quinta-feira, 30 de junho de 2011

Lançamento: novas vaselinas

Criação: Sueli Guerra

PT e o seu capitalismo de Estado fascista.

O Governo do PT ajuda um empresário a dominar o Carrefour, evitando que este comprasse o grupo Pão de Açúcar, mas não ajudou uma tal de Varig porque, ficamos sabendo depois, o governo do PT "achava" a Varig tucana e, vai ver, achava que o azul do logotipo deveria ser vermelho...

O governo do PT decidiu dar 4 bilhões ao empresário Abílio Diniz para que o grupo Pão de Açúcar funda-se à rede francesa Carrefour e forme um grande conglomerado do setor varejista. Os preciosos 4 bilhões serão doados pelo BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento), portanto, tratar-se-á de verba pública cedida a um empresário bilionário para que este forme um monopólio que prejudicará o consumidor.
E por qual razão o governo petista agiu desta forma?
Ora, o PT não chegou ao poder disposto a se adaptar ao rodízio de poder e muito menos à economia de mercado. O PT é um partido revolucionário e como tal pretende transformar a sociedade de acordo com sua imagem e semelhança, por esta razão anseia aumentar os controles políticos sob a sociedade e sob o mercado. Foi assim no comunismo e no fascismo. É assim em todos os regimes em que partidos revolucionários utilizam o Estado para desmontar os princípios da economia liberal. E a intenção do PT é esta.
Vamos à história. Os regimes fascistas de Hitler e Mussolini conferiram monopólios econômicos a alguns empresários na intenção de controlar o mercado e tornar a sociedade mais dependente do Estado para assim facilitar o trabalho de organizá-la politicamente em torno do projeto nacional-socialista. Este projeto interessava aos empresários aliados do Estado porque teriam o monopólio do mercado e interessava aos fascistas que, através do financiamento destes metacapitalistas (empresários que alcançaram o domínio dos mercados e por isso não se importam mais com os princípios da concorrência e com o regime vigente, desde que este mantenha seus privilégios), empreendiam o processo revolucionário nacional-socialista.

A Grécia é aqui, no Brasil

Protestos em Atenas, foto: Alkis Konstantinidis/AFP

A polícia não está na rua batendo em populares, nem estes estão enfrentando a polícia, mas, tirando o sangue quente dos gregos, o Brasil vai sendo transformado numa imensa Grécia. Fala-se da fórmula ditada pelo FMI e os banqueiros internacionais para enfrentar crises econômicas, ditas “medidas de austeridade”, ainda que devam ser chamadas de medidas anti-povo. Em Atenas o parlamento examina a proposta, de uma só vez, de aumentar impostos, reduzir salários, pensões e aposentadorias, promover demissões em massa, multiplicar o desemprego, cortar investimentos sociais e usar empréstimos externos para pagar dívidas externas, com juros, além de alimentar a especulação e financiar os negócios das grandes empresas.
Em Brasília, faz tempo que essas maldades vêm acontecendo aos poucos. Anuncia-se mais uma “reforma” na Previdência Social, reduzindo para 70% as pensões das viúvas e suprimindo o benefício para pessoas com menos de 35 anos. No primeiro caso, simplesmente vão cortar 30% de quem recebe 524 reais de salário mínimo para sobreviver. No outro, condena-se pessoas à fome apenas por não serem velhos. Isso depois de nivelarem pensões e aposentadorias por baixo, aproximando-se todas do salário mínimo, além da criação do deletério fator previdenciário.

Mais um vaselina: Chico Alencar

Chico Alencar é mais um vaselina que vive às custas do povo com as suas conversas fiadas, tal qual Paulo Paim que vem enganando os aposentados pra garantir as suas reeleições. Aliás, isso é típico do PT, e Chico Alencar embora noutro partido continua petista, assim como Heloisa Helena, Marina da Silva e tantos outros dissidentes do PT. Outro dia assisti a um vídeo onde o Bolsonaro o acusa de homofobia no plenário e ele desmente com aquela cínica carinha de santo, mas Bolsonaro mata a cobra e mostra o pau, e vimos ali a confirmação de Bolsonaro.

Sou contra qualquer projeto de cotas, sou contra a tudo que este governo do PT vem fazendo desde 2003 quando assumiu o poder. Conseguiram jogar os pobres contra os ricos, os negros contra os brancos, gays contra héteros e por aí vai. Sei que temos alguns cidadãos metidos a racistas, mas é café pequeno. Sou afrodescendente com muita honra, embora a minha pele não denuncie, mas os da minha família que têm a pele negra são revoltados com essas cotas, se sentem humilhados, pois todos estudaram e se formaram e não somos de família rica. O meu tio que era gari formou três filhos, o quarto não se formou porque não quis, preferiu seguir carreira musical.

O que os negros deveriam exigir dos governos, assim como os brancos é a melhora da qualidade do ensino público. O país está sendo levado por um rumo incerto para nós, mas certo para os governantes e acho que está na hora de acordamos para a realidade antes que seja tarde demais, senão iremos nos transformar num pequeno subúrbio de quinta categoria de Cuba.

O que você acha dessa dinheirama repassada para essas paradas gays? Enquanto isso os aposentados vivem de pires na mão, a saúde um caos e a educação uma merda.
Sueli Guerra, Resistência Democrática, 30-06-2011

Relacionados:

The Seattle Plot: Jihadists Shifting Away From Civilian Targets?


Scott Stewart
On June 22 in a Seattle warehouse, Abu Khalid Abdul-Latif pulled an unloaded M16 rifle to his shoulder, aimed it, and pulled the trigger repeatedly as he imagined himself gunning down young U.S. military recruits. His longtime friend Walli Mujahidh did likewise with an identical rifle, assuming a kneeling position as he engaged his notional targets. The two men had come to the warehouse with another man to inspect the firearms the latter had purchased with money Abdul-Latif had provided him. The rifles and a small number of hand grenades were to be used in an upcoming mission: an attack on a U.S. Military Entrance Processing Station (MEPS) in an industrial area south of downtown Seattle.

