sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Frases para ler, pensar e relaxar

Carina Bratt

O princípio da caixa d´água se baseia no seguinte: todo corpo mergulhado nela sai completamente molhado.

O trânsito engarrafado sempre se engarrafa no sentido em que o guarda de trânsito assopra o apito.

Quem tem medo de ficar preso nas escadarias de um prédio, seja subindo ou descendo, efetivamente sofre de cleptoescadaria.

No Rio de Janeiro, uma turma de balas perdidas procura os revólveres que as detonaram sem deixarem com as vítimas os endereços para voltarem para suas residências.

O grande problema de Brasília é que por lá os pescadores não se criam. Os peixes são muito grandes e, pior, não costumam morder anzóis que não sejam cadastrados.

Tiradentes foi esfaqueado na forca porque deixou o marquês de Barbacena banguela dos testículos.

O Mar Cáspio é um oceano cheio de caspas

A principal função de um coveiro é enterrar os que faleceram em face de terem morrido do lado de cá e, agora, precisarem viajar para o lado de lá.

O coração é um órgão do corpo humano que só para de funcionar se Deus esquecer onde colou a partitura.

A imbecilidade humana consiste em fazer as coisas certas ao contrário do que lhes são opostas.

A arquitetura moderna se notabilizou neste século por fazer grandes obras com os pés e sapatos enterrados na terra.

As múmias de antigamente tinham um profundo conhecimento de como miar. Hoje, esse conhecimento é inerente somente à família dos gatos.

Na pia batismal nos livramos do pecado original.

No futuro será aperfeiçoada a maneira de “detergente” pela polícia. Os representantes da boa ordem usarão lava-louças com “alto poder de ação” comprados principalmente em supermercados. Os “fora da lei” serão colocados na cadeia em modernas embalagens de plástico.

A prosopopeia é uma prosa descrita pelos antigos fenícios em “Popeia”, cidade ao sul da famosa Ilha de Creta.

O maior matrimônio registrado até hoje pelos anais da história é o do Brasil com Cabral. Foi ele quem desvirginou o filho de Vera Cruz e depois, para não ficar em maus lençóis com o rei de Portugal, desposou-o. O Brasil desde pequeno tinha essa estranha mania de camuflar por debaixo das plantações de índios e os perigosos “Sem-Terra”.

Não podemos, jamais, tirar a venda dos olhos da justiça. Ela é cega e sofre de miopia galopante. A doença está em fase tão adiantada, que ultimamente a jovem sequer consegue andar a cavalo. Só a cavaco.

Os “anaufabetos” não aprenderam que fazer sexo pelo cu pode causar sérios problemas de hemorroidas.

Pero Vaz de Caminha, depois de morto, perdeu a caminha e foi dormir num caixão.

As constelações, como o nome já diz, servem para cobrir os ossos das costelas da parte traseira das pessoas.

Eu “nuco” é aquele cidadão que nunca fará coisa alguma.

Dizem que Vênus a tudo enxerga. E o mais curioso. Vê em terceira dimensão, nada lhe escapa. Por isso, é um planeta considerado pelos demais, da galáxia, como bisbilhoteiro.

Quem planta anões jamais colherá um ser humano maior que ele próprio.

Conta a história, que Adão primeiro comeu a cobra, e, depois, a Eva, de sobremesa.

Em casa de macumbeiro o “espeto” é na hora de se livrar da entidade baixada.

Não cuspa pra baixo que nos pés não lhe acerte.

“Serpente” é melhor que escova. Trabalha menos na hora de ser usado nos cabelos dos clientes do salão de beleza onde trabalha fazendo bicos.

No trágico acidente aéreo, avião ao bater na montanha, tomou um safanão de volta no meio da cara. A montanha era faixa preta em judô e não deixou por menos.

Pergunta que não quer calar: é verdade que o padeiro que fez o pão de açúcar morreu de diabete?

“Tupete” é um fio de cabelo metido a besta que gosta de passear de tapete pelo couro cabeludo só para ver o que seus outros irmãos estão fazendo lá do alto. 
Título e Texto: Carina Bratt, secretária e assessora de imprensa do jornalista e escritor Aparecido Raimundo de Souza. Da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro. 14-12-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-