sábado, 12 de março de 2016

O apedeuta ladino tenta inverter as posições na apuração da Lava Jato

Márcio Matos Viana Pereira
Num Artigo intitulado “ ASSIM É O BRASIL’’, tecendo considerações sobre os presidentes da República, sucessores dos governantes militares, alonguei-me abordando o desempenho dos Governos Lula e Dilma, maiores responsáveis pela crise moral, política, econômica e social que hoje se abate sobre a Pátria, provocando, pela soma de seus efeitos maléficos, danos e dificuldades para toda a sociedade, com maior ênfase para os pobres, justamente, os quais, a dupla mentirosa e corrupta se ufana ao proclamar a eles terem dirigido as maiores atenções e esforços de suas ações de governo.

Após muita luta, fracassos e derrotas, tendo transformado a sua imagem de aguerrido líder sindicalista e adotado o slogan de “Lula, paz e amor”, o embusteiro líder das massas chegou ao Poder! É que muitos inocentes úteis, acreditando nos embustes, nas lamúrias sobre os sofrimentos vividos no passado, nas ameaças aos corruptos, e nas promessas de transformações do heróico Robin Hood, resolveram correr o risco e o elegeram.

Bastou chegar ao Poder, para que, o iconoclasta protetor dos pobres e desvalidos; defensor da ética, da honestidade e da dignidade; o inimigo empedernido e irreconciliável dos ladrões do erário público; o escravo do direito e apóstolo da justiça; o orador arguto e atrevido que, agredindo conjuntamente os adversários e a gramática, atacava quem quer que tivesse destaque político, criticando os seus feitos e as suas obras, desde que os mesmos não integrassem o PT, mudasse de atitude, e principiasse a revelar a sua verdadeira personalidade, modelada por um caráter fraco, uma ambição desmedida, uma desonestidade crônica, uma absoluta falta de patriotismo e uma insuficiência notória para atuar com equilíbrio e isenção.

O Apedeuta, ex-presidente da República, hoje, aparentemente megalômano, talvez influenciado pelas bajulações e elogios daqueles que, privados dos valores de independência e caráter, sempre gravitam na órbita do Poder, seja o mesmo exercido por um reles demagogo e mentiroso como o é o Apedeuta, ou por um cidadão da estirpe moral do ex-presidente Itamar Franco, ou talvez como resultante de devaneios alcoólicos, aparentemente passou a acreditar ser o preferido de Deus, estando acima do bem e do mal, aí incluindo a Lei, a ordem, o império do direito e a prevalência da justiça. Como Deus criou Eva, o Apedeuta, provavelmente delirando, após ingerir álcool, julgando-se divino, criou e anunciou um embuste para substituí-lo na Presidência da República, apresentando então Dilma, símbolo da incompetência administrativa, habituada a assaltar cofres, quando guerrilheira, e maior responsável pelo caos instalado no Brasil.

Ameaçado pelo alcance das investigações da Lava Jato e receoso da firmeza e competência do juiz Sérgio Moro, aproveitando o fato de ter sido necessário usar o princípio de condução coercitiva para levá-lo a depor, o Apedeuta, a Presidente Dilma e toda cúpula petista passaram ao estardalhaço com o intuito de inverter os fatos e as posições, apresentando como arbitrário o magistrado honesto e diligente, e como vítima, perseguido pelo fato de ser reconhecido como “Pai dos Pobres”, o Apedeuta demagogo, mentiroso e desonesto.

Já escrevi em um dos Artigos anteriores que o Apedeuta já deveria ter sido denunciado, julgado, condenado e preso pelos crimes do Mensalão, pois era ele o chefe e parceiro de Dirceu, acusado como maior responsável e preso por estes crimes. Mentindo, porém, na TV, perante a nação, o Apedeuta reconhecido e proclamado como Ali Babá da trama, pelo deputado Roberto Jefferson, denunciante do crime, deveria ter sido condenado com uma pena maior do que a do próprio Valério.