After confirming that the rifles were capable of automatic fire and discussing the capacity of the magazines they had purchased, the men placed the rifles back into a storage bag intending to transport them to a temporary cache location. As they prepared to leave the warehouse, they were suddenly swarmed by a large number of FBI agents and other law enforcement officers and quickly arrested. Their plan to conduct a terrorist attack inside the United States had been discovered when the man they had invited to join their plot (the man who had allegedly purchased the weapons for them) reported the plot to the Seattle Police Department, which in turn reported it to the FBI. According to the federal criminal complaint filed in the case, the third unidentified man had an extensive criminal record and had known Abdul-Latif for several years, but he had not been willing to undertake such a terrorist attack.

While the behavior of Abdul-Latif and Mujahidh in this plot demonstrates that they were amateur “wannabe” jihadists rather than seasoned terrorist operatives, their plot could have ended very differently if they had found a kindred spirit in the man they approached for help instead of someone who turned them into the authorities. This case also illustrates some important trends in jihadist terrorism that we have been watching for the past few years as well as a possible shift in mindset within the jihadist movement.

Paraíso da Patifaria

Criação: Resistência Democrática

Geraldo Almendra
Parlamento mais bem remunerado do mundo, “capitalismo” da corrupção e “Justiça” protetora da burguesia mais sórdida de nossa história.
As manchetes das patifarias, consentidas por uma sociedade que se mostra calhorda nos centros de decisão público-privada, viraram lugar-comum para que os otários e imbecis dos contribuintes se deleitem com sua própria covardia ao lerem os conteúdos das notícias âncora de jornais e revistas.
Enquanto a burguesia público-privada se empanturra de dinheiro ganho na formalidade de suas atividades na forma lícita-fascista e, principalmente ilícita, prevaricadora e sem-vergonha, o Parlamento do Paraíso dos Patifes decide reduzir as pensões por morte, aumentar o tempo de contribuição das mulheres e manter o sigilo das obras para as grandes competições esportivas que se aproximam.
É um conjunto de decisões para não fazer inveja a nenhuma máfia passada ou presente no mundo das relações público-privadas.
A nojenta repetição de afirmações de austeridade fiscal se resume em extorsão tributária, transformação do Estado em um incontrolável cabide de emprego do petismo, enriquecimento ilícito da burguesia pública e de seus cúmplices privados, e o suborno de grandes empresários de todos os setores.

Portugal e a luz no fim do túnel

Foto: Luiz H. Bassetti

O fantasma que assombra hoje os portugueses tem um nome: a luz no fim do túnel. Neste momento, os portugueses não podem saber se essa luz ao fim do túnel é a luz diurna do ar livre ou o farol de um comboio que corre velozmente em sua direção. Sejam de direita ou de esquerda, ou nem uma coisa nem outra, os portugueses gostariam que a luz que imaginam fosse a primeira mas temem que seja a segunda. Este é o fantasma português e domina por inteiro o sistema político. O artigo é de Boaventura Sousa Santos.


O fantasma que assombra hoje os portugueses tem um nome: a luz ao fundo do túnel. Por agora, os portugueses não podem saber se a luz ao fundo do túnel é a luz diurna do ar livre ou o farol de um comboio que corre velozmente em sua direção. Sejam de direita ou de esquerda, ou nem uma coisa nem outra, os portugueses gostariam que a luz que imaginam fosse a primeira mas temem que seja a segunda. Este é o fantasma português e domina por inteiro o sistema político. Há também os portugueses que não vêem qualquer luz e a que gostariam de ver não seria ao fim do túnel e sim dentro do túnel, para não baterem com a cabeça nas paredes enquanto caminham. Estes são os portugueses fantasma de que o sistema político não se ocupa.
O fantasma da luz ao fundo do túnel tem dois efeitos políticos. O primeiro é que quem está no governo se serve dele para não respeitar o presente e atuar apenas legitimado pelo futuro que diz controlar. Todas as rupturas com o presente são imagináveis e todas são exigidas para que a luz ao fundo do túnel seja a luz diurna do ar livre. Tudo o que pode ou não ocorrer nos próximos meses condicionará durante décadas a vida dos portugueses.

Refrescar

Há um travo amargo na boca dos portugueses, deixado pela longa decadência do consulado Sócrates. Não é apenas a crise e os sacrifícios, mas o desprezo pelos políticos e funcionários e a suspeita das instituições. Portugal desconfia da sua democracia. Não falta quem diga que o país é mesmo mau e que há séculos não tem saída.
Passos Coelho enfrentou a questão com um Governo jovem, caras novas e independentes em pastas decisivas. Assim rasgou a rotina e abriu uma janela de esperança. Foi uma decisão inteligente e natural, também seguida por Soares em 1976, Cavaco em 1985, Guterres em 1995 e até Sócrates em 2005. Como se vê, refrescamos as elites de dez em dez anos (note-se que desta vez passaram só seis).
Mas isso não chega. É preciso que as caras novas aprendam a lidar com a velha máquina. Porque o país e o Estado não mudam com o novo ciclo político. Os grupos instalados são os mesmos e os aparelhos organizativos também. E não são maus. Defendem os seus interesses, como todos, e precisam de ser equilibrados para bem de todos. O país é bom; só falhou o Governo.
O grande desafio do novo executivo é convencer Portugal de que o mal que nos trouxe a esta situação extrema não constitui um vício antigo que nos assola há décadas, não vem do país ou da democracia. Foi apenas um grupo de políticos interesseiros e mentirosos que conseguiu manter a sociedade refém durante uns anos. Isso não é comportamento típico de portugueses, democratas ou sequer socialistas. É uma coisa triste, que acontece nos melhores países e regimes.
João César das Neves, Destak, 29-06-2011

Solidariedade: com 1€ apenas...

