sábado, 17 de fevereiro de 2018

[Aparecido rasga o verbo] Que tiro foi esse que acabamos de ouvir??!!

Aparecido Raimundo de Souza

QUE TIRO FOI ESSE QUE acabamos de ouvir? Acaso pegou alguém do povo de calças curtas? Como? Vitimou quem? Temer? Nosso “onroso” presidente? Coitado! Morreu esse infausto? Está em coma, pelo menos? Ah, só resvalou em sua carcaça imunda. Acertou quem? A deputada Cristiane Brasil? Foi por isso que ela não pode assumir, apesar de nomeada, a pasta do Ministério do Trabalho? Que pena! Pessoa tão boa, séria, educada, gentil, não deve a ninguém, adora os motoristas, tanto é verdade, que paga em dia a esses tipos de profissionais, notadamente aos que lhe prestaram e continuam emprestando serviços e favores.   

Cristiane Brasil, só para lembrar, foi nomeada MINISTRA DO TRABALHO pelo chefe da gangue Michel Jackson Temer, no dia três de janeiro deste ano e a posse teria acontecido dia seguinte. Teria, caros leitores e amigos, não fosse o juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói, ter jogado um balde de água fria sobre seus costados. O Palácio do Planalto de braços dados com toda a corja havia preparado uma “festinha íntima só para figurões”, mas, infelizmente, por causa do senhor doutor Couceiro, o tiro saiu literalmente pela culatra.  A galera presente à cerimônia ficou a ver barquinhos flutuando no belo Lago Paranoá.

Cristiane não se deu por vencida. Entrou na justiça, como todo o corpo jurídico do governo (corpo jurídico esse, também só para lembrar aos amigos que nos leem) pago com nosso dinheiro. Uma nova festinha foi marcada, desta feita para o dia 22, o que também redundou num puta de um fiasco. Por fim, se valendo das brechas das nossas leis de merda, a deputadazinha foi em frente. Apelou, apelou, apelou, gritou, esperneou, até que acabou a bosta toda indo parar nas mãos da senhora Cármem Lúcia, no STF (Senhoras Tomem Fôlego), que manteve suspensa a posse da fogosa e camaliosa filha de Roberto Dinamite Jefferson.

O que não entendemos, até agora, é o que prende o rabo do presidente Michel Jackson Temer aos fundilhos do limpíssimo e claríssimo Roberto Dinamite Jefferson. Que acordo esses dois personagens marcantes da nossa história teriam em comum? Seriam picuinhas de velhos carnavais?  Futriquinhas e mercadejas de dois menininhos que fizeram algo de ruim e pernicioso no passado e agora, por questões de “cordialidade” e, em nome dela, um acabou descobrindo inhacas e apodrecidos um do outro?  Pestilências novas, não catalogadas? Para não haver um buchicho, uma entrega, “cavalhescamente” firmaram um acordo onde nenhum dos dois poderá mijar fora do penico? “Se você não botar minha filha lá, eu te entrego”. “Se você não fizer isso, eu enfio outra pessoa no lugar da sua Cris”. “Se nossas putarias vierem à tona...” Adeus, Temer, Adeus Roberto...”.

Senhoras e senhores, alguma coisa de muito obscura existe. Acreditem. Levem fé. Alguma coisa ainda não detonada está por trás de toda essa porra de nomeação. Não é possível, não é admissível, que um presidente (ainda que de uma republiqueta enlameada de cocô) se empenhe tanto, para nomear uma pessoa que a própria justiça, entre aspas acabou taxando de “desrespeito a moralidade administrativa”. O que seria para cada um deles, em particular, a tradução de “MORALIDADE ADMINISTRATIVA?”. Com os nossos leitores, a palavra. Pelo amor de Deus, venham em nosso socorro!

Mudando de pau pra cavaco, voltamos a Lula. Outro pobre coitado. Sem nada, sem apartamento, sem tríplex, sem sítio em Atibaia... como viverá esse infeliz?  Precisará se reeleger. Voltar sem mais delongas aos frontispícios da nação, para acabar de afundar um pouco mais esse brasilzinho de Cabral. Fato sabido e notório, o “mafioso de São Bernardo” já viveu às nossas custas, armou direitinho a sua aposentadoria, além das propinas por debaixo dos panos, como o espertalhão do Temer, que, dias atrás precisou fazer “prova de vida” junto ao INSS (Infelizmente Não Socorremos Salafrários) para voltar a receber a ninharia de RS 22 mil reais.  O governo de São Paulo “cancelou” (kikikikikiki, suspendeu pra inglês ver, injustamente) seus pagamentos de novembro e dezembro quando ele completou 77 anos. Parece que o governador sonhara que ele, Michelzinho, tinha batido com as doze e continenciava o capeta. Os senhores devem ter se esquecido. Essa pústula foi procurador do Estado de São Paulo e se aposentou com um salariozinho de “faxineiro”, beirando, hoje, R$ 45 mil reais. Nosso fúbio Representante Maior alegou pelo “esquecimento”, não ter ido se recadastrar, por absoluta “falta de tempo”.  Problemas de ordem com a sua futura e barrada ministrinha Cristiane Brasil.

Mas de novo, voltando ao Lula, caríssimos amados, que tiro foi esse que acabamos de ouvir? Será que se ele for realmente preso (kikikikikiki) fugirá do país para uma dessas ilhas paradisíacas? Será que a turminha da caixinha de fósforos da 4ª Região de Porto Alegre terá coragem de mandá-lo para a Papuda? Mencionamos a Papuda... como ele gosta tanto de Brasília, acreditamos ser este o melhor lugar para nosso ex-presidente passar seus longos doze anos. Se ele for engaiolado, claro, o que duvidamos. Tudo vai depender, sabemos, de antemão, da gorda propina que deverá correr para os bolsos da famosa “caixinha preta”, ou “jeitinho brasileiro”, tudo em nome da castidade, compostura, decência, alinho, decoro, dignidade, ou simplesmente M-O-R-A-L-I-D-A-D-E. O brasil (escrito assim mesmo) é um país onde a moral, os bons costumes, a dignidade, o respeito, atingem altos graus no IBOPE da podridão, da pudicícia, da sacanagem, da integridade. Nossos parlamentares, ou melhor, generalizando, nossos políticos são simplesmente INCORRUPTÍVEIS.  Esperem! Que tiro foi esse que acabamos de ouvir??!!


Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, jornalista. Do Sítio “Shangri-Lá”, um lugar perdido no meio do nada. 16-2-2018  

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-