sábado, 26 de setembro de 2015

Questionamentos… Velhinhos e velhinhas do Aerus...

Valdemar Habitzreuter
Na quarta-feira que vem, 30 de setembro, vamos assistir a mais um round de votação de pautas no Congresso para decidir se os restantes dos vetos da Dilma devem prevalecer ou não. O mais polêmico é o aumento exorbitante dos servidores do judiciário. Estará também novamente em pauta o PL2 dos aposentados do Aerus. (Já se perdeu a conta de quantas vezes este projeto esteve em pauta e não foi votado por falta de quórum).

Coloco aqui as seguintes questões: O PL2, tendo já o seu conteúdo aprovado por instâncias judiciais ao qual os parlamentares também deram seu aval favorável anteriormente e que agora se exige apenas uma votação simbólica para liberar os recursos provisionais já disponíveis para o pagamento de nossos salários, pergunto: é justo e lógico que a apreciação dessa pauta seja colocada por último, já que há o consenso dos parlamentares em aprová-lo e a votação seria célere? Quem organiza as pautas quanto à ordem? Não deveriam nossos representantes averiguar isso e exigir que a pauta figurasse como primeira na lista? Por que não conseguem? Já o tentaram?

Questionando mais: Dilma vetou o reajuste dos servidores do judiciário pelo impacto de 36 bilhões que sairiam dos cofres públicos e que desequilibrariam as contas públicas, por conta desta crise miserável que o país atravessa. É claro, não é culpa dos servidores. Mas convenhamos, faz sentido pleitear, neste momento, um reajuste exorbitante de uma categoria já privilegiada? Em contrapartida, os 368 milhões destinados ao Aerus, já aprovados no orçamento de 2015, ficam de fora do aperto fiscal que o governo promove. De onde, pois, a justificativa de os parlamentares fugirem da votação, em se tratando de uma classe de idosos injustiçada?

Continuando questionando: Por que os nossos amigos parlamentares, que se colocam ostensivamente de nosso lado, não têm voz e poder para influenciar os que podem dar uma solução definitiva ao problema? Sabemos que os políticos têm por vocação atrair os holofotes para si e, assim, estarem em evidência. Mas, não é nisso que queremos acreditar de nossos aliados pela causa Aerus… Ou devemos?

Bom, basta de questionamentos, não resolvem nosso problema. Podem talvez inspirar alguém de intuição perspicaz e torná-los efetivos, mandando, por exemplo, e-mails ao presidente Renan Calheiros e parlamentares – como fez o José Paulo de Resende recentemente, logo após da não votação do PL2 na última sessão...

Mas, com toda a polêmica da sessão parlamentar anterior acerca dos vetos, haverá, também na próxima, infindáveis discursos dos parlamentares dos que são pró vetos e dos que são contra, e, assim, estaremos às voltas de mais um espetáculo interminável de discussões...

Assim, preciso deixar os últimos pontos de interrogação: podemos, num tal cenário, apostar de que os parlamentares farão o possível de votar o PL2? Não estariam eles influenciados pela grave crise econômica e, com isso, na surdina, mancomunados e não obrigados a que os 368 milhões cheguem ao Aerus? 

Estamos sendo passados para trás deliberadamente? Bem, que venha alguém tirar-me dessas desconfianças...
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 26-9-2015 
Marcação: JP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-