quarta-feira, 3 de março de 2021

PIB caiu 4%. Mas será que foi tão ruim assim?

Retração da economia atiça críticos, mas desempenho do país foi melhor do que os piores prognósticos no início da pandemia

Silvio Navarro


A quarta-feira começou com a notícia de que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro fechou 2020 em queda de 4,1% em comparação ao ano anterior, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A oposição ao governo Jair Bolsonaro no Congresso e o mainstream que lhe dá lastro posicionou seus canhões em manchetes, claro, para apresentar o quadro negativo — que, de fato, é — sobre a economia. Mas alguém olhou para a grama do vizinho?

No meio do terror do noticiário, lá pelo último parágrafo aparecia uma notícia importante, mas quase esquecida: houve reação no quarto trimestre do ano passado (alta de 3,2% na comparação com os três meses anteriores). Leia-se: quando os governadores empoderados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) autorizaram a população a sair de casa, a economia aqueceu. Aliás, serão eles, mais uma vez, os responsáveis por novas restrições ao funcionamento da vida — da vida, isso mesmo, porque mais de 90% dos brasileiros precisam trabalhar para comer, dar de comer e pagar seus incontáveis impostos em dia.

A estratificação dos dados do IBGE ainda aponta que:

1) motor do país, o agronegócio registrou crescimento (2%);

2) a indústria declinou 3,5%, mas os profetas do caos previam usinas de sucata no começo da pandemia;

e 3) o setor de serviços recuou 4,5%, mas nenhuma área fez melhor do limão uma limonada nessa crise.

Ensaio do caos

Depois de um ano inteiro de autonomia, governadores e prefeitos não conseguiram sequer instalar leitos suficientes. É a comprovação objetiva do fracasso

J.R Guzzo

No ano passado, o STF deu autonomia para Estados e municípios delinearam as estratégias de combate ao vírus chinês. Foto: Divulgação/Agência Brasil
Antes da chegada da pandemia ao Brasil, há cerca de um ano, pouca gente sabia que existe na galáxia nacional dos corpos oficiais algo chamado “Conass” — que não se perca pelo nome, mas é assim mesmo que a coisa chama oficialmente a si própria. Esse “Conass” é um “conselho” que reúne os secretários de Saúde estaduais; é presidido, acredite se quiser, por um advogado do Maranhão chamado Carlos Lula, e não por um médico ou aquilo que a mídia descreve hoje como “cientista”. Agora, enquanto durar o coronavírus, está tendo os seus quinze minutos de fama. A última realização dos membros dessa entidade é um manifesto em que propõem medidas extremas para reprimir liberdades públicas e individuais. O objetivo, no seu entendimento, é combater a covid.

De uma vez só, e entre outras coisas, os secretários querem a proibição das missas, o fechamento das salas de aulas recentemente abertas, o fechamento dos bares, o fechamento das praias, mais barreiras sanitárias e um inédito “toque de recolher nacional”, do Oiapoque ao Chuí. Também querem, é claro, tornar legal o “estado de emergência” — que, como se sabe, tem o extraordinário atrativo (para quem manda nos governos) de permitir compras sem licitação — respiradores artificiais, por exemplo, e você sabe o que mais.

A maior surpresa do pacote todo é essa nova reivindicação de uma “política nacional unificada” de combate à covid — especificamente, estão querendo o tal toque de recolher “nacional”. Como assim, “nacional”? É o exato contrário dos que eles mesmos exigiam um ano atrás — autonomia completa, sem interferência de cima, para gerir o tratamento da epidemia. Foram atendidos, nisso, pelo Supremo Tribunal Federal, que, na prática, deu aos governadores e aos prefeitos a responsabilidade exclusiva na área — ao proibir expressamente o governo federal de interferir em decisões sanitárias das autoridades locais.

Casa Cavé, a doceria mais antiga do Rio, completa 161 anos nesta sexta-feira

Aberta em 5 de março de 1860, a doceria completa 161 anos e até hoje faz sucesso com seus quitutes

Larissa Ventura

Casa Cavé, a doceria mais antiga da Cidade Maravilhosa, completa 161 anos nesta sexta-feira (05/03). Aberta em 5 de março de 1860, na Rua Sete de Setembro, nº 133, a doceria foi fundada por Charles Auguste Cavé, francês que ficou à frente do negócio até 1922, e até o hoje o estabelecimento faz sucesso com seus doces.

