segunda-feira, 6 de abril de 2020

Amigos, amigos, negócios à parte!


Título e Imagem: Alberto José, 6-4-2020

LA doctor: COVID-19 patients go from 'very ill' to 'symptom-free' in 8 to 12 hours using hydroxychloroquine and zinc

'Clinically, I am seeing a resolution'

Phil Shiver

A doctor in Los Angeles is reporting remarkable success in treating COVID-19 patients with a combination of zinc and the Trump-touted anti-malarial drug hydroxychloroquine.

Dr. Anthony Cardillo [photo], an ER specialist and the CEO of Mend Urgent Care, has been prescribing the combination of drugs to patients experiencing severe symptoms of the disease after contracting the novel coronavirus.


"Every patient I've prescribed it to has been very, very ill and within 8 to 12 hours, they were basically symptom-free," Cardillo said in an interview Sunday with KABC-TV. "So, clinically I am seeing a resolution."

He added that combining the drug with zinc has been the key to the success. The hydroxychloroquine, he said, "opens the zinc channel" allowing the zinc to enter the cell, which then "blocks the replication of cellular machinery."

Cardillo was careful to note that the drug should only be prescribed for patients who are extremely sick and in urgent need so as to not blow through the limited supply of the drug, which is used to treat other illnesses, as well.

"We have to be cautious and mindful that we don't prescribe it for patients who have COVID who are well," he said. "It should be reserved for people who are really sick, in the hospital or at home very sick, who need that medication. Otherwise we're going to blow through our supply for patients that take it regularly for other disease processes."

Anúncio do novo uniforme? Vasco fará live no Instagram nesta terça-feira

 O Vasco da Gama publicou um vídeo nas redes sociais anunciando que realizará uma live no Instagram nesta terça-feira.



Site Vasco Notícias

O tão esperado novo uniforme da Kappa?

No começo da tarde desta segunda-feira (6) o Vasco da Gama despertou a curiosidade da massa vascaína com uma publicação nas redes sociais.

Nela, o Vasco apresentou um vídeo inusitado onde um motoqueiro sai de São Januário e entrega caixas para Talles Magno, Leandro Castan e Fredy Guarín.

As caixas em questão são pretas e carregam o escudo do Vasco. O conteúdo, no entanto, será revelado apenas nesta terça-feira (07), às 11h, numa live no Instagram do Clube.

Cogita-se que o conteúdo da caixa seja o novo uniforme do Vasco, o primeiro após a saída da Diadora e chegada da Kappa.

Ansioso? Veja a publicação abaixo:
Título e Texto: Vasco Notícias, 6-4-2020, 14h48

FC Porto online store: descontos de 30% em produtos New Balance

Campanha vigora entre 4 e 30 de abril. Camisolas de jogo estão incluídas

FC Porto Online Store lançou uma nova campanha que dá descontos de 30% em todos os produtos da linha New Balance.

Esta é uma oferta que vigora de 4 a 30 de abril, sendo de salientar que as camisolas de jogo estão incluídas na promoção.

Haverá, ainda, portes grátis para compras superiores a 20 euros, para entregas em território nacional.


Esta pode revelar-se, assim, uma excelente oportunidade para surpreender alguém ao longo deste mês, sem comprometer as orientações da Direção Geral de Saúde no que ao distanciamento social diz respeito.
FC Porto, 3-4-2020

A torcida da 'imprensa'


CNBB anti-ecumênica: O dilema do jejum convocado por Bolsonaro

Quando um jejum dominical faz ressurgir, na CNBB, o anti-ecumenismo


O presidente da república convocou, para ontem, um jejum coletivo, pedindo a cessação da epidemia de coronavírus e a proteção de Deus para o Brasil. A ideia, naturalmente, brotou dos pastores neopentecostais – ou será que alguém imaginaria um bispo da CNBB sugerindo tal coisa ao presidente?…

Culto típico da Igreja Universal do Reino de Deus, no Templo de Santo Amaro, São Paulo. Foto: Wikipédia

Ora, apesar da inconveniência da data escolhida, não existe nenhuma proibição formal da Igreja de que os católicos jejuem aos domingos, mas a convocação do presidente causou surtos de amor à tradição em bispos e padres que não vivem senão para pisoteá-la, e isso no rimo mais frenético e carnavalesco que a imaginação humana possa conceber.

