segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Os vetos da Dilma, pautas bombas e nossa pauta bombinha... Velhinhos e Velhinhas do Aerus...

Valdemar Habitzreuter

É manhã, 22 de setembro... Os congressistas estarão (ou não) no Parlamento para apreciar os vetos da Dilma referente aos projetos que foram aprovados por eles em pautas bombas que desagradaram ao governo e que podem desestabilizá-lo se os vetos forem rejeitados. O governo culpa os presidentes da Câmara e do Senado pelas pautas bombas que tiveram prioridade em suas agendas.

Dois principais projetos de lei que Dilma vetou foram: o aumento salarial dos servidores do Judiciário e o reajuste salarial dos aposentados que recebem acima de um salário mínimo nos mesmos moldes de percentagem de aumento concedido aos aposentados que recebem apenas um salário. Estes dois projetos, se entrarem em vigor, dizem os governistas, desequilibraria as contas públicas em época tão grave de crise econômica.

Mas, de quem é a culpa de se ter chegado a este cenário? Do povo? Se o governo soubesse administrar o cofre público - nosso dinheiro de impostos - não estaríamos nesta falência do Estado. O governo petista foi um grande desastre econômico para o Brasil, essa é a verdade... e o povo a pagar o pato... (talvez seja desejável que este governo imploda de vez e surja uma alternativa mais consistente de governabilidade e responsabilidade fiscal).

Assim, mais uma vez os olhos de milhares de pessoas estarão voltados para o Congresso Nacional na expectativa do que vai acontecer. Os servidores do Judiciário reclamam que seus salários estão há muitos anos defasados e vão pressionar os congressistas para que o veto ao seu reajuste salarial seja derrubado. Por sua vez, os aposentados do INSS também sentem na carne, a todo ano que passa, o suplício de uma defasagem cada vez mais degradante em seus proventos, torcem para que os parlamentares façam valer o projeto de lei que garanta reajustes igualitários a todos os aposentados.

Enquanto isso, a nossa pauta bombinha PL02 ficará no esquecimento mais uma vez; é, decerto, apenas uma bombinha sem grandes significações para os parlamentares e que pode esperar... e já estamos esperando desde fevereiro. É insignificante para eles essa espera...

Fazer o quê? Vamos ao menos torcer para que o veto que proíbe o aumento dos salários dos aposentados do INSS seja derrubado e, assim, trazer um fôlego extra de sobrevida a todos nós aposentados desse Brasil e não continuemos jogados à margem da sociedade... E sem esquecer de exigir e pressionar que o PL02 entre em pauta e seja votado o mais breve possível...
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 21-9-2015

Relacionados:

9 comentários:

  1. Não quero divergir de você , em absoluto, mas se não houver de novo o tal do quorum, que será o mais provável a acontecer, não que eu esteja agourando, muito pelo contrário e todos sabem que não sou disso, mas tudo indica que o Senado está mancomunado com o executivo, na tentativa de postergar o PL-02, que sabem ter de pagar nem que preciso seja imprimir dinheiro.
    Não acho que nos devemos resignar com a queda do veto aos aposentados.
    Não acho que devemos nos resignar com nada !
    São dez anos de resignação e com várias soluções à nossa frente, mas a miopia da maioria não deixa que se procurem caminhos que permitam que respiremos aliviados.
    Insistem, insistem, na redenção sindicalista da ACP, como se isso fosse a nossa única saída. Não é e eu tenho clareado isso bastante.
    Um dos exemplos, que demorou quase dez anos a ser executada foi a da ida a uma Corte Internacional.
    Agora eu estou propondo uma ação criminal à União, sem me ater se foi o DAC, a Previc ou o raio que o parta, culpado. Todos esses órgãos pertencem á União, portanto a ação deve ser direcionada ao responsável pelo conjunto da obra.
    A documentação da terceira fonte escrita pelo DAC, é simplesmente repugnante e ao ler me deu vontade de vomitar, face ao descaso dos responsáveis por isso.
    Há provas dos crimes aos quilos e só não vê quem não quer, e parece que amanhã na reunião da Aprus, na tentativa mais uma vez de achar outra via, o grupo mais uma vez se fará ausente. Como é que querem levar o seu futuro adiante se permanecem ausentes, acreditando em estórias da carochinha contadas por pessoas estranhas ao meio e pior pagas com dinheiro público, seu meu de todos ?
    José Manuel

    ResponderExcluir
  2. José Manuel, amanhã estará na reunião QUEM DEVE de estar.
    Um grande abraço./-

    ResponderExcluir
  3. Heitor Rudolfo Volkart21 de setembro de 2015 20:35

    Prezados, O PL está na mão deles, só nos resta torcer. Gostaria, quanto a ausência dos Membros do Aerus, ratificar minha opinião, comentário que fiz no tema Notas, Fatos e...."A Ação não seria em Prol do Aerus e sim dos Aposentados do Aerus associados à Aprus, onde TODOS do Aerus podem se Associar". Continuei, "Particularmente, entrar com uma Ação abrangendo Milhares de Beneficiários, onde 90% destes, de braços cruzados, não participam em nada, só a espera de soluções, sentados em seus sofás, é um caso a Debater". Em fim que seja então Aprus x União . Abraço a todos.


