quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Sensação térmica na terça-feira passou dos 50°

Máxima chega a 39,2°e sensação térmica passa de 50°C no Rio de Janeiro. É recorde do ano, feriado do padroeiro deve ser mais fresca

Pelo segundo dia consecutivo, a cidade do Rio de Janeiro registrou recorde de temperatura, com a máxima de 39,2°Celsius às 16h15, em Santa Cruz, na zona oeste. Foi a mais alta temperatura do ano e do verão, até agora.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A sensação térmica chegou a 50,8°C, às 16h, na estação Barra/Riocentro, outro recorde da estação.

De acordo com o Sistema Alerta Rio, da prefeitura, na segunda-feira (17), a máxima chegou a 37,8°C, às 15h15, em Santa Cruz, e a sensação térmica a 49,7°C, às 15h30, na mesma estação.
Segundo o Alerta Rio, entre esta quarta-feira (19) e sábado (22), o posicionamento de um sistema de alta pressão vai favorecer a variação de nebulosidade, com céu claro a parcialmente nublado e temperaturas elevadas, mas sem previsão de chuva.
Para a quinta-feira (20), feriado de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, o sistema prevê que uma corrente de ventos mais frescos vindos do oceano amenizará um pouco o calor. A temperatura máxima deve ficar em torno de 34°C.

Título e Texto: Redação, Diário do Rio, 19-1-2022  

4 mil mortes sob investigação: é pouco?

Rodrigo Constantino

Durante entrevista ao jornal Jovem Pan desta segunda, perguntei ao ministro Queiroga quem se responsabilizava do ponto de vista legal por eventuais efeitos colaterais graves das vacinas. O ministro foi claro em afirmar que não são os laboratórios, que exigiram isenção de responsabilidade, e deixou claro que é o próprio estado quem deve arcar com eventuais problemas.

Em seguida, minha colega Cris Graeml, também aqui da Gazeta, quis saber quem responde pelas declarações de efeitos adversos ou mesmo óbitos causados pelas vacinas no sistema da Anvisa, já que muita gente tem reclamado de relatar problemas que são ignorados. O ministro jogou, então, uma bomba: já são 4 mil óbitos associados às vacinas!

Fiquei espantado com o número, assim como a Cris. "Temos na Secretaria de Vigilância em Saúde registrado 1,7 óbito por cada 100 mil doses aplicadas. Isso perfaz cerca 4.000 óbitos onde há comprovação de relação causal com a aplicação da vacina", disse o ministro. Levei a questão às redes sociais, e muita gente ficou chocada com a quantidade.

Agindo rápido como agência de marketing dos laboratórios, a Folha de SP resolveu "checar" a informação, e concluiu se tratar de erro do ministro. Afinal, são mortes em investigação. Ufa! Assunto encerrado, ninguém mais precisa fazer perguntas incômodas, vacinas são seguras e vida que segue. Próxima pauta? Ou não é bem assim?

Claro que o critério de autodeclaração é bastante impreciso e, de fato, é necessário investigar cada óbito. Mas atenção: quatro mil pessoas relataram a desconfiança de que parentes seus faleceram após as vacinas e associam uma coisa à outra, ou seja, enxergam elo causal. Não é pouca gente! Aliás, é muita gente!!!

Qual a postura correta de qualquer jornalista? Ora, é exigir justamente uma investigação célere desses casos. Mas não é esse o intuito da imensa maioria dos veículos de comunicação, que mais parecem assessoria de imprensa da Big Pharma. Para essa turma, questionar os riscos já é um perigo! Devemos repetir como dogmas que as vacinas são seguras.

David Neeleman espera pedido de desculpas de Costa

David Neeleman acusa o líder do PS de ter tecido "afirmações falsas" sobre a sua pessoa no debate com o candidato às legislativas do PSD, Rui Rio

O ex-acionista da TAP David Neeleman [foto] aguarda um pedido de desculpas de António Costa, considerando que o primeiro-ministro "faltou à verdade" com declarações que afetaram o seu “nome e reputação”, no decorrer da pré-campanha para as eleições legislativas.

David Neeleman acusa, cita a Lusa, o líder do PS de ter tecido "afirmações falsas" sobre a sua pessoa no debate com o candidato do PSD, Rui Rio, no qual António Costa afirmou que o Estado comprou a companhia "'para prevenir precisamente que aquele privado que lá estava e que não merecia confiança, não daria cabo da TAP no dia em que fosse à falência'".

O empresário argumenta que "desde o início" da sua carreira teve "a oportunidade de criar cinco empresas de aviação em diferentes países, como os Estados Unidos da América, Canadá e Brasil" e que, "apesar de nos dois últimos anos a indústria da aviação ter passado pela sua maior crise de sempre [devido à pandemia de covid-19], nenhuma dessas empresas foi à falência nem foi sujeita a qualquer tipo de intervenção similar até à presente data".