Foto: Pedro Kirilos

A arquitetura da loja é marcante e possui influência de diversos países, com lustres, vitrais e vidros em geral franceses; as cadeiras e as mesas foram projetadas por Cólon, um espanhol que residia no Brasil; e as luminárias que são brasileiras.

Há registros de que o prefeito Pereira Passos frequentava a casa, assim como o ex-presidente Juscelino Kubitschek. Além disso, várias outras personalidades emblemáticas como Olavo Bilac, Chiquinha Gonzaga, Carlos Drummond de Andrade e Tarsila do Amaral se deliciaram com os quitutes da Casa Cavé.

Em 2000, a Casa Cavé deixou a esquina da Rua Uruguaiana com Sete de Setembro e passou a ocupar uma loja na Rua Sete de Setembro, no número 137 – onde foi a Chapelaria A Radiante – mantendo sua arquitetura marcante do antigo endereço onde a Cavé esteve por 140 anos.

Em 2015, o prédio tombado na esquina da Rua Sete de Setembro com Uruguaiana, que guarda parte da história do Rio e dos cariocas, voltou a abrigar a confeitaria mais antiga da cidade. A outra unidade no mesmo quarteirão, nº 137, foi mantida e ainda está em funcionamento.

Diariamente, são produzidos doces da pâtisserie francesa, como Palmier (com cobertura doce de ovos), Croissant (chocolate / creme), Mil Folhas e Eclair (bomba de chocolate / creme) e Tarte de Morango. Doces brasileiros como o Sonho (com creme), Quindim e Queijadinha também fazem parte do cardápio.

Histoire: Quand Hoover sauve Lénine

Repas servis à la population russe à partir de trains alimentaires américains qui sauveront la vie de 30 millions de personnes. Photo: DR

Michel Gurfinkiel

Il y a un siècle, en 1921, la famine fait vaciller le régime bolchevique. Mais l'Amérique capitaliste vient à son secours, et elle réussit. Au nom de la charité chrétienne !

« J'ai des tas de cadavres à moitié nus et congelés dans les positions les plus grotesques, avec des signes d'avoir été la proie de chiens errants […] J'ai vu, dans un orphelinat de Kazan, des enfants criblés de poux blottis les uns contre les autres en masses compactes comme une colonie de phoques… » C'est ce qu'écrit, fin 1921, dans une lettre à sa famille, William Shafroth, un volontaire de l'American Relief Administration (Ara) - le service semi-officiel américain chargé de l'aide d'urgence aux populations étrangères.

« Ara sauve la vie d'une trentaine de millions d'âmes »

Pendant onze mois, de septembre 1921 à août 1922, cet organisme maintient une mission en Russie : près de 400 cadres américains et 120 000 assistants locaux gèrent 19 000 cuisines, assurent 11 millions de repas par jour et fournissent des semences aux agriculteurs. L'un dans l'autre, l'Ara sauve la vie d'une trentaine de millions d'âmes au moins, soit un cinquième de la population russe.

Il sauve aussi, par la même occasion, le régime soviétique lui-même, qui était sur le point de s'effondrer. C'est la première fois que l'Amérique vient en aide à des régimes qu'elle combat, dans un esprit purement humanitaire. Ce ne sera pas la dernière.

La guerre mondiale, de 1914 à 1918, a été une apocalypse. Mais en Russie, une seconde apocalypse éclate en 1917 et va se terminer, après d'ultimes soubresauts, en 1923 : la révolution, avec ses corollaires - guerre civile, massacres, désorganisation totale de l'économie, sans parler des nouvelles épidémies, telles que le typhus et le choléra. Sur ces deux périodes, 2 millions de Russes périssent dans les combats, près d'un million sont exécutés ou massacrés, et 14 millions de civils meurent de faim ou de maladie.

Oposição faz ‘esforço’ para distorcer imagem do Brasil no exterior, diz Ernesto Araújo

Brehnno Galgane

Comentando a atual relação entre o Brasil e os Estados Unidos, o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, durante uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (2/3), disse que o relacionamento entre os dois países não foi interrompido com o atual presidente americano.

“É fundamental criar uma estrutura de confiança e parceria com os Estados Unidos”, destacou o chanceler brasileiro.

