sábado, 16 de setembro de 2017

Uma greve fascista

João-Afonso Machado

Mesmo acompanhando os noticiários só de relance, deu para perceber que aqueles enfermeiros espalhados pelo País inteiro, em greve e vigília, não eram comunistas. Falta ali qualquer coisa: os controleiros, os megafones, a costumeira agressividade. Os enfermeiros têm as suas razões, se calhar têm toda a razão, parece que se sentem insultados pelo Ministro da tutela e dispõem ainda de Costa a fazer troça deles.

Por isso é que Costa, devidamente escoltado pelo PCP, tenta resolver o problema negociando com um único sindicato, por acaso afeto à CGTP, por acaso desapoiante da greve.

É o supremo paradoxo: as tropas de Arménio Carlos não promovendo manifestações antigoverno, o PS valendo-se delas, de olhos postos (todos) na aprovação do OE.
Poder, a quanto obrigas! 
Título e Texto: João-Afonso Machado, Corta-fitas, 14-9-2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-