Um Movimento adotou um ditado popular, "grão a grão...", e já distribui dinheiro a quem precisa.
Uma associação, lançada no início deste ano por um jovem gestor de 26 anos, Bernardo Motta, está ajudando instituições de solidariedade social, distribuindo cada euro reunido ao longo de um mês entre os seus associados. O sistema de angariação e distribuição de fundos é simples e procura envolver todos os intervenientes, desde as instituições apoiadas aos doadores.


A AIDHUM - Associação de Interajuda e Desenvolvimento Humano - é uma associação de solidariedade social, apolítica, sem fins lucrativos, criadora do "Movimento 1 Euro".
O "Movimento 1 Euro" utiliza apenas o apoio financeiro dos associados - 1€ por mês, por associado - para apoiar causas escolhidas e votadas por todos através deste website.
"Movimento 1 Euro"...  1 Euro, um Sorriso!
O "Movimento 1 Euro" é o resultado de um movimento de pessoas para pessoas.
A AIDHUM representa, através do projecto "Movimento 1 Euro", um movimento cívico que pretende unir, organizar e mobilizar as vontades da sociedade civil com o objectivo de colmatar determinadas insuficiências do país em diversas áreas, desde a economia, à saúde, ao meio ambiente, cultura e educação. Desta forma o Movimento 1Euro irá apoiar, associações/instituições sociais que desenvolvem o seu trabalho nas mais diferentes áreas.
Distinguimo-nos por termos um projecto que utiliza apenas o apoio financeiro dos associados (1Euro por mês, por cada associado), para apoiar causas escolhidas e votadas por todos os associados através do nosso website.
Ao contrário de algumas associações sociais que utilizam as quotas dos associados para financiar a estrutura da associação e o apoio financeiro das empresas para apoiar os projectos sociais. Através do "Movimento 1 Euro" queremos que os associados da AIDHUM sintam a diferença que o seu 1 Euro faz na vida de alguém.
De uma forma moderna e inovadora o “Movimento 1Euro” apresenta mensalmente fotografias, vídeos, cartas de agradecimento das associações/instituições ajudadas, relatórios de contas. No Projecto Movimento 1Euro quem escolhe onde quer utilizar o seu apoio financeiro (1Euro) são os associados que mensalmente votam, através do nosso site, na causa que querem ver apoiada.
Acreditamos que com pouco, mas unidos, podemos fazer muito.
Fonte: AIDHUM

Portugal: O programa do XIX Governo Constitucional

O programa do novo governo PSD/CDS, que incorpora as medidas da troika, assume o ajustamento financeiro como “prioridade máxima”. E propõe uma flexibilização geral da sociedade e da economia do país, das leis do trabalho à concorrência, passando pela educação.

Desta vez não há vida além do défice – nem do orçamental, nem do externo. O programa do novo governo PSD/CDS, conhecido ontem, confirma uma única prioridade absoluta para a política pública nos próximos quatro anos: corrigir os desequilíbrios financeiros do país e recuperar a credibilidade junto dos credores de Portugal.

“É a prioridade máxima do governo. O objectivo primordial é o regresso do país ao financiamento em condições normais de mercado”, define o programa. “O cumprimento dos objectivos [assumidos com a troika] terá precedência sobre quaisquer outros objectivos programáticos ou medidas específicas”, acrescenta. Por outras palavras: antes os défices, depois o resto.

Num programa que também é um exercício de relações públicas com o exterior, o governo clarificou que vai além das medidas já duras da troika (sem dar mais detalhes) e que quer dar um choque liberal à economia e à sociedade portuguesa. Assim, paralelamente às medidas de austeridade financeira e económica – da penalizante antecipação do agravamento do IVA à simples mudança dos feriados – junta-se um recuo generalizado do Estado e uma maior responsabilização das pessoas.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Alimente um cão com o "coisas"


Desastres

Arte: http://www.imotion.com.br/imagens/details.php?image_id=4916

Peter Wilm Rosenfeld
Não se trata de nenhum tsunami, terremoto ou qualquer outro fenômeno da natureza. Refere-se, sim, ao que está acontecendo no (des) governo da Presidente Rousseff, em várias frentes de trabalho.
Se não vejamos:
Caso Palocci – O País inteiro “sangrou” durante as semanas em que se desenrolou o caso (deveria chamá-lo de “vergonha!) Palocci. Um cidadão que duas vezes mente descaradamente sobre assuntos que lhe dizem respeito jamais poderia ser ministro de qualquer coisa.
No caso de Francenildo, o caseiro que falou a verdade, Palocci mentiu ao dizer que a quebra de sigilo bancário não tinha sido ordenada por ele. Pois foi, como a Caixa Econômica informou à Justiça ao ser intimada a pagar a indenização devida a Francenildo. No caso de sua súbita fortuna, Palocci novamente falseou com a verdade.
E a Presidente, o que fez? Nada, durante algumas semanas; somente quando a situação se tornou insustentável, dispensou o Sr. Palocci, mas com beijinhos e abraços.
Copa do Mundo – Apesar do triste exemplo havido quando da realização dos Jogos Pan Americanos no Rio, em que houve um brutal aumento do custo em relação ao orçado, está se repetindo a mesma situação com relação à Copa.
Talvez o Brasil consiga construir os estádios em tempo para a realização dos jogos; mas a que custo? O ministro da tapioca não tem a menor credencial para gerenciar a quantidade de obras necessárias; não tem a competência técnica como, tampouco, falta-lhe totalmente, a competência moral.
Mas está lá, firme como uma rocha e imponente como um pavão na chefia do assunto. Como já mencionei em artigos anteriores, sequer deveria ser mantido na troca de governo. Mas lá está ele, quase como um “impávido colosso”...