O ministro também reafirmou que existe um “esforço deliberado”, por parte da oposição do governo, para distorcer a imagem do Brasil no exterior.

Essas tentativas da oposição acabam criando “obras de ficção” para que sejam “vendidas como a realidade do Brasil”, afirmou o ministro.

Ernesto Araújo também declarou que o Brasil está construindo uma “rede de acordos comerciais de nova geração” com “plano de negociações profundos” com os EUA, além de outros acordos comerciais com o Canadá, Singapura, União Europeia, OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e EFTA (Associação Europeia de Comércio Livre).

Título e Texto: Brehnno Galgane, Terça Livre, 3-3-2021, 12h09

Garcia: Querem transferir o desgaste da restrição para o governo federal

No quadro "Liberdade de Opinião" desta terça-feira (2), o jornalista Alexandre Garcia avaliou a carta divulgada pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) ao Ministério da Saúde pedindo medidas mais duras para conter o agravamento da pandemia da Covid-19 no país. Entre as medidas, o conselho recomenda a adoção de um toque de recolher nacional, entre 20h e 6h, inclusive aos fins de semana, o fechamento de praias e bares e a suspensão das aulas presenciais. #CNNBrasil

CNN Brasil, 2-3-2021

Coppolla revela: Pandemia empobreceu o país e enriqueceu Estados e municípios

No quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (1º), o comentarista Caio Coppolla falou sobre os recursos para os estados investirem no combate da pandemia e se o problema vivido é de responsabilidade estadual ou federal.

“Vou usar como exemplo o vergonhoso e inadmissível colapso na saúde do Rio Grande do Sul, estendendo toda a minha solidariedade às vítimas da Covid-19 e seus familiares. Manchete da gaúcha Zero Hora, publicada ontem: ‘Ocupação de UTIs volta a superar 100%, e aumenta fila de espera por leito em Porto Alegre neste domingo’. Diz a reportagem: ‘O número de doentes internados com Covid-19 bateu o recorde da pandemia. Como resultado do esgotamento da rede de saúde, a fila de espera por um leito também se manteve em elevação: 142 pessoas com o vírus em emergências às 15h30min’”, disse Coppolla. #CNNBrasil

CNN Brasil, 1-3-2021

Sorria

Nelson Teixeira

Se vir um irmão em dificuldades, não ignore.

Ofereça ao menos um abraço, uma palavra de fé, e quando nada disso for possível, seja então uma presença gentil.

Apenas um sorriso seu pode fazer a diferença no dia daquela pessoa.

Um sorriso é como o sol despontando no horizonte.

Ele aparece devagarzinho, mas sua energia é tão, tão forte, que vai tingindo tudo ao seu redor com as maravilhosas cores da alegria.

Porque se a alegria tem uma cor, há de ser a cor do sol.

Ambos aquecem, confortam e enchem de energia quem recebe sua luz.

Seja você como o sol, que sorri para todos a cada manhã!

Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 3-3-2021

[Atualidade em xeque] Privatiza tudo?

José Manuel


A "onda da vez" é essa frase dita pela maioria política que não sabe, nem nunca soube, o que fala, apenas enxerga cifrões e benesses à sua frente.

Não sou a favor e sei muito bem o que estou escrevendo, mas, enfim, apenas expresso minha opinião, como cidadão e patriota.

Primeiro, o Brasil não é a Inglaterra e Margaret Thatcher não nasceu por aqui ao que me consta. Apenas querem seguir erroneamente os exemplos do liberalismo econômico da Dama de ferro sem saber o que fazem, ou melhor, sabem e se aproveitam do exemplo inglês para faturar.

Então, esse papo furado de Privatiza Tudo só sai das bocas coroadas, pelo que isso pode significar a f$uturo, pois aqui pelas bandas tupiniquins, privatizar significa doar desde que o deles esteja garantido, sem o menor sentimento de patriotismo.

Ativos valiosos, estratégicos e pertencentes ao povo, se administram, se gerenciam, enxugam-se, mantém-se com auditorias, estipulam-se metas, praticam-se EPP'S com seriedade, patriotismo e não se entregam de mão beijada.

E o povo, dono de tudo, é quem tem que dizer se pode ou não pode, não aquela politicalha rançosa que conhecemos.

