desde os corpos rústicos das "hospedeiras" ao aqueduto e à "Casa da Água", uma unidade de valores gráficos que fez esquecer a disparidade de estilos.

O culto de Nossa Senhora do Cabo perde-se na bruma dos tempos e é crível que anteriormente à sua veneração - a partir do Séc. XV - o Cabo Espichel fosse centro de peregrinações.

O atual culto remonta a cerca de 1410, ano em que teria sido descoberta na extremidade de Cabo Espichel a venerada imagem de Nossa Senhora do Cabo, por dois velhos da Caparica e de Alcabideche, que em sonhos coincidentes teriam sido avisados pelo Céu.

Antes de 1701 - data da construção da atual igreja - o arraial era circundado de casas para os romeiros que não obedeciam a alinhamento especial, e que se dispunham em torno do primitivo templo.

Allan dos Santos, do Terça Livre, conversa com Alexandre Garcia


Terça Livre Live, 22-1-2020

Austeridade ou gastança? Exclusivo: Campello abre o cofre e mostra situação financeira do clube Vasco da Gama

Atenção Vascaínos!

No dia do Clássico dos Milhões, o canal Atenção Vascaínos! traz uma entrevista exclusiva e esclarecedora com o presidente do Vasco, Alexandre Campello [foto]. Nesse papo com Flavio Dias, ele apresentou toda a situação financeira do clube no momento.


Além disso, falou sobre o futebol, reforços, manutenção de atletas, como o Vasco planeja obter novas receitas, novos patrocinadores, venda de atletas, a criação de um segundo CT e muito mais!

Esta entrevista é um oferecimento aos nossos mais de 93 mil inscritos e aos nossos parceiros e anunciantes, o que mostra a força e seriedade que vem sendo feito aqui no canal.

Confere agora esse papo exclusivo e sem cortes!



ASSOCIA VASCO! Seja sócio agora do Clube de Regatas Vasco da Gama: https://sociogigante.com

Ajude o Vasco a erguer o melhor CT do Brasil: https://www.kickante.com.br/vasco
Título, Texto e Vídeo: Atenção Vascaínos!, 22-1-2020

Tem uma pedra no caminho

Péricles Capanema

Tem uma pedra no meio do caminho. Drummond — que aliás qualificou o verso famoso de “texto insignificante, um jogo monótono” — na verdade escreveu “tinha uma pedra no meio do caminho”. Podia ser que já não mais lá estivesse. Eu, por meu lado, não estou tratando do passado, refiro-me a presente candente, agora tem uma pedra grande no meio do caminho. Trata-se de tirá-la da frente.

Vamos aos fatos. O Dr. Salim Mattar, secretário-especial de Desestatização e Desinvestimento, em 14 de janeiro afirmou, ao longo de 2020 o governo pretende arrecadar com privatizações, vendendo uns 300 ativos, em torno de R$150 bilhões. Aplausos, o caminho para a prosperidade passa pela desestatização; de outro modo, pela privatização.

Informou a mais o dirigente, a Caixa, o Banco do Brasil e a Petrobrás não serão tocados. Os Correios ficaram para fins de 2021. Anunciou ainda, a maior parte do dinheiro arrecadado virá de desinvestimento (vendas) no sistema Eletrobrás. Em suma, enorme programa de privatização em curso; para torná-lo mais ágil serão encaminhados projetos de lei à Câmara dos Deputados, asseverou o Dr. Salim.

Repito o que escrevi, para mim, em princípio, quanto mais ampla a privatização, melhor. O particular tem mais eficácia que o burocrata quando o assunto é contratar, comprar, vender e produzir. No fim, com a economia na mão de particulares e não do Estado, teremos produtividade maior; enfim, mais emprego e renda, o que favorece o bem comum. E que o Estado execute bem o que lhe é próprio, regulações, defesa, segurança, proteção da moeda, atenção especial aos mais carentes, alguma coisa mais, tem valioso e insubstituível papel. É a aplicação do princípio da subsidiariedade nas relações entre a sociedade e o Estado, entre o particular e o estatal. Paro, e até peço desculpas, estou me sentido um pouco o conselheiro Acácio.

