quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Valor mensal das exportações em Julho foi o mais elevado de sempre

Nuno Aguiar

Foto: Bruno Simão
Nunca num só mês as exportações de bens em Portugal tinham atingido os 4,7 mil milhões de euros. Aconteceu em Julho, no sexto mês consecutivo de aumentos homólogos nas vendas de bens ao exterior.

Há cinco meses consecutivos que as exportações de bens em Portugal superam a marca mensal de 4 mil milhões de euros. Mas em Julho atingiram o valor mensal mais elevado de sempre (4.730 milhões de euros), superando o anterior recorde, que tinha sido fixado em Outubro de 2014 (4.631 milhões de euros).

Há cinco meses consecutivos que as exportações de bens em Portugal superam a marca mensal de 4 mil milhões de euros. Mas em Julho atingiram o valor mensal mais elevado de sempre (4.730 milhões de euros), superando o anterior recorde, que tinha sido fixado em Outubro de 2014 (4.631 milhões de euros).

Março de 2012 foi o primeiro mês em que a marca dos 4 mil milhões de euros foi superada, sendo que em 2013 e 2014 foram vários os meses em que este valor foi superado.

A evolução natural é de aumento do valor dos bens exportados, mas o volume fixado em Julho merece destaque por surgir numa sequência de seis meses consecutivos de variações homólogas positivas, o que já não acontecia desde o período que decorreu entre Setembro de 2013 e Fevereiro de 2014.

Em Julho deste ano as exportações aumentaram 5,6% em termos homólogos e as importações recuaram 1,1% em Julho, na primeira queda desde Fevereiro.

Os dados publicados esta manhã, 9 de Setembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mostram que a variação da venda de bens ao exterior deveu-se principalmente ao comércio intra-União Europeia, com destaque para máquinas e aparelhos, assim como produtos agrícolas (sobretudo Citrinos, frescos ou secos e Frutas, frescas, diz o INE) e plásticos e borrachas.

Mesmo que se retire o impacto dos combustíveis – Portugal compra petróleo e exporta o produto já refinado – as exportações continuam a crescer mais do que as importações, 5,7% e 5,5%, respectivamente.

Estes são os resultados apenas de Julho. Se olharmos para o trimestre terminado nesse mês (Maio a Julho), observa-se o crescimento de 6% das exportações e de 3,8% das importações em comparação com o mesmo período do ano passado. Como consequência, o défice da balança comercial diminuiu 175,4 milhões de euros, tendo-se fixado nos 2.597,1 milhões de euros, com uma taxa de cobertura de 83,9%.


Título, Gráfico e Texto: Nuno Aguiar, Jornal de Negócios, 9-9-2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-