Mas, isso é um processo de desmonte proposital que vem ocorrendo há muitas gerações, com o firme propósito de desvalorizar as instituições e gerar uma má fama junto à população afim de facilitar o butim f$uturo, o que está evidente como o caso dos Correios & Telégrafos empresa fundada como Correio Mor em 1663, por tanto com apenas 358 anos!

Durante o regime militar, onde a trapaça política era perigosa e punida, os Correios eram altamente rentáveis e uma das principais joias da coroa. Por quê?

Todo mundo sabe o que os calhordas do PT fizeram com essa instituição e com o fundo de pensão dos funcionários.

terça-feira, 2 de março de 2021

MMA assina acordo de adoção de parque localizado no Amazonas

Unidade de conservação tem 3,1 mil hectares e receberá investimentos

Bruno Bocchini

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a corretora Genial Investimentos assinaram hoje (2) um protocolo de intenções para adoção, pela empresa, de uma das 132 unidades de preservação (UP) que fazem parte do programa Adote um Parque, criado pelo MMA. 

Foto: Mario Oliveira/MTUR

A área que será adotada, denominada Dinâmica Biológica Fragmento Florestal, fica no bioma amazônico. Localizada entre os municípios de Manaus e Rio Preto da Eva (AM), a unidade de conservação tem uma área de 3,1 mil hectares. Os recursos arrecadados com a adoção - a segunda realizada no âmbito do programa - são estimados em R$ 159 milhões. 

As unidades de conservação são um dos importantes pilares na região. Com isso, agora temos 130 [das 132 unidades disponíveis pela adoção pelo programa] pela frente. Espero que o exemplo que a Genial está seguindo também seja seguido por outras empresas, inclusive estrangeiras”, destacou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O projeto

O programa Adote um Parque, instituído pelo decreto nº 10.623, pretende promover a conservação, a recuperação e a melhoria das unidades de conservação federais por meio da adoção das áreas por parte de pessoas e empresas nacionais ou estrangeiras. Os recursos obtidos serão utilizados para proteção do meio ambiente, como vigilância, monitoramento, implementação de planos de manejo, recuperação de áreas degradadas e prevenção a incêndios e desmatamentos na região.

Título e Texto: Bruno Bocchini; Edição: Pedro Ivo de OliveiraAgência Brasil, 2-3-2021, 19h23

Imagem do Brasil “está distorcida de maneira injusta”, diz Ministro do Meio Ambiente

Durante a sua participação no ‘Opinião no Ar’ desta terça-feira (2), o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que a imagem do Brasil no mundo em questões ambientais está “distorcida de maneira injusta e desleal”. Segundo ele, isso é uma preocupação porque atrapalha os negócios. “Nós queremos dizer a verdade em discussões, apresentando os fatos realmente”, completou. #OpiniãoNoAr

Rede TV, 2-3-2021 

Espera de idosos por vacina em São Paulo dura até 5 horas na fila

Esta segunda-feira (1º) foi mais um dia de longas filas para a vacinação dos idosos acima de 80 anos, em São Paulo. Nas unidades de saúde, a espera durou até cinco horas. A partir da próxima terça-feira (2), mais dois drive-thrus serão abertos na capital paulista e se juntam às unidades básicas de saúde que já vacinam idosos a partir dos 80 anos e profissionais da saúde acima de 55 anos.

Jornal da Record, 2-3-2021

‘Ofensa não me tira daqui’, diz Paulo Guedes

Ministro da Economia afirma que tem 'comunicação boa' com Jair Bolsonaro

Fábio Matos

O ministro da Economia, Paulo Guedes [foto], reiterou que não pretende deixar o governo do presidente Jair Bolsonaro.

Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Em entrevista ao youtuber Thiago Nigro, do canal Primo Rico, que foi ao ar nesta terça-feira, 2, Guedes disse que só deixa a pasta se alguém demonstrar que ele fez “algo muito errado”.

“Tenho noção de compromisso enquanto puder ser útil e gozar da confiança do presidente. Se o presidente não confiar em meu trabalho, sou demissível em 30 segundos. Se eu estiver conseguindo ajudar o Brasil, fazendo as coisas em que acredito, devo continuar. Ofensa não me tira daqui, nem o medo, o combate, o vento, a chuva.”