Agora, com licença do Eça, dou as costas ao conselheiro, e trato de assuntos que não são (ou não parecem) óbvios, ênfase em matéria constitucional.

Ao longo de 2020, aposta minha, o leitor escutará até o fastio as seguintes expressões: empresários chineses, empresas chinesas, investimentos chineses, investidores chineses. Não acredite. É mentira deslavada. Melhor, fraude escandalosa para esconder a realidade (conhecida, aliás, do Brasil inteiro, mas misteriosamente silenciada). Vou explicar.

Dizia Talleyrand, “boutade” dele, uma a mais, a palavra nos foi dada para dissimular o pensamento (há variadas versões do que ele teria de fato afirmado, todas em torno da ideia de que a palavra mais serviu para disfarçar do que para exprimi-lo). É o nosso caso, a dissimulação. Mais no ponto, dissimular para ocultar a verdade inteira.

A Cor Do Dinheiro: Comentário Diário - 22 de janeiro de 2020


Antes da ordem do dia: 
O Estado português insiste em meter-se em negócios privados 👎
O governo vai baixar as portagens das SCUT. Alguém vai pagar 😡
O Luanda Leaks e a PwC... 🤭
O aeroporto do Montijo vai para a frente👍
Os avisos da Comissão e da Comissão 🤭

1 - O governo mexeu nas tabelas de IRS e o seu salário vai aumentar. É mesmo assim? Cuidado! 😳🧐

2 - O Tribunal de Contas não gostou do responso de Fernando Medina e respondeu grosso 👍💪

3 – Por que está a Sonae preocupada com a situação de Isabel dos Santos? 🤭😉

4 - A Sonae tem muitas razões de queixa de Isabel dos Santos... 🤭🤔

5 - Afinal o dinheiro de Sócrates é mesmo do seu primo! 😂😂

6 - Frase da semana: “O investimento angolano continua a ser bem-vindo em Portugal... no respeito da legalidade”. Marcelo Rebelo de Sousa.



A Cor Do Dinheiro, 22-1-2020

Relacionados:

A economia portuguesa

Rui A.

Imagine que você tem 40 anos e que, por qualquer razão que não vem agora ao caso, recebia 500 mil euros limpos de encargos e impostos, prontos a que lhes dê o destino que muito bem entender.

Sendo embora muito dinheiro, não é, contudo, suficiente para você se encostar às boxes e deixar de trabalhar. Donde o mais sensato seria investir esse dinheiro nalguma coisa que lhe dê rendimento e segurança para alguns anos de vida.

Assim, a primeira ideia que tem é a mais natural do mundo: ir depositá-lo num banco. Todavia, informando-se sobre o estado da banca portuguesa (e europeia) e dos depósitos bancários, facilmente constatará que os depósitos a prazo não lhe dão qualquer rendimento, que terá que pagar taxas bancárias elevadas para manter a sua conta e, pior do que isso, que nenhum banco lhe oferece a garantia de que, daqui por meia-dúzia de anos, esteja ainda de portas abertas, com o seu dinheiro em segurança. Você desiste da ideia e passa para a seguinte.

E pensa, com naturalidade, em investir em imóveis, de modo a poder colocá-los no mercado para obter rendimento. A primeira constatação, contudo, é que irá pagar elevados impostos na transação de compra. Depois, que terá de pagar, de quatro em quatro meses, o IMI, que tem vindo a crescer nos últimos anos e que é muito pesado. Também ouviu falar no Imposto Mortágua e, obviamente, teme que este o abranja.

Depois, pensa no Alojamento Local, negócio de que ouviu dizer muito bem e onde constava que se ganhava algum dinheiro. Foi informar-se e ficou a saber que já não é assim: os impostos sobre esse ramo de atividade aumentam todos os anos, a cada orçamento que é feito, criaram-se zonas de proteção, nas grandes cidades, onde o imposto sobre os rendimentos do negócio aumenta ainda mais, criam-se regras burocráticas em cima de regras burocráticas, a água que se consome tem um preço superior ao dos imóveis comuns, etc.. Então, você conclui que o Alojamento Local também já não é negócio seguro para gastar o seu dinheiro.