O amor ao domingo é tão sublime na alma de nossos angélicos pastores que eles mesmos decidiram, até mesmo antes das autoridades públicas, proibir missas, fechar igrejas e impedir os católicos de receberem os sacramentos, especialmente a comunhão e a confissão. Não faltam os cleaners que se apresentam com suas teologias a posteriori para legitimar a “saída de campo” justamente da “Igreja em saída”.

A controvérsia do jejum, porém, raia à loucura, pela birra infantil ostentada por esses senhorzinhos de cabeça branca. Houve regional da Conferência Episcopal que chegou a emitir nota esclarecendo aos fiéis sobre a sublime relevância de encher o estômago no Domingo da Paixão, salientando que “não é qualquer um” que pode convocar o jejum, numa pose esnobada de clericalismo selvagem.

A Conferência Episcopal brasileira está se parecendo cada dia mais com um manicômio, com a única diferença de que está infestada de demônios e bajuladores que não cessam de dar aos loucos aquele ar de solenidade e importância do qual eles mesmos dão um jeito de desfazer-se diante da opinião pública.

O quadro é bem simples: de um lado, estão as igrejas pentecostais, que ainda crescem em ritmo acelerado, sendo a maior força religiosa com atuação política do Brasil, cujos pastores, a seu modo, consagram um dia de oração e jejum, ao qual aderem pessoas de todas as confissões; de outro, um bando de idosos enclausurados em suas casas episcopais, morrendo de medo de pegar coronavírus, soltado notinhas nojentas, gravando vídeos ridículos, transbordando arrogância, inveja, amargura, pedantismo por todos os lados. Perguntamos: quem você acha que o povo simples vai querer seguir? Seja sincero!

O irrealismo da autoimagem do nosso clero o faz passar por alto o fato de que o seu público é constituído, em sua imensa maioria, de senhoras velhinhas que já estão cumprindo os seus dias neste mundo.

Hemorio inicia testes com plasma sanguíneo no tratamento de covid-19

Terapia foi utilizada em epidemias como a de ebola e a H1N1

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Vitor Abdala

O Instituto Estadual de Hematologia (Hemorio) inicia nesta semana uma série de estudos para utilização do plasma sanguíneo de pessoas que foram curadas do novo coronavírus (covid-19) em tratamento de pessoas com quadro grave da doença. O procedimento estudado consiste em colher essa parte do sangue que contém os anticorpos, de pessoas que se curaram da doença.

Depois de colhido, o plasma é transferido para o corpo de pacientes que estão infectados com covid-19 e apresentam quadro grave.

Esse tipo de terapia é a mesma que foi utilizada em epidemias como a de ebola e a de H1N1. Um estudo semelhante foi feito pelo Hemorio para tratar a dengue e bons resultados foram obtidos em laboratório. A ideia é criar mais uma alternativa para o combate ao novo coronavírus.

Pacientes que já se curaram da doença estão sendo convocados e serão avaliados como potenciais doadores de plasma.

De acordo com o Hemorio, estudos com o chamado plasma convalescente têm sido feitos na França, no Canadá, em Israel, na Espanha e China.
Título e Texto: Vitor Abdala; Edição: Lílian BeraldoAgência Brasil, 6-4-2020, 10h49

Vidéo très choquante : le sort d’un homme de 79 ans, atteint d’une grave maladie, et qui a contracté le Coronavirus…

La Rédaction

Les médecins consultés sont formels… Regardez !


Titre et Texte: La Lettre Patriote, 6-4-2020

Assista ao vídeo neste link »

Um senhor de 79 anos, lúcido, pergunta:
– O que tenho exatamente?
A médica, ou enfermeira, responde:
– O senhor está com o coronavírus.
Ele pergunta:
Como é que eu peguei isso?
A médica responde:
– Não sabemos.
Depois, a médica telefona...
O áudio está ruim, mas a cabeça da médica falou...

Makro abre portas a todos os consumidores

Foto: Miguel A.Lopes/Agência Lusa
A Makro Portugal abre a partir desta segunda-feira as portas a todos os consumidores, que poderão adquirir produtos em menor quantidade, e garante ter em conta a segurança de todos.