O ministro também destacou que tem “uma comunicação boa com o presidente, de um lado, e com a centro-direita, de outro”. “O que me tira daqui é a perda da confiança do presidente e ir para o caminho errado. Se tiver que empurrar o Brasil para o caminho errado, prefiro sair. Isso não aconteceu, tenho recebido apoio do presidente e do Congresso para ir na direção certa”, ressaltou.

Guedes reclamou das especulações em torno de uma possível saída do governo. “Piratas privados estão colocando boato no jornal todo dia, dizendo que o ministro vai cair, que o ministro brigou com presidente, o presidente brigou com o ministro… Tem políticos que querem contribuir com o futuro do Brasil, mas tem um pedaço que é o pântano.”

Título e Texto: Fábio Matos, revista Oeste, 2-3-2021, 11h

Cidade do Rio prevê vacinação de todos os idosos até fim de abril

Previsão foi feita pelo prefeito em cerimônia do aniversário da cidade

Vitor Abdala

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse hoje (1º) que prevê vacinar contra a covid-19 até o fim de abril todos com 60 anos ou mais e também todos que tenham comorbidades. A afirmação foi feita durante cerimônia de comemoração dos 456 anos da cidade e da abertura das celebrações dos 90 anos do Cristo Redentor.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

“Caminhando do jeito que está caminhando, se as vacinas chegarem com a frequência que a gente espera, é possível estar no final de abril com as pessoas com mais de 60 anos e com comorbidades já vacinadas. Agora é óbvio que depende da chegada da vacina”, disse Paes.

Até agora, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 346 mil cariocas receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19.

Segundo Paes, não há, por enquanto, previsão de decretação de lockdown ou de aumento das restrições na cidade, porque, de acordo com ele, “não há uma pressão sobre a rede pública” de saúde e “há uma diminuição de casos, de internações e de óbitos” no município.

“Enquanto perdurar esse quadro, enquanto a ciência mandar a gente fazer as restrições que estamos fazendo, vamos fazer. É óbvio que estou preocupado, olhando a situação de outros estados, de outras cidades. Então estou muito atento, não descarto absolutamente medida nenhuma, mas, nesse momento, a recomendação do comitê científico é manter as restrições que a gente vem mantendo”.

Em desdobramento da operação que afastou Witzel, PF prende desembargador do TRT-RJ

Marcos Pinto da Cruz foi preso em sua mansão no Jardim Botânico, por volta das 10h; além dele, operação mira outros três desembargadores

Raphael Fernandes

Na manhã desta terça-feira (2/3), o desembargador Marcos Pinto da Cruz [foto], do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ), foi preso pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Mais Valia, desdobramento da Operação Tris in Idem, que, em agosto do ano passado, acabou afastando o então governador Wilson Witzel do comando do Poder Executivo Estadual.

Na operação desta terça, o Ministério Público Federal (MPF) investiga o pagamento de vantagens irregulares a magistrados que, por sua vez, acabaram beneficiando membros do suposto esquema criminoso instalado durante a gestão Witzel. Vale ressaltar que, em fevereiro, o ex-governador virou réu por corrupção e lavagem de dinheiro.

Marcos foi preso em sua mansão no Jardim Botânico, na Zona Sul da capital fluminense, por volta das 10h. Além dele, a Mais Valia mira outros três desembargadores, e uma segunda pessoa também foi presa e encaminhada à sede da PF.

Ao todo, os agentes da Polícia Federal cumpriram onze mandados de prisão e vinte e seis de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos por Nancy Andrighi, ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), após solicitação da vice-presidência da Procuradoria-Geral da República (PGR). 

Título e Texto: Raphael Fernandes, Diário do Rio, 2-3-2021

‘São tantas emoções’! Roberto Carlos é vacinado contra a Covid-19 no Rio

Por ter 79 anos, o ''Rei'' recebeu o imunizante ontem, segunda-feira, em um posto drive-thru na Zona Sul do Rio


Raphael Fernandes

Um dos maiores nomes da história da música brasileira, o cantor Roberto Carlos, foi imunizado contra a Covid-19 na última segunda-feira (1/3), em um posto drive-thru na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Vale ressaltar que a vacinação nesta semana, até quarta (3/3), é destinada a pessoas com idade igual ou superior a 79 anos – que é o caso do ”Rei”.