Aí pensa no arrendamento comum. Mas fica imediatamente de sobreaviso com as notícias de que o governo se prepara para impor rendas de valor limitado, para garantir o chamado «direito constitucional à habitação», que tem vindo a congelar as atualizações anuais e que se prepara para aprovar legislação que impeça, ou dificulte ao extremo, os despejos em caso de incumprimento contratual. Para além do mais, qualquer renda que cobre tem o inconveniente de ter de pagar, à cabeça, 28%, sendo que, no fim do ano fiscal, quando faz a sua declaração de IRS, a soma de rendimentos que daí vêm, mais os que tem do seu trabalho, provavelmente o farão aumentar de escalão e terá, por isso, de pagar ainda mais impostos. Por tudo isto, também desiste dessa hipótese.

Forte divisão marca início de julgamento do impeachment de Trump

Sessão do Senado norte-americano começou ontem, terça-feira (21)

NHK

O julgamento do impeachment do presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump teve início com forte divisão sobre as regras que vão reger os procedimentos. O julgamento começou no Senado dos EUA nesta terça-feira (21).

Foto: Reuters/DR

A Câmara dos Representantes, controlada pelos Democratas, aprovou o impeachment de Trump no mês passado, sob acusações de abuso de poder e obstrução do Congresso.

Trump foi acusado de abuso de poder por ter pressionado, visando ganho político e pessoal, a Ucrânia a investigar Joe Biden, ex-vice-presidente dos EUA e líder na disputa por uma indicação para disputar a presidência pelo Partido Democrata.

O caso avançou para o Senado, onde membros da Câmara vão atuar como promotores, liderados pelo presidente da Comissão de Inteligência Adam Schiff.

No primeiro dia, o advogado de Trump, Pat Cipollone, destacou a determinação da equipe de defesa de afirmar a inocência do presidente. Ele disse que "a única conclusão será de que o presidente não fez absolutamente nada de errado".

O líder do impeachment, Adam Schiff, disse que "a maioria dos americanos não acredita que haverá um julgamento justo. Eles acreditam que o resultado já foi previamente definido". Schiff afirma que testemunhas, incluindo o ex-secretário de Segurança Nacional John Bolton, deveriam receber permissão para depor.

O Partido Democrata também pediu que fossem apresentados documentos da Casa Branca e outros registros relacionados à suspensão temporária de ajuda militar dos EUA à Ucrânia. O Senado, liderado pelos Republicanos, se opõe à medida.

O Partido Republicano quer concluir o julgamento provavelmente até o fim de janeiro. Democratas estão tentando conquistar o apoio da população, convocando testemunhas para o julgamento.

Próximos passos
Donald Trump é o terceiro presidente da história dos Estados Unidos a enfrentar um processo de impeachment, depois de Andrew Johnson em 1868 e Bill Clinton, em 1999 – ambos absolvidos.

Charada (1 186)

Constantino comprou
três camisas:
uma cinzenta,
uma branca
e uma azul.
Também comprou
duas gravatas:
uma vermelha e uma verde.


De quantas
maneiras diferentes
poderá ele usar
as três camisas
e as duas gravatas?

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Sergio Moro no Roda Viva: os liliputianos não puderam com Gulliver

Gente!

Entrevista maravilhosa!

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública se agigantou! E com ele, todo o governo atual da República Federativa do Brasil!


Falei em entrevista, well... não foi propriamente uma entrevista, foi um interrogatório policial, ou um tribunal inquisitorial. Com exceção de Felipe Moura Brasil, os demais ‘jornalistas’ se comportaram como acusadores, o que não deve surpreender NINGUÉM, pois que são TODOS notórios militantes da oposição a Jair Bolsonaro, ao governo deste e a qualquer coisa ou ser que esteja ao lado dele. Fazem um esforço danado para de notórios passarem a... notáveis. Como eu acabo de ver, nunca passarão de bobos da corte, com a agravante de esta os ignorar.