Ao contrário do que alega o Apedeuta, o juiz Moro foi ponderado, pois poupou a sua esposa e filhos, embora estes tenham que explicar os “milagres” dos enriquecimentos rápidos. Quem tem acompanhado os noticiários, não tem dúvida das ligações desonestas do Apedeuta com dirigentes das grandes Empresas, razão de já ser considerado hoje um milionário.

Da mesma forma que o seu Criador, a Criatura não merece a mínima credibilidade, pois não foi reeleita honestamente, já que mentiu descaradamente durante a campanha eleitoral, tendo a sua reeleição representado o mais perfeito exemplo de estelionato eleitoral. Apresenta-se como intransigente defensora da Democracia, esquecida de que executou atentados terroristas, quando distribuía panfletos exortando os brasileiros a lutarem pela implantação do Comunismo. Com a mesma insensatez que marcou a sua mocidade, cobra hoje dos brasileiros a aprovação da CPMF e a Reforma Previdenciária, como se a população tivesse culpa dos seus desmandos e do seu despreparo administrativo, além de não ter tido a coragem de confessar ser a responsável maior pela compra da Refinaria de Pasadena, compra lesiva ao país e que resultou em um prejuízo de milhões de dólares à Petrobrás e ao Brasil. Como Presidente do Conselho Administrativo se omitiu e foi cúmplice da armação arquitetada. Tal como o seu Criador, também deveria estar presa, tendo então tempo de aprender a discursar para não falar tantas bobagens expressas em frases desconexas.

O Mensalão e o Petrolão ao serem desbaratados, serviram para dignificar a Justiça, o Ministério Público e a Polícia Federal que mostraram aos brasileiros ser possível consertar o país, bastando que cada entidade e cada cidadão, exercendo as suas funções com seriedade, honestidade e patriotismo, trabalhem pensando na Pátria com a obstinação de ajudá-la com abnegação, desprendimento, honra e patriotismo, trabalhando sério e com denodo.

Que em todos os recantos do Brasil, no próximo dia 13, num brado uníssono de revolta e brasilidade, os brasileiros exijam que ninguém tente parar a operação Lava Jato, cuja atuação engrandece o país e enche de orgulho os brasileiros, por dignificar a Nação espoliada. A operação Lava Jato deve chegar ao fim a que se propôs, pois os efeitos já produzidos apenas molestaram os corruptos acovardados, os quais a detestam por motivos óbvios! Urge queo juiz Moro permaneça implacável ao condenar ladrões e safados, para que o exemplo e o medo freiem a volúpia de enriquecer a qualquer preço dos cretinos.
Título e Texto: Márcio Matos Viana Pereira, São Luís, Maranhão, 10-3-2016

OBS: Não critico o Apedeuta agora, quando se encontra em dificuldades para explicar as denúncias que deverão ser apreciadas e julgadas no âmbito da Lava Jato. Em artigo publicado há mais de 10 anos, no Jornal Pequeno, de 21/05/2005, pressagiando o que estaria por vir, Mensalão seguido do Petrolão, escrevi: “É que o Brasil teve a desdita de eleger Presidente da República, em um momento crucial, quando o país precisava disparar, um brasileiro despreparado, apreciador dos encantos do Poder, desacostumado a trabalhar faz longos anos e manipulado por homens como Dirceu, Genuíno, Nilmário Miranda e outros que, num passado recente traíram a Pátria, não sendo válido acreditar que hoje, como pecadores arrependidos, estejam trabalhando com seriedade em prol dos mais lídimos interesses nacionais”. Impressionante, foi que somente ele, o” Filho do Brasil”, aquele que se proclama como o mais honesto dos brasileiros, mas que foi o Ali Babá do grupo articulador do Mensalão, escapou de ser julgado. O Apedeuta por ter enganado tantos ingênuos, livrando-se do Mensalão, hoje, apelando para a mesma tática demagógica e mentirosa, tenta se passar por vítima de perseguição, apenas por ter sido o protetor dos pobres. É muito cinismo!
MMVP

Relacionados:

Um comentário:

  1. Esse artigo devia ser gravado numa pedra e emoldurado em ouro. Parabéns ao autor!!!! Roncalli Maranhão.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-