domingo, 20 de dezembro de 2015

Magia do Natal

Carlos Lira

Hoje, último domingo do advento, "a proximidade da luz".

Resolvi assistir à Santa Missa na Igreja da Ressurreição, situada na Praia do Arpoador, entre as praias de Copacabana e Ipanema. O vigário desta paróquia é o Monsenhor José Roberto Devellar, o mesmo que celebra a Missa, aos domingos, na TV Cultura.


Como sempre, este fabuloso Monsenhor José Roberto Devellar escolhe palavras apropriadas a diversas ocasiões. 

Certa feita, este ilustre monsenhor relembrava um momento marcante em sua vida paroquial: na missa de sétimo dia em memória do cantor Gonzaguinha, a atriz Marília Pera fora convidada a ler a epístola da missa, a atriz desculpou-se porque não trouxera os óculos.

“Se o reverendo Monsenhor, permitisse, ela dirigiria algumas palavras em homenagem ao falecido”. A palavra lhe fora concedida pelo reverendo Monsenhor José Roberto. Eis que a atriz Marília Pera dirigiu-se ao púlpito e começou a tecer uma elegia em homenagem ao cunhado falecido. Segundo o Monsenhor José Roberto, foram palavras tão lindas e tão fortes, a plateia começou a chorar inclusive o próprio Monsenhor...

Um sermão deste “anjo da Praia do Arpoador” é de uma expressão de palavras tão fortes que atrai fiéis de vários lugares do Rio de Janeiro! São palavras fortes e vibrantes proferidas com maestria, ele não utiliza gritos ou gestos ousados e de efeito à moda evangélicos neo-pentecostais... Nada disto! São palavras iluminadas, carinhosamente proferidas por um pai espiritual de todos.

O sermão de hoje, numa dinâmica espetacular, o Padre José Roberto citou a grande presença da Virgem Maria na vida cristã – Jesus filho de Maria, Maria a mãe de Deus. O estranho comportamento de várias seitas neo-pentecostais que desqualifica a presença de Maria na vida de Jesus Cristo. Algumas delas até a ignoram. Para estes neo-pentecostais Jesus é o filho sem mãe, uma espécie de “filho de chocadeira”.

O nosso pároco se estende em sua explanação: os pintinhos de chocadeira, são frios, sem viço, a mãe é uma lâmpada! Os pintinhos nascidos diretamente de uma galinha são alegres, saltitantes, trepam na mãe galinha, brincam com ela. O sermão vai em um crescendo espetacular indo até à distribuição dos presentes às crianças carentes da favela Pavão-Pavãozinho ocorrida ontem, muitos presentes doados pelos paroquianos, belos presentes e muitos, em quantidade e qualidade, segundo Padre José Roberto.

Uma garotinha com cerca de nove anos de idade ganhou um carrinho e toda feliz levou o presente ao irmãozinho de quatro anos de idade! Outra criança, após ganhar o presente natalino, exclamou: Padre, estes são os presentes que meu irmão e eu ganhamos neste natal! Este ano nem papai e nem mamãe poderão nos presentear! Estamos em crise!

Finalizando o sermão, este padre santo exclama: e o presente ao menino infante? Todo o nosso amor e toda a nossa Fé em um amanhã repleta de luz e esperança!

Final da Missa, o semblante dos presentes é de felicidade!
Salve o Monsenhor José Roberto Devellar que por muitas vezes o tratamos de Padre! Ele é simples, pouco importa! Antes de ser padre ou ser Monsenhor, ele é humano! Ele é irmão! 
Título e Texto: Carlos Lira, 20-12-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-