Logo na introdução, a senhora Vera Magalhães, dando-se ares de ‘jornalista isenta’, começou metendo o pau (atacando) o entrevistado. Depois, foi o que se viu.

Confesso que fiquei surpreso com a calma e fleuma do ‘acusado’. Demonstrando ao vivo e em cores que não deve nem teme. E como ele mesmo disse, ele é diferente do presidente Jair Bolsonaro, que não tem a mesma calma perante esses inquisidores.

Ilustração: Paulo Caruso
Aliás, falando em Bolsonaro, quando provocado ou rasteirado, espetacular a demonstração de lealdade para com o presidente, e o caráter que tem Sergio Moro. Muito diferentes, se não antagônicas, de ex-presidentes e ex-ministros.

Quando cobrado porque nunca ‘opinava’, que lição!! E aqui, generoso leitor, que diferença com a demagogia rasteira dos presidentes da Câmara e do Senado, que se apressaram a participar na barraquinha do “Tiro ao Alvim”.

Os homens-rato

Manuel Damas

Considero o rato um animal nojento. Mas mais repelente e abjeto é o homem-rato. Que pela frente bajula e adula e, por trás, critica e insulta.

E é conhecida a vox populi... ”Os ratos são os primeiros a abandonar o navio que se afunda”...
”Os ratos são os primeiros a abandonar o navio que se afunda”.

Refiro-me à procissão de homens-rato que hoje se dedicam a, na Praça Pública, apedrejar Isabel dos Santos por quem “ontem” babavam, publicamente, chamando-a “Princesa Africana”...

É inquestionável que Isabel dos Santos é uma criminosa! Duplamente, até. Porque dizendo-se uma mulher de esquerda roubou o Povo, que ela dizia defender. Ao roubar milhares de milhões de Angola é a Educação que é roubada, a Saúde, a Justiça, o Saneamento, entre outros sectores da Sociedade. É o futuro da População que está a ser roubado. Por quem a jurou proteger.

Mas este texto refere-se a toda a hipocrisia que, no decurso de todo este caso ignóbil, explodiu.
Os Homens-rato. Foi o jornal “Expresso” que, em Portugal, à boleia de um consórcio internacional dejornalistas, deflagrou a bomba.

O mesmo jornal que, tempos antes, fazia com pompa Isabel dos Santos capa da sua “Revista”.



Não deverá ter sido pela guerra que o Grupo Impresa, detentor do “Expresso”, trava em Angola envolvendo os direitos de transmissão e distribuição da SIC...

Nem tampouco deverá ser pela cada vez maior influência que o BE (Bloco de Esquerda), através de Louçã, Daniel Oliveira e alguns outros deputados menores, têm vindo a conquistar no “Expresso”...

Não foi Louçã e mais dois bloquistas que há tempos lançaram na Bertrand o livro “Os Donos Angolanos de Portugal”?...


Os tais Homens-rato...

Até o minúsculo Mendes veio, histriónico, defender que “As autoridades portuguesas deviam estar a pressionar Isabel dos Santos para vender a sua posição no Eurobic”...
Só não percebo quem falou...se foi o Luisinho, eterno candidato a substituto de Marcelo ou se foi o Presidente da Assembleia Geral da Caixa Geral de Depósitos... Angola.
Os tais Homens-rato.

PIB cresce 0,8% no trimestre encerrado em novembro, aponta FGV

Vitor Abdala

O Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) cresceu 0,8% no trimestre encerrado em novembro de 2019 na comparação com o trimestre findo em agosto daquele ano. O dado é do Monitor do PIB, divulgado hoje (21) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).


Segundo a FGV, o PIB cresceu 1,9% na comparação com o trimestre encerrado em novembro de 2018 e 1% na taxa acumulada em 12 meses. Considerando-se apenas o mês de novembro, o PIB teve altas de 0,3% na comparação com outubro de 2019 e de 1,6% em relação a novembro de 2018.