No frente-a-frente entre o líder do PS e o presidente do PSD, António Costa afirmou que se o Estado não tivesse readquirido 50% do capital da transportadora aérea nacional, a TAP teria “ido para o buraco” quando as várias empresas de David Neeleman foram à falência.

Contos loucos dos moucos (LVXIV) – Milho bom

Era um homem baixo, quase anão. Gostava demais de galinhas.

Seu milho era do melhor. Nunca se soube onde ele o plantava. Nem onde colhia.

As galinhas adoravam: o milho e o homem baixo, quase anão.

Elas comiam o milho, e ele, as galinhas. Teve dia que ele comeu três.



Anteriores: 
(LVXIII) – Telefonema noturno 
(LVXII) – Cores 
(LVXI) – O sogro respondeu 
(LVX) – Carolina
(LVIX) – Achado perdido

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

[Aparecido rasga o verbo] Irrefutável

Aparecido Raimundo de Souza 

A PRISCILA CHEGA PARA O PAI
assim que ele coloca os pés em casa e, na sua inocência dos onze anos, manda os questionamentos sem pensar duas vezes no que obterá como esclarecimentos às suas indagações:
— Pai, paizinho... posso lhe perguntar umas coisas?
— Claro, minha filha.
— O senhor me ama?
— Muito, Priscila. Você nem imagina o quanto!...
— Tem certeza, pai?
— Está duvidando do seu velho pai?

Priscila insiste, com certa veemência:
— Me ama como ama a mamãe?
— Amo as duas da mesma maneira, ou melhor, amo de maneiras e formas iguais. Só que, embora sendo amores iguais, são amores com perfis e sentidos diferentes.
— Como é lá isso, pai, se o senhor acabou de dizer que embora sendo amores iguais, têm sentidos diferentes?

— Vou tentar explicar de modo bem simples. O meu amor por você Priscila, é um amor de pai para filha. É aquele amor paternal, fantástico, puro, sem manchas, que está guardadinho, num cantinho oculto, escondidinho bem aqui dentro do meu peito. Que aflora no sopro do menor movimento que eu faça quando lhe beijo e lhe abraço. Em igual intensidade, o que sinto por sua mãe não se descreve... é verossímil.
— É o que, pai? Não entendi... vero... vero o quê?!
— Verossímil, filha. É aquele amor que parece verdadeiro e, na verdade é. Em outras palavras: o amor de seu pai, pela sua mãe é um amor bonito e sincero, de um homem que ama uma só mulher e não a troca por outra, nem quer se desgrudar dela. Pede à Deus que seja para sempre. E que Ele proteja a união, e permita que fiquem juntos até que a morte os separe...
— O senhor tem certeza disso, pai? É de fato verdadeiro ou não?

— Claro que sim, filha. Vou dar um exemplo prático. O amor que sinto por sua mãe é como o amor que você nutria por aquela bonequinha Barbie que você carregava pra baixo e pra cima. Você a amava incondicionalmente, ou seja, não ficava sem ela. Onde você ia, a levava com você, como se fizesse parte do seu corpo. Tenho certeza que se perdesse ou esquecesse, morreria de tédio e de solidão. Diga sinceramente para seu pai: você, três ou quatro anos passados, ficaria um minuto sem a sua bonequinha?

Priscila faz uma carinha triste. Concorda:
— Não, pai. A Barbie que o senhor me deu está comigo até hoje.
— Pois então, minha filha. Igual a você, eu não seria completo sem o amor da sua mãe. Ela é essencial. É dela... ou melhor, é de dentro dela que sai a minha felicidade líquida e que me mantém vivo e respirando. Em outras palavras: é do coração de Virgínia que brota todo o amor imensurável que preenche a minha vida. Sem a sua mãe, seu papito aqui não seria ninguém... por falar nisso, me ajuda a colocar os pratos na mesa para o jantar! Nossa Deusa está quase chegando do hospital. Não sei de onde tirou a ideia maluca de ser enfermeira...

O carrinho violento de Tite

Guilherme Fiuza

Tite não convocou o lateral Renan Lodi para a seleção porque ele não tomou vacina de covid.

Tite [foto] disse que o jogador colocaria o restante do grupo em risco.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Tite exige que um atleta tome uma vacina na qual ele mesmo não acredita.

Se Tite só aceita convocar jogadores vacinados, supostamente por ser a vacina a proteção contra a doença, como um jogador não vacinado colocará em risco todos os outros vacinados?

Tite e sua lógica complexa desafiam a capacidade geral de compreensão e suscitam interrogações:

Será que um ser humano que não se vacinou contra a covid tem o poder de suprimir a imunidade gerada nos semelhantes pelo referido imunizante?