Ney Matogrosso e Betty Faria também são imunizados

Também nesta segunda, além de Roberto Carlos, outros dois artistas receberam a dose imunizante: o cantor Ney Matogrosso e a atriz Betty Faria, ambos também com 79 anos de idade.

Vacinação até quarta-feira

Por ora, a vacinação na primeira semana de março termina nesta quarta-feira, até que a Prefeitura do Rio receba novas doses e dê sequência ao processo.

Nesses três primeiros dias do mês, a vacinação ocorre em clínicas da família, centros municipais de saúde e nos postos montados no Planetário da Gávea; na Igreja Nossa Senhora do Rosário, no Leme, no Museu da República, no Catete; e no Tijuca Tênis Clube, das 8h às 17h.

Título e Texto: Raphael Fernandes, Diário do Rio, 2-3-2021

[Aparecido rasga o verbo] Como se fosse a ‘filha pródiga’

Aparecido Raimundo de Souza

ROBESTÁQUIO E AMANSILDO
conversam enquanto bebem uma gelada na birosca do Waldemar Leitão:
— E ai, Amansildo, indaga Robestáquio a certa altura. Conseguiu se livrar da Elisângela, sua mulher?
Amansildo:
— Graças a Deus, Robestáquio. Não aguentava mais a Elisângela. Estava a ponto de ter um treco, um troço, sei lá, ou qualquer coisa fulminante parecida com um AVC. E você, agora devolvendo a indagação — conseguiu, igualmente, se separar da Matilda?
Robestáquio:
— Sim. Aquela coisa... Finalmente estou livre. Livre, leve e solto...

Amansildo: 
— E como foi? 
Robestáquio:
— Cara, apliquei uma série de tabefes nela. Pernas, braços, costas. Não contente voei nos escutadores de novela da infeliz e meti bronca. Fui preso pela Maria da Penha.
Amansildo:
— Quem é essa Maria da Penha? Mulher nova no pedaço? Nem bem você se livrou de uma encrenca e já arranjou outra sarna pra se coçar?

Robestáquio:
— Deixa de ser besta Amansildo. A Maria da Penha é uma lei.
Amansildo:
— Pensei que tivesse trocado a Matilda pela tal da Maria da Penha.
Robestáquio:
— Nada a ver, Amansildo. Fiquei preso uma semana. Ajustei um advogado e aqui estou, belo e formoso, pronto para voltar pra pista.

Amansildo:
— Tirando o desconforto da prisão, que acredito deve ter sido um porre, folgo em saber que está em paz. Me vejo feliz por você, de verdade.
Robestáquio:
— Mudando de pau pra cavaco, me conte agora a sua história: como despachou a Elisângela?
Amansildo:
— Foi muito simples. Pedi a ela que fosse embora e ela simplesmente arrumou as tralhas e caiu fora. Pra falar a verdade, não esperava que fosse acontecer tão rápido. Parecia até que estava à espera de uma deixa. Talvez, imaginei, na hora, um novo cobertor de cangote estivesse na área só esperando para me substituir...
Robestáquio:
— Pelo visto você está arrependido. A sua cara de chifrudo inconformado me passa uma certa dor de cotovelo...

Amansildo:
— Qual o quê!
Robestáquio:
— Confesse, Amansildo. Deixe de lado a vergonha. Coisa de um mês ou mais, notei e, não só eu, nossos colegas também chegaram a mesma conclusão. Você passou a andar meio cabisbaixo, as feições sisudas, o olhar pensativo... Parou de frequentar o ‘Boteco do Pimpolho’, deu pra se esquivar dos amigos... Achei você hoje, aqui e estamos sentados na birosca do Waldemar Leitão por mero acaso. Se eu não te chamo quando saltava do busão... Vamos, se abra. Ainda ama de paixão a sua querida cara metade, não ama?
Amansildo:
— Concordo com você, em parte. Realmente, ainda sinto um ‘quesinho’ pela Elisângela. Quando ela saiu, eu literalmente perdi o prumo. Desde então, mudei meus modos. Refiz meus conceitos... Fiquei mais amadurecido... Ligeiramente confiante nos meus objetivos. Todavia...

Essência da vida

Nelson Teixeira

A essência de toda a vida espiritual é a emoção que existe dentro de você, é a sua atitude para com os outros.

Se a sua motivação é pura e sincera, todo o resto vem por si.