Na comparação do trimestre encerrado em novembro com o trimestre findo em agosto de 2019, a alta de 0,8% foi influenciada por um crescimento no mesmo patamar, de 0,8%, do setor de serviços. A indústria cresceu 0,5% e a agropecuária, 0,3%.
Título e Texto: Vitor Abdala; Edição: Fernando FragaAgênciaBrasil, 21-1-2020, 11h

Relacionados:

Paulo Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos

Ministro representa o Brasil no Fórum Econômico Mundial

Wellton Máximo

Representante brasileiro no Fórum Econômico Mundial, evento que reúne líderes políticos e empresários em Davos, na Suíça, o ministro da Economia, Paulo Guedes [foto], terá conversas com presidentes de multinacionais, fundos de pensão e um encontro com o ministro das Finanças suíço no segundo dia do evento. O ministro também participa de painéis sobre industrialização e sobre América Latina.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro começa a terça-feira (21) reunindo-se com o professor Klaus Schwab, criador do Fórum Econômico Mundial. Em seguida, participa do painel Formando o Futuro da Manufatura Avançada, que discutirá os avanços tecnológicos na indústria.

Ainda de manhã, Guedes se reunirá com o presidente do Grupo UBS (conglomerado financeiro da Suíça), Axel Weber, e com o presidente e diretor jurídico da Microsoft, Brad Smith. O ministro participará de um almoço privado com representantes do banco Itaú–Unibanco, onde fará uma apresentação.

À tarde, Guedes participa do painel Perspectivas Estratégicas: América Latina. Ele se reúne, em seguida, com os ministros das Finanças da Suíça, Ueli Maurer, e de Assuntos Econômicos e Educação, Guy Parmelin. De lá, o ministro encontra-se com Mark Machin, presidente e diretor-executivo (CEO) do fundo de pensão Canadian Pension Investment Board.

Sanção sem vetos do Orçamento melhora clima político, avalia Elmano Ferrer

Carlos Penna Brescianini

O senador Elmano Férrer (Podemos-PI) [foto] considerou "excelente" o fato de que a Lei do Orçamento de 2020 (Lei 13.978/2020) foi publicada sem nenhum veto do presidente da República. Elmano é o 2º vice-presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO).

— Excelente. Isso melhora muito as relações entre o Congresso e a Presidência da República. O presidente dá uma demonstração no sentido de normalizar as relações entre os dois poderes — declarou.

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Na sua visão, houve uma articulação dos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara, Rodrigo Maia, para que não houvesse vetos à lei aprovada pelo Congresso. Um dos itens mais polêmicos era o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), também chamado de Fundo Eleitoral.

A lei orçamentária sancionada prevê R$ 2 bilhões para esse fundo, que será utilizado nas eleições municipais de outubro. O valor foi proposto pelo governo em novembro passado.

— A questão foi bem resolvida. Durante as discussões sobre o fundo, chegou-se a defender um valor de R$ 3,8 bilhões, o que causou muitos protestos. Se o presidente vetasse o próprio texto que havia enviado, isso criaria um grande problema. Vejo uma boa atuação dos dois presidentes do Legislativo — reiterou.

Críticas
Um dos líderes da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse em sua conta no Twitter que não concorda com o valor destinado ao Fundo Eleitoral, que seria muito alto.

Entenda a proposta que permite a prisão após segunda instância

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, acredita que a proposta de emenda à Constituição que permite a prisão de réus condenados em segunda instância será votada pelo Plenário em fevereiro ou março. Entenda a proposta.

Ministro Sergio Moro no Roda Viva, 20 de janeiro de 2020. Imperdível!


[Aparecido rasga o verbo] E depois dos gritos, queijos e robôs

Aparecido Raimundo de Souza

EMBORA ME CONSIDERE UM HOMME EXPÉRIMENTÉ, não sei precisar se andei depressa demais ou se foi um simples ‘unfollow’ que dei em minha própria Inteligência. Talvez, por esse motivo, pelo sim, pelo não, ou entre a esperteza e a ignorância momentâneas, eu tenha me perdido de tudo de bom que me cercava. Nessa corrida desenfreada pelo incerto, não permiti que fluísse a meu favor, a ventura das afeições corriqueiras do dia a dia, notadamente as do círculo doméstico, sustentação basilar dessa nossa carcaça, a contar do instante mágico em que abrimos os olhos para o universo que nos contempla lá do alto. 