Será que se, durante um treino do professor Tite, Renan Lodi desse um carrinho em Daniel Alves mandaria para o espaço a imunidade adquirida pelo atleta portador do esquema vacinal completo?

Será que se Renan Lodi contasse à noite ao seu companheiro de quarto na concentração as razões que o levaram a não tomar a vacina experimental de covid a imunidade do vacinado fugiria pela janela?

Será que se Renan Lodi entrasse no refeitório sem o cartãozinho de cidadão inoculado o SarsCov2 se sentiria encorajado a sair do seu esconderijo entre as batatas e atacar todo mundo, se esquecendo momentaneamente que o combinado é não entrar em nenhum corpo benzido pela Mamãe Farma?

Furto de cabos provoca fechamento da emergência do Hospital do Fundão

Segundo nota divulgada pelo hospital, a emergência não será reaberta até que o atendimento seja remanejado para outro andar

Larissa Ventura

Nesta segunda-feira (17), a emergência do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, o Hospital do Fundão, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi fechada. O motivo foi um furto de cabos. A emergência atende pacientes já internados no hospital. Todos foram orientados a buscar outra unidade.

Foto: William Santos/UFRJ

Segundo a direção do hospital, há 130 câmeras de vigilância na unidade. Porém, os dispositivos não coibiram a ação dos criminosos. A Prefeitura Universitária disse que estuda meios para aumentar o policiamento no entorno do hospital e que está em contato com os funcionários da unidade.

Segundo nota divulgada pelo hospital, a emergência não será reaberta até que o atendimento seja remanejado para outro andar.

Confira a nota completa:

“O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) sofre com roubos de cabos de energia.

Nesta segunda-feira, 17/1, a Emergência da Unidade foi fechada e não será reaberta até que o atendimento seja remanejado para outro andar.

[L’édito de Valérie Toranian] Christiane Taubira : ce qui compte, c’est elle

Valérie Toranian

« Ce qui compte, c’est vous », dit son slogan de campagne. Auquel on pourrait ajouter : l’union, c’est moi ! Christiane Taubira [photo] entre en lice dans la course à la présidentielle et porte à six (au nom de l’unité !) le nombre de candidats à gauche, sans compter les deux représentants trotskystes. Sur la ligne de départ et sous réserve des 500 signatures : Jean-Luc Mélenchon (La France insoumise), Yannick Jadot (Europe Écologie Les Verts), Anne Hidalgo (Parti Socialiste), Christiane Taubira, Arnaud Montebourg (qui devrait se retirer ?), Fabien Roussel (Parti communiste)… Les électeurs de gauche, atterrés, voient leur chance de figurer au second tour définitivement enterrée.

Photo : Raphael Lafargue/ABACAPRESS.COM.

La gauche est éparpillée par petits bouts façon puzzle, dynamitée, dispersée, ventilée, selon la célèbre formule d’Audiard dans Les Tontons flingueurs. Bien qu’en l’occurrence, on devrait plutôt parler de tatas flingueuses. Car au jeu du poker menteur et du « c’est pas ma faute, c’est la sienne », nos deux candidates n’ont vraiment rien à envier à leurs camarades masculins. Bonne nouvelle, l’égalité en politique est enfin réalisée !

« Christiane Taubira, c’est la gauche qui s’écoute parler, ravie de parler aussi bien. Peu importe au fond de perdre, pourvu qu’on perde le verbe haut et fleuri. »

Christiane Taubira avait juré en septembre sur les ondes de France Inter qu’elle ne voulait pas « contribuer à l’éparpillement ». Elle y contribue donc officiellement depuis le 14 janvier. Elle promet de se soumettre au résultat de la Primaire populaire à laquelle, en gros, participeront des citoyens qui lui sont plutôt acquis : la France insoumise et Europe Écologie Les Verts ont en effet refusé le principe de ce scrutin de dernière minute qui ressemble à un faux sondage. Quant à Anne Hidalgo, qui avait dédaigné la Primaire populaire lorsque Yannick Jadot la lui avait proposée au printemps, elle l’a réclamée en décembre, sentant sa position de plus en plus fragilisée… pour finalement s’en dégager de nouveau lorsque le candidat écologiste lui a répondu qu’il n’y participerait pas. La confusion et la fébrilité sont à leur comble.

« Cet éparpillement est révélateur de notre époque. Le morcellement des identités […] indique un même recentrage vers les forces individuelles au détriment du collectif. Chacun dans son couloir, chacun persuadé d’être dans le vrai, chacun se drapant d’une exigence d’authenticité vis-à-vis du groupe pour refuser toute alliance, tout compromis. »

[Livros & Leituras] As telas digitais formam uma “fábrica de cretinos”?