Jogada no lixo na madrugada mais fria do ano

Mais um emocionante RESGATE do Clube dos Vira-Latas


RebekaEsta é a UTI do Clube. Todos os peludos que ficam aqui estão em tratamento intensivo.
O ambiente é limpo e aquecido e tem gente cuidando de nós o tempo inteiro. Foto: CVL
Olá. Meu nome é Rebeka. Sou muito nova e ainda não entendo direito a vida, mas ontem, eu fui jogada em um saco de lixo ao relento. Estava muito frio e foi terrível suportar a baixa temperatura e a fome que sentia. Alternei parte da noite dormindo e chorando.
Para minha sorte, durante a madrugada, fui ouvida por uma pessoa que, sem saber o que fazer, entrou em contato com o Clube. Fui então resgatada às pressas e trazida para cá. Meu corpinho estava muito gelado e o pessoal do Clube me colocou debaixo da roupa, usando o calor do próprio corpo para me aquecer. Acho que devo ter passado um resfriado para alguém de tão gelada que estava, mas foi o que me salvou.
Depois de aquecida, o médico do Clube fez um exame de sangue em mim e percebeu que estava muito anêmica também. Imediatamente ele providenciou uma transfusão de sangue e comecei a me sentir muito melhor.
Agora estou indo dormir, já bem aquecida e alimentada. Quando estiver recuperada, serei castrada, vacinada e vermifugada e estarei ansiosa por um lar.
Quero agradecer a todos que ajudam o Clube dos Vira-Latas. Sem vocês, esse trabalho não seria possível e provavelmente eu não estaria mais aqui.
Vocês são meus heróis.
Clube dos Vira-Latas, 29-06-2011

[Portugal] Primeiros sinais

Costuma dizer-se que os governos são como os melões. Este apresenta-se determinado e voluntarioso, com gente capaz e corajosa. O que, convenhamos, já não é mau nos tempos que correm. Os primeiros sinais consentem uma ténue esperança. A abdicação de mordomias de função por parte do Primeiro-Ministro não é coisa de somenos. Vale pela mensagem que deixa e pelo exemplo que dá. Demonstra que não há deslumbramentos, nem fascínio pela exteriorização do poder. Importa agora confirmar se o Governo, todo o Governo, percebeu o novo paradigma. Os vícios antigos não se mudam facilmente. Nem as expectativas se frustram sem um preço. Se estes sinais se consolidarem, se a imagem da governação for de austeridade e parcimónia, algo de importante se terá readquirido: a noção de serviço público. Esta constrói-se também pelo pudor com que se administra o dinheiro de todos e como se gere o interesse colectivo. Como foi recordado na sua posse, este Governo não pode falhar. Seria muito importante que todos os seus membros interiorizassem este dramático desafio. Em causa não estão nem o seu futuro, nem o futuro dos seus partidos. Em causa estamos todos. Em causa está uma Nação inteira vítima da necedade acumulada de governações incapazes. Com este espaço estreito para percorrer. E, com sorte, para se salvar.
José Luís Seixas, Destak, 28-06-2011

Outdoors de protesto em Jaraguá - SC

O exemplo de Jaraguá é ótimo... Vale também para senadores e deputados...

Protesto na rua Olívio Domingos Brugnago, no bairro Vila Nova, em Jaraguá, demonstra a indignação sobre a proposta de aumento do número de vereadores na Câmara.


Na Ilha da Figueira, bairro de Jaraguá do Sul, foi colocado o outdoor abaixo:


E finalmente...


Imagens e Texto: Marcelo Noll Prudente

Laranja madura na beira da estrada...

... tá bichada, Zé,
ou tem marimbondo no pé!

Que saudades do grande Ataulfo Alves! Sou da geração que, graças a Deus, viveu momentos belíssimos da música brasileira de verdade. Período de letras inteligentes, limpas, sábias, solidárias. Sustentando melodias realmente musicais. Período ainda livre das escravaturas eletrônicas, dos metais tonitruantes e dos alto-falantes poderosíssimos... Além disso, eram todas em português. Lembro-me bem de quando ele apresentou esse samba, numa roda entre amigos, tocando ele mesmo o seu violão.

Foi esse samba que me veio à memória quando li a mensagem que a presidente da República, Dilma Rousseff, enviou ao professor Fernando Henrique Cardoso, que está sendo muito festejado pelos seus provectos 80 anos de idade.

Embora tenha vindo para o Rio de Janeiro muito criancinha, gosto de pensar que nasci em Belém. Uma linda cidade onde, até hoje, a língua portuguesa é muito bem cuidada e respeitada. Os paraenses falam bem, escrevem certo e conservam muitas peculiaridades... Uma delas, que sempre achei divertida, é o uso maroto do termo "disque" (diz que...).

Todo paraense, mesmo os transplantados, como eu, tem o hábito de usar essa espécie de ressalva antes de narrar fatos ou dar informações que possam ser dignas de certa desconfiança. Normalmente dizemos assim: "Disque" Fulano deixou a Beltrana por conta da Sicrana... Ou então: "Disque" o prefeito vai pagar os precatórios. Ou ainda pior: "Disque" a situação financeira do País vai melhorar...".

Basta!!


O drama continua: quantos mais ex-trabalhadores da Varig precisarão morrer?

José Paulo de Resende

E o Supremo Tribunal Federal e seus Excelentíssimos Ministros não colocam em julgamento o Processo da Defasagem Tarifária devida à Companhia VARIG.

Aposentados Varig no Rio Grande do SUL fazendo manifestação pelo AERUS/VARIG
Hoje, dia 27 de junho, perfaz 5 anos, 2 meses e 15 dias que os Aposentados do Aerus/VARIG continuam em compasso de espera. Até o presente momento já faleceram 578 funcionários da VARIG sem verem o Processo da Defasagem Tarifária ser julgado pelo Plenário do STF. Enquanto os aposentados e pensionistas e os demitidos da VARIG esperam a solução deste Processo que poderá restituir a todos a vida digna que todos tinham antes da Intervenção no Fundo de Pensão Aerus e a venda obscura da Varig, os Excelentíssimos Ministros do STF continuam julgando coisas de grande importância para o Brasil e seu Povo. Como por exemplo: A não extradição de Cesare Battisti, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a liberação da Marcha da Maconha, etc… etc… Vejam que estas coisas, que os Excelentíssimos Ministros do STF já julgaram, são de suma importância para o BRASIL e para o seu Povo.