A Makro Portugal anunciou esta segunda-feira que as suas lojas passaram a abrir portas a todos os consumidores, segundo avança o Jornal de Negócios. A decisão vem no seguimento do despacho emitido no domingo pelo Governo, que dá luz verde para que as cadeias grossistas abram as portas às famílias durante o Estado de Emergência.

A partir deste momento e face à renovação do Estado de Emergência Nacional em que Portugal se encontra em consequência da evolução dos casos de Covid-19, a empresa disponibiliza agora os seus produtos a todos os consumidores”, diz o CEO da Makro em Portugal, David Antunes, citado no comunicado.

A empresa explicou ainda que os produtos nas suas lojas “encontram-se em formato profissional para profissionais e unidade para menores consumos, permitindo a compra de maiores ou menores quantidades”. A Makro garante ainda que são mantidos todos os cuidados “com vista a limitar possíveis contágios”.

No domingo, o Governo publicou em Diário da República um despacho que permite que as cadeias grossistas possam abrir portas a um público mais amplo, devendo exibir os preços e disponibilizar produtos para aquisição unitária.

“A distribuição alimentar por grosso, através de stocks existentes, em face da potencial diminuição da procura por parte de alguns clientes, poderá constituir um canal adicional de distribuição de produtos essenciais junto dos consumidores”, escreve o secretário de Estado do Comércio, João Torres, no despacho.
Título e Texto: Lusa, Observador, 6-4-2020

China's Fake News: Its 'Superior System' Defeats Coronavirus

Gordon G. Chang

§  The virus is hitting China in a second wave. The second wave is claiming victims, including the Party's propaganda narratives. The most dangerous of these narratives is that ruler Xi Jinping, with heaven's mandate, has an obligation to dominate the international system.

§  To push America aside and seize global leadership, China got Tedros Adhanom Ghebreyesus, the director-general of the World Health Organization, to say that China's response to the coronavirus showed the "superiority of the Chinese system and this experience is worthy of emulation by other countries." Then Beijing set about making a big show of "donating" medical equipment and diagnostic kits, most notably to stricken Europe.

§  Xi's initial policies turned a local outbreak into a pandemic, and now they are making even more people sick and forcing China into another pit of disease. China's inaccurate diagnostic kits and substandard protective gear donated around the world along with the new infections will show the truth: communism is incompetent if not downright malign.

§  China can lie with statistics, but the virus gets the last word. "Victory" over both COVID-19 and the United States is still far out of sight.

Despite the Chinese regime's claim that it has "defeated" coronavirus, the virus is hitting China in a second wave. President Xi's initial policies turned a local outbreak into a pandemic, and now are forcing China into another pit of disease. China can lie with statistics, but the virus gets the last word. Pictured: A vendor hands food to a customer over a barricade in Wuhan, China's central Hubei province on April 6, 2020. (Photo by Noel Celis/AFP via Getty Images)


China has "defeated" the coronavirus and declared "victory," Communist Party media tells us.

A funny thing happened on the way to victory, however. The virus is hitting China in a second wave. The second wave is claiming victims, including the Party's propaganda narratives. The most dangerous of these narratives is that ruler Xi Jinping, with heaven's mandate, has an obligation to dominate the international system.

China, after reporting no new infections on March 19, said the virus had been contained. Since then, Beijing has been reporting dozens of new cases each day but has maintained that virtually all of them were "imported" -- in other words, the infected were individuals arriving from other countries.

Of the very few in-country transmissions, most, Beijing maintained, were transmissions from the imported cases.

China's official numbers of deaths and new infections, however, must be bogus. Chinese officials are taking actions that are, as a practical matter, inconsistent with the no-new-infection reports.

For instance, on March 27 Beijing closed all theaters nationwide, after re-opening them just the previous week.

Isto não é matemática

Henrique Pereira dos Santos

Temos de chegar aos 70% de imunidade. Isso implica infectar 7 milhões de portugueses para que isto pare. Isso tem implicações brutais em mortes e pressão sobre os sistemas de saúde que a sociedade não aceita.


