quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Lulices

Nuno Melo
Fazer da ignorância um exercício de erudição é em si mesmo um paradoxo. Mas Lula da Silva arriscou. Discorreu sobre temas que implicam estudo, com a facilidade com que trautearia um forró. E o disparate aconteceu. Sobre o atraso da educação no Brasil, disse numa conferência organizada pelo diário "El País", em Espanha:

- "Eu sei que isto não agrada aos portugueses, mas Cristóvão Colombo chegou a Santo Domingo em 1492 e em 1507 já ali tinha sido criada a Universidade. No Peru em 1550, na Bolívia em 1624. No Brasil a primeira universidade surgiu apenas em 1922".

Acontece que se o Brasil é o maior país da América Latina e o quinto do planeta, deve-o a Portugal que lhe deu nascença, administrou e fez Reino, circunstância sem paralelo na colonização espanhola. Se o Português é a língua mais falada do Hemisfério Sul, não será por empenho do instituto Cervantes.

As bases do Ensino Superior brasileiro foram lançadas bem antes de 1922. Em 1792, foi criada a Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, embrionária da Universidade Federal do Rio de Janeiro. E em 1808 foi criada a Faculdade de Medicina da Baía.

A historiografia assinala o notável desenvolvimento do Brasil até 1822, ano da independência. A realidade não muda porque Lula da Silva gostasse de ver o país pejado de ascendência anglo-saxónica. Sendo que a simples leitura do "Império marítimo português", de Charles Boxer, britânico sem resquícios de lusitanidade, o ajudará a perceber muita coisa.

Encontrar na colonização portuguesa justificações para problemas do Brasil de hoje, um colosso de riquezas naturais, 193 anos depois da independência, é simplesmente ridículo. E dar como exemplos a República Dominicana, o Peru ou a Bolívia, não lembraria a ninguém.

O Brasil é dos poucos países que dominam tecnologias de ponta em áreas de que o nuclear, a aeronáutica, o aeroespacial e a indústria automóvel são exemplos. Não consta que assim suceda na República Dominicana, no Peru ou na Bolívia.

Em 2014 o Brasil contava 1323 patentes concedidas, contra 5 da República Dominicana, 16 do Peru e 5 da Bolívia.

E o Instituto de Estatística da Unesco informa que em 2015 a taxa de alfabetização jovem era de 98,9% no Brasil, 99,04% na Bolívia, 98,94% no Peru, e de 97,93 % na República Dominicana.

Já sobre ética, Lula da Silva poderia falar de cátedra. O PT vem sendo notícia todos os dias e as razões não se encontram nos bancos das universidades, D. João VI ou Carlota Joaquina. Perdeu, aí sim, uma boa oportunidade de esclarecer qualquer coisinha.

Registe-se, já agora, que adoro o Brasil e tenho pelos brasileiros genuíno afeto.
Título e Texto: Nuno Melo, Deputado ao Parlamento Europeu pelo CDS, Jornal de Notícias, 17-12-2015

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-