Enquanto trabalhadores passam por sérias dificuldades há mais de 5 anos o STF e seus Excelentíssimos Ministros julgam coisas relevantes como estas acima. Grande relevância tem isto para todos os brasileiros, não acham?

Isto revolta qualquer cidadão de bem. Parece que ser desonesto, criminoso, terrorista, usuário de droga, e ser gay é o que é importante para o nosso País e são logo referendados pelos Excelentíssimos Ministros do STF.

Deixo bem claro que não sou homofóbico e nem sou contra pessoas que tenham opção sexual diferente da minha. Nem discrimino estas pessoas. Agora, liberação da marcha da maconha e a não extradição deste senhor Cesare Battisti sou contra e serei sempre.

E o que não pode acontecer é ver passar dias e mais dias e também ano após ano e nós, trabalhadores da VARIG, estarmos colocados sempre em compasso de espera e vendo aos poucos os nossos pares falecerem sem poder ter de volta o que lhes foi retirado de forma vil e cruel.

Old age, I decided, is a gift.

Photo: UA
"The other day a young person asked me how I felt about being old. I was taken aback, for I do not think of myself as old. Upon seeing my reaction, she was immediately embarrassed, but I explained that it was an interesting question, and I would ponder it, and let her know.
Old Age, I decided, is a gift.
I am now, probably for the first time in my life, the person I have always wanted to be. Oh, not my body! I sometime despair over my body, the wrinkles, the baggy eyes, and the sagging butt. And often I am taken aback by that old person that lives in my mirror (who looks like my mother!), but I don't agonize over those things for long.
I would never trade my amazing friends, my wonderful life, and my loving family for less gray hair or a flatter belly. As I've aged, I've become kinder to myself, and less critical of myself. I've become my own friend. I don't chide myself for eating that extra cookie, or for not making my bed, or for buying that silly cement gecko that I didn't need, but looks so avante garde on my patio. I am entitled to a treat, to be messy, to be extravagant.   
I have seen too many dear friends leave this world too soon; before they understood the great freedom that comes with aging.   
Whose business is it if I choose to read or play on the computer until 4:00 AM and sleep until noon?

A cigarra e a formiga na vida real

Todos sabem da fábula da formiga e da cigarra, quando uma trabalhava, armazenava alimentos para os dias mais difíceis enquanto a outra nada fazia, só cantava, voava, via o mundo de cima, e ainda criticava o excesso de trabalho da formiga, chamando-a de burra, mas a vida passa para todos e, como dizem, o mundo dá voltas.
Durante a infância e juventude de meus filhos estes sempre foram privados de qualquer tipo de excesso e, em muitas vezes, até em excesso. Sempre entendi que, se tivessem pouco, uma vida dentro dos padrões normais, sempre estariam bem. Se no futuro por motivos diversos pudessem possuir mais, gastar mais, ótimo, certamente sentiriam prazeres com isso.
Se não pudessem, não sentiriam falta de nenhum supérfluo, pois já estariam acostumados com o ‘feijão com arroz’ do dia-dia e o caviar não seria sequer sonhado, seria insignificante em suas prioridades.
Muitas pessoas não pensam dessa maneira e dão a seus filhos tudo o que podem, e que normalmente é mais do que podem, acostumando-os a um padrão der vida que dificilmente conseguirão manter no futuro.
Os exemplos estão aí aos milhares, assim como os resultados. Poucos são os que como Antonio Ermírio de Moraes que, durante uma entrevista que assisti, ao ser questionado sobre esse tipo de relacionamento com seus filhos já que era considerado o homem mais rico do país.

terça-feira, 28 de junho de 2011

"O cão que fuma" voltou....


Olá!
Pois é, O cão que fuma mudou para outra casa: http://www.ocaoquefuma.com
Você, querida amiga, querido amigo, já pode acessar e continuar a curtir as postagens, comentários, etc...
Ainda faltam muitas atualizações e reconfigurações na barra lateral. Já começamos a providenciar...
Ajude-nos nessa atualização, participando no blogue (Amigos especiais), curtindo e seguindo (facebook), inscrevendo-se no nosso feed, acrescentando o nosso blogue à sua lista de blogues amigos...
Muito obrigado!
Abraços e beijos de carinho./-
O cão que fuma e Jim Pereira

domingo, 26 de junho de 2011

Este blogue estará em manutenção nas próximas 48 horas....


O endereço oficial será alterado, o que vai exigir, além da própria reconfiguração interna do blogue (design, widgets, etc...), também o reposicionamento "externo": redes sociais, feeds, Google Friends Connect...
Muito obrigado!

sábado, 25 de junho de 2011

A resposta do TMA à comissária Maria já conta com mais visualizações...



Cão mais feio do mundo - 2011

Yoda, uma cadela, ganhou o título num concurso inédito nos Estados Unidos

Yoda, foto: R7
Uma cachorrinha esquálida de menos de 1 kg e aparência curiosa ganhou o concurso de cachorro mais feio do mundo. Os jurados da edição anual do bem-humorado evento premiaram o animal apenas depois de se certificarem de que não se tratava de um rato.
O nome dela é Yoda, e foi agraciada com o título na sexta-feira (24) à noite em Pentaluma, na Califórnia, Estados Unidos. A feiura de Yoda lhe garantiu um troféu 15 vezes maior que seu tamanho e a quantia em dinheiro de mil dólares.
A cachorrinha vai ganhar uma sessão de fotos e uma pernoite no resort Sheraton Sonoma County. A dona dela, Terry Devine Schumacher, disse ao site da Fox News que sua filha encontrou Yoda em um gramado há 14 anos, quando o pet tinha dois anos.
- Eu disse a ela para não encostar, porque pensava que era um rato.
Outros cães que rivalizaram com Yoda na competição têm nomes como Icky (Nojento), Handsome Hector (Hector Bonitão) e Ratdog (Cachorrato).
Fonte: R7

SIC Notícias, 25-06-2011, 16h17

Well, pode ser feinha, e é, mas parece que é feliz, e isso é o fundamental!