A fábrica de cretinos digitais é o chocante título do livro do neurocientista Michel Desmurget, que elenca os efeitos das telas digitais.

Ele comprovou “constante bombardeio perceptivo; desmoronamento das trocas interpessoais; perturbação quantitativa e qualitativa do sono; amplificação das condutas sedentárias; insuficiência de estimulação intelectual crônica”.

Desmurget é equilibrado na crítica, mas o Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) visualiza uma avalanche de transtornos mentais entre os jovens.

As crianças não nascem sabendo mexer com computadores e os videogames não tornam os jovens mais habilidosos e inteligentes.

Título e Texto: ABIM, 13-1-2022 

Anteriores: 
Por ladrar noutra coisa – Diário de uma bitch 
Enquanto a Europa dormia 
Didier Lemaire: sous le régime de la terreur 
[Livros & Leituras] Poder Global e Religião Universal - Juan Claudio Sanahuja 
Os democratas que destruíram a Democracia 
[Livros & Leituras] Ponerologia - Psicopatas no poder

[Estórias da Aviação] As ervas da ira. (Prólogo)

José Manuel

Nem sempre as memórias escritas são felizes, agradáveis ou engraçadas como gostaríamos, porém, são memórias, aconteceram, são reais, e como tal devem ser escritas. São um idioma especial represado que precisa fluir livremente. As boas vão conosco para a eternidade, e as más ficam por aqui registradas, para servirem de exemplo às novas gerações, para que não mais aconteçam.

Com este texto, aqui início uma nova série dentro do que já foi publicado, apenas complementando a continuação dos textos "Memórias".

"AS ERVAS DA IRA" divididas em cinco partes, para que o teor único de cada uma possa ser mais facilmente compreensível, serão sempre intercaladas, com textos sobre outros assuntos vivenciados.

São fatos, que apesar de tristes aconteceram e estão na minha memória. Foram poucos, num universo de 32 anos, mas também serviram para alicerçar meu crescimento pessoal e profissional, e por isso os considero importantes, a ponto de torná-los públicos. 

Provavelmente, muitos talvez tenham passado por algo semelhante e ao lerem estas linhas não gostem dessas recordações. Servem para mostrar e desmistificar que a nossa vida não foi só glamour, como alguns apregoam. 

Vida que segue!

Uma das coisas ruins que topamos durante a nossa vida, são as chamadas ervas daninhas, que de vez em quando se apresentam à nossa frente, ao nosso lado, na terra que cultivamos, como se fossem uma provação que teremos que lidar e saber como sobreviver a uma verdadeira peste. Todos passam por isso em maior ou menor grau, e o interessante é ter sabido contornar esses problemas sem que tenhamos sido contaminados ou envolvidos irremediavelmente por esse tipo de parasitas. É aí que reside a sabedoria humana.

Tenho um quintal e por mais que mande limpar com recorrente despesa, elas teimam em desabrochar, ao menor sinal de chuva, para meu desespero visual.

O nome não poderia ser mais adequado, pois se sobrepõe às belas flores, aos melhores alimentos, às mais deliciosas frutas, como a dizer, vocês são belos, gostosos, mas eu posso manipular vocês, como e quando eu quiser!

No momento em que escrevo, observo a pessoa que contratei para "amenizar" o meu mundinho, ainda que seja com prazo de validade, e posso ver o quão difícil e exaustivo é esse trabalho, e pior, se estiver sob sol escaldante como agora.

Assim é com toda a nossa existência, e o “sol escaldante“ eram nossas condições no trabalho extenuante, difícil, a bordo.

Quando menos se esperava topávamos com essas ervas à nossa frente, e pior era quando se valiam de posições funcionais estratégicas, um tipo de improbidade privada, transformando parte da nossa vida num inferno, por horas, dias e até anos.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Atividade econômica cresce 0,69% em novembro, diz Banco Central

Percentual de novembro é prévia do Produto Interno Bruto - PIB

Pedro Peduzzi

O Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) apresentou alta de 0,69% registrado em novembro de 2021, na comparação com outubro, percentual já dessazonalizado para compensar eventuais diferenças entre os períodos, como o número maior de feriados ou fins de semana.

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O dado, espécie de prévia do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. foi divulgado hoje (17), em Brasília, pelo Banco Central. Apesar da alta, o trimestre ainda apresenta número negativo (-0,79%), devido a sequência anterior de recuos, segundo os números apresentados pela autoridade monetária.

Na comparação com novembro de 2020, quando os efeitos da pandemia estavam mais acentuados, o indicador tem alta de 0,43%; e no acumulado do ano (janeiro a novembro de 2021) a variação observada, sem ajuste sazonal, ficou em 4,59%. No acumulado de 12 meses, novembro tem alta de 4,30%.

