segunda-feira, 10 de abril de 2017

Os governos mentirosos!

Alberto José

Você sabia?   
De acordo com o art. 195 da constituição federal as "fontes de custeio" da previdência são as seguintes contribuições sociais:
i - do empregador -  folha salarial e outros rendimentos; receita de faturamento; lucro
ii - do trabalhador e demais segurados;
iii - receita de concursos de prognósticos (loterias);
iv - lucro líquido do importador de bens e serviços 
 (e anteriormente a CPMF). 
Superávits omitidos: 
2011 -  75,75 bilhões;
2012 -  82.691 bi; 
2013 -  76.243 bi;
2014 -  53.893 bi; 
2015 -  23.948 bi.

Para compensar um orçamento com gastos exorbitantes e muita mordomia, a "corte brasiliense" viu que poderia se apropriar facilmente das contribuições sociais do povo e, para esse fim, criou a DRU "desvinculação de receitas da união", que em 24 de agosto de 2016 foi prorrogada até 2023 pelos senadores coniventes com a tramoia (por 54 votos a 15)!

Em consequência, o governo prevê para 2018 um déficit de R$ 202,2 bilhões!!

O presidente Temer considera a DRU essencial para tapar buracos no orçamento (como tribunais redundantes, milhares de assessores superiores, desembargadores a dar com pau, aposentadoria "premium" e planos de saúde para as famílias dos congressistas, cotas de passagens, frotas de carros, ajuda moradia, paletó, educação, cartões corporativos, etc., etc.). 

Em 2015, a união pagou de juros   501 bilhões   ou 8,5% do PIB para beneficiar o sistema financeiro enquanto a previdência gastou 430 bilhões para beneficiar vinte e sete milhões de brasileiros.

Os juros se referem principalmente ao lançamento de títulos públicos para controlar a taxa Selic, que é a média dos juros que o governo paga pelos empréstimos tomados junto aos bancos. Quando a Selic sobe, os bancos preferem emprestar ao governo pois o lucro é certo. Quando a Selic cai os bancos são estimulados a fazer empréstimos aos consumidores.  Quanto maior a Selic, mais caro fica o crédito para os consumidores.

Dizem que o TCU (Tribunal de Contas da União) vai examinar as contas da previdência. Será que vão acabar com o esbulho feito através da DRU?

A MÍDIA, QUE PODERIA ESCLARECER ESSA FARSA, NÃO TEM CORAGEM DE TOCAR NO ASSUNTO. 

Fonte: Dra. Denise Gentil / UFRJ
            Dra. Alessandra Strazz/Jus Brasil
            Sindicato dos Aposentados
            Auditores Fiscais da Receita Federal
            Pinóquio - gentileza Estúdios Walt Disney 
Título e Texto: Alberto José, 9-4-2017

Um comentário:

  1. desculpas mas está ERRADO...
    O salário médio do RGPS é 1600 reais.
    O salário médio do RPPS tem vários valores.
    Eles vão de 1600, professores, policiais, funcionários da saúde
    a 350000 reais do ministério público.
    Estou falando de MÉDIA.
    LEGISLATIVO, EXECUTIVO E JUDICIÁRIO CECA DE 27 A 30000 REAIS.
    FFAA ESTADO MAIOR DE 20000 A 30000 REAIS.
    FFAA ESTADO MENOR DE 3000 A 15000 REAIS.
    OS ADVOGADOS E JURISTAS FALAM APENAS DO RGPS, Mas os sistemas são conjugados.
    Não adianta descontar sobre o teto do salário do INSS de um senador que vai se aposentar com 30000 reais.
    O SINDICATO DOS APOSENTADOS NÃO FALA DAS APOSENTADORIAS PÚBLICAS PORQUE SÃO PELEGOS.
    ASSIM COMO OS JURISTAS TAMBÉM NÃO TOCAM NO ASSUNTO.
    JÁ ESCREVI AQUI QUE 350000 APOSENTADOS DAS FFAA RECEBEM MAIS QUE 20 MILHÕES DE APOSENTADOS DO RGPS.

    E ESQUECERAM QUE A UNIÃO TEM DE CONTRIBUIR.
    Art. 195. A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, E DAS SEGUINTES CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS:
    OU SEJA MAIS OS INCISOS 1,2,3

    GOT IT

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-