Locutor de Quixeramobim já de acordo com as novas regras do MEC


video
Colaboração: Claudia Bulcão

Hulk: a cláusula de 100 milhões

Nuno Farinha
Faz sentido pensar em Hulk como peça fundamental na estratégia do novo treinador do Chelsea? Claro que sim.

Hulk, foto: Manuel Araújo/Record
O valor da cláusula de rescisão de Hulk começou por parecer uma de duas coisas: originalidade na gestão da SAD do FC Porto ou capricho de Pinto da Costa – 100 milhões de euros. Nem menos um cêntimo para quem estiver disposto a levar o brasileiro do Dragão. Tratando-se ou não de uma verba razoável face à qualidade do “ativo”, uma excentricidade desta grandeza tem sempre um poderoso efeito de marketing. Só que neste caso é marketing positivo, porque se trata de um jogador que apresenta rendimento desportivo de topo mundial.
Os 100 milhões conferem a Pinto da Costa a segurança absoluta, aconteça o que acontecer. Ou seja, se servirem para afugentar os interessados, ótimo. Os dragões continuam a contar com o avançado e com a sua rara capacidade para “inclinar” o relvado e tornar tudo mais fácil. Mas se alguém perder a cabeça e conseguir bater a cláusula de rescisão, então o FC Porto faz história com a maior venda de sempre. Quando foi estabelecido e anunciado à CMVM o valor da cláusula, em agosto de 2009, a convicção generalizada era a de que ninguém chegaria a esse valor. Dois anos depois, é preciso dizer que Hulk não confirmou o potencial que lhe era creditado: superou-o largamente. Daí que tantos milhões já não parecem descabidos neste mercado cada vez mais dependente do dinheiro que é gerado fora do futebol.

Discurso de Paulo Paim e comentário de Sueli Guerra: "um vaselina"

Alcides Ribeiro, presidente da FAPEMS - Federação das Associações dos Aposentados e Pensionistas do Estado do Mato Grosso do Sul, encaminhou por e-mail este discurso do senador Paim, que titulou:

Transcrevo na íntegra discurso do Maior defensor dos aposentados e Pensionistas
(e no final do discurso Sueli Guerra comenta)

Senador Paulo Paim, foto: Agência Senado
Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Senadores.
Hoje vou voltar à pauta com a questão dos aposentados e pensionistas e também fator previdenciário.
No final de semana que passou ocorreu um incidente muito desagradável. Foi em relação a um encontro que teria com a Federação dos Aposentados do Estado de São Paulo. 

O que aconteceu é que no dia 17/06/2011 estava previsto um encontro entre mim e a FEAPESP, após o evento de debate do Estatuto dos Motoristas na Assembléia Legislativa de São Paulo. 

Em virtude de compromissos marcados em Brasília, tivemos que fazer a antecipação do meu retorno.
Sendo assim, pensamos numa maneira de agilizar o encontro com os aposentados e reservamos então, o Auditório Teotônio Vilella, na AL de São Paulo, para as 14h.

Houve um lamentável equívoco com relação ao local onde se daria o encontro, mas, de forma nenhuma, houve cancelamento do encontro.

E não é que agora Laura parece a Michelle Obama de Massamá?

Na tomada de posse, Laura Garcês Ferreira lembrou por minutos Michelle Obama. Tudo o que as junta e separa
Foto: jornal "i"
Os inimigos de Pedro Passos Coelho dentro do PSD inventaram-lhe uma alcunha - o Obama de Massamá. A alcunha era maldosa: a ideia era ridicularizar o facto de Passos Coelho viver num subúrbio de Lisboa muito pouco "fashion", na Linha de Sintra, e a outra parte da maldade era atestar o facto de Passos Coelho ser casado com uma mulher guineense, Laura Ferreira.
Passos não se preocupou e, inclusivamente, fez questão de propagar a alcunha. Afinal a imagem de Obama tinha índices de popularidade altíssimos em todo o mundo e em Portugal, evidentemente, também. Quanto a Massamá, nada a obstar: serviu-lhe à medida para no Verão passado desencadear uma excelente campanha de imagem junto da classe média, em contraponto com Sócrates, residente num dos prédios mais requintados do centro de Lisboa, na Rua Braancamp, junto ao Marquês de Pombal. Foi a época em que as revistas cor-de-rosa e até o "Expresso" mostravam Passos na sua casa de férias alugada na Manta Rota, em contraste largo com a caríssima estância de Sócrates no Sheraton Pine Cliffs, lugar habitual de descanso do ex-primeiro-ministro.

Cenas obscenas de estalinismo explícito

Aconteceu na primeira metade de junho em Brasília. “Blogueiros” autoproclamados “progressistas”, mas cuja independência cessa à porta de seu próprio encontro, foram mais uma vez patrocinados pela Petrobrás, pela Fundação Banco do Brasil, pela Itaipu binacional e pelo governo do Distrito Federal para mais uma vez discutir um “novo marco regulatório” e o “controle social” da mídia brasileira. Além dos “blogueiros progressistas”, o destaque foi para dirigentes do PT, esse partido igualmente “progressista” e “independente”.