Estas ideias chegam-me, com alguma frequência, associadas à pergunta: onde está o meu erro de raciocínio.

Ponto prévio: eu não percebo nada disto, limitei-me a estranhar o que me diziam por causa do que sabia ser uma epidemia em políticas de conservação.

O que me levou a estranhar a retumbante vitória do governo chinês sobre uma epidemia em curso, numa cidade enorme com milhares de entradas e saídas antes sequer da identificação do surto, mas com ele já em curso.

Subsequentemente, encontrei quem, sabendo muito mais do assunto que eu, me deu explicações (que fui confirmando em outras fontes) que me permitiam ter uma visão da epidemia mais próxima do que sei sobre fenômenos naturais.

E, com esse quadro lógico, antecipar uma evolução que os factos têm vindo a corroborar, com a natural desfocagem que existe sempre neste tipo de processos, porque isto não é matemática.

Os tais 70% são um conceito teórico sobre a nível de imunidade que é necessário para que os surtos epidêmicos não sejam possíveis, mas diz muito pouco sobre a evolução concreta de um surto concreto que está em curso.

O que comanda a evolução do surto, e depois o seu impacto na sociedade, são coisas bem diferentes.

Quando um vírus entra numa população virgem, com a qual nunca contactou, tem uma expansão exponencial, se a sua capacidade de contágio for muito elevada.

Em vírus cuja probabilidade de contágio depende do vírus se aguentar em meio hostil algum tempo, como é o caso da generalidade dos vírus que afetam os pulmões, vai sendo progressivamente menos provável encontrar um hospedeiro infectável, o que faz diminuir a velocidade de contágio, entrando a epidemia num planalto e, depois, iniciando uma descida até ao fim do surto, provavelmente muito antes de atingidos os 70% de imunidade.

Analogia entre um presidente de uma empresa aérea e um chefe de governo

Fonta Silva


Se o presidente de uma empresa aérea perguntar ao seu piloto quanto combustível ele acha que é melhor colocar no tanque, ele responderá que o melhor é encher o tanque, pois assim garante a máxima segurança.

Se ele perguntar ao diretor financeiro, ele dirá que o melhor é colocar somente o combustível mínimo suficiente pra ir da origem ao destino, pois combustível é muito caro, e com tanque cheio o avião fica pesado e assim carrega menos passageiros e cargas, reduzindo o lucro.

Então, a indústria da aviação chegou à conclusão de que o ideal é nem um nem outro, mas sim uma quantidade de combustível que garanta a viagem da origem até o destino, mais uma quantidade que dê para ir para um destino alternativo, caso o original esteja fechado pra pouso, e uma reserva extra.

Desta maneira garante-se o máximo de segurança, sem, no entanto, sacrificar desnecessariamente a economia da empresa.

Agora troque os personagens:

O piloto representa os médicos.

O diretor financeiro representa os economistas.

"Ver Sousa Tavares a ouvir o primeiro-ministro sem o contestar foi muito mau"

Mário Crespo

Mário Crespo
Precisamos de ser informados sem alarmismo, sem admoestações abusivas nem sensacionalismo

Ver Miguel Sousa Tavares ouvir o Primeiro Ministro dizer que até agora nada falta nos hospitais sem o contestar foi muito mau. Vê-lo, e ao seu partenaire, atento, venerando e obrigado não insistir (ao menos) na ausência de testes, foi assustador.

Ouvir responsáveis da saúde dizer que não se deve usar máscara sem serem confrontados com o facto de o mundo todo achar o contrário, é bizarro para usar um adjetivo suave.

António Costa provavelmente diria que "é repugnante".

O que estamos a receber é uma caricatura do que deve ser informação pública e, sobretudo na televisão, os portugueses estão a ser objeto de vários simulacros do que deve ser o jornalismo em tempo de crise.

E em muitos casos o efeito tem sido pernicioso.

Sementes da vida

Nelson Teixeira

Encontros preciosos não são necessariamente os que nos trazem jardins já floridos. São, um bocado de vezes, aqueles que nos ofertam mudas.

Pense que para um jardim florescer foi preciso muito cuidado, um cuidado diário: água, luz, terra boa e atenção.

