terça-feira, 22 de março de 2016

Kim Kataguiri esmaga editorial picareta do ‘The Observer’

Luciano Henrique
Para refutar o editorial embusteiro do The Observer, Kim Kataguiri veio com sangue nos olhos. Leia:

Está rodando na internet um editorial do jornal “The Observer” que afirma que há risco de intervenção militar no Brasil: “Uma preocupação óbvia é que esses protestos (contra e pró-governo), se saírem do controle, poderiam degenerar em violência desenfreada e no risco de intervenção pelas Forças Armadas”.

Há um erro gritante na essência da análise. O jornal acredita na tese propagada pelo governo petista de que “a sociedade está dividida”, quando a verdade é que existe um quase consenso na população de que o governo Dilma Rousseff é corrupto, incompetente, e deve passar e ser condenado pelo processo democrático do impeachment o mais rápido possível.

As manifestações pró-impeachment foram pelo menos dez vezes maiores do que as manifestações pró-governo. Outro ponto: os protestos petistas mobilizam, em sua maioria, militantes. A estrutura de seus protestos é absolutamente centralizada, os protestos acontecem em poucas cidades e muitos manifestantes já vêm uniformizados.

Não, a sociedade brasileira não está dividida. Essa sensação é fruto de uma tentativa desesperada do governo de catalisar a voz da minoria minúscula e barulhenta que o defende.

“A democracia brasileira, restaurada em 1985 depois de 20 anos de ditadura militar, não chega a ser uma planta tão robusta que não possa ser desenraizada novamente por uma combinação de fracasso político e emergência econômica. O dever de Dilma é simples: se ela não pode restabelecer a calma, tem de convocar novas eleições – ou sair.”

Sim, Dilma deveria renunciar. É uma opinião sensata. O problema é a ignorância de quem escreveu o editorial, que fica evidente na frase “tem de convocar novas eleições”. O Brasil é presidencialista, não parlamentarista. Dilma não tem o poder de convocar novas eleições.

Quem escreveu o tal editorial não entende bulhufas da política brasileira. Não haverá intervenção militar. Os militares não querem e não têm de intervir. Nossas instituições não são perfeitas, mas estão funcionando. Políticos e empresários poderosos estão sendo investigados e presos. Um processo de impeachment teve seu rito definido pelo STF e está tramitando no Congresso Nacional.

Sim, nossa democracia é jovem. Sim, nossa República foi vilipendiada por uma organização criminosa. Mas o brasileiro quer e luta pela mudança, pela renovação e fortalecimento de nossas instituições. Não sofreremos um golpe. Pelo contrário: jogaremos na lata de lixo da História aqueles que atentaram contra a nossa República.

Não preciso acrescentar nada mais.
Título e Texto: Luciano Henrique, Ceticismo Político, 22-3-2016

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-