terça-feira, 18 de maio de 2021

[Língua Portuguesa] “Chegar a” ou “chegar em” casa?


Colunas anteriores: 

Globalização e Globalismo não é a mesma coisa? 
Com certeza ou concerteza? 
Dois-pontos: usar para quê? 
O hífen de “bem” e de “mal” 
Dia Mundial da Língua Portuguesa assinala-se hoje em 44 países 
Ontogênese e Patogênese: nunca ouvi falar. O que significam? 
Este ou esse? Qual a diferença e quando usar? 
Qual a diferença entre ‘moderação’ e ‘ponderação’? 
[Língua Portuguesa] O que já foi publicado

Um comentário:

  1. As preposições são palavras funcionais, isto é, elementos linguísticos cuja função principal se relaciona com a construção das estruturas, não manifestando, por conseguinte, um significado concreto pré-estabelecido. Nesse sentido, as preposições são normalmente selecionadas, ao nível do léxico, pelos verbos com que comparecem. Esta seleção é sobretudo de cariz sintático e não tanto semântico.
    O caso do verbo chegar, em português, é muito interessante a este respeito, já que exibe diferenças significativas conforme a variedade que estamos a considerar. Assim, no português falado em Portugal, chegar seleciona, tipicamente, a preposição a, remetendo para a ideia de «alvo» ou de «destino» (a preposição a na frase «O João chegou a casa» seria equivalente à que nos surge em «O João foi a Cabo Verde»). Já no português falado no Brasil, a preposição que preferencialmente acompanha o verbo chegar é em, remetendo, neste caso, para a ideia (mais estática) de «localização» ou de «posicionamento» (note-se que «O João chegou em casa» será a construção normal no Brasil).
    Em suma: desde que não se verifiquem incompatibilidades flagrantes entre o significado do verbo e a preposição por ele selecionada, a subcategorização de preposições está, em termos gerais, fortemente dependente de fatores lexicais, que, como vimos, podem mesmo alternar dentro de variedades diferentes de uma mesma língua.
    Luís Filipe Cunha, 31 de outubro de 2007

    De facto, enquanto verbo de movimento, o complemento (que indica o espaço/lugar) do verbo chegar deve iniciar-se com a preposição a ou até:

    «Ele chegou a casa.»
    «Eles já chegaram a Lisboa.»
    «Tu chegaste até aqui.»
    «A nossa fronteira chega à Bolívia.»

    No entanto, Celso Luft (Dicionário Prático de Regência Verbal, São Paulo, Edição Ática, 2003, p. 116) e Maria Manuela Moura Neves (Guia de Uso do Português – Confrontando regras e usos, São Paulo, UNESP, 2003, p. 179) alertam-nos para a particularidade do uso da preposição em neste caso específico: «No Brasil, entretanto, usa-se muito a preposição em (exclusiva diante de casa/lar: chegar em casa, e não chegar a casa.»

    O uso desta preposição é explicado «por se considerar o estado e o repouso (lugar onde)» (Luft) em vez de movimento ligado à «preposição a, que marca o ponto de chegada (com destaque para o movimento)» (Manuela Moura Neves), o que leva a que alguns gramáticos «tolerem o chegar em casa, na língua escrita» (Luft). Apesar desta informação, Celso Luft defende que, «mesmo assim, em texto escrito culto formal, melhor se ajusta o chegar a».

    Eunice Marta, 25 de junho de 2012

    https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/cheguei-a-casa-portugal-e-em-casa-brasil/31425

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-