segunda-feira, 4 de setembro de 2017

A indignação de um octogenário

Almir Papalardo

Quero iniciar este texto fazendo uma revelação pessoal. Daqui a um mês estarei completando 84 anos de idade. É isso mesmo que vocês leram, 84 anos de existência! Uma confissão que obrigatoriamente teria que fazer com que minha voz fosse ouvida por ser um cidadão que apesar de idoso, graças a Deus, mantém sua capacidade mental preservada, e por isso, merecedor de toda a benevolência, atenção e respeito por parte de todos os poderes públicos constituídos e por todos os demais cidadãos componentes da sociedade. E, importante, ainda mantenho ativado o meu Título de Eleitor!

Seria uma fase da vida em que deveria estar tranquilo, despreocupado, gozando o restante do tempo que ainda tenho para viver, garantido por uma legislação justa, equilibrada, que me desse estabilidade e segurança, por ter honestamente cumprido toda a minha missão no mercado de trabalho, com vultosas contribuições mensais ao INSS, durante trinta e cinco anos, e sempre sobre o teto determinado pela Previdência.

É! Mas não estou não! Sinto-me angustiado, intranquilo, desesperado, assustado com um futuro sombrio, vendo meu benefício previdenciário ser manipulado grosseiramente e de modo leviano, com cortes anuais indevidos, que o reduzirá dentro de pouco tempo para apenas UM salário mínimo. É a verdadeira derrocada de um aposentado! Me aposentei com OITO salários mínimos e hoje estou com apenas TRÊS pisos da Previdência! Isso na verdade é evolução ou involução?? Para os loucos entendidos é a regra que mantém os aposentados preservados em seus proventos, para os atingidos e minimamente coerentes, é a usurpação dos direitos adquiridos em sua aposentadoria, construída pelos frutos das suas robustas contribuições mensais, feitas num período em que se manteve em plena atividade.

Mas, não é culpa das atuais leis trabalhistas não. Elas existem (pelo menos existiam até serem distorcidas) e foram criadas para proteger o trabalhador brasileiro. Governantes levianos e indignos, destruidores natos, alardeando um fajuto déficit da Previdência, distorceram-nas para poder lesar o velho trabalhador aposentado. E já adotam este procedimento perverso há duas décadas, por total falta de criatividade para solucionar problemas, ainda mais quando estes problemas são causados por culpa deles mesmos, pela desonestidade, pela corrupção, pela falta de seriedade, pela ingovernabilidade e pela acomodação reinante nas suas gestões!!

Faltam-lhes senso de justiça, competência, patriotismo, sensibilidade, preferindo ficar no comodismo, pois são incapazes de criarem mecanismos corretivos, capazes de sanar qualquer problema eventualmente existente nas contas da Previdência. Não querem abrir mão dos vultosos desvios da verba previdenciária, usando-as para emprestar a diversos países comprometidos com o comunismo, socorrer bancos, empreiteiras, montadoras, apadrinhados, afilhados e por aí vai. Já desviaram da Previdência, até hoje, segundo informações estatísticas, 3,5 trilhões de reais. Eu escrevi isto mesmo, TRILHÕES...

Portanto, cerca de nove milhões de aposentados, entre eles eu, desesperados, em vez de estarem vivendo em plena paz com uma aposentadoria justa e digna, enfrentam como punição uma cruel e destruidora guerra, muito desigual e covarde, em busca de direitos e igualdades que todos os cidadãos ativos e inativos devem desfrutar, conforme preceitua a nossa Constituição de 1988 e o Estatuto do idoso de 2003. Todos são iguais perante a legislação e merecedores de um tratamento igualitário, humano, equilibrado e, respeitando sobretudo, o suor e a lealdade do trabalhador.

Até quando o Brasil continuará sendo um país leviano por culpa exclusiva dos seus governantes?  Conclamo, pois, a pronta intervenção de todos os poderes constituídos, para anular tal excrescência, estendendo também para os velhos aposentados do RGPS, uma justa, feliz e digna cidadania! Afinal, eles também são brasileiros, apenas são idosos e não estão mortos, carecendo de total amparo dos Poderes Públicos, ao contrário do que vemos hoje, escancaradamente, quando são discriminados, esquecidos, humilhados, desprezados e finalmente jogados na lixeira...
Título e Texto: Almir Papalardo, 4-9-2017

2 comentários:

  1. Meu amigo Almir Papalardo, eu faço parte deste barco que você também está dentro em auto mar e a deriva, entrando água e afundando com toda nossa classe. Também trabalhei mais de trinta e cinco anos me aposentei com 8,9 mínimos e recebo três. Lamentavelmente, meu amigo de grandes batalhas do passado em prol de nossa classe, as pessoas que assumiram os poderes de nosso governo, não são brasileiros verdes e amarelos como nós. Nossos representantes classistas, foram para o poder somente pensando em si próprio, o dinheiro e a sede de poder, desconfigurou o caráter de todos eles, por mais que eu você e muitos outros de nosso time tenha tentado de várias maneiras, jamais os sensibilizaram para fazer aquilo para que foram eleitos. Infelizmente hoje, quando nos falta a força, física mas ainda nos sobra inteligência e força mental, podemos continuar alertando a força jovem deste país para que tomem posições na vanguarda nacional, pois amanhã será a vez de vocês passarem pelo que estão passando os idosos e aposentados do passado. Abração forte para você guerreiro do meu time que tenho muito apreço e respeito.
    Antônio Carlos Corrêa



    ResponderExcluir
  2. Prezados Senhores do PSDB:

    Apreciei e agradeço o seu retorno. Quero esclarecer que o meu texto não se trata de críticas raivosas ou destrutivas, e sim, de apelos plenamente justificados, contra o alijamento dos aposentados nos planos de governo desse importante Partido.

    Não são pretensões ou solicitações abusivas ou absurdas, que não mereçam alguma atenção, porque, afinal, trata-se de dar mais dignidade e justiça à cidadãos já idosos, que tiveram seus direitos barrados e ultrajados para justificar fajutos débitos nas contas da Previdência.

    Por oportuno, peço vênia para lembrar-lhes que foi o seu nobre ex-presidente, Senhor FHC, que por sinal foi um bom mandatário, quem iniciou a má vontade política contra aposentados, que ao passar para as mãos inconsequentes dos demais presidentes que o sucederam, originou uma degradação perversa e contínua nas aposentadorias dos segurados do RGPS.

    O PSDB contraiu um enorme débito com os velhos aposentados, cabendo-lhe, portanto, a nobreza de saldá-lo!

    A solicitação que norteia o meu amargurado texto, é simples de ser encaixado em qualquer plano de governo, porque, tratam-se de cidadãos idosos, indefesos e que cumpriram fielmente e com fidelidade toda a sua missão no mercado de trabalho, com contribuições mensais e bem robustas para o INSS. Isto, por decência e coerência, deveria ter sido respeitado...
    Respeitosamente,
    Almir Papalardo.

    Em Terça-feira, 5 de Setembro de 2017 15:04, PSDB escreveu:

    Olá, Almir,
    agradecemos as mensagens e pelas observações.
    Toda contribuição é bem-vinda, inclusive críticas construtivas.
    As suas reclamações serão encaminhadas à direção.
    Att.
    Equipe de Comunicação do PSDB.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-