Dois pontos se realçaram. Em primeiro lugar, a fala de Lula, o Grande, clamando contra os “falsos formadores de opinião”. À primeira vista trata-se de “formadores de opinião” não-verdadeiros, logo, de pretensões irreais e irrealizadas. Mas, se o são, quem perderia tempo com eles? Deve-se então, como é inevitável, interpretar o pobre português e as ideias empobrecidas do ex-presidente, vazadas em linguagem ao mesmo tempo panfletária, imatura e popularesca. “Falsos formadores de opinião”, na verdade, quer dizer “formadores de opiniões falsas”. E como ele se referia à “grande mídia”, além de ela ser, então, responsável por formar opiniões falsas, há quem possa formar as opiniões verdadeiras.

Não é surpresa que quem detém tal capacidade, na opinião dos presentes, sejam os autoproclamados “progressistas” – em oposição, portanto, aos “reacionários”. Para quem não sabe, progressistas era como se autointitulavam em público as “forças de esquerda” no tempo da Guerra Fria. Trata-se de um eufemismo: como ser “de esquerda” era então “incompreendido” por muitos (por exemplo, a classe média), além de perigoso, sejamos “progressistas”. Não bastasse um eufemismo, é também jargão dos velhos grupelhos “de esquerda”.

Religião, sexo, democracia e preconceito

O TEXTO PRECONCEITUOSO DE GILBERTO DIMENSTEIN CONTRA OS EVANGÉLICOS
Gilberto Dimenstein, para manter a tradição — a seu modo, é um conservador, com sua mania de jamais surpreender — , resolveu dar mais uma contribuição notável ao equívoco ao escrever hoje na Folha Online sobre a Marcha para Jesus e sobre a parada gay. Segue seu texto em vermelho. Comento em azul.

Milhares de fiéis na concentração da Marcha para Jesus. Foto: Monica Alves/AE
São Paulo é mais gay ou evangélica?
Sem qualquer investimento voluntário na polissemia, é um texto tolo de cabo a rabo; do título à última linha. São Paulo nem é “mais gay” nem é “mais evangélica”. Fizesse tal consideração sentido, a cidade é “mais heterossexual” e “mais católica”, porque são essas as maiorias, embora não-militantes. Ora, se a diversidade é um dos aspectos positivos da cidade, como sustenta o articulista, é irrelevante saber se a cidade é “mais isso” ou “mais aquilo”, até porque não se trata de categorias excludentes. Se número servisse para determinar o “ser” da cidade — e Dimenstein recorre ao verbo “ser” —, IBGE e Datafolha mostram que os cristãos, no Brasil, ultrapassam os 90%.
Como considero a diversidade o ponto mais interessante da cidade de São Paulo, gosto da idéia de termos, tão próximas, as paradas gay e evangélica tomando as ruas pacificamente. Tão próximas no tempo e no espaço, elas têm diferenças brutais.
Nessas poucas linhas, o articulista quer afastar a suspeita de que seja preconceituoso. Está, vamos dizer assim, preparando o bote. Vamos ver.
Os gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados. Já a parada evangélica não respeita os direitos dos gays (o que, vamos reconhecer, é um direito deles). Ou seja, quer uma sociedade com menos direitos e menos diversidade.
Está tudo errado! Pra começo de conversa, que história é essa de que “é um direito” dos evangélicos “não respeitar” os direitos dos gays? Isso é uma boçalidade! Nenhum evangélico reivindica o “direito” de “desrespeitar direitos” alheios. A frase é marota porque embute uma acusação, como se evangélicos reivindicassem o “direito” de desrespeitar os outros.

FIFA concerned over Brazil's progress

The World Cup travels to Brazil in 2014 and FIFA fear that the nation obsessed with winning are behind schedule.
The Brazil team will be under immense pressure from their adoring public to win the 2014 World Cup. Photo: Gallo/Getty
FIFA remains concerned at the slow pace of Brazil's preparations for the 2014 World Cup, saying its football officials appear to have invested more energy in winning the tournament than organising it.
"We don't have stadiums, we don't have airports," secretary general Jerome Valcke said on Friday at the Inside World Football forum in Moscow.
He added it looked increasingly likely that some facilities, including Rio de Janeiro's iconic Maracana, would be ready with only a few weeks to spare.
"The Maracana is not a World Cup stadium (yet)", Valcke said, adding that in Brazil "the main issue is not to organise the World Cup but to win the World Cup."
Brazil, which won hosting rights by default after other South American nations withdrew their bids, has been mired in organisational and bureaucracy problems since it was announced as host in 2007.
Builders working on one of the stadiums only this week returned to work after going on strike over pay and conditions. About 160 of the nearby 400 workers helping to upgrade Mineirao Stadium in Belo Horizonte stopped working this month. The agreement includes a four percent wage hike, a health plan and more overtime pay.
Belo Horizonte is one of the cities vying to host the opening match. Others include the capital, Brasilia, and Sao Paulo, South America's biggest city.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Pintaram os gatos!

Recebi estas imagens num arquivo "Power Point", sem a autoria. Imagino que tenha sido retirado o slide dos créditos. Enfim... as fotos suponho que sejam de "WazZuuup" conforme se vê no canto inferior direito.
No primeiro slide, em francês, lê-se que essa pintura dura três meses e custa 15 mil dólares, + ou - 10.585 euros.


Uma página sombria na história da Praça dos Três Poderes


Criação: Blog da Resistência Democrática
Um jurista DE VERDADE fala sobre o caso Battisti: “Uma página sombria na história da Praça dos Três Poderes”
Francisco Rezek, ex-ministro do STF, jurista de reputação internacional, juiz, por nove anos, da Corte de Haia, abriu um ciclo de palestras promovido pela Associação de Assessores e Ex-Assessores de Ministros do Supremo Tribunal Federal. Abaixo, segue o vídeo com sua intervenção. A partir dos 25 minutos, ele comenta o caso Cesare Battisti. Transcrevo os principais trechos depois do filme.

