quinta-feira, 24 de março de 2016

Isentona cínica, Marina arruma desculpa esfarrapada para atrapalhar impeachment

Luciano Henrique

Você quer uma dica infalível para descobrir se uma pessoa é cruel? Basta ver como ela se comporta diante do sofrimento dos outros e daqueles que cometem crimes contra o povo.

Por exemplo, se durante uma ditadura sanguinária alguém vê oportunidades para vender armas para um regime assassino, essa é uma pessoa cruel. Se ao ver uma mulher sendo estuprada, alguém visualiza a oportunidade de gravar um vídeo – que pode viralizar no YouTube – mas não chamar a polícia e evitar qualquer forma de ajudá-la, esta também é uma pessoa cruel.

A fórmula é infalível.

Pois bem. Marina Silva mostra sua crueldade aqui:

Líder nas pesquisas para 2018, a ex-senadora Marina Silva diz que o impeachment de Dilma Rousseff deixa intacta “a metade dos problemas que hoje afetam o País”.

“O PMDB, durante 12 anos, como irmão siamês do PT, indicou diretores para a Petrobras e tomo decisões políticas que nos levaram à crise. O Brasil está vivendo um momento de emergência econômica. Não podemos, em hipótese alguma, permitir que haja emergência institucional”, disse ela, em entrevista ao ‘Estado de S. Paulo’.Segundo Marina, os tucanos querem entrar no jogo para depois frear a Lava Jato.

Ela defende novas eleições. “Os seis ministros do TSE devolveriam aos 200 milhões de brasileiros a possibilidade de reparar o erro a que foram induzidos a cometer”.

Ao tratar o sofrimento do povo como uma conveniência para seus fins políticos, Marina mostra seu total desapego pela lei, bem como pelo sofrimento do povo. O TSE não tem a função de “reparar erros de eleitores”, mas de punir crimes. A única forma ética pela qual Marina poderia tratar a questão do impeachment de Dilma seria pela análise moral da situação: ou Dilma cometeu um crime e merece ser punida, ou não cometeu e não merece ser punida.

Evidentemente, Dilma cometeu não apenas um, mas diversos crimes de responsabilidade. Se Marina quiser um impeachment posterior contra Temer pelo mesmo crime, ela que faça. Mas por enquanto ela só tem uma alternativa moral: acatar o impeachment ou, se não quiser ser vista como um monstro moral, calar a boca.

Não importa se o PMDB apoiou o governo do PT. Nem mesmo se o PP apoiou. O que importa é que Dilma cometeu crime de responsabilidade e deve ser punida. Os fricotes de Marina Silva só demonstram que ela é uma pessoa cruel que não se preocupa com o sofrimento das vítimas de quem comete crimes de responsabilidade.

Essa aberração ética não pode sair de graça.
Título, Imagem e Texto: Luciano Henrique, Ceticismo Político, 22-3-2016

Relacionados:

Um comentário:

  1. Olha a expressão!!
    Meu Deus! Será que teremos outra Incompetente…
    H Volkart

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-