Você pode desenvolver essa atitude correta para com seus semelhantes baseando-se na bondade, no amor, no respeito e sobretudo na clara singularidade de cada ser humano.

Vivemos uma constante transformação e aprendizado, quando procuramos ser atenciosos e caridosos para com tudo e todos.

Procurar dividir é uma de nossas principais virtudes, pois saber dividir o conhecimento e o pão, só nos engrandece!

Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 2-3-2021

segunda-feira, 1 de março de 2021

[Atualidade em xeque] Prezados Variguianos

O texto que se segue não é, propriamente, uma crônica desta coluna – embora, em meu julgamento, tenha toda a pertinência, pois que trás ao presente um passado que não pode, nem deve ser esquecido. E por isso, ao agradecer ao José Manuel a extrema deferência, escrevi: “Seu texto provocará uma pequena série de lembranças de lutas, menos as minhas, mais a de tantos outros.”

Aqui, José Manuel, colega de vocês de muita longa data, mais precisamente "desde 1970".

Claro, que os antigos todos me conhecem bem, ou, pelo menos, têm de mim uma vaga lembrança. Mas os mais novos ou ex-ativos, agora plenos aposentados, não tive o prazer de conhecer.

Feitas as apresentações, o meu nome deve lembrar algo a vocês, talvez pelas publicações dos meus textos em rede social, mais precisamente no Facebook desde abril de 2006 quando se iniciou a nossa saga vitoriosa pela recuperação do nosso Fundo de pensão. São 15 anos de lutas!

Vocês já viram seu nome no Face através de publicações, mas... conhecem o JIM PEREIRA? Talvez façam alguma associação com um célebre cachorrinho fumando, não?

Pois é, o Jim Pereira é um colega nosso "das antigas" que mora na Europa, mais precisamente em Portugal e edita há muitos anos uma revista virtual chamada "O CÃO QUE FUMA".

Vocês talvez não saibam, mas o Jim é um dos principais personagens da nossa saga, da nossa luta pela dignidade perdida.

Sua revista virtual que tem um alcance de mais de 190 bandeiras ao redor do globo, leva a nossa mensagem a qualquer lugar onde exista um brasileiro perdido, ou alguém falando o nosso idioma.

Balança comercial tem superávit de US$ 1,152 bilhão em fevereiro

Resultado é o mais baixo para o mês em sete anos

Wellton Máximo

A importação de uma plataforma de petróleo fez a balança comercial (diferença entre exportações e importações) registrar o menor resultado para meses de fevereiro em sete anos. No mês passado, o Brasil exportou US$ 1,152 bilhão a mais do que importou. O valor é 50,4% inferior ao de fevereiro do ano passado e representa o saldo mais baixo para o mês desde 2014.

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Com o desempenho de fevereiro, a balança comercial acumula superávit de US$ 27 milhões nos dois primeiros meses de 2021. Em janeiro, o indicador tinha registrado déficit de US$ 1,125 bilhão.

No primeiro bimestre, a balança acumula o menor saldo para o período desde 2001. Naquele ano, a balança tinha registrado déficit de US$ 337,86 bilhões nos dois primeiros meses.

Em fevereiro, as exportações somaram US$ 16,183 bilhões, com crescimento de 3,9% pela média diária em relação ao mesmo mês do ano passado. Por causa da plataforma de petróleo, avaliada em US$ 1,4 bilhão, as importações atingiram US$ 15,030 bilhões, com alta de 13,9% na mesma comparação.

Principais produtos

No mês passado, as exportações da agropecuária caíram 10,8% na comparação com fevereiro de 2020, puxada pela entressafra e pelo atraso no plantio de alguns produtos. As maiores quedas foram observadas nas vendas de soja (-33,1%) e de animais vivos (-44,2%). O impacto só não foi maior porque os preços médios dos bens agropecuários aumentaram 8,4% em fevereiro.

O recuo nas exportações do agronegócio foi compensado pela expansão nas vendas da indústria extrativa, que subiram 13,8% em fevereiro em relação ao mesmo mês do ano passado. Os destaques foram minério de ferro e seus concentrados (+94,7%) e minérios de alumínio e seus concentrados (+12,6%). As exportações da indústria de transformação cresceram 3,5% na mesma comparação, com destaque para açúcares e melaços (+58,0%), farelos de soja e outros alimentos para animais (+77%) e ouro não monetário (+79,6%).