Em vista disso, se foi para as cucuias, pai, mãe, filhos, netos, amores oportunidades as mais diversas, e, de roldão, centenas de chances de ser um bocadinho mais feliz. Corri tanto em busca de sendas tresloucadas, esperançado de esmiuçar aventuras sem fundamentos… Nesse naipe, como carta fora do baralho, passei por horas aziagas, me meti por estradas incertas sem as emergências felizes, me embrenhei, igualmente, por desvãos que não me levaram à lugar nenhum. Não sei se me abalei depressa demais, e, nessa viagem meio que sem giro de retorno, nem vi que o tempo do meu tempo avançava, consumava, corria, acepilhava numa linhagem como se plainasse a céu aberto num voo supersônico...

Em verdade, me esqueci que o tempo não se restitui, não retroage, não dá marcha-a-ré, a, não ser para nos mostrar, de uma forma geralmente drástica e insuportável, o que de ótimo e de magnânimo estava tão próximo, tão ali, tão colado e à vista de todos, quase em atropelo, porém, eu, cego, sem visão de amanhã, vazio, perdido, enlouquecido, fora de mim, do mundo real, me recusei, ou dito de forma mais abrangente, não quis enxergar. O meu tempo agora se faz rápido e rasteiro. Incerto e despropositado. Sombriamente tenebroso e abstruso. Os cabelos esbranquiçaram, a epiderme, do rosto aos pés, enrugou, os gomos da visão passaram a ver menos.

O peso-massa do corpo vigoroso se fez mais desatlético e pusilânime. Ficou a dúvida cruel: não sei se andei depressa demais… Se me fiz célere e dinâmico em grau além do normal. O que tenho consciência (e isso é tão certo como a morte de Jesus no Calvário), toda essa agilidade, agora percebo, me tornou cativo, encarcerado, detento submissado a um ser estranho e antipático que desconheço as linhas do semblante. Acabei virando escravo. Dele, claro. Em dias de agora, sei e tenho domínio  pleno de que alguma coisa não se realizou, ou não se materializou, mudando sistematicamente o rumo-fadário do que se fazia certo e real, e por se fazer descoeso, por algum motivo alheio, literalmente se desmantelou… Virou pó. 

Em algum momento, em algum estágio dessa paranoia, final das contas, nada do que eu queria, do que almejava, chegou às minhas mãos. Não sei dizer, insisto, não sei dizer ou mesmo explicar quem se perdeu de quem. Quem se extraviou, ou se divorciou de mim. Quem me roubou das coisas boas?!  Apenas compreendo e isso é fato palpável, inverossímil. Me resta a dádiva precisa e inalterável de que os anos vividos viraram água corrente numa espécie de voragem incontrolável ribanceira abaixo. Tudo o que desce pela encosta, descamba em direção a um abismo-bueiro. Esse, por sua vez, de abertura oral alargada, cheia de sorvedouros e mandíbulas nefastas, sem contar a goela escancarada, se faz pronta para carcomer o destino.

Charada (1 185)

Dez pessoas
estão numa festa de Ano Novo.
Todas decidiram que
apenas irão apertar a mão
às pessoas mais baixas
do que elas. Considerando
que ninguém tem
a mesma estatura,
quantos apertos
de mão serão dados?

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Lula da Silva: “A Globo estava quase quebrada.”

Charada ( 1 184)

Ponha ordem neste caos:


Amar pelos Dois → Sérgio Godinho
O Homem do Leme → Dulce Pontes
Primeiro Beijo → Salvador Sobral
Deixa-me Rir → Xutos e Pontapés
Canção do Mar → Jorge Palma
A Noite Passada → Rui Veloso
Home