sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Mainstream Media Barely Covers Controversial Obama-Era Uranium Deal


Much of the mainstream media was virtually silent on a recent report about the Uranium One scandal involving the Obama administration, the Clintons and Russian interests. 

Last week, The Hill reported that Russia engaged in bribery, kickbacks, extortion and money laundering in an effort to enter the U.S. marketplace with an aim to increase Russia's atomic energy business.

Furthermore, the FBI knew about the corruption before former President Obama approved a controversial uranium deal with Russia that gave it control over a large percentage of America's uranium supply.

Additionally, millions of dollars were sent by Russian nuclear officials to the Clinton Foundation while Hillary Clinton was secretary of state.

ABC, NBC, CBS, and CNN spent only a few minutes on the bombshell report, according to a Media Research Center study

ABC and NBC did not cover the story at all during the first week after the bombshell Hill report.

CNN gave the revelations less than four minutes of air time and CBS covered the story for just over a minute.

In contrast, mainstream evening news programs have spent over 1,000 minutes since January 20 covering whether Russia tried to boost Donald Trump in the 2016 election and whether the campaign colluded with Russia. 

Around one fifth of the evening newscasts' Trump coverage this year has been on the Russia collusion theory.


5 comentários:

  1. Lá como aqui,é um escândalo atras de outro e a midia nadando de boia.

    Paizote

    ResponderExcluir
  2. Ontem, sexta-feira, 27 de outubro: 4 084 visitas ao blogue.

    ResponderExcluir
  3. Novo estudo mostra cobertura desproporcional da mídia do caso envolvendo os russos
    A mídia mainstream dedicou amplo espaço à cobertura do caso envolvendo os russos quando o “escândalo” tinha Trump como alvo. O presidente e sua suposta relação com os russos foi assunto da imprensa por dias, mesmo que tudo estivesse baseado em denúncias sem substância dos democratas.

    Quando veio à tona que o próprio Comitê Nacional Democrata pagou pelo dossiê, porém, a mídia imediatamente perdeu o interesse pelo caso. Um estudo recente comparou o tempo dedicado a cada caso, mostrando que a cobertura contra Trump teve de 3 a 6 vezes mais atenção:

    Na média, a cobertura foi cinco vezes maior quando Trump era o alvo. A situação fica ainda pior quando se compara com a cobertura do acordo de urânio do governo Obama com os russos, uma história ainda mais escabrosa do que o dossiê feito por ex-espiões. De acordo com o Media Research Center, a CBS dedicou ridículos 69 segundos ao escândalo, enquanto a ABC e a NBC ainda não cobriram a notícia.
    (...)

    ResponderExcluir
  4. Economia americana cria 235 mil novos empregos em outubro
    A economia norte-americana criou 235 mil novos postos de trabalho em outubro, segundo um inquérito privado citado pela Associated Press (AP), refletindo uma recuperação face a setembro, quando a criação de novos empregos foi afetada por furacões.

    A empresa de processamento de ordenados ADP disse hoje que a criação de novos empregos nos EUA em outubro foi a maior em sete meses.
    (...)
    http://observador.pt/2017/11/01/economia-americana-cria-235-mil-novos-empregos-em-outubro/

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-