Importações

Em relação às importações, a entrada no país da plataforma de petróleo engordou as compras externas. Sem a operação, a balança comercial teria registrado superávit de US$ 2,5 bilhões em fevereiro e teria alta em relação ao resultado de fevereiro do ano passado, quando o superávit somou US$ 2,325 bilhões.

Bezos ataca novamente: Amazon bane documentário sobre juiz negro conservador

No “Mês da História Negra”, Big Tech de Jeff Bezos apaga história de juiz negro Clarence Thomas por discordância política

Leonardo Trielli

A Amazon retirou de seu serviço de streaming o documentário sobre o juiz da Suprema Corte Americana Clarence Thomas (foto). O juiz Clarence Thomas é negro.

O banimento do documentário aconteceu em fevereiro, justamente no Black History Month (Mês da História Negra) e a única explicação para isto é o fato de Thomas ser declaradamente conservador.

Em 1976 o governo dos EUA oficializou a celebração do Black History Month e desde então, anualmente, a história de negros americanos é relembrada e festejada na América.

Semanas atrás, a Amazon também baniu o livro When Harry Becomes Sally, do pesquisador Ryan Anderson, simplesmente por contestar o movimento transgênero baseado em estudos psicológicos, biológicos e filosóficos.

Sobre o livro, a Big Tech de Jeff Bezos explicou que havia ocorrido um erro e que o livro não deveria ter sido tirado do catálogo, mas até o momento, o “erro” não foi corrigido.

Em relação ao documentário de Clarence Thomas, eles ainda não se pronunciaram.

Título e Texto: Leonardo Trielli, (Com informações de Breitbart News The Federalist.), Senso Incomum, 1-3-2021

Guy Millière : « Macron ne révélera pas l’ampleur de la catastrophe dont il est responsable »

Voici la vidéo hebdomadaire de Guy Millière, depuis Las Vegas, pour les lecteurs de Dreuz.info.

Dreuz a besoin de vous : Le journalisme indépendant ne reçoit aucune aide d’Etat. Dreuz.info ne peut pas exister sans votre soutien financier. Pour contribuer en utilisant votre carte de crédit (sans vous inscrire à Paypal), cliquez sur ce lien Paypal.Dreuz, et indiquez le montant de votre contribution. Nous vous remercions.

Cette semaine, le professeur Guy Millière revient sur les conséquences catastrophiques pour le monde de la gestion du coronavirus chinois. « Ce qui se passe en France est abominable, c’est une honte. Mais ce qui se passe aux Etats-Unis est plus grave encore car cela concerne l’ensemble de la planète… »

La suite, dans la vidéo de Guy Millière :

Dreuz Guy Millière from Dreuz Info on Vimeo.

© Guy Millière pour Dreuz.info, 1-3-2021


Polémique en dessous de la ceinture : les migrants et Le Slip français

Richard Hanlet

Marque chérie des médias officiels, héraut du retour sur le sol national d’industries envolées vers l’empire du Milieu, tel est Le Slip français (LSF) vanté tant par Zemmour que par Montebourg (belle union au-dessus des parti·e·s) et, décidément, toujours à la pointe des idées à la mode.

Celle d’aujourd’hui, c’est de reverser 5 % de « ses ventes » (bénéfice ou chiffre d’affaires ?) à la Fabrique NOMADE, une association pro-migrants pour, ensemble, « réinventer la filière textile française en difficulté, en soutenant l’insertion des couturiers réfugiés et migrants ».

LSF décrit, bien évidemment, ce « défi commun » comme un « projet solidaire et durable », mais oublie toutefois de préciser qu’il serait aussi, comme on aurait pu s’y attendre, bon pour la planète et sans huile de palme…

Bien sûr, les esprits tordus et réactionnaires n’ont pas tardé à trémuler sur Twitter en lançant de honteux hashtags comme #LeSlipMigrant ou #BoycottLeSlipFrancais ou même en proposant de « plutôt reverser aux familles des victimes de l’attentat de Nice ou de Romans-sur-Isère commis par des migrants »… Tristes suggestions « dictées par la haine et la xénophobie », comme le déplore LSF, dont le bureau d’études se penche sans doute déjà sur les innovations à venir.