Selic e câmbio

O IBC-Br incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: a indústria, o comércio e os serviços e a agropecuária, além do volume de impostos. O índice é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o Banco Central a tomar decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic, definida atualmente em 9,25% ao ano.

Certificado Digital: os “conspiracionistas” tinham razão

Cristina Miranda

Desde Março de 2020 que questiono a nova virose (veja aquiaquiaquiaquiaquiaqui e aqui). Pela forma como surgiu; pela forma como foi (ou melhor, não foi) combatida. Tudo muito opaco, tudo muito suspeito. Narrativas contraditórias, medidas sem qualquer nexo, censura sobre quem questiona a lenga lenga oficial, perseguição aos cientistas, virologistas, epidemiologistas renomados (alguns Nobel) que fazem contraditórios. Nada, absolutamente nada, faz sentido desde que foi declarada esta “pandemia”.

Podia, ao fim de quase DOIS anos, chegar à conclusão de que estava errada. Mas foi exactamente o oposto: não só estou do lado certo da história como constato que afinal, isto ainda é pior do que alguma vez imaginei. É dantesco o que estão a fazer à Humanidade. Leia aqui, também, este excelente artigo sobre este tema.

Tal como nos meus textos anteriores, a minha única pretensão com mais este artigo é pô-lo a pensar apresentando factos que merecem toda a nossa atenção pelo futuro dos nossos filhos e gerações vindouras. É um dever cívico QUESTIONAR e exigir respostas válidas.

Foi-nos dito, em Janeiro de 2020, que estávamos perante uma ameaça de um vírus desconhecido, altamente contagioso e cuja taxa de mortalidade era ainda uma incógnita mas com uma “certeza”: as unidades de saúde em todo o mundo começavam a ficar lotadas (só que a PORDATA agora diz que não); o número de mortes era “às centenas” um pouco por todo o planeta, com gente a desmaiar nas ruas da China (imagens circularam nos telejornais); caravanas de camiões militares a transportar urnas na Itália (ad nauseum nas TV,s sem referir que foi por centralizarem em Bérgamo, as cremações) e que só agora divulgam que menos de 1% não sofria de doença prévia.

Em consequência, foi decretado o lockdown total por 15 dias “, uso de máscara e distanciamento social para “achatar a curva” até atingir a imunidade de grupo porque não havia AINDA vacina. Lembra-se?

Continue lendo AQUI »

One America News: DirecTV decide derrubar canal de direita

Operadora de TV descartou motivação ideológica

O canal de TV One America News, de direita, deixará de ser transmitido pelo serviço de satélite DirecTV. Trata-se de uma “revisão interna de rotina”, informou a empresa à agência de notícias Bloomberg, na sexta-feira 14.

Também o canal A Wealth of Entertainment, que pertence à empresa que controla o One America e exibe programas de TV familiares com foco em vendas de produtos e estilo de vida, vai deixar o catálogo da DirecTV.

À Bloomberg, o porta-voz da DirecTV disse que as necessidades do mercado conduziram à decisão extrema. E manter a programação da Herring Networks (que controla o One America) “não era do melhor interesse”.

A declaração contrasta com uma fala de John Bergmayer, diretor jurídico da AT&T, holding da DirecTV, que sinaliza decisão ideológica. Em novembro do ano passado, o executivo sofreu pressões da esquerda para peitar o canal.

“O apoio à ‘grande mentira’ de que a eleição de 2020 foi roubada e o fato de estar consistentemente dando tempo de antena a teorias da conspiração sobre a covid-19 fez do canal um vendedor de mentiras tóxicas”, disse Bergmayer.

Fora da realidade

O país está com problemas? Sim. Mas achar que só o governo tem alguma coisa a ver com isso é apenas uma ilusão perdida

J. R. Guzzo

De duas, uma: ou o Brasil já pode chamar o padre para receber a extrema-unção, pois o doente vai morrer daqui a cinco minutos, ou então existe alguma coisa muito errada nos boletins médicos sobre a saúde do paciente que estão sendo divulgados para o público. A inflação ficou acima dos 10% em 2021. O desemprego até que está caindo, mas ainda há mais de 13 milhões de desempregados na rua. A renda desabou. A pobreza aumentou. A economia não cresce nada. Não existe mais orçamento federal. O presidente é ruim. O ministro da Economia é ruim. Os outros ministros são ruins. Por que, então, o paciente não morre logo de uma vez?

Uma das hipóteses é o mau funcionamento de algo que se poderia chamar de Sistema Nacional de Informação Econômica; é por aí que a população, ou quem se interessa por questões da vida pública, recebe notícias sobre a economia do país. Esse mecanismo, sabidamente, está com as válvulas desalinhadas. É natural. Os jornalistas, quando precisam dizer alguma coisa a respeito, procuram os economistas — que sabem tão pouco sobre o que está acontecendo quanto os próprios jornalistas, mas que, como eles, têm certezas absolutas sobre economia ou qualquer outro assunto. As perguntas que fazem e as respostas que dão, como resultado de sua fé, contentam os desejos de uns e outros — e, se isso não combinar com a realidade, pior para a realidade, e pior para o público pagante.