Mesmo que a gente se depare com um jardim florido, ele também vai precisar de manutenção, se não murcha e morre.

Então, você tem em suas mãos as sementes e mudas, você decide o que fazer com elas, elas podem ser belas, fortes e muito floridas, só depende de você.

Você tem um grande poder em suas mãos e uma grande oportunidade.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 6-4-2020

domingo, 5 de abril de 2020

Non! Il est moins seul que votre président!


Ué?! E por que haveria de querer?!

Não, Alexandre Garcia não escreveu isso aí

Se você sobe quando (quase) todos descem

e



então, pode deixá-la aqui nos comentários, nesta ou em qualquer uma das 30 526 postagens da revista, ou para o nosso endereço eletrônico. 
Obrigado!

Obviamente do contra

Este é o mundo em que nos lares se afixavam códigos de combate ao assédio sexual, mas se esqueceram os planos de contingência para o vírus. Um mundo de frases feitas.

Helena Matos


Isto é uma guerra – Não, não é. Poucas pessoas escrevem e proferem a palavra guerra com tanto à vontade quanto os civis, sobretudo aqueles que nunca cumpriram serviço militar. (Valham-nos os militares para colocar alguma temperança no uso da palavra guerra!) Por mais dramáticas que sejam as situações vividas nos hospitais italianos, ingleses e chineses, ou nos lares de idosos em Espanha e França, o que estamos a viver não é uma guerra. E é importante que o assumamos rapidamente porque se comparar a atual situação com uma guerra revela alguma infantilidade, acreditar que se sai dela como nas guerras é um erro trágico: ao contrário do que acontece nas guerras aqui não há um dia da libertação para celebrar mas sim muitos dias a tentar ganhar imunidade. E sobretudo não há vencedores sobre o vírus, mas sim habituação ao vírus. Não é épico, não dá grandes momentos de televisão, mas é indispensável.

Está sob controlo – Não, não estava. E como não estava acabamos fechados em casa e a viver sob estado de emergência pois os maiores adeptos das soluções radicais no momento atual são precisamente aqueles que antes subestimavam os avisos de perigo. Recuar às declarações dos responsáveis nacionais e europeus perante a ameaça do coronavírus é uma viagem à bolha em que se movimentam as elites: a 2 de Março, a Presidente da Comissão, Ursula von der Leyen recusava “a introdução de controlos fronteiriços, a interdição de viagens para determinados destinos ou o cancelamento de eventos — que, de acordo com os epidemiologistas, não têm qualquer eficácia em termos de contenção das infecções e segurança das populações.” (Deve existir algures um depósito de epidemiologistas a que os governos e as organizações vão buscar o “seu epidemiologista” segundo a sua conveniência do momento!).

Dias antes, a 24 de Fevereiro o comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic, desdramatizava (o verbo desdramatizar é fundamental nesta versão do mundo em que o povo é alarmista e as elites tranquilas porque informadas): “O risco aqui é muito baixo”, desdramatizou o comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic. “Mas o risco existe, e por isso estamos a preparar-nos para todos os cenários”.

Por esses dias a grande preocupação de António Guterres enquanto secretário-geral das Nações Unidas era que os cidadãos asiáticos pudessem vir a ser estigmatizados por causa da Covid-19. Em França, Espanha ou Portugal vamos encontrar declarações semelhantes. E isso não é coincidência, mas sim consequência de uma geração de governantes que em vez de enfrentar os problemas “desenvolve políticas” e que tem horror à realidade. Como o vírus não se submeteu ao pensamento mágico que adotam noutras áreas, nomeadamente na economia, acabamos ter de fechar os países porque perdemos a oportunidade de implementar programas de prevenção.