    Volkart

    ResponderExcluir
  4. Temos o que merecemos pela omissão da maioria dos participantes do Aerus.
    De nada adianta ficar reclamando pelo facebook e não participar da luta por seus direitos usurpados.

    ResponderExcluir
  5. Hoje, vou escrever sobre acordos.
    ACORDO, nada a ver com acordar depois de uma noite de sono.
    Se alguém acha que acordo é um contrato, engana-se.
    Vou tentar explicitar.
    Quando o rei Dom João VI fugiu de Portugal para o Brasil, por causa de Napoleão, seus navios vieram cheios de riquezas, e cortejadores da da corte, ou melhor, corruptos puxa-sacos.
    Em 1807 ele conduz o Brasil ao status de país aliado de Portugal e Algarves, para não perder a coroa portuguesa por abandono. O ACORDO era uma visita do Rei a um país pertencente a federação.
    Já em 1822, os políticos brasileiros, transformaram o país aliado em Império, outro acordo firmado entre a alta cúpula que já administrava o país, "cópula" seria o mais correto.
    Em 1888 outro acordo libertou os 5% de escravos que existiam no Brasil, porém conduziram o país a um outro tipo de escravagismo. A escravatura do trabalho. O mesmo acontecia com os imigrantes, obrigados a pagar moradia comida e ferramentas, quase nunca recebiam nada.
    Outro acordo foi a proclamação da República, onde houveram destituições e mortes até hoje não investigadas.
    Houve acordo na guerra dos Farrapos, na revolução de 30, no fim da ditadura Vargas, na reeleição de Vargas, na ditadura de 1964, na abertura de 1985.
    Houve acordo até para o Brasil entrar na segunda guerra.
    Sem teorias de conspiração, acho que houve acordo até para a morte de Vargas.
    Houve acordo para derrubar Collor.
    De comum acordo deixamos de ter 3 poderes independentes.
    Hoje em dia executivo, legislativo e judiciário trabalham de comum acordo, exceto por alguns diletantes juristas.
    Hoje terá um importante sessão plenária do congresso nacional para votar vetos, que se forem rejeitados, derrubam o governo "antalógico".
    Tenho certeza que haverá acordo de adiamento.
    Isso chama-se conluio, maracutaia mas ainda é um acordo.
    Quase ao final do ano, as plenárias do congresso se reuniram apenas em março.
    Para finalizar nós precisamos ACORDAR, creio que para bons cultos, meias palavras bastam...
    bom dia

    ResponderExcluir
  6. Votar o veto ou vetar o voto?

    Eis a questão!

    Paizote

    ResponderExcluir
  7. Perfeita análise do VSROCCHA!
    Que acordo poderemos nós aposentados ainda propor ou fazer com os responsáveis de soltar a nossa grana? Seria o nosso próprio acordo de acordar? Acordar para não deixar adormecer a luta pelos nossos direitos.
    É claro, hoje, com certeza não haverá quorum por causa dos malditos vetos... será um acordo dos governistas...
    Valdemar

    ResponderExcluir
  8. Sempre critiquei a frase :
    - SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO.
    Eu creio que puseram uma letra a mais na frase.
    - SER O NÃO SER, EIS A QUESTÃO.
    No Brasil todo mundo é o que não é, as éticas, as morais e as dignidades das questões.
    Ainda há pouco, mandei e-mails aos que fazem proposituras de impedimento da anta, que eles também deviam ser impedidos.
    Perguntei-lhes se era justo o erário pagar 2, 3 ou 4 rendimentos do erário?
    Eu lhes disse que era um grande filho de uma putada o cara se aposentar como deputado e depois receber como senador eleito, ou se aposentar com presidente é se reeleger e ganhar 2 vezes do erário.
    Precisamos exigir que isso acabe...
    ACORDAR BRASIL

    ResponderExcluir
  9. Heitor Rudolfo Volkart22 de setembro de 2015 16:52

    Prezados, é triste, é o fim da picada, mais uma vez, os Acordos.
    Onde está a Independência das Casas? Executivo, Legislativo e Judiciário, que barbaridade!

    O Acordo destes três, que é um Conluio, as ingerências do executivo no Congresso, ou melhor os mandos, são um absurdo e o pior, tudo por interesses particulares de cada um, interesses de cada um, dos mais de 30 Partidos políticos. Aí analiso; e nós do Aerus, total falta de Interesse, as nossas necessidades, tão sérias e nenhum interesse, se fossemos meia dúzia e alguns não se interessam, até entenderia, mas somos Milhares, e meia dúzia se interessa, isto é uma barbaridade. Hoje lá na Aprus, talvez não haja Acordo, para uma Ação Criminal, sabem porque, falta de interessados, não é viável meia dúzia custear Milhares, uma Ação praticamente ganha, mediante tantas provas Cabais, isto é uma barbaridade.
    Estou torcendo para que Thomaz e José Manoel cheguem a um Acordo. É triste mas é a nossa realidade. Assim como todo povo tem o governo que merece, nós do Aerus não teremos mais por não merecermos. Nunca imaginei que os Beneficiários do Aerus, fossem agir desta maneira. Isto é uma Barbaridade.
    Abraços.
    Volkart.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-