A indignação escandalizada diante da inflação, como se vê agora, é um caso claro de diagnóstico que não combina com a doença. É como se o Brasil estivesse fora do sistema solar. A inflação nos Estados Unidos foi de 7% em 2021, o pior resultado em 40 anos. Se a inflação americana foi de 7%, quanto os economistas acham que deveria ser a do Brasil? A inflação nos países ricos em geral, medida no conjunto da OCDE, ficou um pouco abaixo dos 6%. Dá para comparar, em termos de tamanho, organização e qualidade, as economias dos Estados Unidos, Europa e Japão com a economia brasileira, coitada? Se eles estão mal, após dois anos seguidos de destruição econômica por conta da covid e dos seus “fique em casa”, por que raios o Brasil deveria estar bem?

Segunda-feira será de sol e calor no Rio de Janeiro

Temperatura vai variar entre 24 e 31 graus

Foto: Francisco Victer

De acordo com o Climatempo, a segunda-feira, 17, será de temperaturas que variarão de 24 a 31 graus. A previsão se repete para terça e quarta-feira.

Na quinta-feira, as coisas mudam. Para este dia, a previsão é de chuva, com máxima de 30° e mínima de 24°.

Sexta, sábado e domingo volta a fazer sol, mas com menos calor. As máximas são de 29 e as mínimas de 24 graus.

Título e Texto: Diário do Rio, 16-1-2022

FC Porto continua na frente

A abrir a segunda volta, tal como a fechar a primeira, o FC Porto viajou até às imediações de Lisboa, entrou no jogo a perder e conseguiu dar a volta ao resultado. Ontem a vítima foi a Belenenses SAD, derrotada por 4-1 graças a um hat-trick de Evanilson e a um golo de Taremi. Os Dragões seguem líderes do campeonato com três pontos de vantagem sobre o Sporting e nove sobre o Benfica.


Substituto de Sérgio Conceição no banco de suplentes e perante a imprensa, Vítor Bruno sublinhou os méritos de um triunfo num “campo tradicionalmente difícil”, perante uma equipa que em casa criou sempre problemas aos adversários quando “começou com 11”. O treinador-adjunto reconheceu que para os líderes da liga não foi fácil lidar com a “agressividade fortíssima do oponente” na primeira fase do encontro, mas depois perceberam “onde havia espaços” e podiam “ferir” a Belenenses SAD e os golos foram “aparecendo naturalmente”.

Óbvio MVP do jogo, Evanilson apresentou-se aos jornalistas “muito feliz” pelo prémio, mas também destacou que “sem o trabalho da equipa não o teria conseguido”. Para “dar continuidade à sequência de vitórias”, objetivo que também é evidente, o brasileiro salienta que é importante “trabalhar para começar bem os jogos”, ainda que o mais relevante seja vencer, independentemente da evolução do resultado.

domingo, 16 de janeiro de 2022

Acabem lá com as ideologias

Duarte Calvão

Vacinei-me aos 19 anos contra ideologias. Estávamos no início dos anos 80, eu era então estudante de Economia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (que trocaria mais tarde pelo curso de Comunicação Social), e durante pouco mais de um ano militei num partido trotskista, a Convergência Socialista, albergado clandestinamente no Partido dos Trabalhadores (PT), já que a sinistra ditadura militar brasileira, mesmo no seu estertor, ilegalizava partidos marxistas. Desde essa experiência, que acabou por ter um lado positivo, desenvolvi uma imunidade não só contra tudo quanto cheire a marxismo, mas também contra doutrinas que acham que possuem uma espécie de chave para nos explicar a sociedade e a sua história.

Por isso, é para mim estranho que no Portugal de hoje haja tantos maiores de 30 anos a afirmarem-se convicta e orgulhosamente conservadores, liberais, democratas-cristãos, sociais-democratas (não vou mais à esquerda, porque é outro mundo e ainda menos compreensível), desprezando o salutar pragmatismo que deve guiar a política atual. Não estou a dizer que essas doutrinas não apresentem ideias e princípios que nos podem inspirar e orientar, mas mal de nós se os políticos, sobretudo aqueles que têm responsabilidades de governo, enquadrassem a sua ação numa qualquer rigidez doutrinária, forçando a realidade a caber na pureza de uma ideologia.