Coronavirus: China's Great Cover-up

Giulio Meotti
     
§  Bats were not, it seems, sold at Wuhan's seafood market. The Lancet noted in a January study that the first Covid-19 case in Wuhan had no connection to the market.
§  One more person has just disappeared. Ai Fen, a Chinese physician, who... claimed her bosses silenced her early warnings about coronavirus, appears to have vanished.... The journalists who saw what happened inside Wuhan have also disappeared.
§  "No one has been able to study it. How can you say it's not a release from a lab if you can't go to the lab? Indeed, we have seen Beijing do its best to prevent virologists and epidemiologists from actually going to Wuhan." — Gordon Chang, in Die Weltwoche, March 31, 2020.
§  That is another major problem. The potential major investigator on Wuhan's origin, the World Health Organization, is now accused of being "China's coronavirus' accomplice".
§  Why is China trafficking in dangerous viruses in the first place?
§  "Debate may rage over which center it is, but at this point it seems undeniable that a center has been directly involved with research on viruses, although not necessarily on the creation of a virus." — Father Renzo Milanese, AsiaNews.it, March 13, 2020.

On January 11, China's government announced that Wuhan's wet market was the origin of the coronavirus epidemic. The same Chinese regime later claimed that the virus "may not have originated in China", and later still, Chinese officials began claiming that US soldiers brought the virus to Wuhan. What respected scientist or institution can now trust anything that comes out of China? (Photo by Kevin Frayer/Getty Images)

We have been paying dearly for China's lies.

"This is one of the worst cover-ups in human history, and now the world is facing a global pandemic," said Rep. Michael T. McCaul, the ranking Republican member of the House Foreign Affairs Committee, before the US intelligence community concluded, in a classified report to the White House, that China has concealed the origin and extent of the catastrophic global coronavirus outbreak.

The Chinese Communist Party's "failure has unleashed a global contagion killing thousands", wrote Cardinal Charles Maung Bo, president of the Federation of Asian Bishops' Conferences, on April 1. "As we survey the damage done to lives around the world, we must ask who is responsible?"


Relacionados:

Vera, serjão e a grobo, botafogo e o flango flito


Nesse vídeo vou te atualizar sobre o que anda fazendo esse povo e as novas sobre a situação do mundo e aquele negócio.


Te atualizei, 4-4-2020

Ressaca em Ipanema: água cobriu a Vieira Souto e a Delfim Moreira

Redação Diário do Rio


Uma forte ressaca afetou a Praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, assim como a do Leblon. Relatos de moradores, que postaram fotografias e filmagens nas redes sociais, mostram as águas cobrindo as Avenidas Vieira Souto e Delfim Moreira e ilhando os quiosques de uma das praias mais famosas do país.

Em Copacabana, a Ressaca encurtou a faixa de areia e está atraindo surfistas e curiosos. A todo o momento se escutam sirenes dos bombeiros e polícia que tentam manter as pessoas longe da faixa de areia, para evitar aglomerações e manter o isolamento social.

No Leblon, a COMLURB já está terminando a limpeza da areia trazida pela ressaca.


Título, Imagens e Texto: Redação Diário do Rio, 4-4-2020

Para não perder mercadoria, dona de loja da Kopenhagen tem ideia ousada

Redação Diário do Rio

Correndo sério risco de quebrar e ainda estragar sua cara mercadoria, a dona da Kopenhagen no Botafogo Praia Shopping resolveu inovar. Ela estocou, em casa, todos os chocolates que tinha na franquia e está vendendo através da internet, entregando na casa das pessoas, com desconto de até 30%. Para não estragar os produtos, seu ar-condicionado está ligado 24 horas por dia.


Pessoas próximas à dona da franquia da Kopenhagen do Botafogo Praia Shopping contam que ela estava bastante preocupada com o prejuízo que iria sofrer. Ela empenhou-se nas vendas desses chocolates para a Páscoa desde agosto de 2019, quando passou a investir mirando neste objetivo.

E os resultados estão acontecendo. O catálogo online está sendo atualizado com muita frequência para que os produtos que estão esgotados sejam retirados.

O desconto de 30% vale, também, para as Nhá Bentas e Balas de Leite. E o principal contato é via WhatsApp através dos telefones (021) 97985-7893 e 99911-1107. Os produtos disponíveis estão neste catálogo online.

DIÁRIO DO RIO vem mostrando histórias de empresários que estão inovando para evitar que seus negócios desandem. Por exemplo, os muitos restaurantes que passaram a intensificar o serviço de delivery, os hotéis que estão focando em profissionais da saúde, uma construtora que faz liquidação online de apartamentos, entre outros.
Título, Imagem e Texto: Redação Diário do Rio, 4-4-2020
Home