Dia do BASTA!: Sugestões de faixas, faixinhas, cartolinas, pirulitos, tam-tans, sinais de fumaça...


Oi!
Acho que vai bombar o próximo Ato do MovJÁ!
Aqui vão algumas sugestões de dizeres para faixas, faixinhas, pirulitos, and so on...
Os nossos dizeres devem, pelo menos temos que tentar, angariar a simpatia e solidariedade da população, que também é trabalhadora e uma grande parte é eleitora do PT. Não nos iludamos, a população acha duas coisas:

Estradas da vida

No reino animal o ser humano talvez seja o que nasce com maior dependência. Normalmente os irracionais já ficam em pé logo ao nascer, imediatamente procurando o úbere materno para mamar, o que não ocorre com os humanos.
A dependência, em todas as espécies, permanece por um bom período, em geral durante a infância e a juventude, apesar de atualmente os jovens humanos procurarem manter essa condição pelo maior tempo possível.
Ao sairmos dos cuidados paternos passamos a caminhar por uma estrada única, da nossa própria vida, quando seremos o próprio motorista, que escolherá o próprio caminho, a velocidade, o tipo de pista, o veículo e nela não haverá vigilantes rodoviários.
As escolhas nos levam a estradas com mais ou menos pistas, com melhor ou pior asfalto, valetas, terra, pântano, locais de planície ou de morros, ou de climas mais amenos, quentes ou frios. Coisas que aprendemos no passado e até mesmo as atuais sugestões paternas não serão sequer consideradas em virtude de já nos entendermos mais preparados do que eles.
No caminho encontraremos pessoas que poderão ou não nos acompanhar, tornando essa viagem mais prazerosa, ou enchendo-a de pedras. Poderão contar piadas ou histórias tristes, dar dicas de caminhos mais fáceis ou fornecer informações erradas que nos levarão a uma estrada sem saída, ao pé do morro.
Os que nos acompanharem poderão desembarcar durante a viagem por vontade própria, por haverem chegado ao seu ponto final, ou por nosso desejo, de não desejarmos mais continuar a viagem com eles e interrompermos a carona que lhes foi dada.
No pensamento, a estrada poderá ser percorrida, durante toda sua duração, com velocidade bastante lenta ou de anos-luz e a capacidade da memória poderá ser de alguns bytes ou de muitos Terabytes. Tudo dependerá da quantidade da sua busca e do armazenamento de informações que escolher fazer.
O conforto ou desconforto dessa viagem é uma opção pessoal e mesmo assim há pessoas que não percebem, ou não assumem, que serão as únicas responsáveis pelas escolhas e suas consequências, seus resultados.
Ao realizarmos auto-críticas, temos a possibilidade de refazer nossas escolhas. Podemos olhar ao longo da estrada para trás e para frente e escolher se continuamos por ela ou pegamos outra que sai para o lado em direção bastante diferente, ou mesmo uma que mais adiante caminhará paralelamente a esta.
Buscando ser disciplinados podemos inclusive nos aplicar multas, algumas merecidas e outras nem tanto, ao percebermos excessos e erros nas conduções físicas, alimentares ou quaisquer outras. Nossa mente está sempre pronta para pensar em novas alternativas, mudanças ou retorno ao início.
O importante é que façamos as correções necessárias, que alteram a duração da viagem, tornando-a mais curta ou longa, rápida ou demorada, com mais ou menos paisagens, pessoas e lugares novos para se conhecer.
Pequeno é o que continua dependente, até sobre suas opções, e não se dá ao direito de corrigir seu próprio rumo, sua velocidade ou mesmo seus acompanhantes.
Título e Texto: João Bosco Leal
Edição: JP

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Humildade… rumo certo na vida


Miriam Zelikowski
Virtude, força, caráter: Estes são o primeiro degrau para um rumo certo. Quem trata a vida com arrogância e manipula o orgulho sem medidas, arrasta a vaidade e o egoísmo para o fundo de um buraco negro, aonde a luz é impenetrável e a benção se torna impossível.
Aprender a ser humilde é viver sem fronteiras, sem preconceitos, mas sempre com respeito, com consideração ao valor do outro. Isto é, respeito ao ser humano com restrições na saúde física, saúde mental, saúde emocional, saúde espiritual. Respeito aos animais que indefesos nada fizeram para prejudicar, apenas pedem para viver. Respeito às florestas e todas as flores que emanam perfumes que pedem para viver. Respeito aos oceanos que, senhores do planeta, têm seus recursos abundantes, pedem para manter a vida aquática. Respeito ao ar que mantém a vida, e deve ser preservado, pois todo o magnetismo que rege o planeta Terra reage àquele que com o dedo impõe sua conduta, com a língua manifesta sua grandeza, com a mão desfaz o que é certo, com os pés risca caminhos e provoca amargura, decepção e desrespeito.
Aprenda a ser humilde descendo de um degrau alto para receber qualquer ser vivo com respeito, amor e dignidade. Em contrapartida, seja humilde para receber de um Grande, a luz, a sabedoria, a ciência da vida, o valor que ninguém pode desacreditar. Sem humildade somos corpo sem vida, alma sem propósito, mente perturbada, razão sem resultado, somos e seremos luzes apagadas.
Abra seu coração, amplie sua mente, expanda sua consciência, libere sua energia com o primeiro passo no rumo certo na vida: humildade.
Título e Texto: Miriam Zelikowski - Mestre em Bioterapia Magnética.
Edição: JP

Piloto da Southwest 'disserta' sobre comissários de voo....

After one of its pilots had an insensitive open mic moment, Southwest Airlines has landed a spot on AC360's
CNN, added on June 23, 2011


Enviado por Carlos Costa

Ex-trabalhador da Varig... participe no Dia do BASTA!

Ex-trabalhador da Varig, Aposentado e Pensionista Aerus, Familiar e Amigo:

Participe conosco
Sábado, 02 de julho, 14h, Copacabana, Posto 6