Passando para o concreto dos dias agitados da campanha eleitoral que vivemos, devo dizer que aprecio a boa educação e as boas intenções dos que professam fé na Iniciativa Liberal, mas não compreendo uma certa infantilidade em acharem que são eles que possuem a tal chave que nos vai resolver todos os problemas. Não por acaso, dizem que nas universidades os liberais disputam com o Bloco de Esquerda as preferências dos estudantes e parece-me muito provável que assim seja, já que é próprio da juventude ser atraída por este tipo de teorias totalizantes e de fácil compreensão. Eu próprio o fui na minha época e por isso longe de mim criticá-los. Além disso, prefiro mil vezes que optem pela “visão” liberal e não na de um marxismo que quanto mais tenta parecer moderno mais limitado e desadequado se mostra. Tomara, portanto, que deem muitos votos e deputados à Iniciativa Liberal.

Causar a ruína e gabar-se disso

José Mendonça da Cruz

Surpreende-me que nenhum partido da oposição desminta António Costa quando se gaba de que todas as companhias aéreas do antigo acionista privado da TAP faliram, e que, portanto, foi a intervenção socialista que salvou a companhia aérea portuguesa.

É uma mentira descarada. A empresa brasileira de Neeleman, a Azul – cuja joint-venture com a TAP fortalecia o hub de Lisboa nos voos Portugal/Brasil e Brasil/Portugal – está bem e recomenda-se, embora tenha sofrido, como todas as empresas de aviação civil, os efeitos da pandemia.

O Senhor Neeleman não só não está falido como mantém a maioria das ações com direito a voto da Azul, como se pode ler nesta notícia do Jornal de Negócios. E Neeleman vai fundar uma nova companhia aérea nos EUA, a Breeze, porque, – como sabem os meios de negócios e as revistas da especialidade, é um dos mais profícuos empresários da aviação civil.

Mais: é mentira que a intervenção nacionalista tenha salvado a TAP. Ao contrário, a intervenção socialista condenou a empresa à insignificância, e os portugueses a pagarem milhares de milhões dos seus impostos para satisfazer os caprichos ideológicos de Costa e Santos.

Não sou ‘despachante da Anvisa’, afirma Queiroga

'A história vai me julgar. Eu trabalho todo dia para que tenha um bom julgamento', disse o ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, voltou a rebater críticas feitas à pasta sobre uma suposta demora para o início da vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19. A imunização do público infantil teve início na sexta-feira 14 em algumas cidades do país.

A pasta anunciou oficialmente que daria aval à vacinação das crianças no dia 5 de janeiro — três semanas depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter autorizado a aplicação das doses pediátricas da Pfizer.

Em entrevista coletiva neste sábado, 15, em João Pessoa (PB), Queiroga afirmou que a responsabilidade pela condução de políticas públicas na área sanitária é do Ministério da Saúde.

“Quantos medicamentos, dispositivos ou produtos têm registro na Anvisa e não fazem parte das políticas públicas? O Ministério da Saúde, o ministro da Saúde não é um despachante de decisão da Anvisa, nem de agência nenhuma”, disse.”

“O Ministério da Saúde é quem conduz a saúde pública e o ministro da Saúde é a principal autoridade do sistema de saúde no Brasil”, prosseguiu Queiroga.

“A história vai me julgar. Eu trabalho todo dia para que tenha um bom julgamento.”

Ontem, o ministro da Saúde já havia subido o tom ao responder a ataques do governador de São Paulo, João Doria (PSDB) — pré-candidato tucano ao Palácio do Planalto e adversário do presidente Jair Bolsonaro.

[As danações de Carina] O outro gume da faca

Carina Bratt 

PELO RUMO ESTRANHO no qual vejo as coisas mais corriqueiras caminhando, e não só caminhando, acontecendo, de fato, não sei onde nós, simples mortais iremos parar. Hoje cedo, ao me dirigir à padaria, acreditem, amigas, me deparei com um poste fugindo de um cachorro em desabalada carreira. Para piorar a sua desdita, o infeliz levava, nos braços, o transformador. Sério! Não estou brincando. Mais adiante, um gato de madame batia papo com um rato de esgoto. Me lembrou esse rato, o Fugiudomar Mendes. 

Ambos riam e ainda gracejavam com os que passavam. Em frente a farmácia, um ônibus com ar refrigerado de mentirinha, brigava com um passageiro porque ele havia reclamado que o ‘frio do ambiente interno’ não estava de acordo com o calor que fazia aqui fora. Dentro da padaria, uma barata vestida de Dilma berrava com a atendente que o açucareiro sobre a mesa estava vazio e ela exigia que lhe fosse trazido um recipiente repleto, até a boca, tipo assim identicamente a barragem da Vale, em Ouro Preto. 

Pensei com meus botões... possivelmente essa barata tenha parentesco com Kafka e a sua Metamorfose ambulante roubada daquele Maluco beleza que nasceu em Salvador, na Bahia, se dizia Carpinteiro do universo, vivia pedindo S.O.S, era amigo de Al Capone e tinha Medo da chuva. Por muitas vezes esse personagem perdeu o Trem das sete e depois que morreu, ficou conhecido pela alcunha de Raul Seixas. Acho que é esse o nome da figura. 

Para minhas leitoras, obviamente será fácil descobrir se estou certa ou errada. Raul. Todavia, se não for Raul, Como já dizia a vovó, Eu Também Vou Reclamar. Não uso Sapato 36 e não Nasci há dez mil anos atrás. Ainda na padaria, tomei (no bom sentido um café), comprei pão, manteiga, leite, paguei tudo direitinho com meu cartão de crédito e tratei de sair fora. Não me sinto uma velha gagá. Seria um tanto esquisito se eu, de repente, saísse para dentro, subisse para baixo e descesse para cima. 

De passagem pela banca de revistas do Eustáquio, ao apurar os olhos nas principais publicações expostas, tomei conhecimento que o ministro da saúde não gosta do INSS. Ele disse que o INSS é coisa para pobre e favelado. Se ficar doente abre aspas ‘quero ir para o Sírio-Libanês, em São Paulo, de helicóptero, com todo conforto, tendo um monte de seguranças ao meu redor e não abro mão, nem que chova Lula ou Doria, ou qualquer outro pinguço de plantão’. E concluiu: ‘Faço questão de mamar à custa do governo desfrutando de um andar inteirinho só para eu curtir com esse povinho besta que aceita e engole tudo’’. Fecha aspas. 

O nosso ministro da saúde para quem não sabe, é o Marmelo Queidroga. Me perdoem, se grafei errado. Culpa dos meus óculos escuros comprados na 25 de março. Qualquer coisa, basta vocês ligarem para o ex-dele, o Luz Lâmpada Enriquepobre Maneta. Ou Perneta, Capeta, não faz diferença. Tudo termina em pizzas e, claro, em ‘ETA’. Nas fofocas quentinhas das novelas, o Christian (versus) Renato, vividos por Cauã Reymond tomamos conhecimento que: 

[Antigamente] Eu tive um…

… pager e vários celulares.



O primeiro celular, que comprei em Miami, acho que na Victor’s, custou 400 doletas!

sábado, 15 de janeiro de 2022

Zoom – Xavier Moreau: « De tout temps, la gauche française est bourgeoise et antisociale »

Dans « Le livre noir de la gauche française », Xavier Moreau fait un portrait sans concession de cette gauche qui prétend, depuis son apparition sur la scène politique française, démontrer sa supériorité morale non seulement sur la droite conservatrice mais sur le peuple français en tant que tel. Pour l’auteur, fin connaisseur de l’histoire et de la vie politique nationale, lorsque l’on regarde les accomplissements de la gauche depuis 1792, on y perçoit sur l’essentiel qu’une succession de crimes et de trahisons dont à aucun moment elle n’a eu l’intention de s’amender. Le meurtre, la corruption, la trahison, la transgression sexuelle sont apparus dès la naissance de la gauche. Ils ne sont pas des excès dus aux circonstances, mais ils sont intrinsèquement liés à cette gauche française. « Le livre noir de la gauche française » est un manuel de combat indispensable pour tordre définitivement le cou à ce courant de pensée qui possède encore des moyens techniques et idéologiques de maintenir son emprise sur notre pays.

[Pernoitar, comer e beber fora] Bibi Sucos, não tem erro

Salmão do Bibi

Como escrevi na primeira postagem sobre Bibi Sucos, entortei o nariz quando meu filho me “levou” ao Bibi Sucos, na Olegário Maciel.

“Orra, jantar numa lanchonete?!”

Desde então me tornei fã.

Foi o salmão que comi em Copacabana. Que repeti ‘by delivery’ por duas vezes. Na Barra, e em dezembro de 2021, em Copacabana. Ótimo! Sem pele nem espinhas, e sem gordura boiando ao cimo. Os acompanhamentos (arroz de brócolis e salada caprese) muito bons.

Foi o “picadinho carioca” que tracei na Praça de Alimentação do BarraShopping. Um dos melhores que já comi. Se contarmos com a banana, foi o melhor!

Impressionante o controle de qualidade em todas as unidades da rede. Não sei se franqueadas.

Aliás, o mesmo acontece com a rede Outback no Rio.

✫✫✫✫✫

Com certeza! Na “lanchonete” ou em casa.

Ah! Sobre a iFood: nossos santos não bateram.

Anteriores: 
Barraca da Chiquita fez 42 anos 
[Comer e beber fora] Bibi Sucos 
Premier Copacabana Hotel. 207 
Cinco lugares para comer feijoada no Rio de Janeiro 
Receitas com sabor a Natal: o bolo rei da Capuchinha do Rossio, Viseu